After Halloween Seguir historia

teffychan

Após encontrar o responsável por uma série de desaparecimentos Naruto foi obrigado a se aposentar como detetive. Resolver seu último caso, certamente o mais difícil que teve, resultou na descoberta de um mundo completamente novo do qual ele fazia parte agora. Precisava se adaptar a sua nova rotina como vampiro e, embora estivesse feliz por ficar ao lado do rapaz que gostava e que o transformou, se alimentar do sangue de humanos não era tão fácil quanto parecia. Ele mesmo era humano até pouco tempo atrás afinal.


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18. © Todos os direitos reservados

#universoalternativo #violência #shoujoai #homossexualidade #yaoi #desafiospinoff2019 #spinoff #oneshot #vampiro #halloween #narusasu #sasunaru
Cuento corto
4
646 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único – After Midnight

Notas Iniciais:

Essa história é um spin-off do drabble "Bad Halloween".


____________________




Naruto estava acostumado a desvendar mistérios. Solucionar casos aparentemente impossíveis era sua paixão. Realizava essa tarefa durante anos e sempre acreditou que passaria toda sua vida investigando todo o tipo de casos mais curiosos que pudessem existir.

Até agora.

Ele investigou um caso bastante curioso de fato. Na verdade estava mais para bizarro. Ninguém acreditaria se ele contasse que foi contratado para localizar pessoas que desapareceram aparentemente por estarem envolvidas em relacionamentos não-convencionais e terminou descobrindo que o motivo era porque estavam sendo raptadas por uma espécie de cientista louco para servirem de cobaias apenas porque pertenciam a raças diferentes. O próprio Naruto pertencia agora a uma raça diferente. Concluiu sua investigação e o culpado teve uma punição mais do que merecida, mas Naruto não saiu do local que foi investigar como o humano que era quando entrou. Na verdade ele nunca saiu de lá.

Era um vampiro agora.

Ele entendia que foi algo necessário. Era isso ou morrer de vez durante a luta que tiveram contra o culpado por todas aquelas atrocidades. No entanto, se acostumar com sua nova rotina como vampiro não era algo fácil. Tinha se habituado a conviver com pelo menos metade dos moradores da mansão onde vivia agora e só então conheceu de fato as pessoas que tinham desaparecido. Mas passava a maior parte do tempo com o responsável por ter lhe transformado em vampiro e, de certa forma, salvado sua vida.

Sasuke disse que, ao lhe dar seu sangue para beber, também lhe tornou um Uchiha, mas que não eram parentes. Então o que raios eles eram afinal? Naruto era bom quando se tratava de desvendar mistérios, mas não sabia lidar com as emoções dos outros. Muito menos as suas. Teve sonhos um tanto inapropriados com Sasuke durante o tempo em que viveu como humano naquela mansão. E, se o fato de também ser um Uchiha agora fosse algo nesse sentido…

— Sonhando acordado de novo? — Ino adentrou a cozinha, interrompendo seus pensamentos — Parece que você faz muito isso.

— Oi Ino — Naruto virou-se para cumprimenta-la. Ela era uma das pessoas que tinham sido sequestradas então ainda não a conhecia direito — Só estava pensando em tudo o que aconteceu. Parece que minha vida virou de cabeça para baixo.

— Literalmente — Sakura falou ao lado dela — Você não deveria estar dormindo? Tudo bem que o sol já se pôs, mas ainda são cinco da tarde.

— Eu não sei… meu fuso horário está uma bagunça — Naruto coçou atrás da cabeça.

— Bem, imagino que não deve ser fácil no começo. Mas você se acostuma — Ino comentou — A propósito, ainda não te agradeci direito pelo que você fez por mim. Por todos nós na verdade.

— Não precisa agradecer. Só fiz o meu trabalho.

— Claro que preciso! — ela insistiu — Se você não tivesse vindo provavelmente nenhum de nós teria sido encontrado. Então, obrigada por nos salvar.

— É, sem você eu não teria a Ino de volta — Sakura concordou, segurando a mão da namorada — Era para a gente te pagar no final da investigação e te deixar ir, mas as coisas não terminaram como imaginamos, então, se precisar de alguma coisa é só dizer.

— Obrigado, mas não acho que vocês possam me ajudar — ele respondeu. Sua barriga roncou logo em seguida e ele se remexeu desconfortável.

— Ah… realmente não podemos te ajudar com isso, desculpe — Sakura segurou uma risada — Você vai ter que pedir ajuda ao Itachi ou ao Sasuke.

— Por que estão considerando envolver Itachi nisso? — Sasuke apareceu na porta, contendo um bocejo — Você acorda cedo demais — encarou Naruto.

— Geralmente eu estaria acordado nesse horário — Naruto lembrou.

— Tem razão — desviou o olhar de Naruto e olhou para as janelas — Bom, já escureceu então vamos — o puxou pela mão.

— Aonde?

— Vou te ensinar a caçar — respondeu simplesmente. Notou então o olhar hesitante de Naruto, quase assustado e suspirou. Sabia que aquilo não seria fácil, mas era necessário. Tocou Naruto no abdômen quando escutou seu estômago roncar e o ouviu ofegar. Não imaginou que causaria essa reação no rapaz, mas decidiu aproveitar a brecha — Você está com fome, certo? Precisa comer… antes que comece a perder o controle… — deslizou a mão pelo tórax até chegar à face. O segurou pelo rosto e se aproximou um pouco mais para sussurrar em seu ouvido — Não se preocupe, vou te ensinar direitinho como se faz.

— Sasuke… — Naruto sentia a pele se arrepiar com o hálito dele em seu pescoço. As mãos de Sasuke eram frias, assim como as suas, mas fazia com que ele se sentisse estranhamente quente por dentro. Não imaginou que isso seria possível em sua condição atual — Já entendi que preciso me alimentar… não precisa chegar tão perto.

— O que foi? Não se preocupe, não vou te morder… de novo — deixou escapar uma risada antes de soltar Naruto — Vamos, também estou com fome.

Caminharam por vários quarteirões após deixarem a mansão e pararam em um parque que Naruto não conhecia. Estava vazio, mas Sasuke escondeu-se atrás das árvores, mandando Naruto fazer o mesmo.

— Então… você vem sempre aqui?

— Isso parece uma cantada brega — Sasuke respondeu embora tenha entendido o que ele quis dizer — É um bom lugar para caçar. Principalmente de madrugada.

— Mas ainda é cedo.

— Eu sei, mas você precisa aprender logo — respondeu — Alguns humanos dizem que esse lugar é assombrado, então gostam de fazer provas de coragem e coisas do tipo. Por isso sempre aparecem uns adolescentes idiotas por aqui de madrugada. Durante esse horário é mais difícil encontrar alguém, mas às vezes dou sorte. Se demorar muito teremos que mudar de lugar.

— Onde mais você costuma ir?

— Lugares desertos. Sempre tem alguém na porta de trás de bares ou em algum beco deserto… na verdade o meu local favorito para comer os outros é em um beco deserto.

— Por que tudo que você fala tem conotação sexual? — Naruto ergueu uma sobrancelha.

— Psiu! Tem alguém vindo.

Realmente tinha pessoas passando pelo parque agora. Uma mulher guiava um carrinho de bebê. Passou por um homem que passeava com um cachorro.

— Ei… você vai atacá-los? — Naruto indagou, olhando fixamente para a mulher com o bebê.

— Quer dizer comê-los? — Sasuke corrigiu.

— Sim. Não, quero dizer… geralmente você ataca homens, não é?

— Homens, mulheres, tanto faz… não gosto de crianças. Precisamos que elas cresçam para reproduzirem e gerar mais alimento — Acabou deixando que os dois partissem enquanto explicava sua rotina para Naruto.

— Era assim que você me via, não é? — Naruto perguntou — Apenas como comida.

Sasuke demorou a responder. Vaticinar isso era algo que deveria ter feito antes de leva-lo para caçar. É claro que Naruto acabaria perguntando isso mais cedo ou mais tarde.

— Eu o via como alguém que poderia me ajudar a encontrar meus amigos. Minha família não conseguiu e acabei perdendo quase todo um clã. Jiraya e Tsunade morreram tentando. Por isso pensei em trazer alguém de fora da mansão para fazer isso, um humano. E você trouxe meus amigos de volta — virou-se para encarar Naruto — Não vou negar que tive vontade de te morder. Senti isso várias vezes e resisti o máximo que pude. Mas chegou um ponto em que eu não sabia mais se queria te morder apenas para provar o seu sangue ou para sentir o seu gosto… em outro sentido. E quando te vi morrendo como humano… não queria que você partisse.

— Eu sei. E sou grato por ter me dado esta segunda vida — Naruto sorriu sem jeito, segurando a mão dele — É que… é difícil me acostumar com o fato de que vou ficar acordado a noite toda agora, viver a base de sangue e essa coisa toda.

— Bem, você vai precisar. E não se esqueça de que, não importa o quão faminto esteja ou se estiver com raiva de alguém na mansão, não os morda em hipótese alguma.

— Eu jamais faria isso!

— É bom mesmo. Porque o sangue deles é como veneno para nós — Sasuke lembrou — Precisamos de sangue humano. Como o deles, por exemplo — voltou sua atenção para o parque e Naruto olhou na mesma direção que ele. Havia um casal sentado no banco da praça, conversando despreocupadamente — São perfeitos, não acha? Quer escolher?

— Está brincando? Eu nem sei como se faz isso…

— Bem, então observe e aprenda — Sasuke saiu de trás das árvores quase no mesmo instante em que o homem se afastou do banco, indo na direção de uma máquina que vendia refrigerantes ali perto.

Sasuke caminhou despreocupadamente até a mulher e começou a conversar com ela. Naruto surpreendeu-se por conseguir ouvir tudo mesmo daquela distância. Não sabia que super audição estava incluído no pacote de se tornar vampiro. E surpreendeu-se ainda mais com o rumo daquela conversa. Céus, Sasuke estava dando em cima dela? Ele tinha acabado de dizer que aquela seria sua refeição e estava agindo como se tivesse segundas intenções… como ele fazia aquilo? E ela estava caindo na lábia dele! Apesar de ter dito que tinha namorado, deixou que ele se sentasse ao lado dela (bom, o banco da praça é público) e se aproximasse.

Demonstrou receio quando ele se aproximou demais e tocou-lhe a face, talvez por preocupação pelo namorado voltar e lhe pegar no flagra ou talvez por pensar que Sasuke fosse algum pervertido, o que seria completamente natural naquela situação, mas já era tarde. Ele aproximou-se ainda mais e a abraçou com a mão livre para que a moça não escapasse, cravando então os dentes em seu pescoço. Ela gritou com o susto e dor, mas logo sua voz foi desaparecendo, junto com sua vida.

Imediatamente o namorado dela retornou ao escutar o grito da moça, mas já era tarde. Olhava horrorizado para a cena diante dele e deixou cair as latas de refrigerante que carregava. Não sabia se avançava contra Sasuke ou se saía correndo dali.

— Naruto, depressa! — Sasuke gritou, soltando o corpo da mulher — Pegue-o antes que escape!

Mas Naruto estava tão assustado quanto o homem diante dele. Como Sasuke fazia aquilo tão facilmente? Tirar a vida de uma pessoa assim… não sabia se conseguia fazer isso.

— Naruto! — Sasuke gritou de novo. Segurou o homem antes que ele fugisse enquanto Naruto se aproximava a passos hesitantes — Você vai precisar fazer isso sozinho da próxima vez, mas precisa se alimentar por enquanto. Vamos.

— Não! Por favor, não faça isso! — O homem pediu.

— Sasuke… não posso…

— Claro que pode. É só morder. Bem aqui, nessa veia — ele deslizou o dedo pelo pescoço do rapaz. Reparou que Naruto encarava os olhos suplicantes do homem e o tampou com uma das mãos — Melhorou? Morda logo.

— Ele é louco… por favor, me ajude… — o rapaz suplicava.

— Não posso fazer isso Sasuke.

Perdeu a paciência. Assim como tinha feito com a mulher, o abraçou para que não fugisse e cravou os dentes no pescoço do homem. Naruto observava estático enquanto Sasuke sugava o sangue dele até seu coração parar de bater. Quando terminou, soltou o corpo desfalecido e, limpando o queixo com as costas da mão, caminhou até Naruto.

— Por que não fez o que eu disse? Por que não o mordeu?

— Ele estava implorando para que eu não o matasse.

— E agora está morto — Sasuke apontou para o corpo do homem — Precisa fazer isso, do contrário você é quem vai acabar morrendo de fome. Lembre-se de que você não é mais humano, Naruto.

Retornaram para casa em silêncio. É claro que Naruto sabia disso, era impossível esquecer de que não era mais humano. Mas se acostumar a beber sangue de um dia para o outro era pedir demais. Trocar o dia pela noite era uma coisa, mas se alimentar de outras pessoas… não tinha certeza se conseguiria.




~~~~~*~~~~~*~~~~~




Naruto acordou mais tarde na noite seguinte. E mais faminto. Para seu alívio, ainda que a mansão estivesse mais cheia do que quando chegou ali, ele não sentia vontade de morder ninguém. Sasuke tinha razão, o sangue de todos cheirava a água de esgoto. O sabor devia ser pior ainda. Ele disse que o fedor desaparecia quando não estavam com fome, o que era mais um motivo para Naruto aprender a caçar. Foi até a cozinha por pura força do hábito já que não ia comer nada ali. Apenas foi atraído pelas vozes alteradas.

— Vocês andam tão melosos desde que todos foram resgatados — Sai reclamava.

— Isso se chama demonstração de afeto — Shino respondeu como se fosse um professor ensinando uma criança — Significa que estamos felizes por estarmos juntos.

— Não precisa me explicar o que é. Estou vendo que andam mais grudados do que de costume.

— Todo mundo está assim desde que fomos resgatados caso não tenha percebido — Kiba observou — Então não venha reclamar da gente.

— Estou reclamando especificamente de você — Sai respondeu — Por sua causa Shino está abandonando os costumes da família.

— E lá vem você de novo com essa palhaçada! — Kiba reclamou.

— Não é palhaçada, é…

—… o motivo pelo qual eu achei que você era o responsável pelos desaparecimentos — Naruto completou, adentrando a cozinha — É sério Sai, não entendo sua implicância com eles.

— Pois é! Até o Naruto, que mal chegou aqui, não dá a mínima — Kiba apoiou. Ele também era uma das pessoas que tinham sido sequestradas. Pelo pouco que Naruto conviveu com ele, percebeu que era uma pessoa animada e barulhenta — Aliás, o que está fazendo aqui? Não ia sair para se alimentar?

— Deve ter vindo procurar o Sasuke — Sai comentou.

— Não, ele pode ir sem mim — Sasuke, que estava sentado em um canto observando a discussão, dispensou o convite não feito.

— Vai mesmo deixa-lo ir se alimentar sozinho? Não é muito cedo? — Sai indagou.

— Ele precisa aprender a fazer isso — encarou Naruto — Ouviu bem? Se não aprender a se alimentar logo vai ficar descontrolado por causa da fome, e não vai ser nada bonito. Você viu como eu fiquei quando descobriu a verdade sobre nós, lembra?

— Ele te viu daquele jeito? — Kiba indagou — Que maldade, Sasuke… pra quê traumatizar o coitado desse jeito?

— Ele tinha me proibido de ir caçar! — Sasuke defendeu-se — Enfim… se não quiser ficar daquele jeito é melhor aprender a se alimentar, e depressa.

— Você não vem?

— Você não gostou dos meus métodos, então arranje os seus— deu de ombros— além do mais, assistir a briga deles é divertido — Sasuke voltou-se para os amigos — A propósito, Sai, o Kiba está certo. Você não tem o direito de interferir na vida pessoal do Shino.

— Sim, eu escolhi mudar meu tipo de alimentação por conta própria — Shino concordou.

— Você é um werecat, deveria comer peixes e afins como todos os outros fazem! Não precisa mudar seu tipo de alimentação só porque está namorando um lobisomem.

— Olha, talvez ele tenha razão sobre isso — Kiba observou — Não precisa comer a mesma coisa que eu só para me agradar.

— O Shino come o que ele quiser — Sasuke intrometeu-se — Deixa ele escolher, Kiba.

— Você só está colocando lenha na fogueira — Naruto repreendeu.

— Estou mesmo. Agora vai logo se alimentar — Sasuke o dispensou om um aceno.

Naruto revirou os olhos antes de sair. Toda aquela discussão sobre comida era um absurdo. Quem se importa se Shino estava tentando se adaptar à mesma alimentação que lobisomens faziam apenas para agradar o namorado? Pelo menos ele podia escolher o que iria comer.

Já Naruto não tinha escolha. Precisava se alimentar de sangue, não havia outra opção no cardápio. Precisava sugar o sangue de humanos, sendo que ele mesmo era um até pouco tempo atrás. Aquilo era estranho, mas teria que fazer isso se quisesse saciar sua fome.

Não conseguiu naquela noite também.



Na terceira noite aconteceu o que Sasuke lhe alertou e o que mais temia. Perdeu o controle. Não se lembrava de que horas tinha acordado, nem de ter saído da mansão. Quando deu por si estava de joelhos no meio do parque onde Sasuke o levou para caçar pela primeira vez. Dois corpos jaziam ao seu lado e um terceiro em seus braços. Sua camisa estava manchada com o sangue de suas primeiras vítimas.

Mal percebeu o que tinha feito e ouviu passos em sua direção. Olhou para os lados desesperado, pensando em como poderia explicar aquilo, até que reconheceu Sasuke.

— Você estava mesmo com fome — comentou simplesmente, olhando para o estrago que Naruto tinha feito.

— Sasuke… eu…

— Você se alimentou — ele interrompeu o gaguejar de Naruto — E fez uma bela bagunça. Vamos para casa, você precisa de um banho.

— Mas… — Naruto olhou os cadáveres ao seu redor. Como iria explicar aquilo?

— Os corpos? Deixe-os aí, é trabalho da polícia descobrir o que aconteceu. Por que acha que existem tantos assassinatos sem solução? — segurou uma risada. Pensando bem, isso explicava a absurda onda de assassinatos em determinados pontos da cidade, bem como o fato de ninguém conseguir encontrar o culpado — Anda. Vamos para casa — estendeu a mão para Naruto, que a aceitou e colocou-se de pé. Retornou para a mansão com Sasuke em silêncio, porém sem soltar a mão dele.

Naruto tomou um longo banho, mas o cheiro de sangue não saía. Parecia estar impregnado em seu corpo. Curiosamente isso já não o incomodava tanto. Imaginou que iria se sentir culpado ao matar alguém apenas para se alimentar, mas, após a sensação inicial de choque, parecia algo quase… natural.

— Sasuke? — bateu na porta do quarto do rapaz quando saiu do banho. Sasuke atendeu instantes depois — Eu… posso entrar?

— Claro — abriu passagem para Naruto passar, fechando a porta em seguida.

— Onde estão todos? — não era sobre isso que Naruto queria falar, mas não sabia como tocar no assunto.

— São duas da manhã, estão dormindo. Ou fazendo outra coisa. Fique longe do quarto da Ino e da Sakura — ele aconselhou.

— Certo — Naruto decidiu não perguntar o motivo — E… o que você faz a essa hora? Deve ser chato ficar sozinho a noite toda.

— Geralmente fico conversando ou jogando alguma coisa com Itachi. Ele adora pôquer — contou — Mas ele ainda não voltou para casa. E às vezes Sai acorda para fazer um lanche noturno e ficamos conversando.

— Você quer dizer discutindo.

— É divertido implicar com ele — Sasuke defendeu-se — Agora estou lendo — decidiu apor o livro que segurava na escrivaninha e sentou-se na cama para conversar melhor com Naruto.

— Que livro é esse? — espiou a capa — Não parece combinar com você.

— Uma história sobre um vampiro e um lobisomem brigando por causa de uma garota… mas está tudo distorcido, nada funciona do jeito como realmente somos — revirou os olhos — Perdi uma aposta para Sakura e agora preciso ler isso.

— O que você apostou com ela?

— Que um humano conseguiria resgatar nossos amigos — puxou Naruto pela mão, fazendo com que o rapaz se curvasse na direção dele — Eu perdi, pois você não é mais humano. Lembra quando te contei que ficamos descontrolados no Halloween? — perguntou e Naruto assentiu — Eu geralmente fico faminto. Muito mesmo… devoro pelo menos dez pessoas no Halloween, às vezes mais. Mas esse ano foi diferente. Não queria que você morresse como humano, por isso não consegui controlar meu desejo de não querer te perder e te dei meu sangue. Mas agora acho que minha decisão pode estar sendo uma peia para você.

— E por que acha isso?

— Porque foi o meu egoísmo de te querer ao meu lado que me fez te transformar em vampiro. Mas olhe só para você — tocou o rosto de Naruto — Você não pediu por isso. Se sente culpado por se alimentar de humanos, mas precisa do sangue deles para viver. Talvez eu devesse ter deixado você morrer como humano.

— Se tivesse me deixado morrer eu não estaria com você agora — Naruto sentou-se ao lado dele — É estranho beber sangue, mas eu estou feliz por estar ao seu lado.

— E como está se sentindo? Hoje foi a primeira vez que se alimentou.

— Eu não me lembro de muita coisa. Só que… o gosto era bom. E doce.

— Você vai se acostumar com o tempo — Sasuke garantiu — Vou com você da próxima vez se quiser.

— Não precisa, você caça de um jeito estranho. Por que deu em cima daquela mulher antes de mordê-la afinal? Você sempre faz isso?

— Precisava distrai-la de alguma forma para que ela não saísse correndo — Sasuke deu de ombros — O que foi? Não me diga que ficou com ciúmes?

— Claro que não! Só achei um pouco estranho o jeito como você deu em cima dela… e como sempre abraça as pessoas antes de mordê-las… você parece um pervertido.

— E você parece ciumento — Sasuke riu.

Em seguida o abraçou, exatamente como fazia com suas vítimas antes de mordê-las. Uma das mãos o abraçava pelas costas enquanto apoiava a outra em seu ombro. A diferença é que, ao invés de forçar sua cabeça para que exibisse o pescoço, Sasuke inclinou seu corpo até que ele deitasse na cama. Desfez o abraço, mas continuou deitado ao lado dele, uma das mãos apoiada em seu peito.

— Sabe, agora estou me lembrando… você me disse uma vez que teve vários sonhos eróticos comigo. Como eles eram?

— Eu já te contei isso — Naruto se remexeu desconcertado, mas Sasuke o empurrou de volta para a cama.

— Bem, posso realizar seus sonhos agora se quiser — deslizou a mão pelo tórax de Naruto devagar.

— Não precisa fazer isso… — Naruto respondeu, tentando ignorar os arrepios que Sasuke lhe causava.

— Ah, eu faço questão — deslizou o dedo pelo seu pescoço até face — E também quero saber outra coisa. Nós já nos beijamos nos seus sonhos?

— Não. Sempre terminavam com você me mordendo.

— Há! Acho que era mesmo um sinal para eu te transformar — ele riu — Bem, precisamos dar um jeito nisso.

Inclinou-se para mais perto de Naruto até beijá-lo. Não foi como ele imaginou. Sentiu os lábios gelados e macios de Sasuke contra os seus, mas não as presas. Não que estivesse reclamando, é claro. Principalmente quando ele tocou seus lábios com a língua, pedindo passagem. Cada movimento que fazia, cada toque, fosse com as mãos ou com a boca pareciam seduzir Naruto e ele não sabia se era proposital ou se de fato seu sonho estava se tornando realidade.

Abraçou Sasuke, segurando-o firme pelos cabelos com uma das mãos e o trazendo para mais perto enquanto ele se acomodava melhor sobre seu corpo. Apoiava uma das mãos em seu peito enquanto ainda o segurava pelo rosto com a outra, as pernas emboladas uma na outra. E quando Naruto começou a se perguntar até onde poderiam ir com a aquilo, Sasuke quebrou o contato entre eles, mas permaneceu deitado em cima de Naruto.

— Eu não senti suas presas — Naruto comentou simplesmente porque não sabia o que dizer.

— Elas só aparecem quando estamos com fome. Ou com intenção de atacar alguém — Sasuke explicou. Ainda acariciava o peito dele distraidamente — O seu sonho era assim?

— Na verdade era um pouco mais intenso…

— É mesmo? Tipo isso? — deslizou as mãos pelo corpo de Naruto, acariciando o abdômen e segurando a barra da camisa. Insinuou a mão por baixo da roupa, tocando-lhe a pele.

— Um pouco mais…

— O que foi que você fez comigo nos seus sonhos pervertidos? — Sasuke ergueu uma sobrancelha.

— Na verdade foi o que você fez comigo — Naruto corrigiu desconfortável — Você sempre fazia a coisa toda.

— Certo… e você quer que eu realize o seu sonho hoje? Ou quer esperar? Não é como se estivéssemos com pressa, sabe.

— Você faria mesmo isso? — Naruto indagou — Na noite em que você me transformou disse que eu também era um Uchiha, mas que não somos parentes. Você quis dizer que agora nós… nós somos, tipo… casados, ou algo assim?

— Pode chamar desse jeito se quiser — Sasuke deu de ombros — Ninguém aqui se importa muito com essas formalidades. Nem em dar nome para isso.

— Então vocês só decidem que são um casal e pronto?

— É basicamente assim que funciona — Sasuke confirmou — O mesmo vale para a gente. Mas, o tempo de avanço na relação já é outra história.

— Então… acha que tem problema avançarmos um pouquinho mais?

— Você quer isso mesmo ou é só para realizar os seus sonhos eróticos? — Sasuke levantou um pouco mais a camisa dele — Não que eu esteja reclamando, é claro.

— Quando eu ainda era humano, queria resolver logo aquele caso para ir embora daqui, mas ao mesmo tempo não queria partir porque isso significaria que não poderia te ver novamente — Naruto confessou, sentindo arrepios involuntários com os toques que Sasuke — Então não é por causa dos sonhos. Eu quero ficar com você.

— E eu com você — Sasuke inclinou-se sobre ele para beijá-lo novamente. E dessa vez Naruto podia sentir todo o amor dele, antes camuflado por suas provocações. Seus movimentos ainda pareciam eróticos, mas agora Naruto conseguia perceber que não era apenas desejo carnal. Assim como Sasuke, também conseguiu notar os sentimentos que Naruto nutria por ele. E, uma vez que se amavam e desejavam a mesma coisa, nada mais importava.




~~~~~*~~~~~*~~~~~




— Não me importo de te acompanhar, mas por que aqui? É um péssimo lugar para caçar, tem muita gente.

— Psiu! Você vai ver.

Estavam em uma parte pobre da cidade, perto de um bar. Havia homens embriagados rindo na entrada. Naruto observava a entrada do local que ficava do outro lado da calçada já tinha algum tempo, o que estava deixando Sasuke impaciente.

Durante a última conversa que Naruto teve com Shino e Kiba, ficou sabendo que Shino retomou os hábitos alimentares de sua própria espécie e isso lhe fez perceber uma coisa. Não importa se está namorando alguém de outra espécie, precisa aprender a fazer concessões para ficar com ela. Mas também não pode abandonar todos os seus hábitos e deixar de ser quem você é.

— Naruto, o que você…

— Ali está — Naruto interrompeu.

Apontou para o ponto de ônibus que ficava ao lado do bar onde havia apenas uma mulher. Dois homens saíram do bar e caminharam em sua direção. Ela saiu do ponto e começou a se afastar a passos rápidos, mas eles a seguiram.

— Já trabalhei em alguns casos que ocorreram aqui. Está vendo aquele ponto de ônibus? — apontou — É o local perfeito para criminosos atacarem, principalmente a essa hora da noite. Muitos assaltos e assassinatos já aconteceram nesse bairro e os culpados raramente são encontrados — Naruto explicou — Mas, por sorte, encontramos dois bandidos antes que cometam um crime… quer me ajudar a puni-los?

— É o seu espírito de detetive falando mais alto? — Sasuke sorriu.

— Sinto falta disso.

— Bem, acho que aqueles dois não vão fazer falta — acompanhou Naruto na mesma direção em que a mulher e os dois homens tinham ido até chegarem em um beco sem saída.

Naruto acertou em cheio. Escutaram a moça gritando enquanto um deles a segurava. O outro vasculhava os pertences na bolsa. Ele realmente sentia falta disso. Desvendar mistérios, ajudar pessoas com problemas, punir criminosos… e agora podia mesmo puni-los. Assim que esse pensamento passou por sua cabeça Naruto avançou contra o homem que vasculhava a bolsa da mulher e mordeu seu pescoço sem hesitar. Felizmente ela não viu o que aconteceu graças ao mau funcionamento de um poste, que não permitia que ela enxergasse Naruto da cintura para cima nem o que estava acontecendo, ao contrário do homem que a segurava.

Ele gritou ao ver o que aconteceu com seu companheiro e a moça aproveitou a brecha para se libertar dele. Saiu correndo dali apavorada. O homem que a segurava estava prestes a fazer o mesmo quando Naruto o mordeu também. A fome absurdamente grande que sentiu a noite toda se esvaiu junto com a vida do segundo homem.

Só quando terminou foi que percebeu que tinha devorado os dois e agora estava sozinho. Por sorte mulher não viu o que realmente aconteceu e escapou de um destino terrível. Literalmente, pois já tinha sumido de vista. Notou então que Sasuke também tinha desaparecido.

— Sasuke? — ele chamou — Ei, Sasuke!

Nem sinal dele. Provavelmente ficou zangado porque tinha devorado os dois.

— Não me apresse — Sasuke saiu do beco. Segurava um celular em uma das mãos e arrastava um homem de cabelos compridos com a outra. Ou melhor, um corpo.

— Mas o que…?

— Tinha um terceiro homem escondido aqui. Falava alguma coisa sobre sequestro… bom, não vai mais rolar— esmagou o celular em pedaços com uma facilidade absurda— Você precisa ser mais cuidadoso, aliás. Ela quase te viu mordendo esses caras — Sasuke explicou. Percebeu então o olhar perplexo que Naruto lançava para ele — O que foi? Eu disse que gosto de comer as pessoas no beco.

— Por que tudo que você diz tem conotação sexual? — Naruto bufou.

— Tem, é? — perguntou retoricamente — Não importa. Salvou aquela humana e também se alimentou, parabéns. Sente-se melhor agora?

— Me sinto sim. E você ajudou a salvar aquela moça.

— Não ajudei nada. Eu só me alimentei — Sasuke largou o corpo no chão, afastando-se do local — Se quer bancar o justiceiro enquanto se alimenta, fique a vontade. Mas não me arraste para isso.

— Ah, não seja chato! — Naruto correu atrás dele — Não custa nada me acompanhar. Você pode, hã… comer as pessoas em becos, do jeito que gosta — argumentou, embora ainda detestasse aquele termo.

— Tudo bem, eu te acompanho — ele cedeu.

— Mesmo?

— Mesmo — repetiu. E então empurrou Naruto contra a parede, apoiando as mãos contra ela e prendendo-o ali — Mas em troca… tem um certo alguém que eu quero comer. No sentido sexual.



_____________


Notas finais:

História postada também no Nyah! Fanfiction e no Spirit.

3 de Noviembre de 2019 a las 21:55 0 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~