Uma Wolfstar Qualquer Seguir historia

lumosandnox801

Remus e Sirius são apaixonados um pelo outro, porém nenhum dos dois diz nada por medo de perder a amizade. Mas então um belo dia, Sirius descobre que Remus não é tão "não-popular" quanto ele achava, e quando percebe que sua chance chegou, bola um plano junto de James para conquistar o coração de Remus. Apenas uma comédia romântica para te distrair do stress.


Fanfiction Libros No para niños menores de 13.

#wolfstar #slash #comédia-romântica #Marotos #Marauders-era #Peter-Pettigrew #james-potter #remus-lupin #sirius-black
0
616 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Início

Remus olhou para o lado, observando a forma fácil com que Sirius sorria e se aproximava para conversar com Penélope, uma aluna do sexto ano que parecia não se importar em ser cortejada por alguém mais novo, já que Sirius assim como ele próprio, estava no quinto ano. Okay, era apenas um ano de diferença, mas os alunos do sexto e sétimo ano geralmente tratavam os outros alunos como se eles fossem crianças. Penélope parecia estar se divertindo com a conversa, mas Remus não sabia dizer ao certo se ela estava realmente interessada, ou se a garota loira só estava cedendo porque ela queria ver até onde Sirius chegaria. Enfim, Sirius estava flertando, coisa que era tão normal que chegava a ser algo corriqueiro, apesar do aperto no peito que a cena causava, ela não deixava de ser normal.


Mais perto de Remus, logo ao seu lado, estava Peter, enchendo a boca de purê de batata e segurando uma coxa de frango na outra mão. A sua frente James havia aberto um espaço por entre os pratos para ele poder colocar um pergaminho onde ele escrevia furiosamente as últimas linhas de seu ensaio para a aula de Transfiguração que ele teria depois do almoço. Voltando seus olhos para seu prato, Remus deixou um suspiro cansado sair e levou uma mão ao seu rosto para poder apertar com a ponta de seu indicador e polegar a ponte de seu nariz. Ele podia sentir uma dor de cabeça chegando, e ele estava com sono, sem falar no cansaço e dores em seu corpo. A lua cheia que terminou a três dias atrás ainda deixava vestígios de sua influência em seu corpo, e o garoto só queria poder voltar ao dormitório e dormir o resto do dia. Infelizmente ele não podia perder a aula de poções que seria a segunda depois do almoço. Quero dizer, ele já era ruim o suficiente em poções frequentando as aulas, se ele começar a faltar então, ele não quer nem imaginar os desastres que poderiam acontecer.

Ele afastou o prato quase cheio pra longe, e se preparou para levantar da mesa, olhando para James quando o mesmo o chamou.

"Onde você vai? Nós temos Transfiguração daqui a uns dez minutos." Perguntou confuso James, enquanto molhava a pena no tinteiro antes de voltar a escrever.

"Eu preciso ficar um pouco sozinho antes que a aula comece, todo esse barulho está me causando dores de cabeça." Explicou Remus ao pegar sua bolsa do chão para pendurá-la em um ombro. James parou de escrever para o olhar de forma empática.

"Dores ainda? Você deveria ir a enfermaria e pegar alguma coisa para dor." Racionalizou James, e Remus sorriu sem graça.

"Eu não estou tão mal assim Pontas, eu só preciso de um pouco de silêncio." James fez uma cara. "É sério!" Insistiu Remus, negando a preocupação do amigo. " Olha, se eu não melhorar e continuar a sentir dor até o final do dia, eu prometo que vou a enfermaria, okay?" James fez uma careta, mas concordou no fim.

"Certo, mas se no final do dia eu perceber que você continua com dor e você não quiser ir a enfermaria, eu irei falar para o Sirius te arrastar até lá." Avisou o moreno apontando o dedo na direção de Remus, e o garoto fez uma careta.

"Não precisa partir pra ignorância..." Resmungou Remus antes de acenar um tchau e finalmente andar para fora do Grande Salão.


Ugh, Remus odiava os dias depois da transformação. Seus sentidos ainda estavam mais aguçados que o normal, e ele conseguia ouvir a conversa de todo mundo junto do barulho dos talheres nos pratos, e os cheiros então... Remus estremecia só em lembrar de todos os cheiros misturados de perfumes e comida e hormônios. Era um pesadelo, de verdade. Quero dizer, normalmente, por causa da mordida do lobisomem, Remus já tinha algumas coisas diferentes, como o olfato, a audição e sua força, mas não era nada tão exagerado. Era mais do que o de uma pessoa normal, sim, mas nada tão extremo também. O problema com a lua cheia era que tudo o que já era aguçado ficava dez vezes maior. Ele podia ouvir os cochichos de um casal Sonserino do outro lado do salão, e Merlin sabe que ele realmente não queria saber os lugares por onde a língua dele passeariam pelo corpo dela, não mesmo.

Enfim, seus sentidos ainda levariam mais um ou dois dias para voltar ao "normal", então ele teria de ser forte e respirar fundo para não perder a paciência com ninguém.

Passando por alguns alunos que, assim como ele, fugiram do barulho do Grande Salão e estavam descansando pelos corredores e gramado, Remus andou até uma escada mais afastada para se sentar e então fechar os olhos e respirar fundo.


Ah, o ar livre… viva a natureza.


Ele se virou para colocar as pernas no mesmo degrau em que ele estava sentado, e recostou no pilar de mármore a suas costas.


O silêncio ali era maravilhoso, e a brisa fresca esfriava sua pele que ele sentia estar quente demais. Relaxando ali, o garoto se deixou pensar no que ele faria na próxima visita a Hogsmead. Ele precisava comprar mais chocolate, mas ele também precisava comprar mais daquela tinta especial na Zonko's. Ele precisava arrumar uma forma de ir a Zonko's sem nenhum de seus amigos perceberem, até porque se ele o virem eles irão querer saber o que ele está comprando e Remus quer terminar sua parte no mapa em paz, sem seus amigos tentando dar palpites. Bom, ele poderia esperar, até porque eles acabariam se separando em algum momento já que Sirius certamente marcaria um encontro com alguém, James em algum momento irá querer procurar Lilly, o perseguidor, e Peter sempre acaba ficando perdido em alguma loja de doces. Era só ter um pouco de paciência, e então ele poderia fazer sua compra a vontade.




##🐺🌕




Alguns dias mais tarde, e assim como Remus infelizmente previu, Sirius saiu para ir a Madame Puddifoot em um encontro com Penélope para a surpresa de ninguém, pra ser bem sincero. James viu Lilly e mais duas amigas passarem por ele enquanto eles estavam passando pelo o que agora é conhecida como Casa dos Gritos, e então decidiu ir atrás dela para quem sabe conseguir mais informação na ruiva e então assim conseguir conquistar o coração dela. Peter entrou com Remus na Dedosdemel para comprar uma caixa de bombons e nunca mais saiu. E então como ele havia planejado, Remus seguiu sozinho até a Zonko's, onde ele olhou as novas mercadorias nas prateleiras por um tempinho antes de ir atrás da tinta que ele precisava.


E ele estava saindo da loja de travessuras quando trombou com alguém. Ele esticou a mão para segurar o outro garoto pelo braço antes que este caísse, e percebeu que ele era um aluno de Hogwarts, se a camiseta com o símbolo do time de Quadribol da Corvinal fosse algo a se levar em conta.

"Desculpe, eu deveria ter prestado mais atenção por onde eu estava andando." Se explicou Remus sem graça com a cara surpresa do outro garoto.

" Oh, não se preocupe com isso, eu também não estava prestando atenção..." Comentou o garoto olhando Remus dos pés a cabeça agora confuso. "Você é incrivelmente forte para alguém tão magro." Remus sentiu seu rosto esquentar com o comentário, e se apressou em soltar o braço do garoto que ele ainda segurava antes de pigarrear e desviar o olhar.

"Desculpe mais uma vez, espero não ter te machucado ou alguma coisa assim." Remus se xingou mentalmente por estar tão distraído a ponto de não perceber alguém a sua frente, até porque ele poderia ter machucado o garoto, nunca se sabe com a sorte que ele tinha.


Ele voltou a olhar o garoto quando este bufou uma risada.


"Não aconteceu nada, eu só fiquei surpreso..." Comentou o garoto olhando mais atentamente o rosto de Remus agora. Este queria desviar o olhar porque ele sabia que o corvinal estava olhando as cicatrizes em seu rosto, e ele detestava isso, ele odiava ter todas aquelas cicatrizes. "Lupin, não é?" Remus voltou seu olhar para o garoto que ainda analisava seu rosto.

"Hn?"

"Seu nome. Você é Remus Lupin, não é?"

"Ah. Sim, sou eu. Desculpe, mas eu não sei seu nome..." Respondeu Remus sem graça e ele viu o rosto do outro garoto ruborizar.

"D-Demetri, meu nome é Demetri Greenwood. Nós dividimos a mesma aula de Runas Antigas." Explicou Demetri, e Remus tentou lembrar se ele já viu o garoto na sala de aula ou não. Bom, pelo menos ele sabia que eles estavam no mesmo ano.

"Desculpe-me por parecer rude, mas eu não consigo me lembrar de você..." Admitiu Remus sem graça, vendo o rosto do garoto ficar ainda mais vermelho.

"Ah, não, não! É que eu geralmente sento no fundo da sala, e você senta na frente com o Black."

"Ah, pode ser isso..." Concordou Remus, e então eles ficaram num silêncio estranho. Um momento depois, e Remus pigarreou. "Eu acho melhor eu ir procurar por meus amigos..." Comentou ele, se preparando para dar a volta no outro garoto quando esse o segurou pelo braço. Remus ergueu uma sobrancelha, e Demetri ruborizou mais uma vez antes de o soltar.

"Você não quer ir ao Três Vassouras comigo? Eu adoraria te conhecer melhor." Perguntou Demetri com uma expressão que gritava vergonha no rosto, mas se recusando a desviar o olhar, e Remus ergueu as sobrancelhas surpreso com o pedido.


Ele piscou algumas vezes ainda não acreditando realmente que alguém estava o chamando para o 'conhecer melhor', quero dizer, poderia não ser nada realmente, mas essa não seria a primeira vez que alguém o convida dessa forma. E pensar que tem gente que acha que suas cicatrizes são sexys. Bom, existe gosto pra tudo.


Remus não era alguém que se preocupava muito em ter relações amorosas na escola, até porque a pessoa por que ele era apaixonado, não levava relacionamentos desse tipo muito a sério, tanto é que, você poderia encontrar Sirius com uma namorada ou namorado diferente a cada semana, com o relacionamento mais duradouro dele sendo o com uma garota corvinal que durou exatos dezessete dias antes da garota terminar com ele por algum motivo desconhecido.


Bom, não era como se Sirius fosse olhar para seu lado de qualquer jeito. Até porque eles eram melhores amigos, e Remus sabe como o Black leva a amizade deles a sério. E por esse motivo, Remus não tentava realmente se guardar para Sirius ou qualquer coisa do tipo, mas como ele não conseguia esquecer o moreno, ele sempre deixava claro para as outras pessoas que ele não podia ter um relacionamento sério, já que ele era apaixonado por alguém


Remus olhou Demetri dos pés a cabeça. O garoto não parecia ser alguém malicioso, ou difícil de se conversar.

"Eu acho que não tem problema nenhum em te acompanhar. Quero dizer, se você estiver falando sério e isso não for nenhum tipo de brincadeira sem graça-"

"Não!" Cortou de olhos arregalados Demetri, e Remus se calou para ouvir o garoto que agora mexia as mãos como se estivesse tentando o acalmar de alguma forma sem o tocar. "Não, não é nenhum tipo de brincadeira. Eu realmente gostaria de te conhecer melhor. Eu queria ter me aproximado antes, mas é que você nunca está sozinho realmente, então eu achei melhor esperar e-"

"Demetri," cortou Remus agora achando engraçado o jeito do garoto que parecia se enrolar com suas próprias palavras. O corvinal estava o olhando ansioso. "Eu entendi, não precisa se explicar, okay?" Demetri concordou com um aceno rápido de cabeça. "Por que nós não vamos agora? A não ser que você queira fazer alguma outra coisa antes?"

"Não, não, nada pra fazer! Nós podemos ir agora, com certeza!" Se apressou o corvinal e Remus riu dessa vez da afobação dele antes de chegar mais perto para poder ficar ao lado dele, e virou o rosto para olhar o garoto que já o encarava de olhos arregalados.

"Você não precisa ficar nervoso, eu não irei te morder, sabe." Eles começaram a andar lado a lado pela calçada antes de descer na rua. Demetri parecia sem graça esfregando uma mão no outro braço.

"Não é que eu esteja nervoso em si," continuou Demetri num tom mais baixo e Remus voltou a o olhar. "É que eu não esperava que você fosse aceitar realmente." O garoto deu de ombros, e Remus deu um sorriso confuso.

"E por que eu não aceitaria?" Demetri tropeçou com a pergunta e balbuciou indignado antes de voltar seu olhar para Remus.

"Por que eu não sou exatamente interessante, e eu pensei que como você é amigo do Potter e do Black..." Trilhou o corvinal parecendo sem graça de novo, e Remus levou um tempo pra entender do que ele estava falando. E então a ficha caiu.

"Ah, você achou que por eu ser amigo deles eu não me interessaria em conhecer alguém que não está sempre nas rodas de fofocas e que não tem cadeira marcada com todos os professores por causa da enorme quantidade de detenções." Explicou Remus com um sorriso de lado, e viu o rosto de Demetri enrubescer mais uma vez. Ele parou de andar e esperou o outro garoto parar e se virar para ele antes de o olhar de forma lenta dos pés a cabeça, prestando atenção na forma física do garoto que apesar de ter apenas quinze anos, parecia ter mais massa muscular que os alunos do sétimo ano. A brisa fria fazia o cabelo castanho escuro e ondulado mexer em seu corte quase militar se a parte de cima fosse mais curta, alguns dos cachos mais rebeldes caindo pela testa dele, e pela primeira vez Remus percebeu o tom claro do azul dos olhos dele. Demetri estava ruborizado de novo, e Remus decidiu que gostava de causar essa reação no outro garoto. "Bom, eu não me importo realmente com popularidade, meus amigos serem populares é só uma grande coincidência, sério." Remus chegou mais perto de Demetri, e então percebeu que o garoto era alguns poucos centímetros mais alto que ele. Ele nunca tentou isso, porque flertar era a área de Sirius, mas ele estava repentinamente animado com o que estava acontecendo, e ele estava se sentindo corajoso por algum motivo desconhecido, então ele abaixou a cabeça para olhar mais uma vez Demetri dos pés a cabeça antes de arrumar uma mecha de seu próprio cabelo atrás da orelha, e o mandar um olhar por baixo seus cílios. "E não é como se você não fosse interessante." Comentou Remus num tom baixo, vendo os olhos do Corvinal arregalaram antes dele começar a abrir e fechar a boca, como se quisesse dizer alguma coisa, mas não soubesse o que exatamente.

"Hn..." Remus abriu um sorriso com o encabulamento de Demetri e voltou a andar e a puxar o garoto pelo braço até que esse voltasse a o acompanhar.




####🐺🌕



James suspirou sonhador antes de encostar o queixo em seu punho fechado e descansar o cotovelo em cima da mesa, o outro braço também dobrando na superfície que mesmo com a toalha branca rendada, continuava fria. Sirius rolou os olhos para a expressão sonhadora no rosto de seu amigo, esse nem mesmo tentava disfarçar a forma com que ele encarava a mesa do outro lado do chalé onde Evans, e outras duas amigas, estavam conversando e bebendo chá. Na opinião de Sirius, James não podia parecer mais idiota. Seu amigo já levou tantos foras da ruiva e ainda assim ele não desistia, chegava a ser obsessivo.

"Como ela pode ser tão linda e graciosa?" Perguntou James num tom meloso, e Sirius fez uma careta enojado. James se virou para seu amigo quando este não o respondeu. " Ah vamos lá Sirius, não faça essa cara, você não tem direito nenhum para fazer essa cara depois de ter me submetido a todos aqueles sonetos sobre a cor dos olhos do Remus." Sirius sentiu seu rosto esquentar e franziu o cenho irritado antes de cruzar os braços.

"Você disse que nunca mais iria tocar nesse assunto." Relembrou Sirius com uma carranca, e James bufou desacreditado antes de fazer uma pose de quem irá recitar um poema dramático.

"Oh, tu que tens os olhos da cor do mel, tu que me corrompe com seu olhar e me faz perder a razão ao-!" Sirius pulou da cadeira para tapar a boca de James com a mão, desesperado para fazer seu amigo calar a boca, e olhou irritado as pessoas que se viraram para os olhar.

"Shhh! Você prometeu!" Insistiu Sirius ainda mais ruborizado. James tirou a mão dele de cima de sua boca rolando os olhos antes de se virar para Sirius.

"Sirius, você não tem nenhum direito de reclamar aqui, e você sabe disso."

"Eu não sou tão ruim assim..." Insistiu Sirius, se recostando a cadeira como uma criança emburrada mesmo sabendo que de fato, ele era tão ruim assim, e James ergueu uma sobrancelha.

"Soneto, Sirius. Você escreveu um soneto."

"Não é como se você não ficasse poetizando o cabelo da Evans..." Reclamou Sirius ainda irritado com a situação.

"Bom, pelo menos eu não nego." Deu de ombros James antes de voltar a sua posição anterior de sonhador enquanto encarava Evans e suspirava. "Ela é tão linda..." Sirius rolou os olhos de novo antes de se debruçar na mesa e mandar um olhar irritado para o casal na mesa ao lado deles que o encarava como se ele fosse maluco. O casal logo olhou para o outro lado quando perceberam que haviam sido pegos encarando, e Sirius bufou irritado.


Veja, não é como se Sirius não soubesse que ele era tão quanto ou pior que James quando o assunto era romantizar suas paixões.


James sabia que Remus foi e continua sendo, o primeiro amor de Sirius, porém, diferente de James, Sirius não podia ficar correndo atrás de Remus como seu amigo fazia com Evans, até porque Remus e Sirius eram melhores amigos. Já imaginou como seria caso Sirius se declarasse e Remus o recusasse, ou pior, se Remus o aceitasse por um tempo e então, depois de descobrir o quão grudento e ciumento Sirius era, decidisse terminar com ele? O coração do Black não aguentaria o desprezo de Remus, então Sirius decidiu que seria melhor se ele se mantivesse calado e continuasse a ser o amigo maravilhoso que ele era. Pelo menos por enquanto.


Até porque, não é como se ele precisasse se preocupar com Remus se apaixonando por alguém no momento. O Lupin estava focado demais em seus estudos para se preocupar com namorados, ou namoradas, ou qualquer coisa por entre esses dois títulos.

"Odeio esse lugar." Murmurou Sirius.

"Você odeia todos os lugares Sirius, você nunca está satisfeito." Apontou James sem mudar de posição, e Sirius bufou desacreditado dessa vez.

"Eu gosto da sua casa."

"Isso até meus pais começarem a pegar no seu pé."

"Eu também gosto de Hogwarts."

"Não foi isso o que você disse ontem na aula de Adivinhação."

"Adivinhação é uma matéria idiota."

"Foi você quem escolheu fazer essa matéria esse ano."

"Eu não queria fazer Estudo dos Trouxas, daí eu escolhi Adivinhação." James se virou para ele dessa vez, uma sobrancelha erguida.

"Você não queria fazer Estudo dos Trouxas porque Remus não queria fazer essa matéria. Você sabe que ele fica irritado com a visão que vários de nós, puro sangue, temos sobre os trouxas, e já que você queria demonstrar empatia por ele, você deixou de fazer Estudo dos Trouxas para fazer Adivinhação, que é sua pior matéria." Explicou calmamente James e Sirius fez uma careta.

"Adivinhação não é minha pior matéria..." Resmungou ele, e James rolou os olhos.

"Okay, negue o quanto você quiser, só não me venha mostrar os desenhos de corações com o seu nome e o dele dentro depois." Avisou James, e Sirius sentiu seu rosto esquentar de novo.

"Foi só uma vez!" Rissou ele irritado com o amigo, e James bufou desacreditado.

"Foi o suficiente."

"Eu já disse que te odeio?"

"Por incrível que pareça, hoje ainda não."

"Eu te odeio." Apontou Sirius com uma carranca, e James abriu um sorriso.

"Eu sei!" Sirius rolou os olhos antes de voltar a se debruçar na mesa e deixar seu amigo de volta a sua admiração à Evans.


Sirius odiava esses lugares, principalmente Madame Puddifoot que era onde eles estavam. O lugar era todo claro com mesas redondas com uma toalha de linho branca e bordas de renda. As cadeiras eram estofadas e tinham um tecido florido nas almofadas. A louça delicada num tom rosado com contornos dourados faziam seu estômago rolar de forma desconfortável. As paredes todas brancas e as grandes janelas com cortinas cheia de laços, era como uma casa de boneca num tamanho real.


Ele não gostava de ir ali, mas todas as garotas com quem ele saia pareciam adorar o lugar. Sempre insistindo em passar a tarde ali. Sirius pensou que Penélope, por ser mais velha, escolheria outro lugar para eles conversarem, mas não. Quero dizer, ela não era tão mais velha assim, um ano de diferença não é muito…


Ugh, Penélope. Sirius fez uma careta ao se lembrar do tapa que levou quando disse que não tinha gostado do penteado dela.


Qual o problema das garotas afinal? Ela perguntou o que ele tinha achado do cabelo dela, ele disse que estava bonito, aí ela negou daquele jeito que as pessoas fazem quando querem que você discorde delas e continue as elogiando, aí ela o pediu pra ser sincero e responder se ele gostou mesmo. E então Sirius foi sincero. Um tapa aconteceu, e ele foi deixado pra trás de novo.


Sério, se a pessoa não quer ouvir a verdade porque ficar insistindo? Já não foi o suficiente da primeira vez que ele disse que estava bom? Ugh, garotas.

Agora, garotos, aí já era outra história. Eles eram tão mais simples de se lidar, se eles gostam de uma coisa eles dizem, e se não gostam dizem também e ninguém fica ofendido. Fim de história. Ninguém fica negando nada esperando que os outros discordem e os elogiem. E também, era tão mais fácil saber o que eles queriam realmente. Por exemplo, todo mundo sabe que Sirius nunca namora sério. E quando ele se aproxima de algum garoto, este já sabe disso, e se ele estiver interessado, eles entram em alguma sala não usada ou um corredor mais deserto e tudo fica bem. Se eles não estão interessados, eles falam e Sirius segue seu caminho, desanimado porque ele levou um fora mas feliz porque ele não levou um tapa de uma pessoa que não sabe se quer ouvir a verdade ou não.


Falemos sobre amor próprio.

Ele deveria ter adivinhado que isso iria acontecer, mas infelizmente, como James já apontou: Adivinhação é sua pior matéria.

Sirius suspirou desanimado, lembrando de Remus e o cabelo ridículo dele. O lupino resolveu que iria deixar o cabelo crescer mais um pouco, e agora as pontas do cabelo dele cobriam as orelhas e sussurravam no maxilar dele, e por causa disso, Remus agora ficava colocando o cabelo atrás da orelha, o que sempre distraia muito Sirius, e aí tinha a franja que ficava caindo na frente dos olhos dele, e tudo o que Sirius queria fazer era esticar o braço e tirar a franja da frente e arrumar ela para o lado pra que assim ele pudesse ver perfeitamente os dois olhos de Remus enquanto ele está sorrindo...


Sirius deixou outro suspiro escapar.


"Quem está suspirando agora?" Veio a voz divertida de James quando este se pendurou a suas costas, e Sirius o deu uma cotovelada que ele acha que acertou a barriga dele já que a região era mole demais pra ter sido na costela. James grunhiu de dor.


"Cala a boca." Mandou Sirius tentando soar irritado, mas apenas conseguindo parecer uma criança contrariada. Ele sentiu James se apoiar a suas costas e se recusou a se mover de sua posição debruçada.

"Vamos lá Almofadinhas, anime-se! Que tal se eu te pagar uma cerveja amanteigada? Três Vassouras? Agora? Pra te animar?" Sirius ainda levou um tempo antes de virar o rosto para olhar seu amigo por cima de seu ombro. O idiota tinha um sorriso largo no rosto.

"A Evans foi embora, não foi?"

"Foi."

"Eu te odeio."

"Segunda vez hoje."


Sirius suspirou cansado antes de se forçar para trás e assim tirar seu amigo de suas costas.

"Vamos logo, antes que eu mude de ideia." O sorriso que James abriu parecia que partiria a cara dele em dois.


E assim eles saíram do chalé, o olhar irritado da dona do lugar os seguindo, mas isso já era normal.


"Ah, o amor... Por que dói tanto se é um sentimento tão bonito? Nós, meu caro Almofadinhas, nascemos para sofrer em nome desse sentimento tão doce, mas tão amargo ao mesmo tempo." Sirius fez uma careta na direção de seu amigo.

"Do que você está falando agora?" James o mandou um olhar.

"Do que você acha? Amor! Nós dois amamos alguém, e sofremos por isso."

"Não seja idiota James, você pode estar sofrendo, mas eu estou perfeitamente bem." James o olhou desacreditado antes de apontar uma loja mais a frente.

"Pense o que quiser meu amigo, mas ficar se iludindo só tornará as coisas mais difíceis no final." Falou James sem o olhar, e Sirius fechou o rosto. "Ali, vamos a Dedosdemel. Remus e Peter devem estar lá."


De fato chegando a loja, eles encontraram Peter, sentado na calça e se empanturrando com bombons, porém nenhum sinal de Remus.

"Hey, Pete, cadê o Remus? Não vai me dizer que ele ainda não saiu da loja? A quanto tempo exatamente ele está lá dentro?" Perguntou num tom humorado Sirius, e Peter o olhou confuso.

"Eu pensei que ele estivesse com vocês. Ele saiu daqui faz algumas horas..." O sorriso de Sirius diminuiu um pouco e ele franziu o cenho antes de olhar para James ao seu lado, este sendo tão útil como sempre, apenas deu de ombros. "Vamos ao Três Vassouras, ele pode estar nos esperando lá." Concluiu Sirius, e os outros dois concordaram.

Eles deixaram a loja de doces para trás e seguiram na direção contrária antes de virar uma esquina, e enxergar de longe o bar.

Sirius ia entrar no bar quando James que estava a sua frente, parou de andar de repente e se virou para ele.

"Acho melhor nós já voltarmos a escola. Remus definitivamente não está aqui." Se apressou James, segurando Sirius pelos ombros e o fazendo andar alguns passos pra trás. Sirius franziu o cenho irritado.

"Pontas, do que você tá falando agora?"

"Vamos voltar."

"Mas eu quero beber minha cerveja amanteigada… você quem teve a ideia!"

"E foi uma péssima ideia, a pior que eu já tive em toda minha vida." Apontou James, forçando Sirius pra trás, e este apenas se irritou mais.

"Por que você está agindo dessa forma? Está sendo mais estranho que o normal! Tem alguma coisa lá dentro que você não quer que eu veja, não é?" Sirius percebeu a careta que James tentou disfarçar, e sentiu seu estômago apertar. Ele tirou as mãos de James de seus ombros e eles pararam no meio da rua. "James, o que você viu lá dentro?" Perguntou Sirius tentando falar de forma calma e controlada. James se remexeu desconfortável.

"Você não quer saber Sirius, é sério, você realmente não quer saber."

Eles se olharam por mais um momento antes de Sirius dar a volta em James, e correr de volta para o bar. Ignorando os chamados de seu amigo, ele empurrou a porta e passou seus olhos pelo salão a procura do que seria esse algo sério que James insistia que ele não iria querer ver.

Não tinha nada de diferente ali, alunos e alguns moradores do vilarejo estavam conversando nas mesas e sentados nas banquetas do balcão. Haviam alguns casais ali e aqui, mas nada parecia fora do comum.


Sirius já iria voltar e brigar com James por ter o feito se desesperar por um momento, quando um dos casais num canto se moveu e Sirius viu o mundo ficar mais lento.


Logo ali na mesa, estava Remus com um sorriso bobo nos lábios e um rubor nas bochechas. O cara desconhecido com ele ergueu um braço e arrumou a franja dele para o lado e o sorriso de Remus aumentou.

Sirius sentiu seu coração apertar, seu estômago remexendo de forma estranha em sua barriga. E então ele sentiu sua raiva subir.


O moreno marchou até a mesa com os dois e parou em frente a eles. Ele cruzou os braços e esperou os dois pombinhos notarem sua presença. Remus foi o primeiro a olhar para ele, o sorriso ainda em seu rosto.

"Sirius!" Reconheceu Remus, e o outro rapaz virou o rosto pra olhar por cima do ombro antes de virar o corpo para o enxergar direito.

"Remus." Sirius tinha um tom sério e Remus franziu o cenho.

"Aconteceu alguma coisa?" Perguntou ele preocupado com o repentino mal humor do amigo. Sirius bufou desacreditado.

"Não, imagina. O que poderia ter acontecido? Quero dizer, não é como se um dos meus melhores amigos tivesse marcado um encontro secreto com um cara desconhecido e não contado nada pra mim, não é mesmo?" Sirius observou de forma irritada o rosto do garoto desconhecido avermelhar, e Remus riu.

"Sirius, esse é Demetri Greenwood." Apresentou Remus com um sorriso. "Demetri, esse é Sirius Black, mas você já sabia disso." Demetri deu um sorriso meio sem graça para Sirius, e este apenas fechou ainda mais a cara.


Sirius se preparou para abrir a boca e falar alguma coisa muito provavelmente rude quando James surgiu do nada ao seu lado, jogando um braço por cima de seus ombros e o fazendo perder um pouco do equilíbrio.

"Demetri! James Potter, um prazer conhecê-lo!" Se apressou James com um sorriso enorme no rosto que Remus sabia ser falso e por esse motivo ele franziu o cenho.

"Igualmente." Sorriu Demetri na direção de James antes de olhar Sirius com uma expressão preocupada.

"Você faz parte do time de Quadribol da Corvinal, não é?" Perguntou James desviando a atenção de Demetri de volta pra ele.

"Sim, eu sou um dos batedores."

"Ah sim, vocês venceram o último jogo contra Lufa-Lufa não foi? Vocês jogaram muito bem, parabéns." Demetri ruborizou com o elogio mas o sorriso que ele abriu não era nem um pouco envergonhado. Sirius rolou os olhos com a cena. "Bom, foi ótimo te conhecer Demetri, muito bom mesmo, quem sabe você consiga fazer nosso querido Remus aqui gostar mais de Quadribol, hm? Nós adoraríamos continuar aqui e conversar mais, mas infelizmente nós precisamos voltar a escola. Eu e o Sirius aqui temos alguns assuntos urgentes para resolver." Explicou apressado James, já começando a arrastar Sirius pelo braço para fora do bar. " Remus, nós nos vemos mais tarde! Até mais!" E eles saíram do bar com Sirius bufando de raiva e James com uma cara sem graça.

"Por que você não me deixou falar exatamente o que eu penso sobre aquele Demetri Greenmood? Você viu o jeito dele com o Remus? Todo em cima dele com aquela cara perfeita ridícula e cabelo arrumado..." Terminou num resmungou bravo Sirius, e James se aproximou pra dar uns tapinhas consoladores nas costas dele.

"Exatamente por esse motivo! Porque você ia dizer exatamente o que você pensava dele, o que eu tenho certeza que não é nada bom, e isso apenas deixaria Remus triste e com raiva de você. Aliás, o nome dele é Greenwood e não Greenmood."

"Greenwood, Greenmood, foda-se! Eu não gosto dele, e não gosto do jeito que ele olha pro Remus!" James rolou os olhos dessa vez.

"Sirius, eu não gosto de trazer lembranças ruins, mas eu me sinto na obrigação de te lembrar que você gostando ou não de Demetri, Remus irá continuar conversando com ele, o que aliás, era o que eles estavam fazendo, conversando, não tem porque você ficar todo irritado, nem estava acontecendo nada."

"Não estava acontecendo nada? James, ele estava mexendo no cabelo do Remus como se isso fosse a coisa mais normal do mundo! Ele não deveria mexer no cabelo do Remus, ele nem deveria conversar com o Remus! E você!" Apontou um dedo, Sirius, na direção de James. "Você deveria ficar do meu lado! Eu pensei que nós fossemos amigos!"

"Bom, eu também sou amigo de Remus caso você tenha se esquecido."

"Mas- E se fosse a Evans? Se coloque no meu lugar, como você reagiria se você encontrasse com ela junto de outro cara todo sorrisos pra cima dela?"

"Eu ficaria arrasado, certamente, mas Remus não é a Lilly, Sirius, você sabe que se você causasse uma cena ali, Remus ficaria triste. Você quer mesmo brigar com ele? Lembra como você ficou das outras vezes que vocês discutiram?" Apontou James, e Sirius fez bico. "E não se esqueça que você está sempre namorando alguém diferente, então você não tem realmente do que reclamar, já que querendo ou não, você e Remus não estão juntos." Lembrou James, e Sirius cruzou os braços.


"Eu posso parar de namorar tanto se isso for realmente mudar alguma coisa…" Resmungou Sirius, e James suspirou cansado antes de dar uns tapinhas nas costas de Sirius.


"Talvez isso já seja um começo... Olha, vamos voltar pra escola agora, okay? Mais tarde nós tentamos descobrir o que está acontecendo com eles, sim?" Sirius ainda ficou um tempo apenas emburrado, se recusando a responder seu amigo, mas no fim ele acabou concordando.

"Cadê o Peter afinal de contas?" Se perguntou Sirius olhando para os lados a procura do garoto gordinho, mas não o viu em lugar nenhum.

"Ele disse que havia esquecido de comprar mais canetas de açúcar, e que nos encontraria na escola."

"Quando ele disse isso?"

"Quando você trotou igual a um hipogrifo zangado pra dentro do bar." Sirius fez uma careta.

###🐺🌕

3 de Noviembre de 2019 a las 19:48 2 Reporte Insertar 2
Leer el siguiente capítulo Meio

Comenta algo

Publica!
MiRz Rz MiRz Rz
Olá, eu sou Mirz. Venho te parabenizar pela Verificação da história. Como uma fã absoluta — porém um pouco afastada do fandom, confesso — de Wolfstar, só pelo casal eu já amei a história. Conforme eu fui lendo, eu ia criando certinho os cenários na minha mente e realmente me surpreendendo pela forma como as personalidades estavam tão próximas ao que eu imagino ser a personalidade dos Marotos. Porém, nada, absolutamente nada me fascinou mais na sua história do que ver o Sirius com ciúmes. Eu absolutamente amei isso! A narrativa da história foi muito bem estruturada e a escrita está ótima. Ao todo, foi um belíssimo trabalho, parabéns pela obra! Tenha um bom final de semana! ;)

~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 2 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión