Burning Heart Seguir historia

bielcastelli Biel Castelli

O amor pode ser complicado, Izuku sempre soube disso. Mas quando ele viu seu coração dividido entre dois lindos alfas que estavam dispostos a conquistar o seu coração, Izuku descobriu que o amor além de ser complicado, também poderia ser extremamente prazeroso.


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#lemon #yaoi #bnha #fluffy #bakudeku #kirideku #abo #omegaverse
Cuento corto
0
339 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único !

Heeey my guuurls como vocês estão?
quem me conhece sabe que eu amo um ABO e sou cadelinha demais desses dois shipp, então decidi unir o útil ao agradável e fiz essa história.
Espero que vocês gostem e Boa Leitura!




Abri meus olhos ao sentir o outro ômega que estava na cama comigo começar a beijar meu pescoço.


– Shoto – me ajeitei na cama ficando de frente para ele.


– Bom dia meu ômega gostoso – beijou meus lábios.


– Nem parece que você já tem alfa, ômega – o provoquei passando minha mão em seus cabelos bicolores e descendo para sua bunda.


– Não fale como se Inasa já não tivesse comido você também – riu vendo minha cara emburrada ao me levantar da cama.


Shoto Todoroki e seu alfa Inasa Yoarashi são meus melhores amigo desde o fundamental, na época ainda não sabíamos nosso gênero mas não foi surpresa ao descobrirmos que nós dois éramos ômega e Inasa um alfa. Yoarashi se declarou para Shoto no ano seguinte o marcando como seu. Mesmo ligados um ao outro, isso não fez diferença para os dois que me ajudaram em todo cio.


– Como anda as coisas com Katsuki e Eiji? – perguntou Shoto entrando no banheiro e começando a escovar seus dentes enquanto eu tomava banho.


– Eles pediram uma resposta hoje – suspirei.


– E você se decidiu qual dos dois vai querer?


– Vou dispensar os dois, não posso escolher só um, se amo os dois – peguei minha toalha saindo do banheiro e fui para o quarto me secando.


– Você acha que é a melhor decisão? – parou rente a porta.


– É o melhor para nós três.


Terminamos de nos arrumar já que Shoto dormia em meu apartamento quando tínhamos algum trabalho para fazer e fomos para a faculdade. Chegamos na faculdade e nos dirigimos direto para a lanchonete comprar nosso café, de longe vi a cabeleira loira de Katsuki e o cabelo espetado para cima de Kirishima. O quão irônico é os dois alfas que te querem serem melhores amigos?


Katsuki e Eiji eram dois alfas que eu conheci assim que comecei a faculdade de administração junto com Shoto, ainda me recordo da primeira vez que os vi senti meu estômago rodopiar ao aspirar o cheiro apimentado de Kirishima que exalava dominância e de Katsuki que transpassava um forte cheiro de café. E a sensação que tive quando nossos olhares se encontraram é algo que eu sou incapaz de descrever, depois desse dia os dois se aproximaram de mim começando uma disputa entre os dois para decidir quem ficaria comigo. Mas deu muito errado, porque acabei me apaixonando por ambos.


– Seus alfas já estão olhando para cá – riu Shoto enquanto puxava a cadeira para se sentar.


– Vou fingir que não vi.


– Não vai adiantar, eles estão vindo para cá – riu


Não tive tempo de fugir, escutei barulhos de cadeiras sendo arrastadas para o meu lado e aqueles cheiros maravilhosos me inebriando.


– Bom dia Izu – tive e bochecha beijada por Kirishima


– Deku, você tá cheirando a esse meio-a-meio – pronunciou Kacchan roubando um beijo meu fazendo Kirishima rosnar.


– Dormimos juntos – disse Shoto provocando, ele sabia que Eiji e Katsuki odiavam que eu passava meu cio com ele e Inasa.


– Não me diga que vocês brigaram de novo? – falei alto olhando atentamente para seus rostos que continham roxos.


– Esse cabelo de merda disse que tinha certeza que você escolheria ele, então acabamos brigando.


– Queremos nossa resposta hoje, Izu – disse Kirishima se levantando junto de Katsuki e indo embora dali.


– Me salva – olhei para Shoto juntando minhas mãos.


– Desculpa amigo, mas dessa vez não vou poder.


– Te odeio – peguei minhas coisas me levantando dali – Vamos, a aula vai começar.


– Só se acalma, seu cheiro tá ficando muito forte e já tem alfa te encarando.


A aula foi um desastre, não consegui prestar atenção em nada, o professor chegou a chamar minha atenção, mas era difícil manter o foco quando se tinha que dar uma resposta como aquela a dois brutamontes. Saímos da aula já quase meio dia por causa de uns trabalhos que tinham que ser apresentados, e nada conseguia me tranquilizar. Me despedi de Shoto e caminhei até a biblioteca onde os dois marcaram de me encontrar. Entrei encontrando Kirishima olhando os livros e Katsuki ouvindo música em seu fone.


– Estou aqui – falei chamando a atenção de Kirishima que sorriu


– Então Deku, qual é sua resposta? – Katsuki se aproximou, seu cheiro estava forte. Ele estava nervoso.


– Eu não peço que vocês entendam, mas a verdade é que não posso escolher um de vocês porque… – falei apreensivo com a reação de ambos.


– Porque vai ser marcado pelo namoradinho do pavê? – gritou Katsuki, sorte a que só tinha nós três ali.


– Você tem vergonha da gente? – perguntou Eiji cabisbaixo.


– Não é isso, é que eu amo… – fui cortado pelo loiro.


– Não quero ouvir – pronunciou Katsuki.


– Deixa eu explicar… – gritei vendo os dois indo em direção a porta e saindo sem me deixarem falar – Alfas e seus cérebros minúsculos! – resmunguei, limpei as lágrimas que teimaram em cair e sai da biblioteca.

Não ia correr atrás daqueles dois, não me deixaram nem ao menos eu terminar de falar. Fui para o meu apartamento e liguei para Shoto contando tudo que tinha acontecido, desliguei em sua cara após ele começar a rir da minha desgraça. A melhor opção era me enfurnar em meu quarto e imergir nos estudos, porque eu não tinha tempo para me preocupar com dois alfas gostosos pra caralho. As semanas foram passando e eu não aguentava mais ir para a faculdade e ver a cara de cachorro que caiu da mudança de Kirishima ou Katsuki com seu mau humor terrível. Ambos não podiam ver algum alfa perto de mim que já se achavam no direito de expandir sua presença.


– Seu cheiro está mais forte – disse Shoto – Seu cio está chegando ?


– Sim – suspirei – Tô tão estressado que até meu cheiro de camomila está me deixando enjoado.


– Quer passar seu cio comigo e Inasa? – perguntou – O nosso tá chegando também.


– Acho que dessa vez não – falei e Shoto entendeu que era melhor não tocar mais no assunto.


Resolvi ir direto para a sala de aula já que tinha chegado em cima da hora e ainda tinha uma prova que seria aplicada logo na primeira aula.


– Izuku – chamou a professora quando a aula chegou ao fim.


– Sim – me aproximei.


– Você pode levar esses livros para a biblioteca e colocar para mim?


– Professora, sinto muito mas eu preciso ir embora – cheguei mais perto dela – meu cio está chegando.


– É rápido, tem dois alunos de castigo na biblioteca e eles podem te ajudar – sorriu – Agora eu preciso ir, tenho que buscar meu filho


Revirei os olhos assim que ela se virou de costas, qual a parte que meu cio tava chegando que ela não entendeu? Coloquei meus fones e peguei os malditos livros e fui para a biblioteca. Entrei sem perceber que dois alfas conhecidos se encontravam ali me encarando, senti os cheiros tão conhecidos e me virei para o lado vendo Katsuki e Eiji arrumando duas pilhas enormes de livros, sorri minimamente para os dois e fui fazer o que tinham me pedido. Enquanto guardava os livros eu sentia o cheiro dois entrarem pelas minhas narinas e fazerem meu corpo estremecer e esquentar, o cheiro vindo deles estava mais forte e minhas pernas amoleceram quando percebi que não era só eu que estava para entrar no cio ali.


– Você tá no cio? – escutei a voz de Kirishima próximo de mim em um tom mais rouco.


– Já estou indo embora – falei baixinho e encolhido pelas dores fortes do cio. Inferno


– Você não vai sair daqui – Katsuki se aproximou – Alguém pode te atacar…


– Podemos te ajudar com isso – Kirishima passou suas mãos pela minha cintura aproximando nossos corpos enquanto Kacchan veio por trás.


– Você é nosso – pronuncio o loiro deixando um chupão em meu pescoço enquanto já me entregava aos beijos de Kirishima, eu estava no céu com aqueles dois se esfregando em mim. Quebrei o ósculo com Eiji e me virei já tendo a boca capturada por Kacchan.


Eiji se afastou da gente rapidamente para trancar a biblioteca e voltou até nós já arrancando sua roupa, não fiquei muito atrás quando Katsuki arrancou minhas roupas rapidamente para que ele pudesse se livrar das suas. Me ajoelhei no chão e os dois ficaram ao meu lado com seus membros pesados implorando para serem aliviados, o que fazia minha entrada molhar o chão da biblioteca em abundância com minha lubrificação. Eu os ouvia rosnar extremamente excitados.


Peguei o membro de Eiji e coloquei na boca sentindo seu gosto me invadir, meus cabelos serem pegos com força e ele começar a foder minha boca enquanto eu mastubarva Katsuki e logo depois alternando as chupadas nos dois por um tempo. Katsuki me colocou de pé e se agachou afundando seu rosto em minha bunda me fazendo gritar ao ter também Kirishima me pagando um boquete. Nossos corpos estavam pegando fogo, eu estava totalmente entregue a aqueles dois filhos da puta gostosos que nem percebia que quem estava me chupando agora era Katsuki, eu poderia morrer agora que estaria feliz. Afastei os dois e os puxei para perto de mim e iniciei um beijo a três, minha cintura sendo abraçada pelos dois que nem percebiam que eles também se beijavam.


– Eu amo vocês dois – confessei ofegante dando um beijo em cada um antes de ficar de quatro, Kirishima e Katsuki trocaram um olhar como se entrassem em um acordo.


Kacchan ficou de joelhos em minha frente oferecendo seu pau para mim que não demorei muito para o ter em minha boca, gemi ao sentir Eiji forçar minha entrada com seu membro que entrou sem muitos esforços pelo trabalho que os dois fizeram ali atrás com suas bocas e dedos. Eu chupava olhando Kacchan, o provocando que mordia o lábio para segurar o gemido alto demais que queria sair, tive minha cintura apertada com força e tive que largar o pau do outro para gemer alto ao ter o pau de Kirishima esmurrando minha próstata com força.


– Quem mandou parar de chupar – Kirishima puxou meu cabelo e empurrou minha cabeça de encontro ao pau de Katsuki, rebolei em seu pau o provocando e o empurrei para que saísse de dentro de mim.


– Vou ensinar a vocês que quem manda sou eu – me virei para ele batendo em seu rosto em empurrando Katsuki para o chão, peguei o pau de Katsuki pela base e me sentei em seu membro, apoiei minhas mãos em seu peitoral enquanto suas mãos percorriam minhas coxas.


Comecei a me movimentar em seu colo, sentindo cada centímetro de seu pau em meu canal que o acolheu tão bem, olhei para trás vendo Kirishima se tocando enquanto via minha bunda engolir o pau de Katsuki.


– Vem – falei entre os gemidos – Eu quero os dois dentro de mim


– Tem certeza ? – perguntou já se aproximando


– Sim


Me abaixei começando a beijar Kacchan em forma de distração para o pequeno incômodo que teve ao ter o pau de Kirishima forçando a entrada, aos poucos ele entrou e finalmente eu me sentia completo. Começamos a nos mover meio desajeitados no início mas em seguida entramos em um ritmo só nosso, meu corpo suado chocando com os outros dois.


– O nó alfas – gemi em seus ouvidos já que estávamos sentados, senti os dois beijarem meu ombro raspando suas presas.


– Izu – Eiji gemeu sôfrego e eu sabia o que os dois queriam e eu também queria.


– Me marquem, eu sou de vocês


E não foi necessário pedir duas vezes, apertei os ombros de Katsuki ao sentir todo meu corpo se arrepiar e contrair ao sentir a dor da presa de ambos me marcando me fazendo desmanchar no peitoral de Kacchan, gemi dengoso ao sentir o líquido quente e viscoso me inundar.


Nos deitamos no chão frio da biblioteca, olhei para os dois e sorri ao ter meus dois alfas me abraçando de cada lado.


– Nosso castigo não foi nada mal, cabelo de merda – falou Kacchan


– Eu tenho uma coisa para dizer – me sentei e mordi o lábio ao observar o corpo dos dois – Vocês são dois idiotas que não me deixaram falar aquele dia, eu devia dar um chute no saco de vocês.


– Desculpa – falaram os dois – O que você queria nos dizer aquele dia?


– Que eu não poderia escolher um de vocês porque eu me apaixonei por vocês dois, idiotas – cruzei os braços fazendo bico que logo sumiu por ter meu rosto sendo beijado por dois alfas bobões que sorria de orelha a orelha.


– Nós te amamos – sussurraram – E amamos mais ainda esse cheiro maravilhoso de camomila.


Eu poderia ficar o resto da tarde ali sendo mimado e fodido por meus dois alfas, eu estava realizado por ter esses dois na minha vida e foda-se se achariam estranho um ômega ter dois alfas, eu estava feliz e bem servidos se é que vocês me entendem.

22 de Octubre de 2019 a las 22:11 0 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Biel Castelli "Escrever é uma maneira de viver outra vida. Muitas outras vidas." - Etgar Keret / all these bitches is my sons 🍼

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~