Coração Carmesim Seguir historia

L
Lyra Canis


Depois de ser assediada no primeiro dia de trabalho, se afogar embriagada por descuido. Ao despertar, se encontra em um lugar inusitado. Dentro da estória de um livro que tinha lido recentemente. " O que?! Eu reencarnei na personagem mas odiada do Reino de Arcádia"


Fantasía No para niños menores de 13.

#romance #fantasia #mistério #ficção
0
585 VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Todos los domingos
tiempo de lectura
AA Compartir

Circunstâncias

■█■█■█■█■█■█■█■■█■█■█■█■█■█■█■■█■█■█

■█■█■█■█■█■█■█■■█■█■█■█■█■█■█■■█■█■█


Tendo passado o horário de ir para casa e exausta do primeiro dia de trabalho em uma empresa multinacional. Callie, enfim, finaliza os últimos papéis. Quando estava prestes a sair, é surpreendida pelo chefe. Um sujeito que aparentava estar na flor da idade, mesmo que a real idade dissesse o contrário.

- Tem um minuto?

- Sim, claro. Algo de errado no relatório que entreguei hoje cedo?

- Não, nada disso. O seu relatório foi bem elaborado, estou até surpreso, não parece obra de uma recém-chegada.

Callie, sorri satisfeita pelo elogio.

- Obrigada, Senhor....hã.....Rodolfo.

- Roger.

- Isso, Senhor Roger.

Constrangida, faz menção de ao menos lembrar o nome correto de seu chefe de trabalho.

- Então, Senhor Roger precisa de algo?

- Bem, estava pensando que as suas habilidades no serviço são excepcionais. Senhorita Callie. E....

- E.....?

- Acredito que, talvez a sua "outra" habilidade também seja, não é mesmo?

Roger abre um sorriso malicioso.

- Perdão? não estou compreendendo a onde o senhor quer chegar.

- Será que você é tão inocente assim?

De súbito, Roger avança em sua direção. Agarrando-a pelos braços, e passeando com suas mãos em sua cintura, em seguida descendo para mais baixo. Callie retribui, posicionando seus braços envolta de seu pescoço.

- Que tal fazer uma hora extra comigo?. Ele murmura em seu ouvido.

- Que pena, Senhor. Mas creio que não será possível.

Ao dizer isso, puxou bruscamente seu pescoço para mais perto, aproveitando a chance para gopea-lo com o joelho em suas partes. Roger se encolhe, angustiado com a dor. Vociferando com dificuldade.

- SUA LOUCA....... O QUE PENSA QUE ESTÁ FAZENDO!

- Não sei, talvez me defendendo já que pelo visto você pensa com a cabeça de baixo.

- VOCÊ. Por acaso sabe com quem está falando?

- O meu trabalho aqui está terminado, Senhor Roger. Venho pela manhã buscar meus apetrechos. Eu entenderei o motivo caso queira me despedir, Boa Noite.

Antes de esperar uma resposta, virou as costas, se dirigindo para o elevador. Ignorando os insultos atribuídos a ela.

◇◥◣◥◤◢◤◆◥◣◥◤◢◤◇◇◥◣◥◤◢◤◆◥◣◥◤◢◤◇◇◥◣◥◤


Caminhando com passos ligeiros, na movimentada avenida, tentava entender como a situação tinha chegado naquele ponto.

" Fala sério, qual o problema desse cara, ele pensou que eu ia fazer o que? me entregar em uma bandeja de prata? é só o que me falt..."

Parando de forma repentina na multidão. Olhava fixamente para a vitrine de uma livraria. Mesmo não sendo uma amante de livros, aquele em questão chamava a sua atenção.

Ao colocar a mão na maçaneta da porta, sai de dentro uma senhora. Os cabelos quase todos brancos em decorrência da idade, olhos cansados e feições clemente. Segurava nas pequenas mãos uma placa anunciando o fim do expediente.

Após notar a presença de Callie a sua frente, perguntou.

- oh! nossa. Quer dar uma olhada nos lançamentos desse mês, minha jovem?

Percebendo que já estava tarde, e não querendo incomodar apenas negou com a cabeça. Respondendo em seguida.

- Está prestes a fechar, certo? não quero incomodar, volto outra hora.

- Não é incomodo algum, venha, venha. Vamos entrar.

A pequena senhora começou a empurrá-la em direção a entrada.

- Que tipo de livro você está interessada? Caso não tenha uma escolha específica, posso lhe recomendar algum. De toda forma fique a vontade. Volto logo.

Após ela sair, Callie anda até a vitrine onde se encontrava aquilo que procurava.

O livro no qual ansiava, não era tão pesado como aparentava, sendo de capa dura e aspecto avermelhado, estando em ótimo estado. Mas o que realmente chamou-lhe a atenção foi a figura detalhada no centro. Um desenho de um par de asas envolto de uma espada prateada. Cativada pelos detalhes da capa, não percebeu a chegada da pequena senhora.

- Encontrou o que desejava?. Ela indagou.

Por te sido pega de surpresa, virou assustada, para a dona da recente pergunta.

- Oh! Não queria assusta, haha.

- Não, tudo bem. Vou levar esse.

Disse erguendo o livro. A vendedora olha para a capa, inesperadamente surpresa.

- Em que lugar você o encontrou?

- Na vitrine. Algo errado?

- Oh!. Que cabeça a minha, devo ter colocado este na vitrine sem perceber. Ultimamente minha memória tem se tornado cada vez mais ruim. Infelizmente minha querida, este livro não está a venda.

- Entendo....

Desapontada, o coloca sobre a mesa. Quando ia se despedir, a vendedora senhora mudou de idéia.

- Espera!. Acho que.... talvez seja melhor ter uma nova dona, já esteve aqui por muito tempo pegando poeira. Então , Por favor cuide bem dele.

Dito isso, entregou nas mãos de Callie. Acenando da porta, para em seguida pendurar a placa com os dizeres "Fechado".


◇◥◣◥◤◢◤◆◥◣◥◤◢◤◇◇◥◣◥◤◢◤◆◥◣◥◤◢◤◇◇◥◣◥◤


Callie chega ao apartamento em que reside ás 10:30. Depois de tomar um banho quente e devorar quase que uma caixa inteira de pizza. Faz questão de ler o livro, no qual estava tão curiosa. Deitando no sofá, confortavelmente, imergindo no conteúdo.


◇◥◣◥◤◢◤◆◥◣◥◤◢◤◇◇◥◣◥◤◢◤◆◥◣◥◤◢◤◇◇◥◣◥◤


A estória se passava, em um Reino chamado de Arcádia, que era dividido por dois clãs célebres. Ao sul, encontrava-se os Farshi, representados pelo símbolo de um falcão, por serem velozes e ágeis em batalha.

Ao Norte, localizava os Wolg, por suas habilidades estratégicas e uma força sobrenatural, representados pela insígnia de um lobo.


Os dois clãs, apesar dos frequêntes conflitos, amparavam os civis que foram afetados, por uma Afecçao, as causas até então eram desconhecidas.

Logo após este acontecimento, o Sacerdote da Torre Oasis solicitou os líderes do clã Farshi e Wolg a cooperação. No intuito de descobrir, quem e por qual motivo, envenenou as águas que eram fornecida á população.

Em todo caso, foram indicados apenas aqueles que, sucederia o lugar do atual líder no futuro.

Hazel Wolg e Roy Farshi, se apresentaram na Torre Oasis. Concordando em ajudar, mas em troca, um deles teria que ser nomeado para receber a espada Dark Blood. O Sacerdote fica perplexo com o pedido, em razão, que a Dark B. em mãos erradas traria calamidade, contudo, aceitou o acordo.

Hazel e Roy seguiram, em busca do culpado sem demora. Definiram então, separar, com finalidade de encontrar o transgressor mais ligeiro.

Roy foi para o leste, no mesmo tempo em que Hazel avançou para o oeste.

Em sua trajetória, Hazel encontra-se com uma linda moça, se apaixonando intensamente.

Delilah Orlem, filha de uma das famílias mais ilustres de Arcádia. O pai, Albert Orlem, fabricante de utensílios finalizados com porcelana e a mãe, Natalie, que detém de uma voz harmoniosa, ao cantar. Sem deixar para trás, Delilah. Proprietária de uma beleza cativante. Longos cabelos ondulados, dourados, dando a sensaçao de ter sido banhado a ouro, seguido de grandes olhos amendoados, em um tom de azul céu. A relação dos dois envolvidos, gradativamente se torna uma paixão mútua.

Após um tempo, Roy e Hazel obtiveram pistas sobre o autor, que praticou o infortúnio de poluir as águas, Ralph Noir, fabricante de utensílios de porcelanato, e um formidável adversário no meio comercial. Foi transportado para a torre de Oasis, até decidirem qual seria a punição mais adequada. O sarcedote, satisfeito com a determinação dos sucessores dos clãs mais veementes de Arcádia. Sugere um baile de comemoração, a presença de todos do Reino, seria bem-vindo. Quanto a espada Dark B., o escolhido é um mistério....

A celebração ocorria no palácio Graceus. Hazel do clã Wolg pretendia informar a todos, ali presente, o seu noivado com Delilah. Somente aguardaria, ela comparecer. No momento que Delilah entrou no recinto, a olhavam admirados, usando um vestido longo, azul claro com detalhes em renda, ressaltando a tonalidade dos olhos índigo. Em sequência, surge uma jovem de cabelos carmersim esvoaçante, com vestes simples.

De súbito, a reação das pessoas de maravilhamento, logo torna-se espanto. Em vista que para a população de Arcádia, indivíduos que possuem cabelos vermelhos, são uma existência tabu, julgados e considerados a raiz de infortúnios.

A multidão, determina a ignorar, até que a celebração finalize. No canto do salão, Delilah conversava com os demais. Ao colocar o copo de bebida que tinha terminado de ingerir, numa mesa. Enfraquece e colapsa.

Hazel, no mesmo instante a ampara. Um médico presente também a auxilia, analisando seus batimentos . Com uma provável suspeita, verifica o copo de bebida recém tomado, percebendo de imediato ser arsênico.

Alguém presente no recinto, veio ao local com a finalidade de envenená-la. Enquanto os primeiros-socorros ocorria. O horror estava estampado nos rostos de cada um, aos poucos o temor torna-se olhares de fúria, direcionados para a jovem dos cabelos vermelhos. A garota evidenciava um semblante de espanto. A multidão começou a dirigir-se em sua direção. Ela, por sua vez, deu passos para trás, mas ainda assim, a seguraram com força, puxando até ficar de joelhos no piso.

Hazel surge repentinamente em sua frente. Com olhar de fúria impetuosa, desembainhando a espada e apontando diretamente para a suposta culpada. Ela já compreendendo o que viria a seguir, sorriu, revelando uma tristeza dolorosa no olhar. A lâmina afiada atravessa o pescoço, tingindo o chão, da mesma cor dos cabelos. Jazia ali um corpo sem resquícios de vida.

Em contrapartida, Delilah, passava bem, ao receber um antídoto, a base de uma erva tradicional intitulada de Jarilla, eficiente na neutralização dos efeitos oxidante do veneno.

Após todos o alvoroço, a serenidade retornou em Arcádia. Hazel tornou-se o líder do clã Wolg, e uniu-se com sua amada Delilah. Predominando assim, um agradável tempo de paz no Reino de Arcádia.

◇◥◣◥◤◢◤◆◥◣◥◤◢◤◇◇◥◣◥◤◢◤◆◥◣◥◤◢◤◇◇◥◣◥◤


12 de Septiembre de 2019 a las 02:11 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Ressurgir

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 1 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión