Ops... It's a Match! Seguir historia

donnadan Donna Dan

Naruto é um publicitário britânico que descobriu que sua colega de trabalho é uma fujoshi! Ele nem imaginava o tipo de confusão que poderia se meter devido à sua curiosidade e aos devaneios da amiga… “- Eu SABIA que isso ia dar merda! - Ops…” Fanfic em comemoração ao aniversário de Sasuke Uchiha postada em 23/07/2016


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 21 (adultos).

#encontro #tinder #sasunaru #narusasu #sasuke #naruto
8
2.8mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Naruto

- Levanta logo essa bunda da cadeira e vai se arrumar!

Sasuke olhava contrariado para o irmão lhe dando ordens pelo computador. Quis simplesmente encerrar a chamada devido à insistência dele, mas era Itachi. Conseguia ser rude com todas as pessoas do mundo, menos com Itachi e sua mãe.

- É sério, Itachi. Eu estou... – Começou a falar, porém foi interrompido antes de concluir.

- Bem o caramba. Eu não estou por perto para te fazer sair, então me faça o favor e seja um bom irmãozinho. Nada de ficar preso em casa no dia do seu aniversário.

Sasuke apoiou os cotovelos na mesa onde estava o notebook e bufou irritado, atrapalhando os próprios cabelos. Não estava com muita vontade de sair de casa. Era seu aniversário e não conhecia ninguém que pudesse lhe acompanhar. Mesmo assim, dificilmente conseguiria contrariar seu irmão. Sabia que ele estava preocupado e não o forçava simplesmente para lhe aborrecer.

- Eu prefiro ficar aqui conversando com você, niisan. Vai ser mais produtivo do que...

- Sasuke. – Mais uma vez fora interrompido. Itachi o chamou com seriedade, fazendo-o se calar instantaneamente e prestar atenção. – Eu já disse que não quero que você se isole aí. Não é uma semana ou um mês que você vai ficar longe de casa. Não me deixe ainda mais preocupado com você.

Se tinha algo que Itachi sabia fazer era manipular as emoções de Sasuke. Felizmente, o mais velho apenas se preocupava com o bem estar de seu irmão. Este havia deixado o Japão e, consequentemente, sua família e seus poucos amigos para iniciar seu mestrado em Psicologia Forense em Londres. Itachi acreditava que, caso não incentivasse o caçula, ele passaria os próximos anos isolado naquele país distante, até conseguir seu título e voltar para casa.

Itachi se orgulhava muito do irmão mais novo. Devido ao prestígio conquistado com seus artigos e estudos sobre a reabilitação de criminosos violentos, Sasuke havia recebido uma bolsa para estudar na University College London (UCL), uma das melhores universidades do mundo e uma das mais tradicionais do Reino Unido. A UCL reunia talentos de diversas áreas e, por isso, parte considerável do corpo de estudantes era composta por estrangeiros.

Mesmo sabendo que aquela era uma oportunidade única na vida de Sasuke, deixá-lo partir havia sido muito difícil, e ele não estava ajudando. O irmão havia chegado à Europa no final de fevereiro. Já era quase final de julho, e, sempre que o questionava, percebia que ele ainda não havia se enturmado. Podia imaginar que o mais novo passava a maior parte dos dias sozinho e as únicas pessoas com quem devia conversar eram os orientadores de seu projeto e sua família pelo Skype. Como não havia outro jeito, cuidaria dele da forma que fosse possível à distância.

- Baixou o aplicativo que te falei? – Itachi perguntou depois de perceber, pela expressão de Sasuke, que havia vencido a batalha.

Sasuke direcionou o olhar, fuzilando o irmão. Ele o estava perturbando há dias para baixar o Tinder, um aplicativo para conhecer pessoas, muito usado para quem procura relacionamentos afetivos, sexo, ou apenas novas amizades. Itachi sabia que Sasuke não estava interessado em um relacionamento no momento, mas achava que era uma boa estratégia para conhecer pessoas - principalmente fora da convivência acadêmica - que fizessem companhia e conseguissem tirar o irmão de seu confinamento.

- Não faz essa cara! Você vai baixar o aplicativo e colocar as fotos que eu vou te mandar pelo whatsapp. Deixa de ser chato, o que custa tentar?

- Isso é ridículo, Itachi. Não vou ficar procurando ninguém por um aplicativo. É uma atitude desesperada, e eu não estou desesperado.

- Eu estou por você. Deixa de frescura! Nem todo mundo usa o Tinder pra arrumar namoro. – Itachi argumentava, intencionando convencê-lo a tentar. – Muita gente, quando vai para uma cidade diferente, usa esses aplicativos para conhecer pessoas novas, seja para fazer amizade, seja para conhecer a cidade melhor. Você está precisando disso, otouto. Você nunca sai para se divertir. Vai acabar surtando!

Sasuke continuou imóvel, com a expressão fechada, desgostosa, encarando a imagem do irmão no computador.

- Anda, vai se arrumar. E dá seu jeito de conversar com alguém aí e sair para dar uns beijos na boca pelo menos. – Itachi disse impaciente, porém sustentando uma expressão maliciosa no rosto, que contrariava sua explicação anterior, para provocar o irmão.

- Por Kami… Você é ridículo, Itachi! – Ralhou, saindo do alcance da câmera do computador.

Sasuke foi tomar um banho e escolher uma roupa para sair, enquanto Itachi selecionava no facebook as melhores fotos para elaborar o perfil do irmão no aplicativo. O mais novo estava irritado, mas já estava cansado de discutir. A cada dia, ficava mais difícil lidar com o irmão mais velho e estava sendo especialmente trabalhoso durante esta semana. Claro que gostava de comemorar aquela data com as pessoas mais próximas, mas elas não estavam ali. Não entendia essa convenção social de que era necessário fazer alguma coisa no dia do seu aniversário.

Pelo menos havia uma galeria próxima à moradia dos estudantes - a apenas dois quarteirões de distância -, e não seria tão trabalhoso sair de casa e encontrar algo para fazer, acalentando, assim, os ânimos de Itachi. Tinha alguns pubs e até um sushi bar, caso quisesse matar a saudade da culinária de sua terra natal. Sair para comer alguma coisa parecia uma boa opção. No fim, teria que comer, sendo ou não seu aniversário. Somente teria o trabalho de andar duas quadras em vez de pedir para entregar.

Quando já estava pronto - vestido com um jeans escuro, uma camisa cinza leve e ajustada -, sentou novamente em frente ao computador para acabar logo com aquela tortura de aplicativo e, então, poder providenciar seu jantar. Itachi continuava aparecendo na câmera, distraído com alguma coisa, até que notou que o irmão havia retornado. Sasuke instalou e abriu o Tinder. Em seguida, passou alguns segundos tentando entender como aquilo funcionava.

- Primeiro, pega as fotos que te mandei e coloca no perfil. A primeira foto, seu nome e sua idade são as primeiras coisas que as pessoas vão ver. Aliás, está muito bonito, otouto. – Itachi começou a falar, vendo o irmão mexer no celular.

Sasuke levantou o olhar para o computador, quase sem se mover, e ergueu uma sobrancelha antes de voltar a atenção para o aparelho em suas mãos, sem dizer nada. Itachi adorava deixá-lo desconfortável, não importava a distância que os separava. Das sete fotos que o irmão havia sugerido, usou apenas três, as que gostava mais. Não entendia a necessidade de colocar tantas fotos assim.

- Tem que escrever uma descrição também? Que preguiça, Itachi!

- Para de reclamar, vou te mandar uma. – Itachi sabia que, se não tomasse a iniciativa, Sasuke nunca iria adiante com aquilo. – Depois que você colocar o texto que vou te mandar, é só configurar a distância e a idade dos caras que procura e pronto. Todo mundo que estiver dentro desse perfil e também tiver escolhido o perfil de idade e distância que você se enquadra vai aparecer para você. Assim como você vai aparecer pra eles. Aí, é só curtir ou recusar o perfil. E, por favor, não vá colocar uma distância muito grande ou gente nova demais. Coloca o mínimo de milhas e, sei lá, gente no máximo dois anos mais nova, se não vai ser difícil achar alguém que tope sair agora.

Ao terminar o falatório, que era acompanhado por Sasuke com uma expressão inconfundivelmente de tédio, Itachi digitou a descrição para o perfil do Uchiha mais novo e a mandou como texto dentro da chamada. Sasuke lia em silêncio, apenas para si, totalmente incrédulo.

“De Osaka, morando temporariamente em Londres. Conheço bem o idioma, mas ainda não fui apresentado à cidade. Procuro alguém para andar por aí e bater um papo”.

- Itachi, não vou escrever essa merda. Tenha um mínimo de noção. Se eu entendi como essa joça funciona, isso quer dizer que meus colegas de faculdade podem acabar vendo meu perfil, e eu não vou ficar passando vergonha por sua causa. – Sasuke disse com a voz monótona. Itachi estava dando trabalho demais. – Não dá pra deixar isso em branco simplesmente?

- Dá, mas, se você escrever algo, é mais fácil puxar papo. Não dificulta as coisas.

- Que saco... Eu mesmo faço isso, então. Já estou quase me sentindo um dos fantoches do Sasori! – Sasuke falou, lembrando do trabalho de um amigo em comum deles. Sabendo que o irmão ia insistir ou reescrever sua descrição até alcançar uma que lhe fosse aceitável, preferiu poupar tempo e redigir qualquer coisa que não fosse tão vergonhosa.

- Pronto. “De Osaka, mestrando em Psicologia na UCL”. É o suficiente. – Sasuke leu o que havia escrito, de forma a deixar subentendido que não modificaria aquilo.

É chato”. - Itachi pensou. Não havia gostado, no entanto não discutiu. Ele queria algo que chamasse mais atenção e atraísse alguém que estivesse disposto a sair com o irmão ainda hoje. Estava insistindo com ele há dias para baixar o aplicativo. Se ele não tivesse teimado tanto, teria tido mais tempo para encontrar companhia. Porém, Sasuke só cedeu na última hora.

Sobre o tipo de perfil que Sasuke selecionou, não era deboche da parte de Itachi dizer que o irmão procuraria por “caras”. O mais novo era gay desde que se entendia por gente, e tanto sua mãe quanto seu irmão sabiam e aceitavam sua sexualidade sem problemas. Isso não era tabu entre eles. Pelo contrário, era algo tão natural que Sasuke havia se sentado de frente para o encosto da cadeira, com as costas apoiadas na mesa ao lado do notebook - ficando, dessa forma, com o dorso virado para o eletrônico –, para mostrar os perfis que estava vendo a Itachi. Daquele jeito, o irmão poderia acompanhar suas ações no aplicativo e não ficaria acusando o mais novo de recusar alguém antes de lhe mostrar.

Sasuke abria alguns perfis, basicamente dos homens que achava mais bonitos, e, às vezes, selecionava algum que Itachi pedia para ver. No entanto, na maior parte do tempo, simplesmente recusava quase que imediatamente a maioria, deslizando o dedo para a esquerda. A todo instante o irmão solicitava para que Sasuke fosse mais devagar, dizendo que nem o próprio estava sendo capaz de ver as fotos direito daquele jeito.

A cada perfil que abria e lia, mais se convencia de que aquilo era inútil. Várias descrições tinham frases prontas e clichês, indicavam que a pessoa procurava sua “alma gêmea” ou não diziam nada. Ninguém parecia realmente interessante até o momento.

- Recebi um super like. O que é isso?

- É quando a pessoa quer que você saiba que ela te curtiu, pra aumentar as chances de você curtir de volta. Abre aí, vamos ver.

- “Procuro alguém para me tirar do tinder”? – Sasuke leu e olhou para o irmão com cara de deboche. – Sem condições de curtir isso. É capaz de me pedir em casamento no primeiro encontro!

-Se você continuar sendo tão exigente, não vai encontrar ninguém, Sasuke. – Itachi dizia cansado. – Já vimos um monte de gente, e você não curtiu ninguém até agora!

- E a culpa é minha se as pessoas não são interessantes? - Respondeu dando de ombros com descaso.

Alguns perfis depois, Sasuke encontrou um que poderia curtir. Ele era bonito e não tinha completado a descrição;logo, não havia nada idiota escrito para espantar o mestrando.

- FINALMENTE! – Itachi disse, comemorando em seu quarto no Japão.

Sasuke nem teve a chance de reclamar com o irmão sobre o escândalo que ele estava fazendo sobre algo tão inútil, pois, no mesmo instante, havia um aviso de match na tela. Aquilo era o que acontecia quando a pessoa também havia curtido seu perfil. Agora os dois poderiam conversar através do aplicativo.

- Deu match. – Sasuke disse, surpreso com a rapidez em que aquilo tinha acontecido, visto que houve correspondência no primeiro perfil que curtiu.

- Eu vi. – Itachi respondeu, achando engraçada a reação do irmão. Sasuke não se achava feio, mas não tinha ideia do quanto era atraente. Era óbvio que ele iria receber várias curtidas.

Não foi preciso que Sasuke iniciasse a conversa, John – o homem de 27 anos que havia curtido – tomou a iniciativa, sendo simpático e mandando um olá.

Pelo fato de o celular ainda estar no alcance da câmera, Itachi conseguiu ver as mensagens que o irmão recebia. Pouco tempo depois, ficou com pena de John. Aquela não era a forma certa de chamar a atenção de Sasuke. Depois de vencer a etapa da educação com perguntas sobre como cada um estava, John havia mandado mensagens comentando sobre a beleza exótica de Sasuke, por conta de sua nacionalidade nipônica.

Sasuke abaixou um pouco seuaparelho, encabulado por Itachi estar lendo aquilo, mesmo que não houvesse nada demais. Logo descobriu, sem nem ter que perguntar, como descombinar aquele match e desaparecer com aquela conversa.

- Itachi, isso não vai dar certo. Eu vou sair de uma vez.

- Espera, otouto! Já deve estar quase chegando no último perfil, porque você colocou uma distância muito pequena. Vamos acabar de ver, pelo menos para matar a curiosidade.

- A sua, né? Eu já cansei disso.

- Exatamente, anda.

- O que eu não sou obrigado a fazer por sua causa...

Sasuke sabia que não era obrigado, mas não ia admitir que estava se distraindo, vendo aqueles perfis. Realmente não havia conhecido muita gente desde que se mudou, e aquilo estava atiçando sua curiosidade. Passando mais alguns para a esquerda, recusando-os, parou o movimento, observando a forma natural e descontraída que o homem sorria na foto.

- Gostei desse aí. – Itachi disse prontamente.

Sasuke começou a analisar o perfil. Naruto. Loiro, bonito, 24 anos, oito interesses em comum no facebook – algumas bandas e páginas de humor-, aparentemente publicitário na empresa “cultura de rua” – nunca ouviu falar -, tinha um total de cinco fotos no perfil e estava a menos de uma milha de distância. Ele parecia ser uma pessoa divertida e descontraída, sorria em quase todas as fotos, e aparentava ter um estilo mais urbano e descolado.

Já ouvi que sou imprevisível, mas isso é coisa de quem não entende meu senso de humor (Y)”.

- Curte logo, otouto. Não acredito que não vai curtir esse!

- Hn...

Sasuke refletiu mais um momento. Apesar de ter achado o perfil engraçadinho demais devido à sua descrição, acabou curtindo-o. Afinal, qualquer coisa era só fazer o mesmo que havia feito com a combinação anterior. Mais uma vez, houve match no mesmo momento.

- Obrigado, Kami! Esse tem cara de quem vai te tirar de casa. Esse pessoal que mexe com cultura sempre tem alguma coisa pra fazer. - Itachi dizia satisfeito, já fazendo planos, divagando. – Vou poder dormir tranquilo finalmente.

- Alguém traz a coroa do drama pra ele! – Sasuke disse, direcionando sua fala para o nada, como se falasse com outra pessoa em seu quarto, querendo provocar o irmão. Eles riram juntos e contidos por um momento. Sasuke tinha saudades do irmão. Infelizmente, não poderia voltar para casa naquele verão, pois havia assumido alguns compromissos extras na universidade. Mas, certamente, iria o mais breve possível.

Sasuke continuou a recusar os perfis em sequência, até que depois de alguns minutos não havia mais ninguém naquela região para ver.

- Viu, Aniki? Uma total perda de tempo.

- Uau, curtiu dois de cem caras. Não entendo porque dizem que você é exigente demais. – Itachi ironizou. - E o loiro? Não mandou mensagem?

- Não. – Sasuke respondeu, olhando com cara feia pela provocação.

- Manda você, então!

- Mandar o quê?

- Que pergunta idiota, Sasuke! Manda um “oi” pelo menos.

- Ok. Satisfeito? – Sasuke disse depois de enviar um comprimento para o rapaz. Não que tivesse dificuldade de interagir, mas toda aquela pressão, a artificialidade daquele contato, o deixava desmotivado. – Eu vou sair. Essa enrolação toda me deixou com fome.

- Depois me conta se ele respondeu.

- Sim, pode deixar. – Sasuke falou, se levantando da cadeira e procurando suas chaves.

- Otouto? – Itachi chamou.

- Sim? – O mais novo abaixou o tronco para ficar com o rosto dentro do enquadramento da câmera do notebook.

- Feliz aniversário mais uma vez. Boa sorte! – Desejou, sorrindo com os olhos fechados, antes de encerrar ele mesmo a chamada do Skype. Sasuke ficou com um sorriso discreto no rosto. Dirigiu-se para a saída do pequeno apartamento da moradia que, no momento, não dividia com mais ninguém, decidido que teria um jantar agradável, mesmo que sozinho.

Estavam no verão, e o clima favorecia a caminhada noturna. Muitas pessoas saiam de casa para aproveitar. Algumas já desfrutavam da noite nos pubs ou na praça, e outras chegavam para começar a curtir o sábado. Sasuke suspirou pesaroso, vendo todas aquelas faces felizes. Mesmo sabendo que era um pensamento irracional, imaginou que seria um ótimo clima para uma reunião na varanda de sua casa no Japão, a fim de comemorar seu aniversário. Porém, deveria estar bem diferente lá, sempre chovia muito nessa época em Osaka.

Todos julgavam que Sasuke não sentiria falta de casa, por ser muito sério, focado e desapegado. Todavia, ele mesmo não duvidou que sentiria saudades; só não achou que fosse acontecer tão rápido. Em casa, mantinha uma rotina com pelo menos o mínimo de lazer para se distrair e manter o contato com os amigos. Só agora, que estava mais isolado, percebia o quanto aqueles poucos momentos eram essenciais. Ser seu aniversário, estar andando sozinho com as mãos nos bolsos, ver todas aquelas pessoas conversando e se divertindo e imaginar a refeição que teria em silêncio só evidenciavam a sensação de vazio.

Conversar com o irmão e com a mãe pelo Skype ajudava muito a espantar a solidão, já que a interação com os amigos de Osaka era mais rara. Talvez Itachi estivesse percebendo o que estava sentindo, pois estava cada vez mais presente e insistente para que fizesse novos amigos na Inglaterra. O irmão o conhecia como ninguém. Sempre soube que a companhia dele era a que mais sentiria falta quando saísse de casa.

Virando a esquina, chegou à galeria comercial. Não tinha do que reclamar em relação às instalações da região. Como a universidade era muito antiga e tradicional, tinha de tudo muito próximo e devidamente planejado para atender aos estudantes alojados no campus. Além de restaurantes, pubs e redes de fast food, havia pequenas lojas de roupa, uma livraria e um mercadinho. Poucas necessidades exigiam um deslocamento maior.

O quarteirão era dividido por uma calçada. A parte central era larga e arborizada, propiciando uma circulação agradável, e tinha lojas dos dois lados. Várias pessoas estavam transitando pelo lugar ou paradas conversando, havia muito movimento e barulho. Quando estava chegando à metade do quarteirão - andando com calma e desviando dos pedestres -, Sasuke interrompeu sua caminhada, apertando os olhos e ajustando a visão para enxergar de longe. Ficou surpreso quando reconheceu a pessoa logo à frente, a sua esquerda. Era o loiro do aplicativo! Buscou seu celular no bolso para relembrar o nome dele e checar se havia alguma mensagem que não tinha visto. Naruto. Sem mensagens novas.

O homem fumava distraído, com uma das mãos no bolso. Ele inclinava levemente o rosto para cima para soltar a fumaça, apoiado no vidro, que mostrava o interior do pub. Naruto parecia observar a lua, com uma expressão tranquila e contemplativa. Naquele momento, Sasuke percebeu que ele era ainda mais bonito do que nas fotos. Havia um charme e um ar despreocupado; ele transparecia ser um homem muito seguro de si. Ficou se questionando, ao observá-lo, se o outro também seria estrangeiro. O tom de pele amorenado como o dele não era comum entre os britânicos.

Após registrar os detalhes daquele homem de forma absorta, Sasuke deu-se conta de que sua mensagem continuava lá, ignorada no aparelho de Naruto, enquanto ele desfrutava tranquilamente seu cigarro. O Uchiha sabia que, provavelmente, levava tudo muito mais a sério do que a maioria das pessoas. No entanto, se o outro havia curtido o seu perfil e estava ali com tempo livre, devia haver alguma tentativa para iniciar um diálogo, não?

Dotado de uma confiança ímpar em seu discurso, já que essa era sua ferramenta de trabalho como psicólogo, Sasuke estava decidido a ir falar com ele. Na pior das hipóteses teria algo interessante para contar a Itachi depois. Começou a andar novamente, desviando levemente de sua trajetória anterior, para abordar o desconhecido. Naruto continuava fitando o alto, distraído, e não notou, a princípio, sua aproximação.

Sasuke havia se aproximado o bastante para ser ouvido, mas, antes que conseguisse dizer a frase de efeito que havia pensado, Naruto percebeu sua presença e engasgou com a fumaça que havia tragado para dentro de seus pulmões. Não conseguiu dizer uma só palavra, porque ele tossia compulsivamente na sua frente, aparentando ter levado um tremendo susto por estar desprevenido. No meio do ataque, pôde ouvir Naruto dizer seu nome da mesma forma errônea que a maioria das pessoas daquela cidade falava quando o lia. “Sazuque” em vez de “Sasque”.

Naruto tentava se recuperar do ataque de tosse, com o tronco abaixado, apoiado em seu joelho pela mão, enquanto a outra segurava o peito numa tentativa de conforto. Após um breve instante, ele já aparentava estar quase totalmente recuperado e emitiu um pedido de desculpas, mas parecia desconcertado demais para encará-lo nos olhos.

- Tudo bem? – Sasuke perguntou na tentativa de chamar sua atenção, ainda mantendo a mesma pose desde o momento em que havia chegado perto dele.

- Sim, sim. Desculpe. – Naruto disse, recompondo a postura enquanto erguia o tronco, levando a mão à parte de trás da cabeça e coçando seus cabelos em sinal de embaraço.

- É “Sasque”.

- O quê? – Naruto perguntou sem entender o que ele queria dizer, olhando diretamente em seus olhos. No primeiro contato visual que haviam feito, o susto de Naruto fora tão grande que não havia captado os detalhes do rosto do outro apropriadamente.

- A pronúncia correta do meu nome. “Sasque”. – A face de Sasuke estava tranquila ao fazer aquela correção, na tentativa de não parecer irritado com aquele erro comum.

- Sasuke. – Naruto repetiu da forma correta, testando a pronúncia com sua voz. – Prazer Sasuke, meu nome é Naruto. – Completou de forma simpática, estendendo a mão para um cumprimento.

Sasuke baixou os olhos para a mão estendida à sua frente e, em seguida, retirou a sua do bolso para responder aquela iniciativa. Apertou-a com firmeza, mas sem força, sentindo o calor do contato se espalhar por sua pele.

Teve a impressão de que Naruto estava tenso no início, mas, na mesma medida que sentia uma sensação de conforto com aquele contato, viu o outro abrir um sorriso iluminado, aberto e estonteante. Sasuke sentiu o ar deixando seus pulmões de forma pesada, comprimindo o peito; o sorriso de Naruto era encantador e parecia transmitir um calor particular, como se o sol tivesse surgido no meio da noite.

Ficaram alguns segundos imersos naquele momento. Não sabiam dizer quanto tempo nem porquê. Simplesmente nenhum dos dois abriu a boca para dizer nada e não parecia haver intenção de desviar o olhar, que havia ganhado uma intensidade ímpar, nunca experimentada por eles antes.

Contudo, antes que pudessem sentir qualquer estranhamento por aquele silêncio prolongado, foram arrancados daquela sinergia devido à exclamação surpresa de uma mulher, seguida de um som de vidro se quebrando.

O aperto de mão foi desfeito em um segundo, e os dois se moveram rapidamente, devido à surpresa, para encarar a pessoa que gritara – ela havia deixado a long neck que consumia cair. Mais uma vez, Sasuke ouviu seu nome sendo pronunciado de maneira incorreta por uma delas, surpreso com sua chegada. Não conseguia entender o que havia de errado com aquelas pessoas se assustando por sua causa daquele jeito! Dessa vez não houve tempo de corrigir, pois a mulher já havia começado uma sequência de desculpas antes de começar a andar, levando consigo sua companheira.

- Ahhh, desculpa atrapalhar vocês. Naruto, Só vim avisar que estávamos indo embora, Liza vai encontrar com o boy dela. – Disse, já começando a andar na direção contrária a deles, olhando por cima do ombro com um sorriso amarelo. Ela parecia nervosa.

- Ei, espera aí. Cel! Liza! Voltem aqui, suas cadelas! Vocês saem fazendo cagada no meu nome e fogem na hora de cobrarem a conta? Isso não é justo! – Naruto falava alto, mas Cel ou Liza não fizeram menção de voltar.

- Desculpe, Naruto! Me conte tudo amanhã antes de me matar! – Cecília disse já distante, acenando de costas para eles enquanto andava.

Sasuke olhava Naruto com a tez levemente franzida, em sinal de pura confusão. Não fazia ideia do que Naruto quis dizer com aquilo, mas parecia que havia algum mal entendido por detrás daquelas reações exageradas.

- Sasuke, eu posso explicar.

16 de Agosto de 2019 a las 20:38 0 Reporte Insertar 1
Leer el siguiente capítulo "Sazuque"

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 3 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión