Not Mine Seguir historia

lil_cherry E. L

"[...] Eu poderia ter recusado, poderia ter levantado, poderia ter sido prudente, mas eu simplesmente fechei os olhos e selei nossos lábios, foi errado, eu sei que foi egoísta e imprudente, mas eu também sei que nunca teria a oportunidade de sentir seus lábios novamente. [...]"


Romance Erótico Sólo para mayores de 18. © Todos os direitos reservados

#aventura #drama #hot #jovem #alcool #bebidas #festa #sexo #amor #258
2
3.3mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 30 días
tiempo de lectura
AA Compartir

A festa

Música alta, muitas pessoas e muita bebida. — Eu bebi apenas alguns poucos copos, parei ao perceber que Ethan e Trevor estavam bebendo loucamente. A festa é na casa do Ethan, não vou bancar a chata, mas alguém tem que ser responsável aqui não é mesmo?... E é assim que estou sentada no canto de um sofá vazio com um copo de refrigerante na mão, observando os dois e mais algumas pessoas dançando e bebendo no meio da sala. — Já é tarde o suficiente para ter alguns bêbados jogados no chão, casais se pegando pelos cantos, um casal discutindo por qualquer motivo fútil e algumas pessoas fumando do lado de fora; longos minutos se passaram e eu não tirei os olhos dos meninos, que só bebem e bebem cada vez mais. Eu estava preocupada e concentrada demais, alguém havia sentado do meu lado no sofá, mas eu não me importei em saber quem era, pois neste exato momento o Ethan acabara de cair no meio de todos, corri até ele tentando me equilibrar na minha botinha de salto.

— Chega Ethan, vamos! você já bebeu demais.

Fiquei surpresa quando não ouvi nenhum tipo de relutância de sua parte, e mais ainda de ter recebido a sua ajuda quando eu apoiei seu braço em meu ombro e o coloquei em pé. — O Ethan é magro, mas... Caralho! Ossos pesam, e como pesam! E eu com certeza sentirei as consequências desse peso depois que tudo isso acabar. Eu vou estar um caco! Certeza. Para compensar farei os dois limparem a bagunça da festa toda enquanto eu descanso. HAHA! Chupa essa! — Com o peso do Ethan quase todo apoiado em mim, eu subi as escadas; no meio do caminho dei uma ultima olhada no Trevor que ainda estava dançando e parecia longe de estar a cair de bêbado. — O que é ótimo! pois isso me dá tempo para cuidar de cada um por sua vez. — Entrei no quarto do Ethan e o sentei na cama.

— Se comporta... Eu já volto.

Eu mal terminei de falar isso e ele correu cambaleando até o banheiro, se ajoelhou diante da privada e começou a vomitar. — Ai meu Deus, eu mereço! — Tirei as minhas botas o mais rápido que consegui e fui até ele. Fiquei com a mão em seu ombro enquanto ele depositava horas de bebedeira na privada. — Eu já estava quase vomitando também, “ECA!”. — Depois de alguns minutos sem mais vômito. — Graças a tudo que é sagrado por quê eu já estava a ponto de tomar o lugar dele pra ter uma conversinha com a privada. — Ethan tombou no chão, eu dei descarga, fechei a tampa da privada e tentei levantá-lo novamente.

— Vamos Ethan... me ajude a te ajudar. — Falei enquanto colocava seu braço em volta do meu pescoço.

Ele fez esforço para levantar, eu o apoiei novamente em meu ombro, mas dessa vez quase caí junto com ele, o coloquei sentado na tampa da privada e tentei escovar seus dentes enquanto ele balbuciava coisas sem sentido.

— Você precisa de um banho. — Disse e comecei a despi-lo.

Tirei primeiro a sua camisa, quando o pedi para ficar em pé, ele conseguiu, porém me segurou pela cintura, me encostou na pia e começou a levantar o meu vestido. — Estou usando um vestido branco, estilo camisa social com mangas longas. — Tentei jogar para longe todo o desejo que eu senti naquele instante, pensando “ele só está bêbado”. — Por que na real era só isso mesmo.

— Ethan... não — falei empurrando-o para trás suavemente.

Eu sei que ele jamais faria nada que eu não quisesse. — Ethan é o meu melhor amigo. — Ele parou de levantar o meu vestido mas manteve as mãos na minha cintura enquanto eu desabotoava a sua calça.

— Eu te amo. Sabia? — Ele disse meio sussurrando com a voz embargada como se fosse começar a chorar.

— Eu sabia e é por isso que somos melhores amigos. — Tentei fugir do melodrama.

Então Ethan suspira frustrado, apoia o rosto em meu pescoço, respira fundo e deposita um beijo suave ali, me causando arrepios.

— Não estou falando desse tipo de amor... — Agora ele me olha com olhos suplicantes, o famoso cachorrinho-que-caiu-do-caminhão-da-mudança.

Lágrimas quentes me traíram molhando o meu rosto. — Eu sonhei com o dia em que ele me diria isso, sonhei acordada por anos com o dia em que ele me diria isso, mas não era nada parecido com esta cena, nenhuma das cenas que imaginei era essa ou algo perto disso: Eu encostada na pia com ele bêbado falando o que eu mais queria ouvir dele, só que da boca para fora.

— P-por quê você está chorando? — E ELE AINDA PERGUNTA, AS VEZES ACHO ESSEE GAROTO TEM PHD EM LERDEZA!

A tristeza se misturou com a raiva, o que só aumentou o fluxo das malditas lágrimas. — Eu estou chorando como um bebê, E É TUDO CULPA DELE! — Ethan solta a minha cintura, segura meu rosto suavemente entre suas mãos me olhando com um sorriso débil.

— Você é muito linda, até chorando, e eu te amo muito, você sabi...

— Chega Ethan! — Falei enxugando minhas lágrimas com a manga do vestido. — Você está estupidamente bêbado, tire a cueca e vá para debaixo do chuveiro.

— Ui, mandona.

— AGORA!

E então ele me soltou, tirou a cueca e foi, mas assim que pisou no chão molhado escorregou e caiu, cada centímetro do meu corpo gelou, corri até ele, me agachei e levantei sua cabeça.

— Meu Deus! Ethan! Machucou alguma coisa? — Perguntei com a cabeça latejando.

— Não, relaxa, eu tô bem... — Bem, eu espero que ele esteja mesmo né. Soltei a respiração um pouco mais aliviada e liguei o chuveiro, Ethan ainda estava sentado no chão.

— É melhor ficar sentado mesmo, se você cair e se machucar vai dar muita merda.

A água estava salpicando meu vestido que consequentemente estava ficando transparente, fechei as mãos em concha e coloquei á frente da boca do Ethan que sugou tudo, gorgolejou e cuspiu. Eu sempre amei o Ethan, mas nunca fui o tipo de menina que ele namoraria, nunca fiz o tipo dele, ver ele nú diante de mim foi algo que eu também imaginei que aconteceria em outras circunstancias, não bêbado e jogado no chão de um banheiro. Mais uma vez lágrimas me traem, começo a passar a mão pelo rosto e cabelo dele para lavar, logo ele ficará mais lúcido, a água gelada vai ajudar... Estou concentrada em limpar seu corpo, quando de repente suas mãos agarram minha bunda e me puxam, fazendo-me sentar de frente em seu colo, agora estamos os dois em baixo do chuveiro e meu cabelo antes preso se soltou e caiu encharcado nas minhas costas, a água está gelada, eu me arrepio fortemente enquanto tento fazer minha mente ter alguma reação prudente, mas eu estou paralisada pelo choque do nosso contato físico, então sem aviso o Ethan colocou uma das mãos em meu cabelo e nos aproximou, eu poderia ter recusado, poderia ter levantado, poderia ter sido prudente, mas eu simplesmente fechei os olhos e selei nossos lábios, foi errado, eu sei que foi egoísta e imprudente, mas eu também sei que nunca teria a oportunidade de sentir seus lábios novamente. Então deixei rolar, coloquei minhas mãos em ação, eu fazia carinho em seu rosto e cabelo enquanto ele brincava de apertar a minha bunda, intensificamos o beijo e eu consigo sentir seu sexo roçando a minha calcinha, ele beija meu pescoço enquanto eu movimento a cintura gemendo e provocando, mas o pensamento de que ele não vai se lembrar disso amanhã me arremessa para longe do nosso momento, que eu queria tanto que não fosse só um momento vazio e inconsciente. Eu começo a chorar de novo. — Por quê não eu? Por quê tão vazio desta forma? — Então o abraço chorando como uma criança, ele fica sem entender... e mais uma vez diz...

— Eu te amo.

Mas já basta para mim, chega de palavras e beijos banhados em álcool! levanto e desligo o chuveiro. Ele suspira frustrado mais uma vez... Eu pego sua toalha, me enxugo o máximo que consigo e volto para ajudar ele a se levantar... Dessa vez foi mais fácil, passei a toalha de leve pelo seu corpo enquanto ele falava mais coisas sem sentido. Entre uma coisa e outra ele me olhava, sorria e dizia o quanto eu era linda, comecei a não ouvir mais e repetir mentalmente “ele está bêbado” como um mantra. Olhei a hora, tinham se passado trinta minutos que estávamos aqui. Consegui com muita dificuldade vestir uma calça de moletom em um Ethan muito animado e falante, triste e irritada eu só assentia para tudo que ele dizia.

— Ethan, você vai ter que dormir no chão. — Ele fez uma careta. — É melhor, se você vomitar de novo não suja a sua cama, eu vou pegar um balde.

E sem esperar resposta eu fui atrás do balde, a festa ainda rolava super animada e Trevor ainda dançava com alguma garota que eu não reparei no rosto, peguei o balde na cozinha e subi novamente para o quarto, Ethan estava sentado no tapete, no chão perto da cama, eu sentei perto dele com as costas apoiada na parede.

— Vem, deita aqui no meu colo.

E assim ele fez, sussurrando palavras que eu não consegui distinguir. Ele não demorou muito a pegar no sono, eu estava o observando deitado em meu colo enquanto fazia cafuné em seu cabelo, já estava quase caindo no sono também, quando ouvi um baque alto vindo do corredor, me assustei e coloquei um travesseiro embaixo da cabeça do Ethan, levantei e fui ver o que tinha sido, antes de sair dei uma ultima olhada nele, estava em um sono profundo, acho que ele não vai precisar do balde. Saí no corredor e Trevor estava sentado abraçando um litro de vodka encostado em uma das portas que dá em um quarto de visitas, ele deve ter se jogado contra a porta por isso o barulho.

— Trev, cadê o pessoal da festa?

— Ainda em baixo, hora de ir e eu subi, a loira bêbada, eu cai, e a musica alta. —Muito sem sentido, meu Deus. Mais trabalho.

— Tá, me espera aqui tá bom? Eu vou finalizar a festa.

Eu levantei e quando Trevor ia dar outra golada na vodka quase vazia, eu a tomei da mão dele a um centímetro de seus lábios.

— E você chega disso aqui! — Balancei o restante da vodka.

— Merda!

— De nada, agora seja obediente e me espere aqui.

Eu desci as escadas e desliguei a música, nem recebi vaias, já era bastante tarde, já tinha poucas pessoas, então todos só agradeceram e saíram cambaleando em direção á rua, os bêbados jogados pelos cantos foram levados por amigos menos bêbados que eles, e então muito rápido a casa não tinha mais ninguém além de Ethan, Trevor e eu. Fechei tudo e subi de novo, Trevor ainda estava jogado no corredor, como eu tinha deixado ele, mas estava a balbuciar alguma música. Antes de cuidar do Trev eu abro a porta do quarto do Ethan e dou uma olhada nele que permanece em sono profundo, então eu volto para o Trevor.

— Vamos Trev, levanta que agora é a sua vez.

Ele se levanta, quando o assunto é álcool o Trev é mais forte que o Ethan, eu abro a porta do quarto, nós entramos e ele caminha devagar em direção ao banheiro.

— Né por nada não, mas eu vou ficar por perto, caso você cair ou algo do tipo... Mas relaxa, eu não vou olhar.

Claro que o Tevor não tem tanta intímidade comigo quanto o Ethan, e não está tão bêbado a ponto de precisar que eu o banhe, entramos juntos no banheiro e então ele começou a se despir, eu sento na tampa da privada virada de costas para ele.

— Ei! Assim você vai perder o show!

— Trevor larga de gracinha e vai tomar seu banho!

Ele fica frente á frente comigo, eu subo o olhar e percebo que ele já está sem camisa, dois longos segundos depois consigo recuperar o fôlego e fechar a boca. — Ah, qual é! O Trev é uma delicinha. — Até que enfim consigo olhar o seu rosto.

— A diferença entre mim e o Ethan, é que eu não caio de bêbado com alguns goles.

— Então você pode tomar banho sozinho...

Digo e me levanto, mas ele segura meu braço, chega mais perto do meu ouvido, juntando seu corpo em minhas costas e sussurra...

— Outra diferença entre nós dois é que eu não sou otário e te vejo como o mulherão que você é. Ou você acha que essa carinha de inocente me engana? Eu acho que seria muito mais interessante tomar banho com você, mas é você quem decide.

Eu sinto seus lábios roçando a minha orelha, e uma onda de desejo irracional me invade então me viro e ficando na ponta dos pés, beijo o Trevor. — CARALHO! EU TÔ BEIJANDO O TREVOR! — Ele não demora nem um segundo para reagir e retribui o beijo. — CARALHO! O TREVOR TÁ ME BEIJANDO! — Aos beijos vamos para debaixo do chuveiro e mais uma vez meu vestido fica encharcado, Trevor me Joga contra a parede segurando a minha cintura, seus lábios carnudos agem de forma intensa, a água deste banho está quente, mas mesmo assim sinto a minha excitação escorrer quente e chegar na minha calcinha, agora ele está com uma mão apertando minha bunda e outra em meu cabelo, Trev levanta uma perna minha e nossos sexos fazem contato, eu gemo, então ele me dá um tapinha na bunda, tira a mão do meu cabelo e a desliza para dentro da minha calcinha, seus dedos começam a se movimentar rapidamente e depois lentamente em círculos, arquejo o corpo enquanto gemo loucamente, ele beija e morde o meu pescoço, depois passa a língua. — C.A.R.A.L.H.O.!. — Eu estou quase gozando, então ele tira a mão e eu já ia protestar, mas ele se abaixou afastou minha calcinha e... — Minha nossa! — Com minha perna enganchada em seu ombro, Trevor faz o melhor oral que eu já recebi na vida, minhas pernas tremem e eu arquejo o corpo mais uma vez, enquanto a água nos banha. Então eu me entrego e pulo de corpo e alma, gemendo sem controle tendo um orgasmo delicioso, ele suga cada gota que gozei e depois se levanta, tira meu vestido molhado e minha roupa íntima, me beija e com as duas mãos na minha bunda, me levanta. Encaixo minhas pernas em sua cintura, então ele me penetra com força fazendo minhas costas baterem de encontro com a parede fria, rápido, fundo e intenso... Entre gemidos, beijos quentes e molhados, arranho suas costas e então gozamos juntos, ele desliga o chuveiro, me vira de quatro, minhas pernas tremem e quase já não aguento ficar em pé, me apoio no box e ele começa a estocar novamente, eu grito, arquejo, ele geme e estapeia minha bunda com força, estocando cada vez mais forte, e assim eu gozei novamente.

— Aaah! ISSO! Você goza tão gostoso!

Então logo depois de dizer isso com mais três estocadas ele se derramou novamente dentro de mim. Nos desconectou e me segurou quando minha perna fraquejou e eu quase caí, ligou o chuveiro de novo e ficamos abraçados enquanto a água caia. Depois que saímos do banheiro, eu vesti uma camiseta larga dele, sem calcinha nem sutiã, enquanto ele se deitava na cama.

— Já volto, vou ver se o Ethan tá bem.

— Okay.

Eu atravessei o corredor e abri a porta do quarto do Ethan... Ele estava deitado na cama de costas para a porta, o balde vazio ainda no chão, mais uma vez a tristeza tomou conta de mim então eu cheguei mais perto... Ele acordou e eu não estava aqui, ele poderia ter passado mal e eu estava trepando com o melhor amigo dele! Então eu disse quase sussurrando:

— Ah, Ethan... Eu queria que você me quisesse, queria tanto que você fosse meu, queria ser suficiente para você, queria ser para você o que você é para mim... Me desculpa. — Estou chorando. — Mas o beijo de hoje que você vai esquecer amanhã, eu nunca esquecerei, foi o melhor beijo da minha vida, isso é fodidamente deprimente, pois você estava bêbado, foi vazio e inconsciente, mas foi você, e... — Passo minha mão suavemente pelo seu cabelo e dou um beijo em sua bochecha, depois digo em um sussurro quase inaudível. — Eu te amo muito.

Dou meia volta e caminho em direção á porta, mas antes de sair eu olho mais uma vez para ele, tenho quase certeza que ele tinha se virado e que seus olhos estavam abertos, mas eu estava chorando e o quarto estava muito escuro, pode ter sido só reflexo, fechei a porta e voltei para o quarto onde Trevor estava.

— O quê foi, linda?

— Nada não Trev.

Ele me puxa para a cama e me abraça, a pesar de não sermos muito íntimos, é bastante amigável e reconfortante o abraço dele, acho que o sexo fortaleceu a nossa amizade e criou o nosso vínculo de intimidade.

— Eu sei oque rola entre você e o Ethan. Você merece o mundo, porém o Ethan ainda não sacou que você acha que o seu mundo é ele, mas linda, você é incrível, você é o mundo. Qualquer pessoa inteligente te seguraria e cuidaria de você, até você nunca ter vontade de ir embora, e eu não sei como você ainda não sacou que ele não te merece. Vou repetir, você é o mundo e o Ethan não dá valor, por isso não merece esse mundo.

Choro mais e mais. Trevor me deixa chorar tudo que eu quero chorar... ele só me faz carinho enquanto eu choro em seu peito. Quando finalmente as lagrimas cessaram...

— Bem... você ainda quer um pouco de diversão para esquecer esta merda toda por enquanto?

— Sim. — sorri de modo travesso e fiquei por cima dele que já estava duro. — Nossa! Você é insaciável. — Eu ri, e ele também.

Não sei exatamente em qual momento depois de cavalgar em cima dele e ficar de quatro para ele na cama enquanto transávamos como animais no cio, foi que eu dormi, mas eu sei que a ultima coisa que eu senti foi um beijo suave nos lábios e a ultima que ouvi foi.

— Ele não sabe a mulher que está perdendo, mas eu sei. — Então adormeci abraçada com o Trevor.



31 de Julio de 2019 a las 02:01 0 Reporte Insertar 4
Leer el siguiente capítulo A festa - ELE

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 1 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión