Famoso Kim Kai Seguir historia

aikimsoo Ai KimSoo

Do Kyungsoo nada mais tem do que 18 anos, terminou a escola há alguns meses e não conseguiu passar na primeira chamada do vestibular. Também não conseguia arrumar sequer um emprego e morria de vergonha de encarar os pais, já que eles ainda o sustentavam. Mas o rapaz Do tinha uma felicidade: Ser fanboy do boygroup Kim Brothers E acima de tudo, ser o fã no 1 de Kim Kai


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18.

#fluffy #idol #fanboy #chanyeol #baekhyun #junmyeon #chen #xiumin #kimbrothers #gay #yaoi #kaisoo #aikimsoo
10
2.5mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 15 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Mensagem bem direct

Era final de semana e minha família inteira estava em casa. Eu não sabia se gostava ou não. Era complicado demais para a situação que eu vivia na atual fase da minha vida.

-OPPA! OPPA! - minha irmã gritou quando me viu saindo do quarto.

-O que houve, MinHa? - questionei e a encontrei sentada no sofá da sala, toda afobada e gesticulando para que eu me aproximasse.

-OS KIM BROTHERS! - ela respondeu e aquilo foi o suficiente para me fazer correr até ela.

-É aquele programa de variedade?! – questionei, enquanto me jogava ao lado dela no sofá e via qual era o programa.

-Olha o Kai-oppa! Ele é muito lindo! - ela elogiava e eu concordava, enquanto prestava atenção unicamente no programa.

Kim Xiumin, Kim Suho, Kim Chen e Kim Kai eram os integrantes do famoso boygroup denominado de Kim Brothers. Eles não eram irmãos na vida real, apenas tinham sido trainee na mesma empresa e quando viram o sobrenome dos quatro, não tardaram em criar o grupo. Minha irmã e eu éramos completamente fãs deles e tínhamos o mesmo ultimate, Kim Kai.

No programa, estavam fazendo perguntas de como era a convivência deles no dormitório e todos eles reclamavam da bagunça que o líder, Suho, fazia em seu quarto. Suho dividia o dormitório com Kai, enquanto Xiumin e Chen dividiam o outro. Era engraçado ver como eles se zuavam e se protegiam. Podiam não serem irmãos de sangue, porém, continuavam sendo irmãos.

O programa acabou e minha irmã ficou lamentando. Claro que eu lamentei junto, era tão fã quanto ela. Meus pais tinham saído para jantar e até nos chamaram, mas nós não quisemos ir e agora estávamos com fome. Ser fã não enche a barriga, só te dá despesas.

-Oppa, liga pro delivery de frango frito. - minha irmã pediu e eu dei um sorriso sem graça.

-Não tenho dinheiro, MinHa. - avisei, mas ela não pareceu se abalar.

-Mas eu tenho, oppa. Liga logo, que hoje eu estou com espírito do Kai e quero comer frango frito. - ela insistiu e eu concordei.

Disquei o número e fiz o pedido. Eu me sentia mal por deixar minha irmã pagar, porém, eu não tinha dinheiro algum, nem mesmo centavinhos que não valiam nem para comprar uma balinha. O pedido não demorou nem 5 minutos para chegar - a loja era na rua ao lado da minha casa - assim como o frango não durou nem 15 minutos em nossas mãos. Estávamos famintos e devoramos tudo de uma vez.

Ficamos rindo da nossa gordice e depois decidimos dançar. Eu adorava a minha irmã e a relação que tínhamos. Ela era mais nova, porém, isso não implicava em nossa interação. Dançamos umas três coreografias, que sabíamos, dos Kim Brothers e depois tentamos aprender as outras. Somente quando nos jogamos no chão da sala, que vi a hora no relógio.

-Está na hora de dormir, MinHa. - comuniquei e vi a mesma fazer careta.

-Ok, oppa. Vou pro meu quarto tomar um banho e dormir. - ela avisou e se levantou. Apenas ri.

-Não me importa se você ficar acordada, porque quem vai sentir sono é você. - avisei e a vi bufar, antes de se retirar da sala. Eu sabia que ela não dormiria cedo.

Continuei deitado no chão. Estava cansado, exausto e um pouco triste. Meu celular vibrou e me mostrou uma nova notificação de Kim Kai no Instagram dele. Abri e vi que era uma foto sua com Suho. Eles tinham tirado a selfie nos bastidores do programa, pelo menos era o que dizia a legenda. Sorri e resolvi fazer uma loucura.

"Olá, Kim Kai. Eu sou seu fã. Me considero seu fã n°1, mas se minha irmã ouvir isso, ela me bate e diz que ela que é. Enfim, eu estou vindo te mandar essa mensagem, mas acredito que você nem a verá e muito menos responderá. Eu não estou te criticando, te acompanho e sei como sua agenda é cheia. A razão pra estar te enviando essa mensagem, nada mais é do que te agradecer. Te conheci enquanto assistia um dorama. Achei você muito bonito e um bom ator. Adorei a OST e descobri que você quem cantava. Pesquisei mais sobre você e hoje sou fã dos Kim Brothers junto com a minha irmã. O motivo, a qual sou grato, é porque minha irmã e eu não nos dávamos bem e depois que eu me formei na escola, a situação piorou. Ela estava ficando rebelde e quase se envolvendo com coisas erradas. A chamei pra ver seu dorama comigo e ela se encantou. Nos aproximamos graças a você, por isso sou grato. Mas também sou grato por você me dar incentivo, mesmo sem saber. Enfim, não sei se você vai ler (acho que não), mas quero pedir que continue sendo quem é. Você e seus irmãos. Vocês são os melhores. Um grande abraço do seu fã n°1."

Enviar. Enviado.

-Não acredito que eu realmente enviei. - suspirei e me levantei.

Segui para meu quarto e assim que o adentrei, fui para o banheiro. Meus pais tinham uma situação de vida razoável, porém, ela não era graças a mim. Debaixo do chuveiro, estreitei meus olhos e tentei não chorar. Era assim todo dia, para um ninguém como eu.

Fazia 3 meses que eu já tinha me formado na escola e não fazia nada na vida. Não passei na primeira chamada do vestibular, não consegui arrumar emprego e estava me tornando um vagabundo. Não importava quantas vezes eu saísse para procurar um emprego e o quanto eu espalhasse meu currículo, eu nunca tinha uma resposta. Já tinha ido em duas entrevistas, mas eu não era qualificado por não ter ensino superior e nem experiência.

Como eu iria ter experiência, se não me davam oportunidade? No meu currículo estava escrito que eu só tinha ensino médio completo, então para quê me chamar para uma entrevista, se eu já não preenchia os pré-requesitos desde o início? Para jogar na minha cara a minha falta de qualificação? Me humilhar? Porque toda vez que isso acontecia, só me fazia querer chorar e chorar. Era a mesma coisa quando o telefone tocava e eu atendia - desesperado -, mas não era nenhum emprego e sim oferecendo um cartão, ou uma tia e um primo ligando para saber como vai a vida. Nunca ligavam para dizer que eu tinha sido contratado. Nunca.

Saí do box, me enxuguei e me vesti. Coloquei meu pijama, de coruja, e fui deitar. Desliguei o celular, não me importei de ver mensagens, e apenas fui deitar. Eu sentia uma tristeza muito grande e não queria ficar cultivando-a.


-×-


Acordei de forma preguiçosa. Olhei o relógio, na parede do meu quarto, e vi que já estava perto da hora do almoço. Praguejei internamente e levantei para fazer minha higiene matinal. Depois de ter me vestido e estar cheiroso, segui em direção a cozinha. Encontrei um bolo de chocolate na mesa e sorri. Minha mãe sempre cuidava de mim, mesmo que não estivesse ao meu lado.

Comi um pedaço de bolo em meio ao silêncio que estava o meu lar. Meus pais tinham saído para trabalhar e minha irmã para estudar. Eu ficaria sozinho o dia todo - como de costume - esperando que minha família chegasse, para depois eu me retirar para o quarto e me afogar em pensamentos tristes. Eu não tinha coragem de encarar meus pais por muito tempo. Era vergonhoso demais que eu tivesse 18 anos e estivesse sendo sustentado por eles. Eu era um inútil.

Terminei de tomar meu café e encontrei louça suja. Resolvi lavar. Depois de ter limpado toda a cozinha, resolvi fazer a senhora faxina na casa. Aquela era minha rotina. Já que eu não trabalhava e ficava em casa o dia todo, só me restava arrumar a casa para compensar meus pais. Eu me sentia melhor fazendo as coisas e não ficando sentado o dia todo. Era como se eu fosse o empregado e eles me pagassem com um teto sobre minha cabeça e alimento todos os dias.

Infelizmente, minha limpeza não demorou, uma vez que eu limpava todo dia e isso fazia a casa estar limpa sempre, o que me acarretou em ficar sentado no sofá e sem nada para fazer. Eu mal tinha sentado, quando o telefone tocou.

-Alô? - atendi afobado. Será que era uma notícia boa?

-Boa tarde, é da casa dos Lee? - um homem perguntou e eu murchei.

-Não. Você ligou errado. - informei.

-Ah, desculpe. - a pessoa se desculpou e desligou.

Novamente meu coração apertou. Eu tinha que parar de ter esperanças de que alguém me ligaria para informar alguma entrevista de emprego ou me dar a notícia que eu tinha sido contratado. Eu tinha que parar com isso, porque essas falsas esperanças acabavam comigo. Me destruíam cada vez mais.Resolvi ir até meu quarto e pegar meu celular. Eu o tinha deixado de lado, como eu fazia sempre. Eu não era chegado a redes sociais, só as tinha porque queria sempre estar por dentro dos assuntos dos Kim Brothers. Até meu único amigo de escola era ocupado, então eu não tinha mesmo com quem conversar.

Não que eu seja antissocial, acontece que na escola nós temos colegas de classe e nos damos bem com todo mundo, mas amigo de verdade são poucos. Eu, no caso, só tinha um. Ele estava trabalhando e na China. Ele tinha mais o que fazer do que ter um vagabundo - como eu - o enchendo o saco. Suspirei novamente. Eu precisava me animar, porque o dia estava péssimo.

Assim que meu celular ligou e conectou a internet, começou a vibrar de notificações. Eram grupos de conversas, Weibo, Instagram, Fanfics e tudo mais. Eu só queria uma notificação de que eu tinha recebido um email dizendo que fui contrato, mas isso que era bom, nada. Comecei a ver as notificações dos grupos então.

O pessoal do grupo XiuChen estava divulgando fotos dos dois. Nós não sabíamos se eles eram realmente namorados, porém, shippavamos ambos. Eles tinham uma intimidade muito grande, diferente da intimidade que Kai tinha com Suho. Era notável como o líder e o moreno eram amigos, praticamente irmãos, enquanto Xiumin e Chen olhavam sempre para a boca um do outro e até mesmo sentiam ciúmes entre si. Se eles não tinham um relacionamento, queria nem ver se tivessem.

Após interagir com o grupo do couple, resolvi ver as notificações das fanfics que tinham atualizado. Uma delas era uma fic senpai, que fazia meu coração palpitar e esperar pela próxima postagem sempre que eu terminava de ler a última frase do capítulo publicado. Resolvi lê-la por último, porque assim eu não precisava ficar me perguntando que tipo de fotos os Kim Brothers tinham postado.

Vi as coisas no Weibo e foi por lá que eu soube que o boygroup estava perto da minha casa. Teria um concerto - deles - dentro de uma semana. Fiquei afobado e resolvi ver quanto estavam os ingressos. Minha cara de pau não estava dentro do orçamento. Eu jamais teria coragem de pedir dinheiro aos meus pais, nem para comprar o ingresso mais barato. Fiquei triste, mas minha mente estava trabalhando em alguma forma de ganhar dinheiro. Será que vender meu corpo renderia uma boa grana? Catar latinha e papelão devem ajudar também. Pelo menos eu estaria ganhando dinheiro limpo e não roubando ou matando.

Terminei de ver as atualizações no Weibo e decidi ver as do insta. Xiumin e Chen tinham postado uma foto, de ambos, no quarto e na cama. Eles estavam dizendo que liam antes de dormir, mas eu não parava de me perguntar o que um estava fazendo na cama do outro. Ain meu coração de shipper... Enfim. Terminei de ver as notificações do insta e reparei que ainda faltava uma.

-Mas como? Eu olhei tudo. - murmurei enquanto voltava as minhas notificações e então vi. A sorte é que eu estava deitado no sofá, porque senão, eu estaria me fundindo ao chão.

"Olá D.O! Você é um fanboy, certo? Tentei ver seu perfil, porém, só tem foto do meu grupo ahahah Eu estou te respondendo com um enorme sorriso no rosto. Eu sempre vou responder aos meus fãs, ainda mais se for de uma forma tão direct quanto a sua. (piadinha sem graça, eu sei, desculpe.) A questão é: Obrigado por me animar. Sua mensagem me deixou feliz e por isso vou te contar uma coisa, mas você não pode espalhar! Ontem eu briguei com os hyungs. Foi um motivo besta, mas eu briguei e fiquei muito triste. Graças a sua mensagem, estou disposto a pedir desculpas a eles. Fiquei feliz que você e sua irmã tenham se aproximado, mas fiquei curioso em como eu te incentivo. Você está tendo momentos difíceis? Espero que não, mas por via das dúvidas, vou me esforçar mais nos palcos pra te animar. Você viu que faremos um novo concerto? Se você for, me avise. Ficarei feliz em saber e irei querer conhecer meu fã n°1, mas não conte pra sua irmã ou ela te bate. Ahhaha Abraços de Kim Kai."

-AI MEU XIUCHEN! - gritei e reli a mensagem de novo, para depois começar a surtar.

KIM KAI TINHA ME RESPONDIDO! MEU ULTIMATE ME RESPONDEU! Isso só pode ser um sonho, só pode ser. Quer dizer, os Kim eram pessoas atenciosas e tudo, porém, enviei uma mensagem no direct. DIRECT DO INSTAGRAM OFICIAL DO KIM KAI! E ELE ME RESPONDEU! Cadê alguém para me beliscar e dizer se eu estava sonhando? Porque se fosse sonho, eu gostaria de dar replay.

Parei de surtar e gritar pela casa. Resolvi deitar no chão, porque do jeito que as coisas estavam, me casaria com o solo em breve. Abri a mensagem - novamente - e a reli. Kim Kai é uma pessoa tão fofa, que eu não estava sabendo lidar.

-Calma, Soo! Ele precisa de uma resposta. - murmurei para mim mesmo e resolvi responder.

"Eu sou um fanboy sim. Eu não gosto de tirar fotos, por isso vai ser difícil me encontrar em alguma rede social. Você acertou em perceber que não estou feliz, mas espero que não se esforce muito. Saúde em primeiro lugar! O fato de você ter me respondido, já melhorou meu dia. Espero que já tenha conseguido se acertar com seus hyungs. Briga de família é assim mesmo, depois todo mundo fica de bem. Infelizmente, não tenho como ir ao concerto, minha cara de pau é muito humilde para o orçamento do show. Talvez eu venda meu corpo, cate latinhas e papelão. Se isso render um bom dinheiro, compro o ingresso e te aviso.

Seria um sonho conhecer você? Seria meu sonho? Não preciso nem responder Ahahahha Obrigado por me animar e proteger meu segredo da minha irmã. Abraços do seu fã n°1."

Enviei a mensagem e respirei fundo. Eu ainda não conseguia acreditar que tinha trocado algumas palavras com o meu ultimate. Só poderia ser um sonho né? Mas a minha fome mostrava que não. Eu estava faminto ao ponto de choramingar e esquecer a magia do momento. Levantei do meu marido - o chão - e fui até a cozinha. Pelo menos eu sabia cozinhar e arrumar a casa...

-EU SEI COZINHAR E ARRUMAR A CASA! - berrei e dei um sorriso.

Eu podia bater de porta em porta, na casa do pessoal do prédio em que eu morava, e perguntar se não queriam comida ou uma faxina. Seria loucura? Seria, mas era melhor do que ficar debaixo do sol catando latinha ou ter meu corpinho virgem tocado por mãos sujas e maldosas. O dinheiro seria honesto, seria humilde e eu não faria mais do que eu já fazia em casa.

Dentro da cozinha, comecei a preparar comida o suficiente para o almoço e janta. Lembrei que tinha umas senhoras no mesmo andar que eu morava. Elas poderiam apreciar a visão de um bom moço arrumando a casa, não? Assim que eu almoçasse, iria começar a providenciar as coisas.

30 de Julio de 2019 a las 04:16 0 Reporte Insertar 2
Leer el siguiente capítulo Sorte grande

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 13 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión