Time To Say Goodbye Seguir historia

yookoh_foox /♡F.ø.ø.X♡/

Algumas palavras são mais difíceis de serem ditas do que outras. Algumas dores são mais difíceis de serem suportadas. E algumas despedidas são inevitáveis. A hora de dizer adeus chega para todos, inclusive para Kim Taehyung e Jeon Jeongguk.


Drama Todo público.

#kim-taehyung #jeon-jeongguk #romance #taekook #one-shot #fanfic #drama #angst #bts #kookv #vkook #TaeKookie
Cuento corto
2
3.7mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

Sorriu encarando com uma afeição saudosa a vermelhidão das flores em suas mãos. Enfim cessou seus passos e respirou fundo algumas vezes para somente então, encarar o homem a sua frente, aquele que tanto amava.


Deixou o mais belo sorriso surgir em seus lábios e fechou os olhos sentindo o peito se comprimir em saudades por estar ali novamente.


-Desculpe demorar tanto para vir te ver. Senti tantas saudades sua nesses últimos tempos que pensei em desistir várias vezes. - Riu um pouco sentindo-se acolhido.


Manteve-se de olhos fechados, deixando que a mente vagasse pelos últimos acontecimentos de sua vida e suspirou quando finalmente reuniu coragem abriu os olhos. Tomado pelos cinco segundos de coragem insana para contar tudo ao seu amor.

-Esses dias eu assisti o seu filme favorito, de novo, e só agora eu entendi aquela cena do casal no final, onde eles dizem que a vida é muito mais do que podemos esperar, que sempre tem novas surpresas acontecendo. Demorei, mas eu entendi amor.


"Toda noite antes de dormir quando eu ligava para você, eu sentia meu peito se comprimir em dor. Agora eu sei que a maior dor que um homem pode sentir é a da saudade. Eu a sinto todos os dias e desde então não consigo fazer mais nada, apenas desisti de tudo."


Arregalou os olhos quando percebeu o que havia dito e se apressou para consertar.


-Não, por favor meu amor não fique triste, por favor, deixe-me terminar de lhe contar! - Avançou um passo em sua direção e sentiu seu toque sumir por uns instantes. - Semana passada foi aniversário do seu melhor amigo, ele também estava triste por você não poder aparecer na festa aquele dia. Tentei conversar por horas com ele, mas tudo o que o maldito conseguia fazer era me ignorar. E vendo todos os nossos amigos juntos dessa forma novamente acabei me lembrando de muitas coisas da nossa infância sabe? - Soltou um risinho nostálgico - Me lembrei do dia que te conheci. De como você chamou a minha atenção naquela tarde estupidamente quente, você estava fugindo de um dos seus amigos depois de ter jogado ele em cima da garota que ele tava afim, e você esbarrou em mim e caímos os dois no chão. Não sei se foi a bancada na cabeça ou se foi o seu sorriso largo, mas me senti zonzo e tudo pareceu desaparecer naquele instante. E hoje, depois de quinze anos, eu ainda tenho a mesma sensação de tontura quando vejo-te sorrir.


Instintivamente sorriu também com a imagem do seu amado sorrindo para ele naquele dia, foi o mais feliz de sua vida.


-Até hoje me pergunto como pude amar alguém tanto quando eu te amo. Não sei o que teria sido da minha vida sem você durante todo esse tempo, o que teria sido de mim sem você ao meu lado.


"Eu estava perdido, sozinho em meio a escuridão que preenchia a minha solidão, eu era vazio, oco por dentro. E você caiu em cima de mim e tomou todo o espaço para si, me preenchendo com seu amor e dissipando o breu com o brilho que só você tinha."


-A sua luz me guiou por todo esse tempo, me tirando daquele poço de sofrimento que não tinha fundo, eu apenas afundava e afundava. Você foi como uma âncora, que travou no chão e me segurou quando encontrei o fim, você me impediu de sumir dentro do vazio que eu era.


Sentiu o peito queimar em dor e avançou outro passo em sua direção tentando inutilmente conter o choro doloroso.


"Você limpou as minhas feridas com o mais puro amor que só você tinha. Eu me lembro de você dizendo que as cicatrizes no meu corpo eram um reflexo dos cacos quebrados da minha alma. Que minhas feridas eram como os pedaços de um espelho quebrado, eles podem ser remendados, mas o mais singelo toque maldoso pode fazer tudo ruir novamente. E você não me remendou, mas sim me reconstruiu. Tirou de mim toda a dor que carregava em meu peito e tomou para si. Você me protegeu do meu pior inimigo, que era eu mesmo."


Sentiu as lágrimas surgirem em seus olhos quando o desespero tomou conta dele.


-Não, não, não! Eu não quero que fique triste, por favor pare de chorar, pare. Me parte o coração vê-lo desse jeito, por favor meu amor, te fazer chorar é tudo o que eu nunca quis na minha vida.


"Eu sinto muito meu amor, não é a minha intenção faze-lo sofrer desse jeito. Ver seu brando me quebra, é doloroso, me perfura a alma e eu me sinto cada vez mais fraco quando vejo uma lágrima machucada manchar o seu rosto. Eu te amo tanto, que nunca vou saber lidar com a sua dor, eu simplesmente não suporto vê-lo sofrendo, me mata cada vez mais."


Respirou fundo tentando se manter firme ali, não podia fraquezar na frente dele, não depois de tanto tempo longe. A saudade era tanta que o queimava por inteiro.


"Eu sinto tanta a sua falta. - Soluçou - eu não consigo nem me expressar direito de tanto que dói Jeongguk. O simples fato de não poder senti-lo mais me arrebenta, me quebra, me destrói, me corrói como o mais mortal dos venenos.


"Você me ensinou que a vida é muito mais do que fazemos dela. Que existe centenas de milhares de oportunidades a serem conquistadas, de lugares a conhecer, de pessoas para ver.


Me ensinou que a música não é ouvida, mas sim sentida. Me ensinou que dançar não apenas se mexer, mas deixar seu corpo ser livre. Me ensinou o quão bom é estarmos vivos, e o quão delicioso é viver. Você me ensinou, que o brilho de uma estrela é infinito.


Ainda me lembro do nosso primeiro beijo, da forma como eu recuava, assustado, eu tinha tanto medo de amar alguém que quando você surgiu em minha vida disposto a dar todo o amor do mundo para mim eu não soube como reagir, como lidar com você a sua sede por me amar. E então você simplesmente me puxou pela gola da camisa, gritou para que eu calasse a boca e me beijou. Simples, rápido e insano. Eu fiquei tão chocado que nem reagi e você me soltou, sorriu disse que tudo o precisávamos nessa vida era de cinco segundos insanos de coragem para dar o primeiro passo para a felicidade. Naquele instante, eu dei meu primeiro passo em sua direção e nunca mais sai do seu lado. Você é a minhaminha felicidade.


Eu nunca vou poder de agradecer por tudo o que fez por mim, o que fez por nós. O tanto que sacrificou para que pudéssemos ser felizes. Eu realmente nunca vou saber como te agradecer por ter me amado até o fim."


Secou as mãos suadas na calça social que vestia, não tinha mais coragem de olhar para frente. A dor no peito incessante continuava ali, tentando o derrubar, fazendo-o fraquezar.


Sentiu o primeiro soluço lhe rasgar a garganta e fechou os olhos com força, as mãos agora puxando com afinco os fios castanhos.


-Eu não sei mais o que fazer! Eu não sei mais viver sem você! Todas as noites eu choro sentindo meu peito ser esmagado pela dor de te perder, de não te-lo mais em meus braços na hora de dormir. De não poder mais escutar o seu riso, ouvir sua cantoria pela manhã. De sentir seus dedos bobos escorregarem pelo meu peito. De poder ver o seu sorriso e de beijar os seus lábios.


"Eu não sei mais como viver a minha sem você para iluminar o meu caminho, porque eu não tenho mais você para poder amar, Jeongguk.


Eu me sinto vazio novamente. Eu tentei de todas as formas superar o fato de que você me deixou. Eu o escrevo todas as noites, mas você nunca leu as minhas cartas. Tudo o que eu mais quero nessa vida, é poder ouvir a sua voz novamente, eu daria tudo para ouvi-lo dizer que o universo foi feito para ser visto por meus olhos. O que eu não faria para de der em meu colo novamente, te abraçar com força, inalar o perfume dos seus cabelos, de beijar a maciez do seu pescoço e de deixa-lo arrepiado enquanto nos amávamos. Você sempre me disse, que nasceu para me amar e parar eu te amar. Mas agora estou sozinho sem você para me amar enquanto eu sofro durante cada segundo do meu dia enquanto me afogo nesse amor que só existe em mim."


Tentou inutilmente secar as lágrimas que desciam em abundância por seu rosto e tentou controlar os soluços, os pulmões já não conseguindo manter o ar guardado dentro de si.


-Com falta de ar eu te peço para que volte para mim, Jeongguk. Peço que não me deixe sozinho novamente. Você me livrou da dor que era viver uma vida inexistente quando tínhamos quinze anos, agora eu peço que volte e não me deixe afundar nesse oceano de sofrimento que me engole mais e mais a cada onda de saudades suas que me puxa cada mais para a profundidade da solidão.


"Eu realmente gostaria de te pedir tudo isso, mas sei que agora nada disso é mais possível. Você não está mais comigo. Eu não tenho mais a sua voz melodiosa me acordando todas as manhãs. Não tenho mais os seus beijos castos com gosto de café. Também não tenho os seus olhares que transportavam paixão enquanto eu dirigia pelas ruas a caminho do trabalho. Não tenho mais o seu corpo junto ao seu durante as noites frias de inverno para me aquecer. Nem nas noites quentes de verão para me deixar ainda mais quente. Nem nas manhãs de primavera, quando acordava sentindo o cheio das flores em todos os lugares, mas o único perfume que eu queria sentir era o da sua pele que eu tanto amava beijar. Nem nas tardes de outono quando íamos passear e enquanto todos admiravam a natureza, eu admirava você, a coisa mais bela que já existiu nessa terra e que apenas eu podia amar.


Eu sinto a vida esvair de meu corpo a cada segundo que passo longe de você. Me desculpe meu amor, mas não posso viver em um mundo onde não poderei mais tê-lo para mim."


-Está na hora de dizer adeus, Jeongguk. Porque não consigo mais suporta viver sem o seu amor.


Levantou os olhos finalmente tomando coragem, as lágrimas embasavam sua visão, mas ele, mesmo assim, conseguia ver com nitidão o que estava em sua frente.


Caiu de joelhos no chão se agarrando nele em meio a soluços quebrantados e altos, com toda a sua dor ecoando através deles, gritou e gritou tentando de alguma forma senti-lo uma última vez.


O soluço de tristeza que escapou da boca de seu amado o fez levantar a cabeça e mirar o rosto de tom imaculado. O rosto tão belo e que antes era cheio de vida agora estava apagado e desfigurado pela dor.


Deslizou as costas dos dedos pela bochecha machucada pelas lágrimas que escorriam sem pudor pelo seu rosto. O corpo todo tremendo pelo choro, as mãos fechadas em punhos sobre as cochas, apertando com afinco o tecido caro da sua calça. Quando ele gritou, sentiu toda a sua alma se despedaçar, não rinha forças para ver tanta dor em seu amado.


-Eu sou egoísta, eu vivi pelo seu amor, e agora que não o tenho mais estou indo embora. Me desculpe por deixa-lo dessa forma, mas quero que nunca se esqueça de uma única coisa.


Levantou o rosto do homem que amava pelo queixo. Deixou que o sorriso mais bonito que tinha lhe cobrisse o rosto e se aproximou roçando seus narizes e tocou sua testa com a dele.


-Eu te amei a cada segundo da minha vida. Eu nasci para te amar, e morri enquanto te amava e continuei te amando até depois da morte.


Enfim, Taehyung sentiu seus lábios unidos novamente, por uma última vez, sentindo a mesma doçura de seu beijo e a mesma sensação de completude o preencher por inteiro. Seu último sorriso nasceu e então a porta do apartamento fora aberta e sua imagem se desfez como uma luz que vai se apagando gradativamente até desaparecer quando pela última vez, como uma estrela que sumia em meio ao breu. E então, escutou as palavras que tanto saudava.


-Eu sempre vou te amar, Taehyung...



---------------------------₩----------------------------




Kim Taehyung faleceu na noite de seu aniversário de vinte e sete anos, quando se jogou na frente do marido para que um carro desgovernado manobrado por um bêbado não o atingisse.


Jeon Jeongguk passou os três primeiros anos da sua morte sentindo a presença constante de seu marido sem nunca te-lo visto após cobrirem seu rosto no hospital naquela fatídica noite e desmaiou por uma semana no hospital pelas feridas do acidente e graças ao choque causado pela perda de sua alma gêmea.


Ele não compareceu ao enterro e nunca encontrou coragem o suficiente para visitar seu túmulo. Até o aniversário de três anos da sua morte, quando o levou um buquê de rosas vermelhas a sua lápide e chorou tudo o que não chorou em anos ajoelhado no chão dizendo que estava tudo bem que ele fosse embora. Que já estava na hora.


E ele escutou.


Park Jimin invadiu o apartamento do melhor amigo quando a vizinha do mesmo o ligou avisando do choro que ecoou por todo o prédio. Ele acolheu o homem nos seus braços o deixando chorar tudo o que quisesse chorar. Seu peito comprimia-se em dor ao ver o mais novo daquela forma, tão frágil e quebrado que tudo o que pode fazer foi dizer que tudo um dia ficaria bem novamente.


Instantes depois, Jeongguk levantou o rosto e secou as lágrimas. Em silêncio, ele deslizou sua aliança de casamento para fora de seu dedo e arrancou a corrente de ouro onde pendurava a aliança de seu amado e falecido marido e fechou ambas na mão do Park com um sorriso doloroso na face.
Novas lágrimas de aceitação escorriam por seu rosto e então, o olhou nos olhos e ele viu todos os fragmentos de seu melhor amigo através de suas iris escuras e opacas.


-...Mas está na hora de dizer adeus.

17 de Junio de 2019 a las 05:19 0 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~