Messy Valentine's day! Seguir historia

donnadan Donna Dan

Naruto queria fazer uma surpresa no dia dos namorados para Sakura. Ele não imaginava que ele seria o mais surpreendido naquela noite. Sasuke x Naruto x Sakura


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#sasunarusaku #sasuke #naruto #diadosnamorados #Valentinesday #NaruSakuSasu #sakura #poliamor #trisal #lbgt
4
3.9mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 30 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Naruto tinha um plano.

Momentos como aquele eram muito frequentes para os dois, cotidianos. Estavam juntos praticamente a vida inteira e dificilmente imaginavam-se separados. Era natural, não planejado; um sempre estava lá para o outro.

O silêncio confortável entre eles ajudava a recuperarem o fôlego depois de todo o esforço que fizeram. Peitos subiam e desciam, diminuindo a velocidade com o tempo, respirando cada vez mais normalmente. O vento arrepiava as peles em um agrado bem vindo devido ao suor.

O dia estava lindo; a atividade ao ar livre era maravilhosa para espantar o frio e aproveitar um pouco do sol naquele lugar afastado.

O estômago de Naruto foi o primeiro a quebrar aquele silêncio amistoso.

- Tô com fome - disse meio sem graça.

- E quando você não está? - respondeu com seu típico falso desprezo.

- Quando eu acabo de comer, dãr.

Naruto levantou em um salto, alongando o corpo em seguida. Conferiu com o breve olhar as bicicletas dos dois não muito distantes e alcançou a mochila para pegar um pouco da comida que Sasuke sempre preparava quando saiam juntos.

O Uchiha gostava de pensar que fazia isso apenas para não ter que aturar o outro choramingando de fome, pois ele ficava insuportável com a barriga vazia. Em sua mente, não havia nenhuma razão para todo o zelo depositado na personalização de seus seus lanches, preocupado como que o amigo gostava ou não de comer.

Naruto separava para si o sanduíche mais simples e arremessava aquele cheio de alface e tomate para as mãos de Sasuke; todas as vezes mentalizava uma careta pensando como alguém poderia escolher voluntariamente encher um sanduíche perfeito com tanta salada. Mas gosto é gosto.

Sasuke analisava Naruto de perfil. Não era incomum que os dois ficassem em silêncio muitas vezes. Conheciam-se tão bem que muitas vezes palavras eram desnecessárias; o suficiente para que ele reconhecesse que - por milagre - algo se passava naquela cabeça oca.

- Desembucha. - Disse de supetão causando uma pequena tensão em Naruto.

- Desembucha o quê? - Teve de pegar a garrafa de suco das mãos de Sasuke para tomar um gole. Uma desculpa para não encarar aqueles olhos questionadores e ajudar o lanche a descer pela garganta, que parecia ter se fechado de repente.

- Anda logo. Ficar pensando demais não é sua praia. Achei até que tinha começado um incêndio aqui perto pelo cheiro de queimado.

A não devolução da provocação era a confirmação que esperava. Tinha algo acontecendo.

- Eu tava pensando uma coisa, mas pra falar a verdade é besteira. Deixa pra lá.

- E você acha que eu vou deixar um acontecimento raro como você pensar passar? É como ignorar um cometa raro passando pela terra.

Mais silêncio. Sasuke começava a ficar ansioso. O que poderia ser tão grave que ele não podia falar de uma vez. Afinal, falar nunca foi um problema pro outro. O Uchiha deu um pequeno empurrão usando o ombro como incentivo e Naruto respirou fundo, tentando formular em sua mente como poderia falar o que estava pensando.

- É que… em breve vai ser dias dos namorados…

- Qual o problema disso? Não conseguiu comprar um presente ainda?

- Não, não. O problema não é presente. Deixa isso pra lá, é uma ideia idiota. Vamos voltar. - Naruto foi impedido de se levantar pelo aperto firme em seu braço. Sasuke ajeitou a postura e sentou-se sobre seus pés para encarar Naruto de frente.

Naruto era sempre muito espontâneo e vivia falando todo dia de besteiras, sem a mínima vergonha na cara. Estava extremamente curioso, porque não conseguia entender o quê nesse mundo poderia deixá-lo daquela forma, mas precisava saber! O outro já havia comentado que as coisas não iam às mil maravilhas com a namorada, teria a ver com isso?

Dado por vencido, Naruto tirou os cabelos do rosto, atrapalhando os fios na tentativa de refrescar a cabeça e tentou colocar suas ideias para fora da forma mais lógica que conseguiu formular imaginando aquele diálogo com o outro nos últimos dias.

- Você sabe bem que as coisas não estão exatamente perfeitas comigo e com a Sakura. - Sasuke mostrou que acompanhava com um aceno, sem julgamentos, apenas expectativa. - Eu pensei muitos esses dias… e eu queria fazer uma coisa diferente no dias dos namorados.

O Uzumaki olhava a copa de uma árvore, prendia sua atenção nas folhas que balançavam com o vento, mudava seu foco de folha em folha sem olhar diretamente nos olhos do amigo. Inclusive havia perdido o sorriso de deboche quando disse que “havia pensado muito”.

- A Sakura não te convenceu a dar pra ela, convenceu? - Sasuke arriscava jocoso, na tentativa de acelerar a conversa.

- Não, idiota. Não que ela não tenha tentado… o problema é esse. Ela reclama que eu sou muito tradicional, que não faço nenhuma loucura.

- Tá… então? - Conseguia entender um pouco mais o rumo que aquela conversa iria tomar. Ele queria fazer algo diferente, e era algo que ele tinha muita dificuldade e vergonha de falar.

- Não surta. - Neste momento Naruto analisava constantemente as reações de Sasuke, imaginava desde um piti até um soco no meio da cara pelo que estava prestes a propor. - Eu descobri que a Sakura tem um fetiche… ele sempre quis fazer um menage com outro cara… - odiava a certeza de que seu rosto estava mais vermelho do que se tivesse corrido uma maratona, mas esforçava-se para manter a confiança.

O Uchiha arregalou os olhos, uma expressão rara na face normalmente inexpressiva do amigo. Naruto apoiou as costas na árvore atrás de si apoiando o rosto na mão e observando o outro apenas com o olho descoberto; tenso, pela expectativa de apanhar pelo pressuposto ou de terem uma discussão.

Agora, o silêncio era uma tortura e cada segundo parecia um minuto inteiro.

- Como eu disse, é uma ideia idiota. - Apoiou a cabeça no tronco, olhando pra cima, distraído com os galhos e as folhas acima de sua sua cabeça. O dia estava realmente lindo para estragá-lo daquela forma.

O movimento feito por Sasuke chamou sua atenção e viu que ele massageava a testa, tentando aliviar o vinco entre suas sobrancelhas.

- Como eu disse, pensar não é seu forte. Me diga que você não pensou em me chamar pra essa sua “aventura”. - A expressão ao mesmo tempo irritada e magoada no rosto virado para o lado oposto em que estava confirmava sua suspeita.

A dureza nas palavras de Sasuke, e a forma que havia terminado a frase provocaram uma irritação inesperada no Uzumaki.

- Falei que não precisava surtar, merda. É uma ideia idiota, só isso. - Já estava arrependido antes de ter falado, agora sentia-se ainda pior.

- Você nem tem noção do porque sua ideia é uma merda, né? Você esqueceu que a sua namoradinha era apaixonada por mim, seu idiota?

- É por isso? Deixa de ser convencido, Sasuke. - ralhou, começando a ficar verdadeiramente com raiva. - Isso foi quando a gente era criança. Ela já superou há mais de uma década.

- Mesmo assim. - Sasuke levantou as mãos e bateu as palmas nas coxas, como se isso fosse acordar o outro daquela viagem. - Porque logo eu?

Naruto encolheu os joelhos em um abraço, próximo ao peito, olhando fixamente o chão ao seu lado com muito interesse.

- Eu não teria coragem de fazer isso com outra pessoa. - Disse baixo.

Realmente Naruto havia pensado muito a respeito, de várias formas, vários cenários e alternativas. Não sentia nenhuma confiança em encontrar um desconhecido ao acaso para aquilo; e, de todos que conhecia, sua mente sempre insistia em Sasuke, devido à confiança construída ao longo dos anos.

- Isso não é que nem fazer trilha, Naruto. Você realmente pensou que eu vou comer sua namorada e você tá de boa com isso? Nós dois pelados, e eu… comendo a Sakura. Cé tá louco?

Sasuke deixou o corpo cair no chão, relaxando a postura, entretanto seu rosto demonstrava toda sua incredibilidade. Naruto agarrou os próprios cabelos em claro nervosismo. Acreditava sem dúvidas que era melhor levar um soco do que discutirem naquele momento.

Óbvio que tinha pensado em tudo que Sasuke dizia, claro que não o agradava como um passeio no parque; porém, as últimas discussões que tivera com sua pequena trouxeram essa nova determinação, e praticamente qualquer coisa parecia melhor do que perdê-la. Estava cansado do sentimento de que sempre limitava e prendia Saskura, queria provar que poderia ser liberal e fazer uma loucura.

- Eu pensei - Disse ainda com a cabeça baixa. - Eu acho mais fácil lidar com isso do que com ela terminando comigo.

A expressão de Naruto era de cortar o coração. Sabia o quanto ele amava a namorada, mas aquilo não deixava de ser uma loucura.

Quando os dois começaram a namorar, seus sentimentos eram extremamente controversos em relação à mulher. Nunca na vida havia experimentado uma ameaça tão grande à amizade dos dois. Naruto era seu melhor amigo desde sempre, entretanto aquela história era mais velha que o tempo. A pessoa começa a namorar e larga os amigos. Com o tempo, contrariando todas suas expectativas, sua implicância com ela foi forçada a diminuir ao perceber que passava tanto tempo com Naruto quanto antes.

Claro que a ideia de fazer sexo com ela não era de todo ruim; já que ela era, sem dúvidas, uma mulher atraente; mas nem de longe era também totalmente agradável. Nunca conseguiu entender a fundo seu ressentimento com ela. Por mais que achasse infantil, não conseguia deixar de ser particularmente cruel quando encontravam.

Logo, se tivesse que escolher alguém por uma noite ela não seria sua primeira opção, nem a segunda.

- Eu acho um saco quando vocês estão mal porque você é um babaca chorão e sou eu quem tem que aguentar sua dor de cotovelo. - Aproximou-se e sentou novamente mais perto do amigo, colocou sua mão no joelho dele em um gesto de conforto contrariando as palavras rudes tão características de suas interações com ele. - Mas pensa bem, e depois? E se ela quiser fazer isso sempre? E se você ficar mal comigo? Agora você pode achar que consegue levar numa boa… mas, e se não conseguir? Como que a gente fica?

Naruto levantou os olhos para encarar Sasuke antes de abrir um sorriso arteiro. A seriedade e preocupação do outro lhe acalmando e dando vontade de quebrar um pouco o gelo da situação com uma piada. O Uchiha, por sua vez, conhecendo o Uzumaki como conhecia, fez uma expressão rude como se fosse quisesse verdadeiramente matá-lo antes mesmo que ele abrisse a boca.

- Ah Sasuke, eu sei que você não consegue viver sem mim, não precisa ficar tão sério.

- É claro que eu preciso, você é um idiota impulsivo que não pensa e só faz merda.

- Eu sei que isso é uma loucura, eu sei… Mas como eu poderia ficar com raiva de você se sou eu que tô pedindo isso?

- Ficando! - Disse como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.

Naruto fez um bico, contrariado. Sussurrando um “Não viaja” quase inaudível, antes de ambos se perderem novamente na copa das árvores acima deles.

Se tinha uma coisa que Sasuke não imaginava que ia acontecer quando acordou aquela manhã, era aquilo. Sabia que a trilha seria uma ótima ideia para Naruto desabafar. Mas quando é que poderia imaginar?

O problema é que se você mandar sua mente não imaginar algo é aí que ela cria imagens claras e radiantes de tudo aquilo que você não queria pensar. E lá estava ele em seu pensamento, imaginando aquela sandice. Era inevitável.

E constrangedor. Com certeza constrangedor para Sasuke. Porque, diferente de Naruto ele tinha certeza que já havia imaginado os dois transando antes. E pior, um com o outro, sem Sakura no meio.

Aqueles instantes em que ficaram calados e aquelas memórias específicas, contudo, fizeram com que Sasuke pensasse em outras possíveis questões que não haviam sido colocadas, mas que estavam vívidas e persistentes em sua mente.

- Tá. - Disse firme o suficiente para que Naruto o olhasse, quase achando que ele fosse concordar. - Supondo que você seja maduro o suficiente pra isso, que eu duvido, e que eu fosse concordar, o que eu duvido mais ainda… você já pensou em como isso ia rolar? Tipo… E se ela quiser que a gente se pegue também... pensou nisso?

Pensou, e como tinha pensado. Não estava ansioso para discutir aquele detalhe, entretanto. A saída mais óbvia era o humor.

- A Sakura, né? - Disse com malícia. - Eu sei que sou um tesão Sasuke, não precisa tentar negar.

“Paciência, Deus, dê-me paciência!” - Sasuke pensou considerando um soco que quebrasse todos aqueles dentes daquele sorriso enorme que ele tinha.

- Dá pra você fingir por um minuto que não tem um bobo da corte no lugar do cérebro e me responder?

- Ah Sasuke, pensei, porra. - Respondeu de uma vez, irritado e constrangido de admitir aquilo. - Não precisa rolar. E nem é grande coisa, para de drama.

- Drama? - Sasuke estava incrédulo. A parte do “nem é grande coisa” ecoando em sua mente.

- É, a gente não precisa fazer nada; e, se fizer, claro que não precisa ser nada demais. - A convicção com que dizia essas palavras era totalmente oposta ao pânico em seu interior. Castigava um pequeno galho, quebrando-o em pedaços entre os dedos enquanto falava, em um único fôlego.

- E o que não é nada demais na sua cabeça, idiota?

- Ah, sei lá. Um beijo aqui, um sarro ali.

- Puta que pariu. Você está desesperado. - Era melhor acreditar nisso.

- Claro que tô. Você acha que eu ia falar essas coisas atoa? - Naruto soltou os braços ao lado do corpo, visivelmente exausto. Como queria apenas um soco na cara e o caminho de volta para casa. - Deixa essa merda pra lá. Vamo pra casa logo. Eu tô começando a grudar terra na cara e isso tá me deixando puto.

Sasuke balançou a cabeça em negativa, vencido. Sabia tão bem quanto o céu era azul que não chegariam a lugar nenhum. Levantou e pegou sua bicicleta depois de recolher o lixo do lanche e guardar na mochila. Desceram a maior parte da trilha com as bicicletas em mãos até o ponto em que a pedalada era mais tranquila - e bem vinda devido ao silêncio constrangedor.

Quando alcançaram a rua, no ponto em que cada um tomaria um rumo diferente. Naruto apenas disse que depois se falavam, sem encará-lo. Aquilo deixou Sasuke irado com o amigo, era exatamente disso que estava falando quando não queria que o constrangimento atrapalhasse a amizade dos dois.

- Você é um idiota, Naruto! - disse alto para que parecesse tão irritado quanto estava.

- Não grila, Sasuke. Eu só tô cansado. - E ele realmente parecia cansado. - A gente se fala mais tarde.

...oo00oo...

Achava sua vida tranquila em todos os aspectos. Todos. Menos um: Naruto Uzumaki. Desde a infância era atormentado com as confusões em que ele o envolvia. Tanto que sua cara de “vou te matar” já havia virado uma reação automática ao sorriso arteiro do outro, um comportamento condicionado.

Àquela hora, deitado em sua cama, sua vida não poderia seguir tranquila, - estava perturbado com o pequeno dilema criado naquela manhã. Era uma ideia absurda? Era. Inconsequente, como toda super ideia que partia do outro. Sabia que era seu dever bancar o amigo responsável e dissuadi-lo, seguirem a vida e deixar aquilo para trás.

Porém, não conseguia sossegar. A forma que Naruto se despediu lhe deixava em alerta, e aquele tapado não parecia entender quando tentava explicar.

Agora, como já haviam discutido e muita merda já havia sido dita, mantinha a seguinte linha de pensamento: Se não se envolvesse e, em breve, Naruto e Sakura se separassem, sempre restaria a dúvida se o plano idiota de Naruto teria funcionado. Se fosse o caso, Sasuke, seu melhor amigo, o único em quem ele confiava para aquilo, teria o deixado na mão. Isso com certeza poderia prejudicá-los.

Por outro lado, se se envolvesse e algo desse errado, teria apoiado Naruto e não seria sua culpa, poderia esfregar isso na cara dele por toda a vida até que ele voltasse a ser o mesmo amigo idiota de sempre. Parecia mais fácil que se entendessem nessa situação.

Há tempos não ficava tão irritado. De todas as confusões que o amigo já havia lhe aprontado, com certeza essa era a pior, e não podia ter vindo em um momento mas inadequado. Logo quando estava seguro de que tinha superado Naruto. Já tinha tempo que não sonhava com ele e conseguia variar o alvo de suas fantasias nas raras vezes em que se masturbava. Às vezes achava que ser apaixonado por ele era seu Karma.

Começou a atirar sua bola de tênis na parede e pegar de volta, o tempo não passava. Se fosse um dia normal estaria tudo bem não terem se falado imediatamente quando chegarem em casa- seria raro, mas não estranho. Imaginava que Naruto devia estar com a cara em um buraco qualquer evitando falar consigo. Vez ou outra observava a tela do celular, constatando a mesma falta de notificações de antes.

Eu te odeio, Naruto!

Jogou a bola com força exagerada e ela foi parar no outro lado do quarto, depois de rebater na tela de seu notebook, o que pareceu doer em seu coração. Respirou fundo algumas vezes e decidiu mandar tudo à merda.

S: digamos que eu concorde com esse seu plano idiota. Como é que você vai fazer isso?

Isso era muito típico de Sasuke, sem “oi”, sem “boa noite”, sem “tudo bem”.

N: N pensei nisso… acho que eu podia te embrulhar pra presente ahuahauhauhauahauhauha

S: Nem fodendo!

S: Sei q sou um presente na sua vida, mas eu te mato antes de tentar!

N: Nem sair de dentro de um bolo?

S: >(

N: Tá… sem bolo então…

Naruto estava fazendo piada, como sempre. Como ele conseguia?

Eu te odeio muito, Naruto!

...oo00oo...

Não conseguia evitar o sorriso abobalhado trocando mensagens com Sasuke. Passou o dia todo tentando mandar uma mensagem, pensando no que ia dizer e não tinha conseguido nada. Já trabalhava aquela ideia em seu interior há mais de uma semana e mesmo com esse tempo ainda era delicado e complicado.

Não tinha chegado tão longe em seus devaneios, ficara o tempo todo pensando em como falar sobre isso com o amigo e nas consequências caso ele topasse e não em como fariam aquilo de fato..

N: Eu n sei, bastardo. Eu n sou o idiota? Kd suas ideias fantásticas?

S: Isso é problema seu, n meu.

N: Me ajuda, porra!

S: Mais?????

Touchê - Pensou com um bico contrariado.

N: Tem que ser surpresa…

S: Tem certeza que isso eh uma boa ideia? E se ela n quiser?

N: Ela vai querer Sasuke… conheço minha namorada, ok?

N: Se n vai ser de presente nem bolo… a gente podia te esconder aqui em casa, e vc aparece do nada!

S: Eu entendo ela te achar sem criatividade…

N: Puta merda, se tem uma ideia melhor fala de uma vez!!!

Alguns minutos se passaram sem que nenhum dos dois escrevesse nada. naruto acompanhava cada segundo sem desviar o olhar do celular, ansioso. E seu coração acelerou um pouco quando viu que Sasuke digitava.

S: O que vcs combinaram de fazer?

N: Nd, esse ano eu q tinha q planejar.

S: E o q vc ia fazer se eu não topasse?? oO

N: Sei lah!! N pensei ainda…

S: Vc tava contando q eu ia aceitar, fdp???

N: N!!! Achei que eu nem ia falar nd com vc, retardado!

S: Hn

Se tinha algo que matava Naruto de raiva, era esse “hn” de Sasuke, fosse pessoalmente ou por mensagem.

S: E n tinha uma plano B?

N: n…

N: Sei lah, acho que levar ela em qlqr lugar…

S: Isso n serve. A gnt n pode fazer isso no meio da rua…

N: Então teria q ser em ksa. Mas ela n ia qrer, ela detesta ficar em casa.

S: Hn

S: E q ideia ruim vc podia dar q ela ia preferir ficar em casa do q sair?

Naruto pensou por alguns instantes. Sabia exatamente o que era!

...oo00oo…

- O que? - Sakura estava atônita. Não podia acreditar que era aquilo que Naruto havia preparado para o dia dos namorados. Só podia ser uma brincadeira.

- Qual o problema, tem um tempão que eu tô te chamando pra ir ver comigo. - Naruto fez-se de inocente, como se a possibilidade dela odiar a ideia nunca tivesse lhe ocorrido.

- Sério? Hoje? Transformers? Pelo amor de Deus, Naruto! - Se não fosse o rosto de Sakura cada vez mais vermelho de raiva Naruto ia rir e estragar o plano.

Sabia que a namorada detestava a franquia, e de forma alguma iria ao cinema para ver o filme, menos ainda no dia dos namorados com toda a expectativa que ela estava.

- Poxa, Saky. Me desculpa, não imaginei que você ia ficar nervosa, é só um filme. - O Uzumaki queria apostar em sua cara de cachorro que caiu da mudança para acalmá-la, pois ela parecia realmente irada.

- Só um filme, Naruto? Eu não tô botando fé que você tá fazendo isso comigo! Poxa, eu me arrumei toda, tava na maior expectativa!

E isso era verdade, Naruto não conseguia tirar os olhos dela. Ela estava simplesmente perfeita! Ela vestia uma blusa cropped preta apertada - visivelmente sem sutiã - e uma saia preto bem ajustada que destacava ainda mais sua pele e seus cabelos tingidos de rosa. A bota preta de salto alto ainda não a deixava na mesma altura de Naruto, mas chegava bem perto.

- Desculpe mesmo, Saky. - Naruto disse a trazendo bem pra perto, contando com o contato físico e algum carinho para que ela ficasse menos irritada. - O que você quer fazer, então?

- Eu vou embora, a gente se fala amanhã.

Apesar da tentativa, ela continuava irritada, muito irritada. Ela anunciou sua saída se soltando, sem parecer disposta a discutir sua decisão, virando apenas para dar um beijo de despedida na bochecha do namorado.

Naruto ficou atônito por um segundo, sem reação, mas a segurou pelos braços em claro desespero logo em seguida, antes que ela alcançasse a porta. Estavam tão mal assim?

- Não! Por favor, fica! Eu...

“Salvo pelo gongo!” - Pensou ao ouvir a campainha.

Os dois trocaram um breve olhar de estranhamento pela interrupção, apesar de Naruto tentar esconder um sorriso que insistia em querer escapar. Próximos à porta, os dois apareceram no campo de visão do intruso ao mesmo tempo.

- Sasuke? - Sakura disse sem entender o que ele fazia alí com tantas compras nas mãos.

- Sakura? - disse sem expressar muita surpresa - Não sabia que você estava aqui. - Disse antes de abrir espaço entre os dois e entrar com as sacolas que segurava, antes mesmo de ser convidado.

O queixo da mulher parecia querer desgrudar do rosto, de tão caído. Aquilo tudo não podia estar acontecendo, era óbvio que ela estaria ali o dia dos namorados, o pior de todos em sua opinião.

- Todo mundo, por algum motivo, parece ocupado hoje, e eu estava entediado em casa. Comprei umas bebidas pra mim e pro Naruto, não esperava te encontrar aqui. Virou-se depois de depositar todas as bebidas e os lanches no balcão da cozinha e analisou os dois por um segundo. - Você está linda, Sakura. Vocês iam sair?

- Ahn? De jeito nenhum! - Respondeu com uma expressão bem engraçada no julgamento dos dois homens que a observavam. Ela havia acordado com o elogio e estava sem graça, irritada e incrédula, tudo ao mesmo tempo.

- Ótimo! Então você podia beber com a gente. Eu trouxe aquela beats vermelha horrorosa que você tanto adora.

- Sasuke! - Naruto interrompeu devido ao vacilo. Pelo visto ele já havia toma uma ou outra antes de chegar - Eu te pedi pra trazer isso aqui de tarde, porque hoje é dia dos Namorados e eu ia beber com a Sakura.

Sasuke fez um pequeno “Ohh” com a boca em falso entendimento. Ele contava que Naruto ia agir rápido, mas não imaginava que se sairia tão bem! Belo improviso.

- Bom… desculpe. Achei que as bebidas eram só para ter em casa. Eu não me lembrava que era hoje... Acho que eu vou indo então.

O pequeno teatro de Sasuke, simulando estar sozinho e isolado naquele dia de amor e declarações surtiu efeito em Sakura. Na verdade, até Naruto estava levemente comovido; mesmo sabendo da farsa. Era verdade que Sasuke não tinha ninguém para passar aquele dia...

- Espera, Sasuke. Não é como se eu e Naruto fossemos realmente sair - Ela disse direcionando um olhar furioso ao namorado, que coçou a cabeça sem graça. - Acho que não é má ideia beber um pouco em casa mesmo.

Ela finalizou a frase abrindo a lateral das botas e descendo do salto, perdendo quase 10 centímetros de altura. Caminhou até Sasuke, e mesmo ele teve que admitir que a visão era muito tentadora.

- Isso é meu. - Olhou o homem ao se virar, abrindo sua latinha e foi em direção ao sofá.

Os dois amigos se olharam vitoriosos. A primeira parte do plano foi perfeita. Naruto foi acomodar todas as bebidas na geladeira e quando cruzou caminho com Sasuke, expôs a palma da mão virada pra trás, onde recebeu um tapa do Uchiha, que ia confiante até a outra, dando um gole demorado em sua cerveja no caminho.

...oo00oo…

- Isso é ridículo! - Sakura ria com vontade da história do namorado. Aquela de quando Sasuke ficou bêbado demais no sítio e acordou com a carteira do pai do Naruto no bolso da calça e ninguém sabia como ela havia parado lá!

- Na verdade, Sasuke, até hoje eu não sei o que aconteceu. Você conseguiu se lembrar?

- Não. - Não totalmente era mentira. Ele não havia lembrado, mas havia ficado sabendo de outra forma. - Isso foi a mais de um milênio atrás, Naruto. A gente tava na escola ainda.

De fato, haviam passado muitos anos desde aquele dia em que seus amigos se reuniram no sítio da família Uzumaki para uma bebedeira sem motivo. Por coincidência - ou talvez nem tanta coincidência - os dois haviam se mudado para a mesma cidade para fazer faculdade e há tempos não viam os outros amigos.

É a bebida. - Sasuke pensava que aquele era o único motivo plausível para toda a nostalgia que sentia.

- Cara, isso é muito hilário. Queria ter fumado isso antes de ouvir essa história.

O barulho do isqueiro havia chamado a atenção dos dois.

- Ôpa! - Naruto disse antes de puxar o cigarro para si. - Onde arrumou esse bagulho?

Sakura e Sasuke riam da expressão usada por ele.

- Eu achei que a gente ia sair pra um lugar mais divertido hoje. Tava na bolsa.

- E por quê não saíraml? - Sasuke fingiu não saber de nada para puxar assunto.

- Porque o lerdo do Naruto queria me levar para ver um filme chato.

- Poxa, Naruto! Pisou na bola.

O Uzumaki olhou o amigo com uma sobrancelha erguida. Ele estava muito jocoso devido à simulação e ao álcool. Era uma coisa muito rara aos seus olhos.

- Me desculpa se eu gosto do filme.

- Quer saber? - Sasuke interrompeu chamando a atenção para si. - Já que estamos falando do nosso tempo de colégio e um pouco bêbados

- Eu não tô! - Naruto contrariou, nunca achava que estava bêbado.

- Está sim - os dois responderam ao mesmo tempo.

- Como eu ia dizendo... eu acho que a gente podia fazer algo estúpido que fazíamos na época, em nome dos velhos tempos.

Ele apenas jogou a bomba e pegou o cigarro das mãos de Sakura para dar um longo trago, despreocupado. Sakura explodiu em riso ao ver a cara de pânico de Naruto. Não sabia o motivo, ou podia ser expressão engraçada que Naruto fazia.

A verdade é que depois de combinar como manter Sakura em casa, os dois não havia planejado exatamente a aproximação para o ménage, acreditavam que com a quantidade certa de álcool o momento chegaria.

- E o que você propõe, Sasuke-kun? - questionou a Haruno ao se recuperar da crise sem sentido de riso.

- Em sentido horário, cada um propõe uma situação. Se você nunca já fez, você bebe um gole. Se já fez, tem que beber o copo inteiro. - Disse já dispondo os três copos de shot e enchendo de sakê.

- Ai, deus! Eu vou passar mal. Essa brincadeira não é assim!

Apesar da frase, Sakura ria e parecia animada com a ideia. Realmente a brincadeira originalmente não funcionava assim, mas só procuravam uma desculpa para ficarem ainda mais bêbados.

A mulher ajeitou um pouco a postura, pela milésima vez, sentindo dor na lombar. Estavam estavam sentados no chão sobre o tapete que ficava entre o sofá e a televisão e ela tinha que manter as pernas de lado por causa da saia apertada. Se arrependia de não estar bêbada o suficiente para simplesmente tirá-la.

- Eu começo! - Ela levantou o copo de shot que estava na sua frente. - Eu nunca beijei meu melhor amigo. - Ela disse maliciosa e com uma expressão vitoriosa, olhando de um para o outro e apenas tomando um pequeno gole do sakê.

Naruto olhou contrariado para Sasuke, que se limitava a manter um olhar desafiador para Sakura. Os dois beberam o copo todo.

- Você nunca vai deixar a gente esquecer essa história, né saky? - naruto reclamou.

- Noop.

- Foi num jogo tipo esse… - Sasuke dizia com o olhar mais intenso que conseguia lançar para a mulher. - Sua vez Naruto.

Naruto olhava os copos sendo cheios novamente e não fazia ideia do que perguntar.

- Eu nunca… transei com um cara!

Sakura e Sasuke rolaram os olhos, e ambos beberam o copo inteiro em um gole só.

- Eu nunca fiz um ménage. - Sasuke tomava um pequeno gole da bebida sem tirar os olhos de Sakura, tanto que perdeu os olhos arregalado e o desespero de Naruto que quase derrubou seu copo de shot.

Sakura bebeu o copo inteiro com um pequeno sorriso de canto. Era uma ótima lembrança.

- Eu não sabia disso… - Naruto parecia pasmo.

- Você nunca perguntou - Disse a outra, dando de ombros.

- E foi bom? - Sasuke perguntou, interessado.

- Foi sim. Por quê o interesse?

- Alguns dizem que é bom, outros dizem que não é. - Sasuke deu de ombros, como se não fosse nada de mais.

- Você tem razão. Pode ser terrível se uma das pessoas não está tão afim.

Naruto observava a troca de olhares dos dois apreensivo. Parecia que havia uma guerra implícita que ele não entendia muito bem e sentia um frio no estômago, perdido.

- Vamos mudar de jogo. Você me deixou nostálgico - Sasuke propôs, referindo ao desafio em que beijou Naruto. Na brincadeira, ou você aceitava o primeiro desafio ou era obrigado a aceitar uma prenda, sem escolhas. Normalmente era pior que o primeiro, mas não podia envolver as mesmas pessoas.

Sakura tinha um misto de surpresa e empolgação. Sabia muito bem onde aquele tipo de brincadeira levava, e não eram mais crianças. Tinha absoluta certeza de que o que estava acontecendo naquela noite não havia sido acaso, começou a juntar os pontos com a manota de Sasuke comprar bebidas para ela sem saber que ela estava alí, Naruto afobado corrigindo… bebedira “sem motivo”...

Buscou os olhos de Naruto por um momento. Por mais que gostasse de ter uma relação aberta, mais livre com ele, não estavam naquele momento e, apesar de tudo, honrava seu compromisso com o namorado. Não faria nada sem o consentimento dele.

Naruto não sabia se ela tinha entendido exatamente onde isso ia parar e não sabia o que dizer. Tinha bebido demais e a ansiedade ajudava a ficar mais embriagado do que deveria. Olhou para o amigo e ele continuava encarando Sakura. E ele sentiu que Sakura não parava de olhar para si. Engoliu seco.

- Que tipo de desafio tá valendo, Sasuke? - A mulher decidiu quebrar o silêncio e a troca de olhares do trio.

- Qualquer coisa. Mas eu quero começar. Te desafio a tirar essa saia, não aguento mais ver você se remexendo toda hora.

- AI DEUS, OBRIGADA! - Ela disse se levantando imediatamente, abrindo a saia na parte de trás e a descendo de uma vez só.

A calcinha que ela usava também era preta, e Naruto sabia que era nova, pois nunca tinha a visto antes. Engoliu seco novamente; dessa vez devido ao tesão que acumulava. Não parecia mesmo importante o fato de Sasuke estar observado também, nem pra ele nem para Sakura que estava à vontade. Ela se equilibrou da maneira que pôde devido à embriaguez e pegou uma almofada no sofá. Colocou no colo quando sentou com as pernas cruzadas, estava visivelmente aliviada. Disse um obrigada novamente para Sasuke, sem emitir qualquer som. Ela seria a próxima, já que foi desafiada.

- Já que você está tão nostálgico Sasuke… Beije o Naruto.

- Quê? - Por essa Uzumaki não esperava, tão cedo.

- Por mim sem problema. E você, idiota?

Naruto sentia os olhares em si e não queria amarelar. Respirou fundo antes de devolver a provocação do outro e se aproximar para beijá-lo.

- Você é tão romântico, Sasuke… - Disse ferino antes de colar os lábios e separá-los em seguida.

- Ah, não. Eu tirei a roupa gente! Não aceito um selinho, eu disse beijo!

- Não vai decepcionar sua namorada, idiota.

Os olhos negros do amigo estavam colados em sua boca, apenas esperando. Maldito momento que Sasuke tinha que medir forças com Sakura e entrar no jogo de corpo e alma - pelo menos, era isso que Naruto acreditava que estava acontecendo; que o outro estava sendo competitivo.

Sakura mordeu o lábio em expectativa, o entendimento dela da situação era diferente do namorado, e ela estava gostando muito daquilo.

Naruto se aproximou novamente e colou os lábios nos de Sasuke mais uma vez, soltando o ar aos poucos e se acalmando, antes de abrir um pouco a boca e experimentar um beijo de verdade. Sasuke correspondeu pegando o amigo pelos cabelos da nuca e assumindo o controle.

O Uzumaki relaxou ainda mais e se deixou levar, como esperava. Sabia que beijava bem e era bem diferente de quando eram adolescentes. Não estava nervoso porque os amigos impilcavam com sua paixonite pelo único que não percebia que estava apaixonado. Para Naruto também era diferente. Naquela época, em que ficou pensando em Sakura insistentemente durante cada miléssimo de segundo em que beijava Sasuke, para não imaginar que estava beijando um garoto. Naquele dia ele estava ali, de fato beijando Sasuke, segurando os cabelos DELE, sentindo os lábios finos e macios DELE, sentindo a lingua DELE e gostando MUITO daquilo.

Não sabia se o beijo havia durado muito ou pouco tempo, só sabia que quando Sasuke interrompeu o beijo seu coração estava acelerado demais, e não queria abrir os olhos ou parar. Afastou-se um pouco e retomou a postura abrindo os olhos em seguida e percebendo a Namorada atônita, de boca aberta e sorrindo ao mesmo tempo. Ela soltou um assobio longo antes de se pronunciar.

- Isso sim foi um beijo! Achei que ia amarelar, Naruto.

Naruto apenas soltou um som contrariado e Sasuke riu da expressão emburrada dele.

- Eu de novo. Naruto. - Naruto olhou de soslaio, sem saber o que o aguardava. - Você tem que excitar a Sakura, até ela dizer que chega. Pode pegar pesado.

- Ah! Isso é fácil!

Novamente Sasuke e Sakura rolaram os olhos em tédio pela atitude do outro. Sem acreditarem que só Naruto não entendia muito bem como o jogo estava se desenrolando.

Ele andou de joelhos até ficar de frente para a namorada e a pegou pela mão para que ela ficasse de joelhos também. Olhou para baixo agora que a almofada não impedia a visão do corpo dela. Tocou-a no quadril e foi subindo a mão junto com o olhar, deslizando os dedos pela barriga e por cima da blusa onde estava o mamilo antes de chegar até o rosto e trazê-la para um beijo tão cheio de desejo quando sem olhar transmitia.

Sakura adorava a energia de Naruto. Nunca teve o que reclamar neste aspecto. Os olhos dele, os toques dele, tudo gritava o quanto era amada e desejada. Naruto era transparente e intenso. Entre quatro paredes ele sabia bem como satisfazê-la. O problema nunca fora esse entre eles.

Sakura se achava defeituosa algumas vezes, outras apenas se aceitava. Ela tinha desejos, problemas, características que Naruto não conseguia entender, ele era muito tradicional e nem se imaginava tentando e isso era frustrante. Ela o amava, mas queria tudo que a vida pudesse lhe dar.

Trazer o amigo alí para um menage era algo que ela nunca imaginou que ia acontecer naquele dia. Achou que no máximo saíriam para algum lugar, com MUITA sorte os dois beijariam uma mesma garota. Mas ele estava alí se esforçando e ela o recompensaria muito.

Naruto desceu a mão que estava livre dos cabelos da namorada pelas costas dela, apertando com mais vontade a parte exposta da pele até chegar na bunda e agarrar com vontade a trazendo ainda mais pra perto, colando a pélvis à dele.

Deixou a boca que tava gostava para morder e chupar o pescoço. Um arrepio e a cabeça jogava levemente para trás fizeram Naruto sorrir vitorioso.

- Adorei a calcinha nova. - Sussurrou bem baixo no ouvido dela, antes de morder a orelha de leve, arfando para provocá-la.

Sakura sorriu, com a cabeça ainda inclinada e deixou que Naruto continuasse, sem dizer nada. Ela e Sasuke esperam em expectativa para saber o que Uzumaki faria alí, sem a privacidade rotineira dos dois. Só ele não sabia disso.

Ele continuava a beijando onde alcançava. Pescoço, queixo, colo. Intercalando com pequenas mordidas. Apertava a bunda dela com vontade para que ela sentisse com a pressão que ele estava ficando duro sob o jeans. Sakura acariciava as costas do namorado por debaixo da camiseta e parou as mãos com os dedos enfiados por dentro da calça - o peso das mãos abaixando sutilmente a roupa dele. Mas não fazia nada de mais, apenas deixasse que ele fizesse o que queria.

Naruto a beijava na boca quando apertou um dos seios, esperando que aquele fosse o golpe fatal. Ela apenas gemeu baixo, devido ao beijo, entretanto não disse nada. O Uzumaki a encarou alguns segundo e arqueou uma sobrancelha.

- Sério?

- Ela não mandou parar… - Sasuke interferiu, aproveitando para lembrar Naruto que ele estava o observando por trás, caso ele tivesse esquecido.

Naruto bufou e entendeu melhor que eles de fato esperavam que ele pegasse pesado. Usou as duas mãos para levantar o cropped até que Sakura estivesse com os seios expostos.

Ela lançou um breve olhar para Sasuke quando Naruto começou a beijar seus seios antes de chupar um dos mamilos. Fechou os olhos e arfou sem se conter quando sentiu a mão grande do namorado invadir sua calcinha.

Ele ficou extremamente excitado sentido o quanto ela estava molhada. Buscou um pouco da lubrificação com dois dedos e massageou o clítoris, arrancando mais gemidos.

Sakura abriu os olhos e observou Sasuke, que apertava o pênis por cima da calça observando os dois. A brincadeira tinha acabado. Sabiam disso. Naruto continuava concentrado, com tesão, aproveitando o corpo da namorada.

O Uzumaki quase deu um pulo quando sentiu uma terceira mão em suas costas. Olhou para trás com os olhos arregalados e Sasuke se aproximou devagar, observando seus lábios, como se pedisse permissão para mais um beijo.

Sakura foi quem venceu a distância que restava entre eles, segurando os dois pelos cabelos. Naruto não tinha percebido como os copos e as bebidas desapareceram do tapete e como algumas almofadas tinham ido parar no chão. Tudo que consegui perceber era seu corpo cedendo ao prazer do beijo que trocava com Sasuke, e o calor em sua mão que não tinha saído de dentro da calcinha da namorada.

Não tinha planejado nada daquilo. Sasuke também não imaginava que estaria beijando Naruto com tanta vontade. Pareceu certo à todos e as insegurança dos últimos dias não fazia tanto sentido. O álcool faz alguns milagre as vezes, não só teletransportar carteiras para os bolsos errados.

Sakura começou a ensaiar um beijo triplo e participar daquele momento experimentativo dos três. Nenhum deles sabia como aquilo ia acontecer e não se preocupavam em planejar ou combinar. Fluiam.

O beijo desengonçado aos poucos foi se tornando um beijo entre Sakura e Sasuke. Naruto afastou o rosto um pouco, afastando também a mão de dentro da roupa da namorada e observando, apenas experimentando o que sentia com aquela cena. Teve medo, nos últimos dias, do que poderia sentir, que seus sentimentos atrapalhasse aquilo. Mas como estava engano, estava com as duas pessoas mais importantes naquele momento, só não podia dizer que seu coração estava “tranquilo” porque ele esmurrava o peito com todo o tesão que sentia.

Os dois se beijavam, mas ao mesmo tempo observavam Naruto, sem precisar externar a mesma preocupação. Cada um estendeu uma mão buscando o outro mais para perto. Atacaram, cada um de um lado, o pescoço bronzeado, fazendo-o gemer e segurá-los à medida que sentia uma mordida de um lado, um beijo do outro.

Naruto voltou ao pescoço de Sakura, tentando não ficar tão passivo naquela história. Sasuke continuou beijando o outro por um tempo, parou quando decidiu trocar de alvo. Saiu de onde estava e ficou atrás de Sakura, puxando o corpo pequeno para si, colando-a em seu tronco.

Ela agradecia mentalmente o novo apoio e sentia o calor e a firmeza do peito de Sasuke, satisfeita. Sua mão foi até as costas dele como se fosse possível ficar mais perto. Naruto também se aproximou e colou nela pela frente, fazendo com que ela ficasse espremida, totalmente encoberta pelos dois. Naruto foi abraçado pelo outro braço de Sakura e também sentia uma mão bem maior em seu quadril, também o apertando e puxando mais pra perto.

Puta merda! - Naruto estava totalmente perdido no tesão e no prazer que sentia. Achava-se muito tolo por nunca ter tentado algo daquele tipo, como Sakura tanto queria.

Sasuke tirou a própria camisa e o pequeno espaço foi a deixa para que as mãos delicadas puxasse a roupa do outro para tirá-la. O Uchiha empurrou Sakura com delicadeza para que ela não tivesse outra opção além de levar Naruto ao chão na frente dela. As costas largas atingiram o chão e viu sua namorada curvar-se sobre si, beijando o peito exposto e descendo a medida que as mãos dela abriam seu cinto e sua calça para tirá-los.

Naruto não teve muito tempo para pensar. Viu Sasuke se levantando atrás deles e tirando de uma vez só a calça e a cueca, ficou com sua ereção totalmente exposta, mas naquele momento Sakura já havia abaixado sua roupa o suficiente para sentir o próprio pau batendo sem seu abdômen e recebeu uma lambida gulosa, com muita pressão da língua dela.

Puta que pariu! - Nada que fizesse passava em sua mente.

De olhos fechados, curtindo a onda de prazer que ainda vibrava em seu corpo, Naruto apenas levantou o quadril para que sua roupa fosse tirada e abriu os olhos a tempo de ver Sasuke tirando a blusa de Sakura. Ela baixou os braços acariciando as coxas do namorado até alcançar o pênis dele, que latejava com a visão do outro segurando a mulher pelo pescoço para olhá-la nos olhos enquanto enfiava a mão em sua calcinha. Ele continuava segurando o pescoço dela com firmeza, mas sem apertar muito; beijava e mordia a nuca, os ombros e a penetrava com um dedo, abaixando quase totalmente a calcinha dela.

Ela parecia apertar e acelerar cada vez mais a masturbação que fazia no namorado à medida que sentia mais prazer com Sasuke, o que estava deixando Naruto aflito com todo o tesão e prazer que sentia. Sentia o abdômen contrair e as mãos apertavam o tapete embaixo de si com força.

O Uchiha via por cima dos ombros pequenos o desespero de Naruto e ria de lado olhando nos olhos dele. Usou a mão que masturbava Sakura para trazê-la para trás o que fez com que ela paresse a masturbação que fazia no outro. Passou a mão do pescoço para a nuca dela a empurrando para baixo até que ela ficasse com o rosto praticamente encostado no pau do Uzumaki. Aproveitou a posição dela para tirar a última peça que faltava.

Naruto enlouquecia com o oral que recebia, já tinha um tempo que não era chupado com tanta vontade assim. Deixava os gemidos escaparem, e se concentrava para não gozar cedo demais, tinha que manter a calma e o quanto tinham bebido não ajudava.

Sasuke olhou para os lados e achou a bolsa de Sakura, apostava que ela tinha camisinhas na bolsa e estava certo. Pegou um pacote e segurou com a ponta das unhas, como se fosse abrir, mas não abriu. Olhava fixamente para Naruto, e o amigo sabia que ele estava esperando aprovação.

Naruto não sabia bem o que sentia, não sabia mesmo. Estavam bêbados, já tinham passado todos os limites; ele não esperava que Sasuke estivesse pedindo permissão agora, por mais que entendesse depois da conversa que tiveram.

Apenas fez um leve aceno positivo e Sasuke entendeu que poderia continuar. Tirou o preservativo e vestiu-se rapidamente com ele. Aquela pequena troca passou despercebido pela mulher que se concentrava em sentir e dar prazer. Sentiu sua coluna ser forçada com leveza pra baixo pelo Uchiha e obedeceu o movimento, empinando ainda mais o quadril.

Sasuke segou o pinto com a mão e esfregou a glande na vagina dela o que fez com que ela gemesse audivelmente, mesmo com o pênis de Naruto em sua boca.

“Puta merda, puta merda, puta merda, puta merda, puta merda, puta merda!” - Era tudo que o Uzumaki conseguia pensar.

Sakura mexeu o quadril para trás, expressando a ansiedade que estava para que ele simplesmente metesse logo, e Sasuke não se negou. Em uma única estocada a penetrou fundo, com o movimento firme e livre devido à toda lubrificação dela. Ela gemeu alto novamente, apertando muito a boca, quase estragando o oral com os dentes.

Naruto teve que afastar a boca dela um instante ou iria gozar. Não queria ainda e não estava mais suportando. Segurou os ombros da namorada, com a cabeça jogava para trás, tentando retomar a normalidade de sua respiração. Sentia o corpo dela se mexendo devido aos movimentos de Sasuke e abriu os olhos depois de alguns segundos. A expressão de prazer de Sakura era linda, e os pequenos gemidos que ela emitia fazia a cena ficar perfeita.

Entretanto, só conseguiu apreciar por alguns instantes, já que, inevitavelmente, seus olhos capturaram o rosto de Sasuke. Maravilhado com a cena, lembrou-se das vezes que ele o chamou de cabeça oca, não poderia estar com a mente mais em branco que aquele momento. Sasuke lambia o lábio inferior, prendendo-o com o dente em seguida, de olhos fechados. Estocava Sakura com firmeza, e respirava com inspirações longas e expirações irregulares.

Ambos foram tirados do transe com o movimento da mulher. Ela tocou a coxa de Sasuke para que ele parasse e ergue o corpo sob o olhar atendo dois. Sasuke apenas sentou sobre os pés vendo o corpo dela em cima de Naruto para dar um beijo cheio de tesão na boca seca dele.

Ela passou uma perna de cada lado, com o tronco ainda deitado sobre ele e girou o corpo para deitar no tapete, trazendo Naruto para cima dela. Sasuke teve que desviar dos pés de Naruto no movimento, mas não conseguiu reagir tão imediatamente. Tinha a visão das costas e da bunda dele em cima de Sakura.

“Puta merda!” - Foi a vez de Sasuke ficar com a mente em branco, apenas acompanhando o leve rebolado de Naruto, buscando penetrar a namorada naquela posição. acompanhou aquela dança e não resistiu se masturbar quando o gemido de Sakura e o grunhido de Naruto preencheram o ambiente.

O Uzumaki apoiou-se nas mãos para observar a mulher e o espaço permitiu que Sakura visse Sasuke se masturbando, ainda com a camisinha. Ela indicou o espaço ao lado de sua cabeça com os olhos e ele obedeceu engatinhando até lá.

Naruto ajeitou o quadril e as penas de Sakura para ficar com o tronco erguido enquanto continuava o vai e vem lento e firme. Sasuke se ajoelhou com as pernas mais abertas ao lado da cabeça dela e tirou a camisinha, agradecendo que o calor perdido fosse retomado de outra forma. Outra sequência de palavrões surgiu em sua mente o constatar que ela fazia um boquete maravilhoso.

Curtiu um breve segundo de olhos fechados, até sentir que o oral ficava cada vez mais difícil devido ao chacoalhar que Naruto provocava com o aumento da força e velocidade das investidas. Abriu os olhos e viu que ele olhava fixamente seu pau entrar e sair da boca da mulher de forma irregular, aquilo parecia ter funcionado como um gatilho poderoso para o tesão dele - e para o seu, vale mencionar.

O Uchiha inclinou o corpo e levou o braço até a nuca de Naruto o trazendo para perto e pôde ouvi-lô deixar um “caralho” escapar antes de calá-lo com um beijo profundo, exigente, cheio de tesão.

Sakura não conseguia controlar os gemidos e sua boca, por mais que não quisesse abandonou o pênis de Sasuke. Ele usou a mão esquerda para estimular o clítoris da mulher que precisava menos do que isso para alcançar o orgasmo, e os dois apreciaram o som do prazer que ela sentia.

O orgasmo foi tão forte que Sakura sentiu desconforto com Naruto se movimentando dentro dela daquela forma agressiva e afastou o corpo mesmo sobre o resmundo de protesto do namorado. Sasuke, como em toda aquela noite, não se fez de rogado e apertou o pênis de Naruto com firmeza, começando uma masturbação rápida para fazê-lo gozar. Naruto não sabia se queria corresponder àquilo, ou se era seu instinto competitivo com Sasuke falando mais alto, mas repetiu a mesma atitude - sem refletir muito e sem deixar de beijá-lo nem um segundo.

Sakura sentia um outro orgasmo, porém mental com a cena, apreciando o descontrole dos dois; até que, Naruto primeiro e Sasuke logo depois, gozaram e foram diminuindo o ritmo do beijo, curtindo o relaxamento pós orgasmo.

Poucos segundos depois, querendo evitar uma situação constrangedora desnecessária Sakura sentiu a necessidade de dizer alguma coisa.

- Chega - Ela disse levantando as mãos, retomando a brincadeira que tinha levado a tudo aquilo.

Os três riram com vontade e acompanharam ela se aproximar de joelhos novamente dos dois.

- Obrigada, Naruto. - E depositou um beijo doce e apaixonado nos lábios do namorado. - Obrigada, Sasuke. - Beijou também o outro, porém brevemente. - Eu vou ao banheiro - Anunciou já se afastando.

Sasuke e Naruto continuarem muito próximos, próximos demais, a ponto de sentirem a respiração forte um do outro. Por mais que tudo aquilo fosse novo, louco e quase apavorante, não podia negar a felicidade imensa que sentia no peito.

- Obrigado, Sasuke. - Repetiu a atitude de Sakura dando um beijo breve no outro.

- Obrigado eu. - Disse cínico, olhando sugestivo para o próprio pinto, agora flácido.

- Retardado.

Sasuke reclamou baixo quando sua bunda atingiu o chão, devido à força com que foi empurrado. Mas agiu rápido segurando o pulso de Naruto o trazendo junto e fazendo com que ele ficasse em cima de si. Beijou o Uzumaki novamente antes que ele pudesse reclamar e isso pareceu eliminar qualquer tentativa de resistência.

Finalizou o beijo com uma série de selinhos carinhosos. Bateu com os dois dedos na testa de Naruto antes de agradecer de verdade. Naruto achava que era pelo orgasmo, mas ele não sabia da metade.

Sakura apenas espiava do corredor a cena e só não dava pulinhos de alegria com medo de chamar a atenção deles. A vida estava prestes a ficar interessante, ela pensava...

13 de Junio de 2019 a las 04:05 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Novas Contingências

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 2 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión