Photograph Seguir historia

urutake Urutake Hime

Mesmo depois de seis anos, Eren ainda se pergunta sobre o beijo na bochecha que recebeu repentinamente do seu professor. Em um encontro providenciado pelo destino, eles finalmente tem a chance de esclarecer todas as dúvidas. [Casal: Levi x Eren]


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#kiss #beijo #bl #yaoi #snk #shingeki-no-kyojin #attack-on-titan #eren #levi #levi-ackerman #eren-yeager #ua #universo-alternativo #inverno #winter #romance #álcool
Cuento corto
0
2494 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

O inverno de Nova Iorque era bem rigoroso às vezes, por isso as pessoas tratavam de se agasalhar bem e manter-se fora do frio cortante o máximo possível. Os que andavam pelas ruas dividindo espaço com a neve, apenas desejavam chegar logo em seus destinos para poderem se aquecer de alguma forma. Um rapaz enrolava o cachecol em torno do pescoço para proteger toda a região e o deixou um pouco para cobrir parte do rosto. Se sentia um tanto “fofo” com todos aqueles casacos, mas acabaria congelando se não fosse assim e para se distrair do frio que sentia, sacou o celular do bolso e começou a checar se não havia recebido nenhuma mensagem nas redes sociais ou no e-mail. Não demorou muito para ele seguir para a galeria de fotos, escolhendo uma imagem em particular para visualizar melhor.


Era uma imagem de seis anos atrás, a mais antiga de sua galeria, de seu segundo ano do colégio. Ali estava ele na imagem, com uma expressão espantada e um sorriso desajeitado já que a pessoa ao seu lado havia lhe dado um beijo na bochecha no momento em que tirou a foto. Aquele homem havia sido seu professor somente naquele ano e iria lecionar em outro colégio no ano seguinte, então não se veriam mais. Outros alunos tinham medo dele, mas não era o seu caso... Na verdade, o admirava por considerá-lo brilhante e por isso, dias antes das aulas acabarem e nunca mais ter a chance de vê-lo, chegou repentinamente ao seu lado e segurando o celular para tirar uma foto. Só não contava com aquele beijo na bochecha... Algo que nunca soube o motivo. Surpreso e curioso, mantinha aquela foto mesmo depois de tanto tempo e se pelo menos pudesse vê-lo outra vez, poderia perguntar diretamente.


Eren guardou o celular e ergueu o rosto, parando para esperar o sinal verde e atravessar a rua. Seus olhos vaguearam para o outro lado e os arregalou quando reconheceu a figura de seu antigo professor, caminhando e seguindo na direção oposta. Continuava o mesmo... Os cabelos curtos e negros balançavam a medida que caminhava, a expressão séria parecia cravada em seu rosto e o olhar penetrante que era capaz de fazer qualquer aluno tremer de medo. Mal acreditava que era ele mesmo ali do outro lado da rua, a poucos metros de distância e justamente quando acabara de pensar nele. O acompanhou com o olhar até se dar conta de que tinha a oportunidade que tanto esperou, girando nos calcanhares e começou a caminhar para onde o outro havia ido, um pouco mais apressado já que queria alcançá-lo logo e não perdê-lo de vista.


Teve um pouco de dificuldade para cumprir seu objetivo, ainda mais que seu rosto ficava voltado apenas à figura do professor e acabava esbarrando em outras pessoas no caminho. Poderia acabar se machucando sério, mas não estava se importando muito com isso no momento, apenas queria chegar até ele. Quando finalmente o viu parar na calçada, esperando o sinal para atravessar a rua como fizera a pouco, percebeu que essa era sua chance! O sinal estava aberto para Eren, que atravessou a passos largos e alcançou o mais velho, envolvendo-o em um abraço surpresa que nem mesmo ele esperava dar. Só estava muito contente de encontrá-lo e foi movido por um impulso, abrindo um sorriso largo ao notar que o rosto do professor ficou na altura de seu peito. Teria encolhido? Não, certamente era Eren que havia crescido.


— Maldito! — a voz irritadiça alcançou seus ouvidos e sentiu sua perna ser chutada, o fazendo ganir e se afastar — Quem pensa que é para... Yeager? — o professor finalmente notou quem o havia abraçado.


— Ai... Implacável como sempre, Sr. Ackerman. — respondeu com divertimento, embora sua perna estivesse doendo — Sinto muito, o assustei não é?


— Mas é claro! Que ideia foi essa de surgir de repente e me abraçar? — a expressão séria de Levi se tornou ainda mais fechada — Você continua um pirralho impulsivo, mesmo depois de todos esses anos?


— Acho que sim... — não se incomodava de ser chamado daquela forma, pelo menos não por ele — Foi à emoção de te encontrar, desculpe novamente. Como está? Ainda dá aula?


— Estou bem... — o perdoou, observando o outro com mais atenção — Sim, ainda dou. No entanto, espero que não seja por muito tempo... Definitivamente não tenho paciência para esse bando de arruaceiros sem um pingo de modos.


— De fato, você nunca pareceu ter muita paciência com seus alunos... Por isso me perguntava o motivo de ser um professor. — Eren foi sincero, voltando a sorrir — Eu estava pensando em você agora a pouco e, como mágica, o vi do outro lado da rua. Como o destino me falando para vir até aqui... Podemos conversar?


Aquele garoto sempre foi deveras espontâneo, era o que passava na cabeça do professor naquele momento. Dizer algo assim com tanta tranquilidade para outro homem que fora seu mentor era sinal de muita coragem ou muita burrice, não sabia definir qual se encaixava melhor para aquele rapaz. Por fim, concordou com um aceno de cabeça e podia jurar que se Yeager fosse um cachorro, estaria com o rabo balançando de tanta alegria. Aqueles olhos verdes cheios de emoção lhe lembravam da época em que lecionou em seu colégio... Quando ele era o único que parecia lhe encarar com pavor, mas sim com admiração. Este era um mistério que nunca conseguiu decifrar, afinal sabia ser extremamente rígido com os alunos e não era surpresa que alguns chegaram a odiá-lo, mas Eren parecia ser sempre o extremo oposto.


Começaram a caminhar lado a lado e Yeager questionou se poderiam comprar algumas bebidas no caminho, o que outro concordou em fazer já que também estava com vontade de tomar algo. Pararam em uma pequena loja de conveniência e encheram a cesta com garrafas, levando-as para o caixa e Levi fez questão de pagar, dividindo apenas o peso das sacolas para carregar. Apertaram o passo ao notarem que neve começou a cair e não queriam sentir mais frio do que já estavam sentindo. Quando Eren se deu conta, já estava no prédio onde o professor morava e subindo de elevador com até o andar onde ele morava. Era a primeira vez que ia na residência de alguém dessa maneira e se sentia mais agitado do que o normal. Quando entraram no apartamento, tirou os sapatos como ordem do mais velho e seus olhos verdes percorreram tudo com grande interesse e curiosidade, finalmente se vendo livre do peso que carregava ao colocar as sacolas sobre a mesa da cozinha.


— É um belo apartamento e está impecável... Mora aqui há muito tempo?


— Me mudei para cá faz dois anos. — Ackerman se sentou em uma das cadeiras e em sua mão trazia o abridor de garrafas, além de apoios para os copos a fim de evitar que a mesa ganhasse marcas — Gosto de manter tudo bem organizado e limpo... Pode-se dizer que tenho mania de limpeza.


— Hm... Já esperava por isso, você ficava mais irritado quando chegava na sala e encontrava tudo como uma zona. — Eren riu ao se lembrar da expressão demoníaca que o outro exibia nesses momentos e fazia com que todos se assustassem — Mas diz que não quer continuar como professor por muito tempo...


— É uma profissão desgastante e não me sinto mais realizado com ela. — explicou enquanto abria uma das garrafas e serviu uma dose generosa para ambos — Não vou sair do âmbito escolar realmente, estou apenas tentando ser promovido... Virar diretor é minha intenção.


— Entendo... Ainda assim, pode ser mais desgastante já que vai ter que lidar com muitos tipos de problemas e encontrar soluções para a instituição.


— Isso não será um problema realmente. Colocarei todos na linha ou não me chamo Levi Ackerman! — e lá estava a expressão assustadora em seu rosto, mas só conseguiu fazer com que Eren sorrisse e isso o intrigou — Por que está com essa cara de idiota?


— Eh? Nada demais... — acabou rindo, encabulado e levou uma das mãos a nuca — Só fiquei um pouco nostálgico ao te ver. Já faz seis anos e ainda assim, não parece ter mudado nada... E fico feliz por isso.


— Yeager... — algo veio na ponta de sua língua, mas controlou suas palavras e decidiu mudar de assunto — Vai ficar olhando para a minha cara ou vai beber?


O rapaz pediu desculpas e segurou o copo, virando-o quase de uma vez na boca e quase engasgou, fazendo Ackerman avisar que se derrubasse bebida na mesa ou no chão, era melhor se considerar um homem morto. Os dois iam bebendo e conversando, Eren contou que havia se formado no colegial sem problemas e que estava na faculdade, além de procurar um estágio para conseguir algum dinheiro e experiência. O papo foi fluindo e as garrafas iam ficando vazias, chegando ao ponto de ficarem bêbados. Levi ainda se mantinha mais consciente que o outro e, assim que esvaziou mais uma garrafa, Yeager debruçou-se sobre a mesa e tentou pegar algo no bolso da calça, trazendo o celular em mãos. Com um pouco de dificuldade, encontrou a foto que estava encarando mais cedo e esticou o aparelho na direção do outro para que pudesse ver.


— Se lembra disso...?


— Por que você ainda tem isso? — Levi devolveu a pergunta, mas na verdade se lembrava bem daquele dia e se surpreendeu pela foto ainda existir.


— Porque é o meu tesouro! — devolveu com um resmungo de chateação, trazendo o celular para perto novamente e encarou a foto, sem notar a expressão surpresa do outro por suas palavras — Sempre olhei para essa foto e me questionei... Por que me deu esse beijo? Eu não pedi e ainda assim...


— Isso lhe incomoda?


— Um pouco... Pois não sei o motivo. Eu era só mais um dos seus alunos, não acho que era alguém especial aos seus olhos. — apesar de estar falando um pouco enrolado, Levi ainda compreendia o que dizia — Mesmo que eu sempre tenha visto você assim...


— Como você me vê, Yeager?


— Hm...? — Eren estava começando a ficar sonolento, mas abriu um ligeiro sorriso — Sr. Ackerman, você sempre foi muito inteligente e nos ensinava com muito empenho. Apesar de parecer assustador, sei que pensava no melhor para nós... E eu sempre achei que tivesse uma aura especial ao seu redor. Algo que... Me fazia querer observá-lo o tempo todo...


— Ei! — Levi o chamou assim que notou que o outro acabaria dormindo ali — Não durma! Tem que terminar de falar.


— Ahn... Você é... Incrível. — tentava completar o que queria dizer apesar da dificuldade em se manter acordado, era mais fraco para a bebida — Sempre o admirei e... Sempre quis ser alguém que pudesse estar com você... Tão iluminado... Tão bonito...


— Já não está falando coisa com coisa...


Levi levantou da cadeira e se aproximou, erguendo o corpo do outro com um pouco de dificuldade, mas não foi um problema para carregá-lo. Seguindo para a sala, deixou o corpo do rapaz cair sobre o sofá e notou que, apesar da sonolência, Eren ainda segurava o celular com firmeza contra o peito. Suspirou enquanto pensava em tudo o que havia escutado, se questionando se era só o efeito da bebida ou Yeager realmente estava demonstrando que pensava nele muito mais do que imaginou um dia. E depois de todos esses anos, ainda fez questão de falar consigo e demonstrar uma alegria incomum por estarem juntos. Acabou se inclinando para observar melhor o rosto alheio e, assim como no dia da foto, depositou um beijo na bochecha alheia.


— De novo... — Eren resmungou ao sentir o beijo, não havia adormecido por completo — Por que faz isso?


— Você é um idiota que me confunde com suas palavras e expressões. — o professor respondeu, com a expressão séria de sempre apesar de seu olhar estar mais suave — Sempre foi assim... Apesar de me temer, também havia aquele olhar de encantamento sobre mim durante as aulas, como fez hoje... Não faz mal devolver um pouco da atenção que você me dá.


— Mas tem que ser na bochecha?


— O que quer dizer com isso?


A expressão emburrada de Eren chegava a ser adorável, incomodado pelo outro não perceber seus verdadeiros desejos e acabou segurando a gola da blusa do Ackerman, o puxando para se aproximarem o máximo possível e pôde selar seus lábios nos dele. Se fosse para receber um beijo dele, então que fosse na boca como tanto queria e aquele contato rapidamente se tornou um beijo intenso. Mesmo que tenha sido pego de surpresa, Levi não considerou uma ousadia ou falta de respeito... Aquela era a resposta para suas perguntas a respeito do rapaz e o sinal de que poderia deixar de vê-lo como seu antigo aluno para ser a pessoa por quem se sentia atraído, mesmo depois de anos. A chama especial os incendiou e, dessa vez, poderiam deixar que ela os aquecesse sem nenhuma restrição.

19 de Mayo de 2019 a las 00:11 0 Reporte Insertar 119
Fin

Conoce al autor

Urutake Hime Uma garota que escreve desde 2009, com diversas temáticas e fandom diferentes. Nyah: https://fanfiction.com.br/u/30892/ Spirit: https://www.spiritfanfiction.com/perfil/urutake-hime Wattpad: https://www.wattpad.com/user/Urutake-Hime

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~