Revolução Seguir historia

K
Kaah Elinetedottir


Entre os anos de 1998 e 2001, a vida da canadense Anika não foi fácil por conta das brigas constantes com sua mãe e sua irmã. Sua mãe se casa em 1999, fazendo com que Anika ganhe dois irmãos postiços, no entanto, não se dá bem com a nova irmã pois esta é usuária de drogas. A vida lhe surpreende mais uma vez quando recebe a notícia de que sua amiga contraiu HIV, e esta se recusa a falar sobre. Quando achava que nada poderia piorar, algo terrível acontece com Anika mudando sua vida completamente.


Drama Todo público.

#drama
0
1003 VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Todos los lunes
tiempo de lectura
AA Compartir

18 de junho de 1998

Querido leitor, ou talvez leitora, olá amigo

Aqui é onde começo a minha trajetória, a contarei um pouco da minha história, meu nome é Anika Amy Skeeleting, tenho 13 anos, moro na Columbia Britânica, Canadá, e sim, eu sou feminista, junto com minha única e melhor amiga Bethania, tenho meus cabelos cortados até o ombro tingidos da cor azul, tenho 5 tatuagens (um diamante na batata da perna, uma estrela no braço direito, a palavra whooa no braço esquerdo, um raio no dedo do meio e um avião de papel no dedo anelar) 9 piercings (uma cruz na língua, uma bolinha na língua em cima da cruz, um embaixo da língua, um no smiley, um no meu lábio inferior, um no lábio superior, um no sept , uma de pedrinha e uma de argolinha, ambas no nariz) e um par de alargadores, ambos de 4 mm. Ando de skate e uso roupas masculinas. E não, a minha tatuagem de raio não é em homenagem ao Harry Potter

As vezes eu sofro preconceito por esses motivos, muitos me chamam de lésbica, mas eles não conhecem minha história. Parece até que todo mundo ama julgar os outros

Me tornei feminista pois não aguento esse povo machista, não tem nada mais que eu e Bethania odiamos do que pessoas machistas. Espero que todo mundo odeie isso

Eu moro com minha mãe Carly e minha irmã mais velha Artemis. Que não me dou nada bem com elas

Minha mãe é uma ótima pessoa, mas sempre coloca a culpa em mim. Como na vez que a Artemis estava jogando futebol e quebrou o pé. Ela protege muito a Artemis

Estava sentada em um balanço que tem em uma pracinha, olhei para o céu e o dia estava nublado, Artemis veio com suas amigas, Kira, Ligia, Diná e Giselle, todas tão covardes quanto Artemis, sofro bullying até da minha própria irmã por eu ser feminista. Não queria que fosse assim

Elas estavam batendo em uma garota bem magrinha chamada Jennifer Mizuki, imigrante japonesa. O que elas tem contra imigrantes?

- Bela justiça, 4 contra 1 - Eu falo advertendo Artemis - Covardes

- Ela bem que mereceu - Artemis fala - Sabe Anika, no mundo temos as espertas e as fracotes como você, que defendem algo sem sentido

Ela realmente me irritou nessa hora, eu me levanto, pego meu soco inglês dentro do bolso da minha bermuda e vou para acertar Artemis, mas penso duas vezes, pois se minha mãe ver Artemis machucada, a culpa vai ser minha. A culpa sempre é minha

Vi o medo no rosto de Artemis, olhei para o céu e vi relâmpagos, me lembro que Artemis morre de medo de chuvas pesadas, então pego na sua mão e nós duas começamos a correr. Pelo menos eu a salvei de algo

Começa a chover, eu e Artemis estavamos encharcadas, mas mesmo assim não paramos de correr. O medo no rosto de minha irmã era grande

Saimos da pracinha e fomos para a rodoviária, era só atravessar aquela grande rodovia e chegamos em casa. Artemis fica desesperada e sai correndo, um caminhão estava virando quase a atropela, e nesse momento eu tive medo de perdê-la

- ARTEMIS - Eu grito com os olhos fechados, estava com muito medo de ela ser atropelada - SUA LOUCA!

Abro os olhos e vejo que ela está bem, olho direito e vejo que posso atravessar, atravesso correndo e chego em casa em 5 minutos. Pelo menos eu tenho cuidado com essas coisas

Chego lá, minha mãe estava me olhando com uma cara de brava e Artemis estava muito pálida de susto. Tenho certeza que ela acreditou em Artemis

- O que aconteceu? - Minha mãe pergunta - Quero respostas agora

Artemis aponta para mim, eu sabia que naquele momento ela iria mentir

- Ela me jogou na frente de um caminhão, não sei por qual motivo ela me odeia

- É mentira - Eu tentei me defender, mas minha mãe não me escuta, nunca me escutou

- Está de castigo - Minha mãe fala levando Artemis para o andar de cima - Espero que assim aprenda a lição

Eu vou para fora e começo a chorar de raiva, como pode ter visto, a culpa é sempre minha. Mas eu já me acostumei

Anika Skeeleting

16 de Mayo de 2019 a las 03:28 1 Reporte Insertar 119
Continuará… Nuevo capítulo Todos los lunes.

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
MRz Rz MRz Rz
Olá, eu sou a MRz do Sistema de Verificação do Inkspired. O sistema de verificação atua não só para ver a qualidade da história, como também para observar se a história está de acordo com as normas do site. Sua história está “em revisão” porque há alguns errinhos de escrita, como por exemplo, 1) Falta de pontuação. A maioria das suas frases no decorrer do texto, não tem um ponto de finalização, seja de ponto final ou exclamação; 2) Falta de vírgula antes da conjunção adversativa “pois”. Em alguns pontos do seu texto, inclusive na sinopse, faltou a vírgula antes da conjunção “pois”. Há uma coisa que eu vou apenas sugerir, fica a seu critério mudar ou não, é a mudança da idade da personagem. Você narrou a Anika como sendo uma garota de 13 anos e que tem tatuagens. O problema disso é que tatuagens só são permitidas em menores de idade aos 16 e 17 anos com a permissão expressa dos pais. Antes dessa idade é completamente proibido fazer tatuagem independente da autorização parental e acarreta crime por lesão corporal grave. Como eu já disse isso é apenas uma sugestão de mudança para sua história não ficar irreal. A verificação também não é obrigatória para a história continuar sendo exibida, então se você tiver o interesse de ter sua história verificada, após corrigir os erros, é só responder a esse comentário que eu faço uma nova verificação. Tenha um bom final de semana! ;)
17 de Mayo de 2019 a las 12:56
~