A Espada e o Escudo Seguir historia

ladydarkychan Lady darky-chan

Nas terras do norte, um reino de grande soberania e potente força era erguido pelo temido e desbravador rei viking Fugaku Uchiha, ao seu lado, sua esposa Mikoto era conhecida por seus conselhos e tamanha bondade, o casal tinha dois filhos, Itachi o primogênito e Sasuke o mais novo, incrivelmente Itachi se parecia mais com Mikoto em sua bondade e feitos, mas Sasuke tinha puxado o sangue guerreiro do pai, sempre querendo se aventurar por terras distantes e desbravar os mares, se apossar de terras e ir à frente nas batalhas. Todo o reino possuía grande fé e respeito pelos deuses, mas uma grande pestilência se aproximava e muitos teriam suas provações, os deuses planejavam algo muito maior para aqueles que precisavam ter a atenção dos seus olhos. Em um vilarejo pobre e tomado por desgraças como a fome, o frio e as doenças havia uma moça tão gentil e humilde que lembrava as flores mais belas da primavera, suas mãos astutas procuravam pela pequena vegetação, plantas responsáveis por salvar a vida de muitos daquele lugar, seu conhecimento foi passado por sua já falecida mãe, Sakura usava deles não só para sobreviver mas para salvar as vidas daqueles que sempre permaneciam unidos e não perdiam a esperança.


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#romance #drama #medieval #violencia #sexo #guerras #sasusaku #misticismo #deuses #tortura #universo-alternativo #linguagem-impropria #viking #Aparições
3
2854 VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Todos los lunes
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo 1





Era noite sem estrelas e nem a luz da lua se fazia presente naquele lugar, um grupo de guerreiros cavalgavam na pequena estrada, agora quase coberta completamente por neve, eles seguiam em direção à um pequeno vilarejo afastado do reino. Essa era a forma que viviam, mesmo sendo jovens, cresceram aprendendo de formas diferentes a conseguir o que queriam, aos olhos de muitos seria errado invadir um pobre vilarejo e retirar o pouco que tinham incluindo a vida deles, mas da forma que aprenderam, para eles, esse era o certo, e foi isso que escolheram, que os deuses cuidassem das almas dos fracos.




– Melhor descermos dos cavalos aqui e seguir andando, podem notar nossa presença mais facilmente com os cavalos. - o loiro falou para os demais que concordaram.




Deixaram os cavalos amarrados nas árvores e seguiram sorrateiramente, cercando o pequeno vilarejo.




– Vamos invadir e pegar o que queremos, eles não tem nenhuma proteção. - mais uma vez o loiro ditou ordens.




– Certo, vamos.- um viking de cabelos compridos afirmou junto com os outros e se abaixaram indo furtivamente, cercando como sombras o lugar.




Os homens entraram no vilarejo causando grande alvoroço, matando pessoas, quebrando e roubando coisas, de um momento para o outro tudo se tornou chamas e sangue.





– Olha só o que encontrei! - o loiro que estava parado no que parecia ser o centro do vilarejo revirou os olhos e suspirou vendo o viking de longos cabelos castanhos vir em sua direção puxando uma corda com várias mulheres presas e surradas, um total de cinco mulheres, uma delas, mais machucada que as outras, todas choravam, apenas a mais machucada que não, ela possuía um olhar selvagem e mordaz.




– Podemos nos divertir. - ele falou puxando a corda.




– Nada disso, vamos levá-las, lá será decidido o destino delas. - o loiro falou seguindo para onde estavam os cavalos.



Os homens se juntaram novamente e seguiram em direção ao reino deixando mais um vilarejo destruído para trás.




Em uma tenda ao longo do lado leste do reino, um guerreiro tinha sua noite de prazer mais uma vez frustrada, por mais que se deitasse com várias e várias mulheres, nenhuma lhe satisfazia. Estava ali caçando e o lorde do local lhe presenteou com duas escravas do próprio, por livrar o vilarejo dele de lobos que rondavam e algumas vezes atacavam as pessoas dali.





– Levantem-se e vão embora. - ele disse sem nem olhar para elas, sua feição não era das melhores, por muitos era conhecido pelo temperamento forte e grosseiro, buscador de batalhas as quais tinham o prazer de voltar com sua espada coberta de sangue, assim como várias partes de seu corpo, principalmente o rosto. Estava mais frustado ainda por seu pai ter sido pego pela peste e antes de ficar tão debilitado, dizer-lhes que era seu desejo que assumisse os deveres da coroa e do reino, deixando Itachi como conselheiro já que o mesmo não possuía o desejo de reinar e não tinha a força para isso. Ele não queria ser rei, queria ser livre pra ir onde quisesse, mas por respeito áseu pai, teve que aceitar. A coroa seria passada para ele no início da primavera.




Ao amanhecer, desmontou sua tenda e o resto das coisas e partiu de volta ao reino, ao entrar pelos portões logo viu seu melhor amigo vir em sua direção gargalhando, ele não entendia a felicidade do amigo.




– Sasuke, finalmente voltou irmão. - recebeu um abraço apertado do loiro. – Aproveitou bastante sua caçada? - Sasuke o olhou sério.




– Não como eu queria, mas matei todos os lobos. - falou andando em direção ao centro, vendo a grande movimentação dos moradores que passavam e o cumprimentavam.– Como está por aqui? - Sasuke perguntou vendo o sorriso largo de amigo.





– Como sempre, tudo na mesma, mas tem apenas uma novidade.




– E qual seria?




– Na ultima invasão, trouxemos mulheres, lindas, é claro que esperávamos você para decidir o que fazer, afinal você é o futuro rei.




– Hum, quantas?




– Cinco.




– Vamos até onde estão, talvez eu ache uma que me satisfaça dessa vez. - o loiro riu dando um tapa no ombro de Sasuke.



– Você é um maldito viking insaciável! Mas e as outras?




– Fica pra vocês, mas não esqueçam de não exigir nada à força, se não quiserem se deitar com vocês, dêem tempo.




– Falou igual ao seu irmão agora.




– Tsc, são os ensinamentos da minha mãe, devo ter respeito ao menos à isso.




– Então, não vai forçar a escrava?




– Não, ela vai me querer.




– Convencido. - riram juntos até que chegaram à tenda, lá estavam Neji e Sai, sem perder tempo Sasuke entrou na tenda, vendo as cinco mulheres sentadas ao fundo da tenda, todas com o rosto abaixado, menos uma que o encarava sem se amendrontar, de fato a que mais chamou a atenção dele. Analisou uma por uma e se sentou na cadeira que tinha a sua frente.




– Naruto, por que aquela está mais ferida que as outras? - o loiro se aproximou.




–A morena ali disse que ela entrou na frente das outras e apanhou no lugar delas, Neji as encontrou mas disse que não foi ele que bateu.- Naruto falou apontando para a mulher de cabelos castanhos que agora o olhava.




– Então quem foi?




– Um dos guardas que entraram primeiro na vila em que estavam.




– Matem ele, como aviso para os outros, não batemos em mulheres. - todos o olharam surpresos menos Naruto que conhecia bem o amigo.




– Tá, cuidaremos dele.




– Vou ver o meu pai e falar com minha mãe e irmão, levem aquela para a minha casa, a deixe amarrada para que não fuja.- Sasuke falou dando uma última olhada para a mulher de longos cabelos róseos e saiu de lá indo para o casarão.

Naruto levou Sakura até os aposentos de Sasuke, deixando-a amarrada perto da cama, mas lhe tirou a mordaça, lhe entregou um pedaço de pão e um copo com água à ajudando a beber. Logo se virou pra sair.




– Ele vai me ferir? - ela perguntou baixo.




– Não.




– Hum...



– Qual é o seu nome? - Naruto perguntou a encantando.




– Sakura. - sua voz saiu um pouco falha e baixa. – O que vai acontecer com às outras?- ela perguntou mostrando preocupação.




– Serão entregues aos seus donos, mas não se preocupe, o futuro rei nos deu a ordem de não força-las a nada. - dito isso Naruto saiu da casa deixando uma Sakura completamente confusa.




– Futuro rei? - Sakura pronunciou baixo.

Um longo tempo se passou e Sakura estava na mesma posição, sem poder se mexer direito e o pior, estava com muita fome, viu quando duas mulheres entraram, arrumaram a mesa, puseram uma grande bandeja com carnes e vegetais e uma jarra de água e uma outra um pouco maior, elas a olharam com desdém e saíram, depois de alguns minutos Sasuke entrou com semblante sério a olhou por um tempo e se sentou a mesa começando a comer, o estômago de Sakura roncou.




– Está com fome?




–...




– Péssima escolha, ficar calada não vai te ajudar em nada. - Sakura o encarou.




– Estou.




– Escuta, vou tirar as cordas do seu pulso, você poderá comer, mas só um aviso, não fuja ou tente me atacar. - Sasuke falou se levantando e abaixando próximo a Sakura cortando as cordas que a prendiam, não pôde deixar de notar o quanto ela era bonita, mesmo toda suja e machucada, com uma cor de cabelo exótica e olhos verdes brilhantes e selvagens.




– Sente-se e coma, mandarei alguém vir para te limpar e cuidar das feridas.- Sasuke disse voltando a se sentar na cadeira e dando atenção a boa refeição à sua frente.




– Por que tá fazendo isso? - Sakura perguntou chamando a atenção dele.




– Estou cuidando do que é meu. - Sasuke respondeu dando um sorriso de ladoe de quebra ainda piscou pra ela que não conseguiu evitar ficar corada.




– Você é um sem vergonha? - Sakura disse irritada mas não alterou sua voz.





– Língua afiada, gosto disso. - Sasuke falou de forma divertida, ele á estava provocando e estava dando certo.




– Porque não me mata logo? Não é isso que homens como você sabem fazer? - Sakura ousou.




– Minha intenção nunca foi te matar, e eu não sou só bom em matar, tem muitas outras coisas também.





– Se não vai me matar, o que pretende?- ela agora acabou por despertar certa curiosidade.




– Sabe, faz muito tempo que uma mulher não fala assim comigo, ousada, selvagem, você me intriga muito. - Sasuke terminou de comer e retirou as partes de cima da roupa expondo seu peitoral definido e com algumas cicatrizes, Sakura desviou o olhar respirando fundo fazendo o mesmo rir.




– Qual é a graça?




– Você nunca viu um homem nu, não é mesmo? - Sasuke disse se aproximando perigosamente pelas costa da rosada, vendo a mesma tremer.– Acho que já entendeu o que quero, mas não vou te forçar a nada, vocêvai me pedir pra te possuir de todas as formas possíveis, por várias e várias noites. - Sasuke falou com a voz rouca próximo ao ouvido de Sakura deslizando levemente seus lábios ali, viu que sua provocação tinha surtido efeito quando a mesma ficou completamente arrepiada, saiu de perto dela indo em direção a cama e dormindo.




Sakura não acreditava no que acabará de ouvir, e seu corpo lhe traiu reagindo ao efeito do respirar e do leve toque na ponta de sua orelha, pelos deuses, ela nem sabia que um homem assim existia, não pode negar que lá no fundo havia gostado, mesmo que nunca tenha tido um aproximação como essa de um homem.



“Eu podia fugir, ele parecia dormir pesadamente, mas é estranho, por quenão entendo o desejo de ficar aqui, sinto que tenho algo a fazer."




Sakura pensou terminando de comere logo uma mulher loira a chamou.



– Venha menina, vou te levar para se banhar e te dar roupas limpas. - Sakura seguiu a mulher rapidamente e olhou por todo o lugar, tinha que achar uma rota de fuga.

15 de Mayo de 2019 a las 14:03 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Capítulo 2

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 7 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión