Sob o mesmo Céu Seguir historia

ladydarkychan Lady darky-chan

Os cinco sentidos são básicos e essenciais para uma pessoa, mas, às vezes somos privados de algum deles, não julgo os motivos, não cabe à mim fazer isso, cabe à mim aceitar, me adaptar e aprender, eu nasci assim, nunca fiz questionamentos à Deus por isso, nunca me faltou amor de família, minhas únicas dúvidas são... Como será a minha vida nesse mundo? Como será do lado de fora dos muros da minha casa? Estou ansiosa para descobrir.


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#romance #misterio #drama #drogas #sexo #sasusaku #violência #superação #linguagem-imprópria #Vícios
0
1941 VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Todos los domingos
tiempo de lectura
AA Compartir

Prólogo



Hospital Central do Canadá



– Vamos Mebuki, faça força só mais um pouco! - A médica obstetra Tsunade Senju incentivava a mulher à sua frente, que já não aguentava mais tantas dores fortes, sua gravidez foi difícil e sua menina resolveu nascer antes do tempo.



– Aaah Tsunade, não aguento mais. - Mebuki falava ofegante, já se preparando para a próxima contração que vinha rasgando seu interior.



– Tente aguentar, vamos lá, força ela já está coroando, só mais um pouco e você vai ver sua menina, vamos ? - Depois dessas palavras, Mebuki tomou fôlego e forçou o máximo que pôde, arriando para trás ao ouvir o primeiro chorar de sua tão esperada filha, ela pôde respirar mais tranquilamente e um grande sorriso aparecia juntamente com a ansiedade de ver o rostinho da pequena pela primeira vez.



– Mas como é linda! Segure Mebuki. - Tsunade depois de ter cortado o cordão umbilical e enrolado a pequena em uma manta, levou até Mebuki que com um grande sorriso a segurou e acariciou o seu rostinho avermelhado com muito carinho.



– O Kizashi poderá ver vocês assim que forem para o quarto, agora temos que fazer os exames para confirmar que está tudo perfeito, também daremos um banho nela, enquanto isso mandarei uma enfermeira te ajudar no banho e te levar para o quarto, logo em seguida levaremos ela para você, para que a alimente. - Tsunade explicou do lado da cama.



– Obrigada, Tsunade, eu e Kizashi gostaríamos muito que você aceitasse ser a madrinha dela.



– Ah, mas é claro que sim, já tenho um amor muito grande por ela, e a propósito, já escolheu o nome?



– Sim, ela vai se chamar Sakura.



– É um belo nome. Bom agora me dê ela, preciso levá-la para fazer os exames, prometo não demorar muito.



– Tudo bem. - Mebuki passou a bebê para o colo de Tsunade e uma enfermeira veio para ajudá-la a ir para o banheiro e depois para o quarto que ficaria até receber alta do hospital.



Kizashi esperava do lado de fora ansioso para conhecer sua filha e ver como sua esposa estava, passava as mãos uma na outra nervosamente, já faziam oito horas que Mebuki havia entrado em trabalho de parto, e quase não teve informação nenhuma até o momento, logo viu um enfermeiro lhe chamar, seu coração disparou com a notícia de que sua filha já havia nascido, e que daqui à alguns minutos poderia ir até o quarto onde sua esposa ficaria.



Tsunade examinava a pequena Sakura cautelosamente, já tinha feito os testes, faltava apenas um, calmamente ela deu início ao que faltava, seus olhos se estreitaram por alguns segundos constatando logo o problema, respirou fundo e voltou a olhar a bebê.



– Ah meu Deus, como vou dizer isso aos pais dela ?



Assim que terminou deu um banho e colocou uma roupinha rosa e branca que Mebuki havia escolhido.


– Prontinha, está linda para conhecer o seu papai! - Tsunade a segurou e seguiu para o quarto de Mebuki.



Kizashi vagarosamente abriu a porta do quarto e olhou o semblante cansado de sua esposa, quando a mesma o viu, deu seu melhor sorriso e ergueu os braços pedindo por um abraço, logo ele deu rápidos passos até a cama e de leve a abraçou, um abraço com muito amor e carinho.



Os dois conversavam quando perceberam a porta se abrir, e por ela Tsunade passar com o pequeno embrulho nos braços, Kizashi a olhou de perto e logo a segurou nos braços sem conseguir evitar suas emoções, um pouco depois a passou para Mebuki que a alimentou, seus olhos foram até Tsunade que estava com um semblante preocupado.



– Está tudo bem com ela ? Não está Tsunade? - Mebuki perguntou um pouco nervosa.



– Bem, quero dizer que antes de tudo você não pode ter emoções fortes ou se aborrecer, isso pode prejudicar a amamentação e sobre ela estar bem, tenho uma notícia que não é muito boa. - Tsunade soltou um longo suspiro, sua mente não estava preparada para dizer aquilo mas somente ela poderia fazer.



– Diga logo, o que há de errado com minha filha ?



– Infelizmente, Sakura nasceu cega.





Tanto Mebuki quanto Kizashi não conseguiram dizer uma sequer palavra por alguns minutos, os olhos dos dois derramavam lágrimas silenciosas e Mebuki apertou Sakura mais junto à ela e com o dedo indicador fez um carinho nas bochecha rosadas, dando um singelo beijo em sua testa, Kizashi segurou seu ombro e olhou a filha com grande carinho e zelo, Mebuki sabia que com aquele simples gesto, seu marido a apoiaria no que fosse e ficaria ao lado delas sempre.



– Não importa nada, nosso amor por você é incondicional minha linda Sakura.



Ao ouvir essa simples frase Tsunade se sentiu aliviada, Sakura com certeza teria os melhores pais e ela faria o melhor para ser uma ótima e atenciosa madrinha para a pequena, o caminho seria difícil, mas não impossível.


Dois anos depois



Sakura caminhava segurando a mão de Mebuki, que a guiava com muito cuidado, toda a casa foi reformada e adaptada para o melhor desenvolvimento de Sakura, ela tinha uma saúde ótima e dificilmente ficava doente, sua audição era incrível e sua fala já era bem adiantada, quando Sakura completou um ano de idade Mebuki junto a Kizashi repararam que surgiam alguns fios rosados junto aos fios louros de Sakura, foram ao médico e o mesmo lhe explicou que poderia ser uma doença rara relacionada a melanina, e que não poderia dizer ao certo se continuaria mudando ou pararia ali.



Mas, ao passar dos meses cada vez mais apareciam fios rosados, todos da família e até os amigos do casal se surpreendiam com a rapidez que os fios mudavam de cor. Agora com dois anos, Sakura já tinha 80% do cabelo rosado, vendo que não influenciou na saúde de sua filha, Mebuki ficou mais tranquila e se acostumou à mudança passando à admirar a beleza diferente que sua filha adquiria, não só ela mas Kizashi e todos que a conheciam. A cegueira de Sakura não fez que seus olhos se tornassem opacos e sem vida, os olhos de Sakura eram de um tom verde forte e brilhavam em uma intensidade que pareciam duas esmeraldas ao sol.



Os anos foram se passando e logo chegou o dia no qual Mebuki e Kizashi teriam que explicar à Sakura sobre sua deficiência e os cuidados que sempre deveria ter, Mebuki sentiu receio em colocá-la em uma escolinha, mesmo com conselho de muitos seu coração não ficou tranquilo, preferiu que Sakura tivesse aulas em casa, e assim foi até que Sakura completasse seus 17 anos, ela era muito inteligente, mas teria que continuar seus estudos em uma escola, conhecer pessoas, enfim conhecer o mundo, fora dos muros de sua casa e esse dia estava bem próximo de chegar, pois graças as notas das provas que a mesma realizou em sua casa com um professor, Sakura tinha acabado de ser aceita em uma das faculdades mais renomadas do Canadá.





Uma nova jornada estava prestes a começar na vida de Sakura, ela não poderia ver, mas iria sentir, ouvir e tocar, e para ela isso já seria uma grande conquista, ansiosa ela esperava pelo seu primeiro dia na faculdade.



– Filha, está quase na hora do jantar. - Mebuki falou se sentando no banquinho ao lado de Sakura.



– Eu já estava indo. - Sakura deu um leve sorriso.



– Você gosta mesmo disso não é?



– Sim, eu amo, me ajuda a relaxar e pensar melhor, posso ouvir os sons perfeitamente, cada nota, uma diferente da outra, queria que a senhora pudesse ouvir também.



– Só de olhar pra você, eu posso imaginar, está ansiosa para amanhã?



– Muito, espero que tudo dê certo.



– Vai dar filha, e se você não se sentir bem, ligue que eu irei correndo buscar você, está bem?



– Tudo bem!



As duas se levantaram e logo seguiram para a sala de jantar, o dia seguinte seria longo e ambas deveriam estar descansadas e preparadas.




No centro da cidade, uma sirene tocava constantemente e seguia rumo a delegacia, dois policiais entraram segurando um jovem de aparentemente uns 19 anos, o jogaram em uma das celas e depois de meia hora alguém fulo da vida entrou pela porta sendo guiado por um dos policiais até a cela.



– De novo, Sasuke?


– Foda-se!

14 de Mayo de 2019 a las 17:50 3 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Capítulo 1

Comenta algo

Publica!
MiRz Rz MiRz Rz
Olá, eu sou a MRz do Sistema de Verificação do Inkspired. O sistema de verificação atua não só para ver a qualidade da história, como também para observar se a história está de acordo com as normas do site. Sua história está “em revisão” porque há alguns errinhos de escrita, como por exemplo, 1) Falta de acentuação em algumas palavras: no decorrer do texto há algumas palavras que não foram acentuadas, como “notícia” e algumas palavras oxítonas terminadas em “a”, “e” e “o” seguidas do pronome oblíquo –lo, -la, -los-, -las, como em “ajudá-la”, “colocá-la”, entre outros; 2) Uso de letras minúsculas no lugar das letras maiúsculas: em alguns pontos, você escreveu os nomes dos personagens com letra minúsculas e começo de frases também; 3) Falta da pontuação correta: em alguns trechos, nos lugares em que são perguntas você utilizou o ponto final no lugar da interrogação. Tem algumas vírgulas em lugares errados também, como na seguinte frase “[...] Diga, logo, o que há de errado com a minha filha. [...]”, entre outros. Eu dei apenas alguns exemplos de erros usando algumas coisas da sua história, mas aconselho que faça uma revisão mais minuciosa, pois há outros erros no decorrer do texto. Se você quiser, o Inkspired possui um blog que dão algumas dicas de gramática chamado Esquadrão da Revisão caso tenha alguma dúvida das regras que eu expliquei aqui, ou também você pode pedir para alguém dar uma revisada e ver os erros mais profundos. A verificação não é obrigatória para a história continuar sendo exibida, então se você tiver o interesse de ter sua história verificada, após corrigir os erros, é só responder a esse comentário que eu faço uma nova verificação. No mais, você escreve muito bem, parabéns! Tenha um bom final de semana! ;)
15 de Mayo de 2019 a las 12:38

  • Lady darky-chan Lady darky-chan
    Irei revisar assim que tiver um tempo, muito obrigado pela verificação, assim que eu revisar peço uma nova verificação mandando uma mensagem por aqui se for possível. 16 de Mayo de 2019 a las 15:36
  • MiRz Rz MiRz Rz
    É por aqui sim, querida. Quando tiver prontinho, só responda falando que terminou. Eu vou ser notificada e daí verifico novamente. :) 16 de Mayo de 2019 a las 15:52
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 3 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión