Eu vos declaro marido e Shino! Seguir historia

ariane-munhoz Ariane Munhoz

As palavras Kiba e casamento simplesmente não cabiam em uma sentença. Ao encontrar as alianças na casa do namorado, Aburame Shino, tira a pior conclusão possível: a de que ele lhe pedirá em casamento no dia do aniversário de namoro de ambos. Sem saber o que fazer, Kiba pede conselhos à pior pessoa do mundo: Uzumaki Naruto.


Fanfiction Anime/Manga No para niños menores de 13.

#comédia #lgbt #yaoi #kiba #shino #shiba #shinokiba #naruto
3
1956 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Ele encasquetou que quer casar agora!

* Naruto não me pertence.

* Fanfic feita para o desafio das alianças do grupo ShinoKiba Yaoi.

* Imagem da capa retirada da internet. Créditos ao autor.


Vou soltando as regras do desafio aos poucos pra não dar spoilers!


Cap 1 – Kiba descobre as alianças e surta. Ele está pronto para um passo tão sério?

****

Quando Kiba lhe disse que tinha um assunto sério para falar, Naruto já pensou besteira. O melhor amigo – e irmão de criação – era um grande falastrão! Naruto o conhecia desde a tenra idade, quando Tsume, madrinha escolhida por seus pais, havia lhe adotado após o acidente de carro que havia matado os dois.

Desde então, era tratado como família, chamava-a de mãe e tinha festas de aniversário todos os anos, além dos presentes em datas comemorativas tal qual Hana e Kiba. Nunca pôde reclamar da própria sorte, é claro, e por isso conhecia-o bem o bastante para ficar com os dois pés atrás antes de qualquer coisa!

Mas a mensagem era clara:

“Naruto, surgiu um código vermelho, preto, roxo, sei lá o quê, caralho! Preciso de você, irmão!”

Era, no mínimo, de desconfiar que algo havia acontecido.

Consultou o próprio calendário para ver se não havia esquecido de algo. O aniversário de Tsume era no mês que vem. Hana ainda não havia voltado das férias no exterior. O aniversário de namoro de Kiba, bem, esse era dentro de três dias. Será que ele havia colocado fogo na cozinha de novo ao tentar fazer outro bolo?

Naruto suspirou, pensando se levava a roupa de Bombeiro ou somente o extintor...

X

Kiba morava em um conjunto de apartamentos perto de Akihabara, um pouco distante do grande centro, Tokyo, mas que era o único local que seu parco salário como entregador de pizzas podia pagar. Fazia uns bicos aqui e ali, nada muito fixo, tentando tirar um extra para que a irmã e a mãe não tivessem que bancar todo o custo de sua faculdade.

Cursava o terceiro ano de Cinema na faculdade de Tokyo, o que significava uma boa pedalada todos os dias em sua bicicleta, única companheira da qual não abria mão. Sonhava em um dia se tornar um grande roteirista, que exibiria filmes famosos por todo o Japão, quiçá o mundo!

Diferente de Naruto que havia se alistado para o Corpo de Bombeiros e passado com louvor na academia. Há pouco tempo, era um simples cadete, mas havia perdido a vaga de novato para Rock Lee, um cara pra lá de animado com quem costumavam sair de vez em quando—só não para beber!

Foi naquela vida corrida que conheceu o namorado, Aburame Shino, quase dez anos mais velho e com uma vida muito mais rentável e estável do que Kiba. Havia sido também por causa dele que Inuzuka havia corrido atrás dos bicos – entregador de pizza aqui, garçom acolá, dog walker ali... – para que não montasse nas costas de Shino em todos os encontros que tinham! Além do mais, o namorado com quem estava já ia fazer dois anos, havia colocado algum senso de responsabilidade na cabeça oca de Kiba.

Antes, todo dinheiro recebido era convertido em jogos e comida, pois era menor de idade e não podia beber. Mas havia aprendido a lidar com os gastos, anotando tudo em planilhas feitas pelo próprio namorado no Excel. Aquilo havia ajudado muito Kiba a ver como gastava com coisas triviais! E o direcionou para que finalmente começasse a estabilizar a própria vidinha.

Na maioria das vezes, ele acabava nem voltando para casa, ficando com Naruto que morava a meio caminho da faculdade ou na casa de Shino, de onde retinha uma cópia da chave e onde praticamente dormia sempre já que estar lá significava ganhar carona para a faculdade.

Shino tinha um cachorro – que na verdade era de Kiba – chamado Akamaru. O rapaz havia achado ele em uma caixa de papelão tomando chuva e seu coração apertou-se. Mas a vida universitária não lhe permitiria criar um animalzinho, e não havia retornado para a casa da mãe para levá-lo. Foi assim que, aos três meses de namoro, Kiba deu a Shino seu maior presente: um animalzinho adorável que adorava comer seus sapatos!

Foi uma adaptação difícil que necessitou de um bocado de disciplina, mas Akamaru aprendeu a fazer as necessidades no local correto, e a esperar o momento certo do passeio. Ele até mesmo buscava o jornal para Shino todas as manhãs!

Era óbvio que quando Kiba estava por perto, Shino perdia um pouco dessa atenção, pois o garoto parecia cativar qualquer animal que entrasse em seu campo de visão. Desde os mais inusitados como esquilos e suricatos a passarinhos com asas quebradas que já havia salvo por todo o conhecimento que havia adquirido ao conviver tanto tempo com a irmã mais velha.

E Akamaru era a razão de toda essa comoção. Quando Naruto – que também retinha uma cópia da chave da casa de Shino pelo número de vezes que já havia dormido lá – chegou, viu o irmão sentado no sofá encarando o cachorro que abanava o rabo contente pela própria descoberta.

− E então, onde é o incêndio? – brincou para descontrair um pouco. Mas olhou por cima do ombro de Kiba para ter certeza de que nenhuma fumaça vinha da cozinha.

Somente então notou como Kiba estava cabisbaixo, mesmo que Akamaru parecesse contente com algo.

− Oe, Kiba. – Balançou a mão diante do rosto dele. – O que aconteceu?

Para desespero de Naruto, viu que Kiba tinha uma expressão que beirava o terror. Somente naquele momento viu a caixinha de veludo vermelha que ele segurava, cujo interior mostrava duas alianças reluzentes.

− Isso é...

− ... um par de alianças, cara. – Kiba completou, a voz trêmula e desesperada. – O Shino vai me pedir em casamento, porra! Em casamento!

Pela cor vermelha e lívida do rosto de Kiba, Naruto cogitou que talvez tivesse sido melhor aparecer com o extintor.

X

As palavras Kiba e casamento simplesmente não cabiam em uma sentença. Naruto conhecia-o bem demais para isso. Antes de Shino, vivia na farra com tipos como Kankuro que eram uma ótima companhia, mas que não dariam futuro algum. Era, como Kiba costumava dizer, uma ótima foda. Mas nada além.

Todavia, sabia como compromissos sérios deixavam o irmão de criação a beira de um colapso. Sempre que Kiba era pressionado a algo surtava e desaparecia como um verdadeiro Houdini.

Havia sido assim aos dez anos quando foi escolhido como orador da turma no primário. E aos doze, quando foi pressionado a dar o primeiro beijo em uma garota por ser o único BV de sua turma. Também aos dezesseis quando a mãe exigiu que tomasse um rumo na vida e começasse a ter mais responsabilidade ou iria arrancar suas orelhas.

− O que eu vou fazer, Naruto? – Kiba ainda permanecia estático, encarando o par de alianças na caixinha de veludo.

− Calma, cara. – Naruto apanhou a caixinha da mão dele e fechou, sem querer analisar as jóias. – Tem certeza de que você não está metendo os pés pelas mãos?

− Tem como pensar outra coisa depois de achar isso, porra?! Me ajuda, Naruto, não fode! – Kiba levou as mãos aos fios castanhos, puxando-os entre os dedos. Akamaru latia feliz achando graça do desolamento do humano de estimação.

− Bom, isso é... – O loiro suspirou com um semblante pensativo. – Mas não pode ser tão ruim, pode?

− Como não, Naruto?! O Shino tá com a vida ganha, mas eu sou um estudante de merda que entrega pizza de calabresa por uns trocados a mais na noite! – falou de maneira energética. – Como é que a gente vai juntar os panos se eu mal terminei de pagar a prestação do meu Xbox One?!

O desespero de Kiba era tangível, do tipo de dar pena! Naruto entendia, é claro. Também não gostaria de levar uma vida onde fosse sustentado pela outra parte do relacionamento.

Shikamaru, seu namorado, tinha um emprego estável como TI, trabalhando em uma empresa de desenvolvimento de softwares. Ganhava um pouco mais que Naruto, mas as contas eram bastante equilibradas. Ele não podia reclamar.

− Não acho que Shino vai te cobrar isso. Você não pode fazer de uma competição com um cara que é quase dez anos mais velho que você.

− Exatamente, Naruto! São dez anos! O Shino deve estar querendo estabilizar a vida dele! Já temos um cachorro! Só falta dois filhos e um violão!

Naruto tinha quase certeza que na conta não entrava violão algum, mas decidiu não entrar no mérito da questão. Suspirou pesado, colocando uma das mãos sobre o ombro de Kiba.

− Vai ter que ser homem, cara. Vai ter que falar com ele sobre como se sente. Que ainda não está preparado e que, se ele te ama, vai ter que esperar.

Kiba abriu a boca para contra argumentar o péssimo conselho do irmão, exceto pelo fato de ele fazer total sentido.

− Porra, Naruto, às vezes você me surpreende com esses surtos de genialidade! Deve ser o tempo que tá passando com seu namorado nerd! – Sorriu, feliz.

− Então vai seguir o meu conselho?

− Hm! – concordou. – Vou esperar o Shino chegar em casa e vou conversar com ele. Obrigado mesmo, cara!

Naruto estufou o peito orgulhoso. Mais uma vez havia salvado o dia! Ou melhor: a vida amorosa de seu irmão.

X

− Tudo bem com as alianças? – Kiba despertou com a voz que vinha da cozinha do apartamento. Ainda sonolento, esfregava os olhos diante da voz que não reconhecia.

− Sim, tudo certo. – A voz de Shino seguiu-se a esta como resposta. – Consegui reservar aquele lugar para sexta-feira no jantar, às oito.

− Ótimo. Vai ser uma grande noite.

Depois disso, silêncio e, cinco minutos depois, uma breve despedida na porta. Sexta-feira seria o dia depois de amanhã. Era essa a data em que Shino pediria sua mão?!

N/A:

E ai, será que Kiba vai casar?! Nos vemos no próximo!

12 de Mayo de 2019 a las 20:22 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Como assim ele não quer casar?!

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 1 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión