Exo Valentine's Day China e Coréia Seguir historia

aikimsoo Ai KimSoo

E fazia um bom tempo que Sehun não via Luhan. Ambos conversavam mesmo após a saída do chinês do grupo do Exo, mas nunca tiveram a oportunidade de se reverem. Agora era dia dos namorados e Luhan fez uma loucura. Sehun também. Ignorando as possíveis consequências que podem existir se forem pegos, ambos resolvem passarem essa data especial juntos.


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18.

#hunhan #aikimsoo #exocouples
Cuento corto
3
3.6mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Matando a saudade

-Sehun-


-Você vai abrir um buraco aqui no meu quarto, Sehun! – D.O-hyung falou enquanto eu andava de um lado para o outro.

-Aish hyung, eu estou nervoso! Faz anos que não nos vemos, hoje vai ser a primeira vez. – argumentei e o mesmo revirou os olhos.

-Sehun, você falando desse jeito parece que foi há mais de 10 anos.

-Mas para mim parece que foi isso!

-Para de gritar ou vai levar um tapa! – ele ameaçou e eu recuei.

-Eu estou com muita saudades do LuHan, mas também estou com um medo danado de dar problema para ele se nos encontrarmos. – desabafei sentando na cama de Jongin.

-Você deveria se preocupar mais em dar problema para você. Isso é arriscado, eu já te falei isso e o Luhan também sabe... Aish! Vocês dois são malucos! Esqueceram que o Kris está aqui também? A SM com certeza está marcando mais em cima do que antes. – ele lembrou e eu suspirei.

-Por mim tanto faz, hyung. Se a SM quiser me demitir por ter encontrado o Hannie, não me importo. -Você...

-É muito triste pra mim levantar todos os dias e ver todos vocês felizes. Não estou querendo dizer que queria que passassem pelo o que estou passando, longe disso! Na verdade não desejo esse sofrimento para ninguém, mas... Não posso negar que sinto inveja quando os vejo trocando carícias. Eu sinto muita falta do Hannie e não vê-lo durante esse tempo está acabando comigo. Claro que amo todos vocês e nem quero sair do Exo, adoro nossas fãs, mas...

-Tudo bem, não precisa mais explicar. – ele falou e eu o senti colocar a mão na minha cabeça. Eu nem mesmo o tinha visto levantar e sentar ao meu lado. – Vou fazer de tudo para não descobrirem ok? Eu vou sair mais tarde e qualquer coisa, digo que você vai sair comigo. Agora se apresse, porque o Luhan-hyung detesta atrasos. – ele lembrou e apontou para o relógio que tinha no quarto.

-Obrigado hyung! Eu amo você! – falei levantando em um pulo e correndo para sair do quarto.

Passei mais uma vez no banheiro e vi que não estava desarrumado. Não me importei de falar com ninguém do dormitório e saí praticamente correndo. Peguei um táxi e dei o endereço de onde tinha combinado de encontrar com o meu hyung favorito. Por não podermos ser vistos, Luhan decidiu alugar um hotel bem longe de muita gente e passaríamos somente algumas horas juntos, porque depois eu teria que voltar para o dormitório. O manager-hyung não podia nem desconfiar do que eu estava fazendo.

O lugar ficava à duas horas de onde eu estava e por isso saí mais cedo o que eu esperava. Coloquei a mão dentro do bolso interno do meu casaco e confirmei que o presente ainda estava ali. Eu perguntava ao motorista o tempo todo se já estávamos chegando e o mesmo sempre dizia que não, não e não. Sinceramente, esse lugar era tão distante assim?! Peguei o celular e choraminguei para o chinês que o lugar era muito longe. Ele apenas riu e disse que eu era impaciente demais e que ele que deveria reclamar de distância, já que veio da China até Vancouver só para me ver.

Eu deveria me sentir mal por conta disso, mas sinceramente eu ficava mais feliz. Saber que ele veio somente para me ver, quando deveria estar divulgando o novo álbum, era sem dúvidas o melhor presente da minha vida. Depois de um bom tempo conversando com ele por mensagens – como sempre fizemos durante esses anos – o motorista me avisou que chegamos e eu quase o agarrei em um abraço, mas não fiz isso porque eu era todinho do meu hyung.

Paguei o motorista e desci correndo do carro. Entrei no hotel e dei meu nome falso, porque não podíamos deixar pista, recebendo então a chave para entrar no quarto. Pessoas me olhavam e eu provavelmente deveria estar chamando atenção com o enorme sorriso que tinha no rosto. Não posso esquecer também do fato de que eu estava correndo o tempo todo. Corri do dormitório, desci correndo do táxi, corri para a recepção e agora estava correndo até o elevador. Fiquei tão feliz quando não precisei esperar e já pude ir logo entrando.

Apertei o andar que eu queria e fiquei batendo o pé. As duas moças que estavam dentro do elevador comigo me fitavam como se eu fosse um estranho, porque eu não parava de mexer o pé. Pareceram passar horas e mais horas enquanto eu esperava a porcaria do elevador abrir no andar que eu queria. Quando isso finalmente aconteceu, o que eu fiz? Corri de novo. Procurei pelo quarto 300 e quando o achei, parei em frente a porta respirando bem fundo. Era felicidade demais, ansiedade demais, nervoso demais, tudo era demais e principalmente o Luhan era demais...

Opa! Luhan?

-Hunnie? – ele perguntou e então eu foquei minha visão.

Ele tinha aberto a porta enquanto eu estava desesperado internamente e me fitava. Eu deveria tê-lo puxado para um abraço ou um beijo, mas o que eu fiz foi apenas chorar. Eu estava tão feliz, mais tão feliz, que não conseguia controlar minhas lágrimas. O chinês que eu amava me puxou para dentro do quarto e me abraçou apertado. Ele fazia carinho em minhas costas, enquanto eu o apertava nos meus braços. Luhan sempre fora mais másculo que eu nesse quesito, porque quando eu ficava feliz ou triste, era uma completa manteiga derretida.

-Hyung... hyung... eu senti tanto a sua falta... eu senti tanta saudade do seu cheiro... – eu murmurei pausadamente enquanto o apertava mais em meus braços.

-Eu também, Hunnie. Eu não teria feito a loucura de vir até aqui se eu não sentisse tanta saudade de tocá-lo. – ele segredou perto do meu pescoço e me abraçou mais.

-Eu te amo muito, muito mesmo! Te amo tanto que eu não quero me separar de você! Como eu consegui ficar esse tempo todo longe? Sem te ver? Sem te tocar? Céus! Não vou conseguir ir embora depois. – declarei e ele riu.

-Sinto em dizer isso, mas você terá que ir embora sim. Não esqueça que eu fiz de tudo para não criar problemas para você e se você jogar todo o meu esforço fora, vou te castrar! – ele avisou e me soltou.

-Jamais castraria, você me ama todinho. – falei e ele riu.

Depois de rirmos, finalmente o beijo. Era como se fosse a primeira vez e eu estava completamente perdido nas sensações. Era um beijo cheio de saudades e que dizia o quanto nos amávamos. Eu não brinquei quando disse que largaria o Exo por ele. Nunca senti tantos sentimentos por uma pessoa como eu sentia pelo Luhan.

Em meio ao nosso beijo repleto de saudades, tudo se tornou mais intenso e fomos parar na cama do quarto de hotel. Não hesitamos em momento algum em matar nossa saudade. Não era bem desse jeito que pretendíamos, mas o que podíamos fazer se até nossos corpos estavam desesperados?

Senti as mãos de Luhan sobre mim e senti minhas mãos sobre ele. Era uma sensação tão antiga, mas que agora se fazia tão verdadeira que fez parecer que todo aquele tempo afastado não passou de um pesadelo. Queria mesmo que fosse um pesadelo e que eu finalmente estava acordando, mas minha consciência fazia questão de me lembrar de que essa não era a verdade e que eu deveria aproveitar mais. Quando finalmente nos sentimos completos e repletos de prazer, deitamos ao lado um do outro de mãos dadas.

-Quanto tempo será que passou? Ainda dá tempo de você ficar aqui né? – Luhan perguntou depois de um tempo.

-Tenho todo o tempo do mundo para ficar aqui, amor. – respondi o olhando e sorrindo.

-Não fale assim que eu acredito. – ele falou e eu ri. O puxei para perto de mim e sentamos abraçados de lado. Não fiquei feliz com aquela posição, então o deitei em minha perna, mesmo que estivéssemos nus.

-Você é tão lindo, Hunnie. – sussurrei fazendo carinho em seu rosto e ele sorriu.

-Você é mais. Senti tanto a sua falta. Ainda bem que nos falamos todos os dias. – ele declarou beijando minha mão.

-Se não fosse por isso, acho que eu já estaria em depressão. – fui sincero e ele arregalou os olhos.

-Não diga uma besteira dessa, Hunnie. – ele me repreendeu e eu dei de ombros. Eu não estava mentindo, realmente entraria em depressão, mas deixei para lá. – Como estão os outros?

-Mais enjoados que nunca. – respondi e ele deu um tapa na minha cintura, o que nos fez rir. – O Baekhyun e o Chanyeol-hyungs estão mais apegados que nunca, embora vivam dando pitacos as vezes.

-Baekhyun continua com muito drama? – ele perguntou.

-Drama é pouco. Quando o Chanyeol-hyung pisa na bola, o Baekhyun-hyung fica com um humor negro e solta patadas em cima de todo mundo. Só o hyung orelhudo para...

-Hunnie! – ele me repreendeu e rimos.

-Enfim, só os dois para se entenderem mesmo. O Suho-hyung anda bastante chateado e preocupado com o Lay-hyung, já que ele caiu de moto né?

-Eu quase coloquei o coração para fora quando vi as notícias. Tentei ir até ele, mas foi tarde e ele já estava na Coréia. – Luhan falou e eu imaginei. Ele e Lay costumavam se ver com bastante frequência.

-Xiumin-hyung e Chen-hyung estão mais grudados também. Chen passou um sufoco quando o hyung machucou a cintura. Fica cheio de não me toques com a gente e o Xiumin-hyung apenas ria enquanto se aproveitava dos mimos. – contei e Luhan gargalhou.

-E quanto ao Jongin e o Soo? – ele perguntou e eu suspirei.

-Eu esqueci de contar né? Eles terminaram faz uma semana.

-O QUÊ?! – ele gritou e se levantou de supetão. – Eles terminaram?! Eles?!

-Sim. – respondi rindo. – Mas devem voltar logo. O Kai anda muito pra baixo e não vai demorar muito à voltar com o rabinho entre as pernas para o hyung. Ah... o hyung mandou um abraço pra você. – falei e o puxei para um abraço apertado.

-Diga a ele que recebi com muito carinho. – Luhan falou rindo e então nos soltamos. – E você? Muito cansativa a rotina?

-Estamos conseguindo dar conta. Eu estou tão feliz pelo o seu sucesso, hyung! O Kris está por aqui também.

-Eu sei, vamos nos encontrar amanhã.

-Queria poder te ver de novo...

-Nada de ficar para baixo, Hunnie. Em breve arranjarei um jeito de te ver de novo. – ele me tranquilizou e depositou um beijo em meus lábios.

Eu iria continuar a beijá-lo, quando ouvi meu celular tocar. Eu sinceramente não quis ir atender, mas Luhan levantou e foi buscá-lo. Fiz bico e quando ele voltou, deu uma mordida de leve em meu lábio inferior e me entregou o aparelho. Era uma mensagem e quando abri, não consegui esconder o sorriso.

-O que está dizendo? – Luhan perguntou curioso.

-Suho-hyung falou que eu posso dormir com você! Ele falou para o nosso manager que vai dormir fora, porque viajou para conhecer a praia e disse que eu estou com ele. – respondi eufórico.

-Então quer dizer que você pode passar essa noite comigo?

-SIM! Ele ainda disse que amanhã vai vir me buscar, para podermos voltar para casa juntos.

-Você precisa amar muito ao Suho. – Luhan falou e pulou em meu colo.

Nos abraçamos apertado e ficamos igual dois idiotas apaixonados rindo. Olhamos para a hora e choramos de felicidade por ainda nem ser 22h. Pedimos comida e jantamos juntos, como há tempos não fazíamos. Depois do jantar, vimos um filme. Ou melhor, tentamos ver né? Acabamos nos amando mais uma vez e antes que o Hannie pudesse pegar no sono, puxei a caixinha que estava dentro do meu casaco – que estava no chão. – e lhe estendi. Ele olhou surpreso e logo abriu.

Acho que eu poderia rasgar meu rosto de tão grande que ficou meu sorriso. Luhan ficou com os olhos marejados ao ver as duas pulseiras prateadas que comprei. Praticamente começou a chorar quando viu o que estava escrito na parte de dentro. Eu estendi a mão para que ele me desse seu pulso e eu pudesse colocar a pulseira.

-“Você é o céu...” – sussurrei a frase que estava escrita na pulseira dele e depois de prendê-la, entendi meu braço e ele começou a colocar em mim.

-“Porque sempre estará junto comigo.” - ele sussurrou com a voz chorosa. Olhou para mim e sua expressão era linda. – Eu te amo tanto.

-Dizer te amo já não condiz com a imensidade do que eu sinto por você, Hannie. – confessei e ele chorou mais.

Depois de nos abraçarmos e ficarmos admirando nossas pulseiras apaixonadamente, acabamos dormindo. Aquele sem dúvida nenhuma tinha sido o melhor dia dos namorados da minha vida.

13 de Abril de 2019 a las 05:30 0 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~