Cuento corto
0
503 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

O Homem da Lua

O Homem da Lua era, de fato, uma pessoa sábia. Tão sábia que muitos cientistas, existencialistas ou filósofos teriam inveja de seu vasto conhecimento sobre a vida, o universo e tudo mais. Bem... teriam.

O Homem da Lua era uma pessoa que amava viajar pelo espaço e adquirir conhecimento de várias maneiras como, livros, pessoas, natureza etc. Já aprendeu várias coisas em sua longa jornada e continua com sua sede inesgotável pelo conhecimento.

Porém, ninguém dava bola pra ele. Por quê? Bem, o seu pequeno e humilde lar era, realmente, uma lua. Uma lua de um planeta bem bonito e nada habitável – por isso ele morava na lua. Mas, contudo, sua lua era muito simples e não tinha nada de interessante lá, a não ser ele e sua bagunça de coisas legais.

Ele sempre tentava falar das coisas interessantes que sabia para os outros, mas, o seu jeito peculiar e engraçado de se vestir fazia com que as pessoas não o levassem muito a sério. E mesmo que o levassem a sério, ele não conseguiria dizer uma palavra daquilo que pensava porque, sempre que tentava fazer contato social, sua garganta travava e gaguejava, o fazendo pagar um grande mico. Era por isso que amava ficar dentro de casa. Mas, infelizmente, por causa disso, era chamado de antissocial.

Então, optou por socializar através da galacnet – para vocês, humanos, isso seria parecido com a sua “internet”. A galacnet era uma rede de informações compacta e confortável. Bem útil para pesquisar, se distrair e fazer contato social. E, normalmente, o Homem da Lua usava o Dbüt para se comunicar – uma espécie de fórum.

Ele já encontrou várias pessoas lá. Fez várias amizades e conquistou várias pessoas com seus pensamentos. Tanto até que, quando lançou seu primeiro livro, foi um sucesso. Mas, mesmo seu livro fazendo um pequeno sucesso, alguns ainda não respeitavam o grande talento que havia recebido, simplesmente por causa de seu jeitinho peculiar e sua lua aparentemente nada interessante. E, por causa disso, se esforçou ainda mais para que seu trabalho fosse reconhecido, mesmo que ele e sua lua fossem esquisitos, tanto para que se sentisse bem consigo mesmo e tanto para satisfazer um pouquinho de avareza.

E assim continua o Homem da Lua, em frente a sua lareira, em sua pequena cabana, em sua pequena lua, buscando conhecimento em uma grande pilha bagunçada de livros, para servir de motivação, escrevendo seu novo livro intitulado “Pensamentos de uma Protoestrela Existencialista”. E, ao fim de um grande gole de café quasar, ele suspira e abre um enorme sorriso em seu rosto.


"A escrita é, definitivamente, o melhor meio de comunicação. Quando escrevemos, não temos contato com a aparência, voz e outras características físicas dos outros, apenas com suas palavras e o jeito de se expressar. A única coisa que se nota em uma conversa por escrita é o caráter, e é pelo caráter que se conquista alguém."

-Homem da Lua, em seu livro intitulado "A escrita e o princípio da realidade anônimo", ano terrestre 2019

12 de Marzo de 2019 a las 20:48 0 Reporte Insertar 3
Fin

Conoce al autor

Seval Rodrigues eu escreveria uma bio se eu tivesse criatividade para a deixar interessante

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~