Cabaret Seguir historia

bucetinhadobyun 𝕤𝕞𝕚𝕝𝕖 𝕠𝕟 𝕞𝕪 𝕗𝕒𝕔𝕖 ⁹⁹

Kim Taeyeon olhou uma última vez para a casa em que vivia, uma despedida silenciosa, os pais a deixaram antes mesmo que pudesse se casar, isso poderia salvá-la de um destino cruel. A casa estava em chamas, mas ninguém se atreveu a socorrê-la, não era ninguém importante e menos ainda mudaria as suas vidas. A jovem estava sozinha no mundo, e o único lugar que podia pedir ajuda além de um convento, era a casa mais visitada e de má fama, o prostíbulo. A passos largos, ela seguiu até o convento e tropeçou nos próprios pés quase caindo, mas não aconteceu porque ela conseguiu se segurar em uma barraca. Por algum motivo o caminho parecia mais difícil e longo do que antes, tantas vezes tinha ido a missa, fez o mesmo percurso e parecia tão rápido, mas as situações eram diferentes. Decidiu não ir para lá, estava envergonhada demais com algo que o padre disse na semana anterior, sobre pobres não entrarem no céu se não pudessem pagar pedágio aos santos, e prostitutas não eram bem vindas. Por não saber ler e nem escrever, o que lhe restava era ir para o prostíbulo, já que não tinha nenhum emprego que iria aceitá-la em pleno século XVIII.


Fanfiction Sólo para mayores de 21 (adultos).

#lgbt+ #Baeksica #Yulsic #girls-generation #taeyeon #tiffany #exo #taeny #angst #yuri #yaoi #drama
Cuento corto
1
2884 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Um

Kim Taeyeon olhou uma última vez para a casa em que vivia, uma despedida silenciosa, os pais a deixaram antes mesmo que pudesse se casar, isso poderia salvá-la de um destino cruel. A casa estava em chamas, mas ninguém se atreveu a socorrê-la, não era ninguém importante e menos ainda mudaria as suas vidas. A jovem estava sozinha no mundo, e o único lugar que podia pedir ajuda além de um convento, era a casa mais visitada e de má fama, o prostíbulo. A passos largos, ela seguiu até o convento e tropeçou nos próprios pés quase caindo, mas não aconteceu porque ela conseguiu se segurar em uma barraca. Por algum motivo o caminho parecia mais dificil e longo do que antes, tantas vezes tinha ido a missa, fez o mesmo percurso e parecia tão rápido, mas as situações eram diferentes. Decidiu não ir para lá, estava envergonhada demais com algo que o padre disse na semana anterior, sobre pobres não entrarem no céu se não pudessem pagar pedágio aos santos, e prostitutas não eram bem vindas. Por não saber ler e nem escrever, o que lhe restava era ir para o prostíbulo, já que não tinha nenhum emprego que iria aceitá-la em pleno século XVIII.



Jung Jessica estava lendo um livro, quando ouviu sua colega Yoona anunciando que tinha chegado uma novata atrás de emprego, suspirou por ter sido interrompida e foi atrás da tal novata. Passou pelo balcão e seguiu até uma das mesas, em que a moça se encontrava bebendo água e pela forma como se comportava parecia pura demais para um ambiente como aquele, deveria ser freira. Para ser freira tinha um pré requisito, saber ler para aprender os ensinamentos da bíblia. A Jung deduziu que a moça provavelmente não sabia ler e escrever, por isso estava lá, não era a primeira a aparecer ali sem saber. Sentou-se junto a ela, mas não escondeu o ar de superioridade e arrogância, afinal era sua marca registrada entre elas. Cada prostituta era conhecida por sua personalidade, Jessica por sua arrogância, Yoona por seu silêncio, Yuri por seu jeito sedutor, Sunny por sua alegria contagiante, Seohyun por sua inteligência, Sooyoung por sua ingenuidade e lerdeza, e Hyoyeon por sua personalidade forte.


— Sabe ler? — negou com a cabeça e bebeu outro gole da água. — Certo... — gesticulou para que Yoona cuidasse da garota, falaria com a chefe.


Quando estava próximo a porta, parou ao ver Hyoyeon e Yuri discutindo, ela sempre tinha que separar a briga ou depois sobrava para ela escutar da chefe. Puxou Yuri pelos fios e gesticulou para a Hyoyeon ir para o quarto dela, conversariam mais tarde. Jessica era a chefe quando Tiffany se ausentava, por isso agia com tanta autoridade e arrogância.


— Se brigar de novo, eu vou ter que reportar isso para a Hwang e todo mundo vai sair prejudicado, quer isso Kwon? — a morena fez bico e negou com a cabeça, ficava tão submissa na presença da loira que nem ao menos conseguia falar. — Vá se preparar para mais tarde, preciso conversar com a Hwang.


— Sica...


— Fala.


— Posso sair do castigo e voltar a dormir contigo? — enrolou os fios no indicador e fez bico, a Jung semicerrou os olhos e não respondeu a pergunta, apenas entrou na sala da chefe.


Tiveram uma conversa rápida e objetiva, Tiffany conheceria a nova mercadoria e a colocaria em circulação rapidamente, Jung assentiu e saiu da sala para conversar com Hyoyeon.



Sunny e Yoona estavam entretendo a moça, afinal estava nítido que ela estava precisando de ajuda, mas logo se calaram ao ouvir a chefe se aproximar. Sunny prometeu que voltaria rapidamente, então arrastou Yoona para longe e deixou as duas a sós. Tiffany sentou-se e cruzou os braços, o olhar fixo na menor que a olhava nitidamente assustada, esboçou um pequeno sorriso para acalmá-la mas não adiantou muito.


— Me fale sobre você. — ela assentiu mas sentiu-se perdida, não sabia por onde começar, então decidiu começar do começo.


Ouvia atentamente cada palavra, tinha ouvido tantas histórias e era por meio delas que decidia que nome cada uma usaria e como deveria se vestir quando fosse trabalhar, nunca errava e tornava cada prostituta única e exclusiva. Para a sua surpresa, ela não sentiu vontade de simplesmente lançá-la aos leões, algo nela a fazia querer cuidar e proteger, então decidiu inicialmente ensiná-la a ler e escrever, já que não sabia e mantê-la sob sua tutela por enquanto. Ela sabia que tal atitude revoltaria as demais, porém ela quem comandava e sabia muito bem o que fazia.


— Vou mostrar o seu quarto, espero que se comporte. — assentiu e levantou-se a seguindo.



Kwon Yuri mantinha-se ocupada costurando a roupa que usaria aquela noite, estava tão ansiosa para dormir novamente com a amada, nem ao menos escondia isso. As duas tinham uma relação complicada, Yuri era apaixonada por Jessica, mas a mesma simplesmente a rejeitava e mantinha-se restrita a relação profissional, mas vez ou outra cedia aos seus encantos. As duas se conheciam fazia muito tempo, entraram no mesmo dia no prostíbulo e por esse motivo ficaram tão próximas, foram as primeiras prostitutas de Tiffany.


— Cuidado para não furar o dedo. — alertou Sooyoung entrando no quarto, e por conta da distração quase o fez. — Eu disse.


— Se a Sica não fosse tão fria eu poderia estar mais atenta as tarefas... Ela só me maltrata Yoonie. — fez bico e largou a roupa abraçando a maior. — Eu juro que eu tento ser paciente e compreensiva, mas ela não facilita.


— Primeiro, se coloque no lugar dela e tente entender um pouco, ela tem muitas responsabilidades e pra ela está fora de cogitação envolver trabalho e relacionamento. — soltaram-se e a maior pegou a roupa para terminar de costurar. — Soube que brigou com a Hyo, o que foi dessa vez?


— Ela me acusou de ter roubado uma roupa dela, mas eu nem sequer encostei no guarda-roupa! — cruzou os braços revoltada.


— Deve ter sido a Sunny, sabe como ela é, simplesmente pega para lavar e não avisa pra ninguém. — terminou de costurar e entregou o vestido. — Aqui, novinho em folha.


— Obrigada, mas ela vive me culpando por tudo o que some.


— Estresse. — deu de ombros, a menor suspirou, queria ter a mesma paciência que ela e a Yoona.


— Como consegue?


— Nem eu sei explicar.



Yoona viu quando Taeyeon entrou no quarto com Tiffany e pensou que tinha algo de diferente acontecendo, o motivo era bem simples, a chefe nunca levava elas aos quartos, sempre mandava a Jessica. Coçou a nuca confusa e seguiu para o banheiro para tomar um banho, precisava estar pronta para mais tarde e não era tolerado atrasos. Sunny também viu, mas preferiu não dizer nada, apenas entrou no banheiro também e aproveitou para dar uns beijos na maior.


— Poderia se controlar por favor? Se nos atrasarmos podemos entrar em problemas. — repreendeu Yoona a afastando de si.


— E como vou me controlar com uma mulher maravilhosa como você, bem linda e nua na minha frente?


— Se controlando! — expulsou-a do banheiro e trancou a porta, fazendo- a suspirar.


— Definitivamente hoje não é o meu dia. — disse isso e Yuri passou bem na hora.


— Não é a única rejeitada. — comentou e desceu as escadas com Sooyoung.


— Onde estão indo?


— Mercado, quer vir com a gente?


— Aceito dar uma saída.



Kim Hyoyeon desabafou com Jessica e em seguida começou a se arrumar com a ajuda da ruiva, não estava em um dia bom e o motivo era bem simples, o cliente que tinha prometido casar com ela casou-se com outra e ela soube da pior forma possível.


— A Fany já falou mil vezes para não acreditar nos clientes, eles só querem sexo e nada mais. — a loira ficou em silêncio, sabia que a ruiva estava certa, mas era orgulhosa demais para admitir. — Põe um sorriso no rosto e beba bastante, não quero que encha os clientes com os seus clientes e nos deixe com prejuízo.


— Já se resolveu com a Yuri ou continua iludindo ela? — engoliu em seco a pergunta, a loira a encarava pelo espelho. — Fala deles mas está fazendo o mesmo.


— Cuide da sua vida. — prendeu um pouco mais o espartilho e a loira riu abafado.


— Estou cuidando, Yuri merece alguém que a ame de verdade e eu a vejo como uma irmã, sabe disso. — a ruiva suspirou e desviou o olhar.


— Da última vez que tentei rejeitá-la, ela passou uma semana trancada lá dentro e quase tivemos prejuízo, a Hwang quis me matar por isso.


— Não somos mais adolescentes inseguras Jessica, agora somos adultas e ela também, então acabe logo com isso.


— Amanhã, pode ser?


— Ficarei de olho. — assentiu. — Agora consigo sozinha, obrigada.


Jung saiu do quarto e notou que o lugar estava silencioso demais, e assim que entrou no quarto da Kwon confirmou, elas tinham saído, suspirou e foi para o lado de fora fumar e acalmar-se.



Taeyeon ouviu as orientações e assentiu, assim que a mais velha saiu, ela olhou para o lugar que ficaria e sorriu fraco, era melhor do que morar na rua. Analisou as roupas que tinha ali, os perfumes e maquiagens, mas logo parou quando ouviu a porta ser aberta, virou-se e deparou-se com Yoona.


— Posso ajudar em alguma coisa?


— Você viu as meninas? — negou com a cabeça. — Só porque preciso de ajuda... — resmungou para si mesma desviando o olhar.


— O que aconteceu?


— Preciso fazer a minha maquiagem e o meu cabelo, mas não posso fazer sozinha.


— Acho que eu consigo.


— Tem certeza?


— Absoluta, se ficar ruim pode me xingar ou bater.



Jessica fumava enquanto olhava para as pessoas que passavam, apesar de tão visível nas noites, era invisível nos dias e isso lhe causava um pouco de desconforto. Era para ela ter tido um bom futuro, mas a vida decidiu aprontar consigo e agora se encontrava vendendo o corpo por comida e teto.


— Eu deveria ter ficado quieta... — disse para si mesma e tragou outra vez, nesse momento Tiffany apareceu e sentou-se silenciosamente ao lado dela.


— Reclamando de novo?


— Quando eu não reclamo, Hwang? — a mais velha riu baixo.


— Ainda bem que quando atende aos clientes fica de boca fechada, caso contrário teríamos prejuízo.


— Sabe porque eu decidi ficar quieta, fria?


— Você nunca quis me contar.


— Descobri a traição do meu pai e que ele pretendia matar a minha mãe para ficar com toda a fortuna só pra ele, então contei sobre a polícia e fui considerada louca, ele fez questão de internar... Saí fugida de lá depois de seduzir os guardas e fui para o único lugar que me receberia bem, o seu prostíbulo. — seu olhar era cheio de mágoa, ódio, mas a voz era fria.


— Nem todas as famílias são boas, e tem outros que nem família tem. — disse e pegou o cigarro para si. — Sinto muito que tenha passado por isso.


— Sua falsidade me enoja. — olhou-a com desprezo e mais velha com desdém.


— Se soubesse da minha história, iria entender muita coisa.


— Não estou interessada.


— E quem disse que eu contaria? Agora vai se arrumar.



Voltaram cheias de sacolas, e foram recebidas com um olhar nada agradável da chefe, e esse olhar foi o suficiente para fazê-las correrem para os quartos. Yoona desceu as escadas, estava pronta e iria recepcionar os clientes hoje a pedido da Hwang.


— Está um espetáculo, agora fique por ali que eu verei um jeito de distraí-los enquanto as atrasadas se arrumam. — assentiu com o pedido e foi até o palco.


Taeyeon ficou no alto da escada observando curiosa e confusa, todas tinham recebido ordens para se prepararem e ela não, isso a fez pensar que a dona tinha outros planos para si e isso estava começando a assustá-la. Os olhares se encontraram e a ruiva sorriu, fazendo a morena sorrir fraco e voltar para o quarto.



Foi uma noite movimentada e bem lucrativa, o atraso foi compensado com uma apresentação da dona do prostíbulo cantando, mas ela não fazia ideia que Taeyeon também era muito boa cantando, a mesma observou a apresentação escondida e ficou encantada com a beleza da voz da mais velha.


— O que está fazendo aqui? — perguntou Jessica e ela a olhou assustada e sem saber o que responder.


13 de Marzo de 2019 a las 00:01 1 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

𝕤𝕞𝕚𝕝𝕖 𝕠𝕟 𝕞𝕪 𝕗𝕒𝕔𝕖 ⁹⁹ Gosto de escrever, ouvir música e apreciar fanarts. ♥

Comenta algo

Publica!
Karimy Karimy
Olá! Escrevo a você por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para ajudar os leitores a encontrarem boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A Verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se não quiser modificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através do Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada em revisão pelos seguintes apontamentos retirados dela. 1)Falta de vírgula em "o único lugar que podia pedir ajuda além de um convento, era a casa" em vez de "o único lugar que podia pedir ajuda, além de um convento, era a casa"; "já que não sabia e mantê-la sob sua tutela" em vez de "já que não sabia, e mantê-la sob sua tutela". Vírgula desnecessária em "uma das mesas, em que". Falta de vírgula em vocativo, como em "quer isso Kwon" em vez de "quer isso, Kwon". 2)Falta de crase em "tinha ido a missa" em vez de "tinha ido à missa"; "próximo a porta" em vez de "próxima à porta"; "eu poderia estar mais atenta as tarefas" em vez de "eu poderia estar mais atenta às tarefas". 3)"bem vindas" em vez de "bem-vindas"; "pré requisito" em vez de "pré-requisito". 4)Observar: "não quero que encha os clientes com seus clientes". Obs.: os apontamentos acima são exemplos, há mais o que ser revisado na história além deles. Aconselho que procure um beta reader; é sempre bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que acertamos e o que podemos melhorar, assim como ajudar-nos com a gramática e ortografia. Caso se interesse, esse recurso também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Além disso, também temos o blog Tecendo Histórias, que dá dicas sobre construção narrativa e poética, e o blog Esquadrão da Revisão, que dá dicas de português. Confira! Bom... Basta responder esta mensagem quando tiver revisado a história, então farei uma nova verificação.
14 de Abril de 2019 a las 18:43
~