Friends Seguir historia

kyungbear Manu Almeida

Quando Jongin anda muito estressado com o trabalho, seu amigo Kyungsoo tem a solução perfeita.


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18.

#kadi #bl #abo #mpreg #yaoi #kaisoo #exo
2
3.5mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Todos los viernes
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo 1

O relógio na parede marcava cinco para às uma da manhã, horário em que normalmente eu estaria no décimo quinto sono por ser um tanto fraco com horários. No entanto no momento não poderia aconchegar-me como queria nos meus cobertores quentinhos e macios, pelo menos não antes de fazer o que tinha prometido a mim mesmo.


Ajeitando o robe azul petróleo no corpo, eu desci o lance de escadas da elegante casa que dividia com meu amigo. Nós ganhava-mos bem então, não havia motivos para não desfrutar do resultado do esforço e trabalho duro de ambos. Embora Jongin estivesse exagerando no trabalho nos últimos meses.


O moreno estava concluindo uma negociação importante para a empresa, ele era engenheiro mecânico por formação mas, atualmente atuava mesmo era como o CEO da empresa herdada dos pais. Fato que o ocupava muito do tempo e ultimamente, até do tempo livre. Por isso mesmo eu não estava nada surpreso de ver que até esse horário e mesmo em casa, o alfa trabalhava.


Pela brecha da porta do escritório do outro eu podia ver o Kim digitando freneticamente no MacBook, o cenho franzido como se estivesse no meio de algo complicado demais. Observei quando ele parou para bagunçar os fios negros e bufar irritado, jogando-se para trás na cadeira de couro marrom, relaxando o corpo comprido do jeito que podia. Ele fechou os olhos e inspirou profundamente, sorrindo logo após.


— Kyung? O que faz acordado a essa hora? —ele abriu os olhos e mirou-os diretamente em mim.


Entrei no local já conhecido e me aproximei lentamente do alfa. Só agora notando que os três primeiros botões da camisa social vermelha que ele trajava estavam abertos. Parei atrás da cadeira e abracei-o pelo pescoço, deixando um beijinho na bochecha alheia, deitando a minha cabeça em um dos ombros largos logo após.


— Vim lembrar um certo alfa de que ele ainda é humano portanto, ainda tem necessidades básicas, sabe? —minha voz saiu mais cínica do que o previsto mas eu não pude resistir a fazer uma pequena graça.


— Kyung...não dá. Tenho que continuar aqui. —o mais novo pegou minha mão que estava agarrada a si e deixou um singelo selo no dorso. Eu adorava o jeito carinhoso do meu amigo que mesmo claramente estressado nunca me travava mal. —Mas obrigado pela preocupação. Agora vá dormir, está tarde.

Soltei-me do moreno e antes que ele podesse resmungar mais, fui até a adega em estilo rústico que fica mais ao fundo do escritório, pegando uma das safras que eu havia dado-o de presente. Aproveitei e peguei duas taças também, posicionei-as em cima da mesa junto com a garrafa.


— Kyungsoo, não tenho tempo agora, prometo que depois bebemos tá bom? —o infeliz que eu chamava de amigo se levantou, pronto para guardar o vinho e as taças mas eu o fiz parar antes.


— Jongin, só vem relaxar um pouco. —pus as mãos em seus ombros, levantando o olhar para poder foca-ló no seu já que o Kim é uns bons centímetros mais alto apesar de um ano mais novo. —Olha só como você tá estressado —apertei seus ombros de leve —Você precisa descansar.


— Eu preciso mesmo continuar. —ele suspirou e tirou minhas mãos do seu corpo, segurando-as nas suas. —Você sabe Soo...


— Hoje é sábado, e você trabalhou a semana toda que eu sei. Sério que não pode dar nem um pouquinho de atenção para o seu querido amigo?


Fiz questão de abusar do meu aegyo e parece ter feito efeito pois logo Jongin puxou-me para mais perto e colou aquela boquinha bonita no canto da minha boca.


— Tudo bem, você venceu. —não perdi tempo e logo o trouxe para o sofá confortável do escritório. —Mas só um pouquinho ok? Não quero que fique bêbado.


Revirei os olhos pela preocupação desnecessária do alfa e me acomodei também no espaço largo, relaxando após servi uma taça para mim e para o moreno. Conversamos trivialidades do dia a dia inclusive sobre o que tanto estressava-o, embora por lógica, é o assunto que deveríamos evitar. Mas queria desabafar então como o bom amigo que eu era, escutei atentamente tudinho.


— E o seu dia Kyung, como foi?


— Por incrível que pareça foi tranquilo, o Baek contratou um novo funcionário e me pediu para apresentar tudo a ele. —suguei mais um gole antes de ver o alfa franzi o cenho. Eu e meu amigo eramos sócios deum restaurante relativamente famoso e como o negócio estava se espandindo cada vez mais, mais ajudantes se fez necessário.


— Ômega?


— Não Nini, alfa. —gargalhei discretamente ao sentir o aperto na minha cintura aumentar. Por algum motivo eu me encontrava agora sentado no colo alheio, acho que o fato de estarmos na segunda garrafa daquela deliciosa safra tenha alguma coisa a ver com isso. —Mas relaxa aí que pelo que eu entendi ele tem namorado.


— Sei. De qualquer forma não fique muito perto dele. —o vi virar mais uma taça cheia de uma vez só. —Nunca se sabe né... —a voz próxima ao meu ouvido me tirava o fôlego, o cheiro forte me atiçando e me confundindo completamente. —Alfas desconhecidossão sempreum perigo.


— Jongin-ah, não pode me impedir de conhecer outros alfas. —falei e ele riu e pediu desculpas baixinho mas logo tratou de mudar de assuntos. Ciumento.


— Está tentando me atiçar Kyung? —perguntou enquanto passava a mão gelada por minha coxa descoberta, apertando-a e eriçando minha pele.


Parecia um tanto repentino mas o corpo forte e bronzeado do alfa estava me excitando e sem perceber estava me movimentando levemente em cima de Jongin e me aproximando cada vez dele.


— Jonginnie... —chamei-o cheio de manha, ele nunca resistia quando eu falava assim. Me aproximei do pescoço cheiroso e deixei selares, trilhando um caminho invisível até sua orelha onde deixei uma mordidinha antes de continuar a falar - Eu quero te propor algo.


Tinha quase certeza que o alfa a baixo de mimjátinha percebido minha situação mas, mesmo assim precisava perguntar. Ele me encarava de cima a baixo e deixou um beijinho em meus lábios antes de questionar-me.


— Passa o meu cio comigo Nini?


Eu queria ser sexy e a julgar pelo suspiro entrecortado do moreno, acho que consegui. Não sei se tinha feito certo em pedir isso ao meu amigo mas estava mesmo querendo inovar, e depois, a febre do cio não me permitiu pensar muito mais. Naquele momento eu só queria gozar até não ter mais esperma.

9 de Marzo de 2019 a las 02:56 0 Reporte Insertar 1
Continuará… Nuevo capítulo Todos los viernes.

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~