Alfred, amigo Seguir historia

-
- V


''Alfred parecia se divertir perseguindo seu próprio rabo. Não pude conter o riso. - Vamos voltar caro amigo? Não quero acabar com sua diversão mas o dia será cheio hoje, principalmente para o senhor.''


Cuento Todo público.

#miniconto
Cuento corto
1
1084 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Alfred, amigo

Já perdi as contas de quantas vezes me revirei esta noite, são três da manhã e não prego os olhos há trinta e duas horas. Helena insiste em dizer que é excesso de cafeina. Ela se levanta e abre a janela - Ar fresco sempre ajuda - Diz ela.

- Quem sabe, não é mesmo?

Me levanto, calço as botas e saio para andar com Alfred.

- Sabe, amigo, você é o único que me entende. - Sem soltar um só ruído, ele me olha e lambe suas patas. - Ou não, é claro, mas de todos desta cidade, apenas eu e você possuímos hábitos noturnos.

Uma breve pausa silenciosa surge entre nos dois.

- Eu deveria ter feito mais, caro amigo, olhe para Helena, ela parece feliz com a vida que tem - Alfred solta um granido e me olha com seus olhos tortos - Você também, é claro. Tem um estoque vitalício de comida, brinquedos de todos os tipo e uma bela cama para dividir conosco. Mas é claro que isso não te torna feliz, não é mesmo? Não há espaço para correr ou para caçar pombos, ou seja lá o que você goste. - O céu estava começando a clarear, pássaros a cantarolar e Alfred a ficar impaciente. - Quero dizer, você sente que está tudo completo? Que todos os brinquedos que possui te faz feliz? Ou acha que lhe falta algo? - Suspirei - Eu poderia ter feito qualquer coisa meu caro, mas cá estou, tive medo das tentativas e do fracasso, agora me contento com quatro ossos e uma meia. - Alfred pareceu confuso com tudo aquilo, não posso culpá-lo, naquela altura até eu estava.

Respirei fundo novamente, o céu estava razoavelmente limpo - Um belo dia hoje - Pensei.

Me levantei e segui o mesmo caminho até a entrada da casa em que morava há trinta e cinco anos.- Trinta e cinco! pode imaginar? - É claro que não podia, provavelmente não compreendia uma palavra do que eu dizia.

- Se Helena estivesse acordada diria ''Pare de chatear o cachorro, querido'' - Soltei uma gargalhada com o tom exato de sua voz. - Não me olhe assim, meu caro, nós dois sabemos que ela esta certa. - Deixei Alfred cheirar as flores enquanto observava a rua vazia.

Todas as casas pareciam exatamente iguais á trinta anos atrás, as mesmas cores, o mesmo jardim.

- Vamos andar mais um pouco, meu caro. - Alfred parece ter se alegrado com a notícia, os passeios noturnos eram uma das poucas vezes em que Alfred saía para o mundo, '' coitado ''. - Sabe amigo, não me arrependo do que fiz, me arrependo do que deixei de fazer. Isso parece confuso, eu sei. Mas é a mais pura verdade.

Olhei para o céu novamente, como se todas as respostas estivessem escritas por lá.

- Morei neste mesmo bairro minha vida toda, esta vendo? - Apontei para uma casa a alguns quarteirões de distância. - Nasci e cresci bem a li, assim que me casei com Helena não quis, ir para muito longe. Ela tinha planos, sabe? E deixou todos eles para trás por minha causa, hoje me pergunto se ela fez o certo.

Alfred parecia se divertir perseguindo seu próprio rabo. Não pude conter o riso. - Vamos voltar, caro amigo? Não quero acabar com sua diversão, mas o dia será cheio hoje, principalmente para o senhor.

Helena me esperava na porta de entrada vestindo seu roupão preferido, com uma xícara imensa de chá nas mãos

- Sem café?

- Hoje não, querido - Disse ela, sorrindo.

Soltei Alfred da coleira. Ainda pensativo repousei a xícara sobre a mesa e observei Helena lavar a louça do café.

- Querida? Acha que fez o certo?

- Preferia de hortelã?

- Não, não. - Dei uma golada - Digo, em se casar comigo, em fazer as escolhas que fez.

- Então, é com isso que veio chateando o cachorro ? - Disse ela sorrindo. - Não me arrependo de nada querido, eu não poderia ter escolhido vida melhor, tenho você, Alfred e lindos filhos. - Sorri - Toda essa preocupação, algo haver com o dia de hoje?

- Talvez. - Olhei para uma foto de família, eu, Helena, Alfred e nossos dois filhos Mark e Anne. - É um dia especial para Anne, não quero que ela se arrependa de nada no futuro.

- E você se arrepende ? - Perguntou Helena pegando Alfred no colo.

- Talvez, eu acho - Olhei novamente para a foto de família. - Na verdade não - Corrigi - Apenas faria as coisas de modo diferente. Não teria comprado uma casa dois quarteirões de minha mãe, por exemplo.

Observei Helena pôr uma gravata em nosso cachorro, hoje ele levará as alianças de Anne e seu futuro marido. Toda minha insônia e preocupação faziam sentido afinal.

Helena sorriu.

- E ela não ira cometer o mesmo erro. - Disse rindo.

Olhei para Alfred.

- Amigo, você esta ridículo. - Nem um dos dois pareceu se importar. Helena subiu as escadas cantarolando e Alfred parecia entretido com seu novo apetrecho.

Olhei para fora novamente, a cidade começava a acordar. O sol anunciava sua chegada, os vizinhos saíam para passear com seus cachorros e eu continuava a pensar sobre minha vida.

- Talvez Helena esteja certa, caro amigo - Olhei para minha xícara quase vazia. - Eu não poderia querer vida melhor. - Me levantei, peguei o casaco e joguei meu talão de cheques em cima da mesa. - Vou comprar a casa dos Wilters.

Decido, sorri e saí pela porta em direção á casa vizinha.

12 de Febrero de 2019 a las 22:16 4 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
Karimy Karimy
Olá! Escrevo a você por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para ajudar os leitores a encontrarem boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A Verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se não quiser modificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através do Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada em revisão pelos seguintes apontamentos retirados dela: 1)Falta de acento em "manha" em vez de "manhã". Uso de "?." em vez de só "?". Falta de acento em "ruido" quando o correto é "ruído". Falta e acento em "vitalicio" em vez de "vitalício". Falta de acento em "la", devia ser "lá". Falta de acento em "esta", devia ser "está". Falta de acento em "culpa-lo" em vez de "culpá-lo". Falta de acento em "ate" em vez de "até". Falta de acento em "nos dois sabemos" em vez de "nós dois sabemos". Falta de acento em "atras" em vez de "atrás". Falta de acento em "noticia" em vez de "notícia". Falta de acento em "em que Alfred saia" em vez de "em que Alfred saía". Falta de acento em "distancia" em vez de "distância". Falta de acento em "sera" em vez de "será". "por uma gravata" em vez de "pôr uma gravata". "hoje ele levara" em vez de "hoje ele levará". Falta de acento em "insonia" em vez de "insônia". "Os vizinhos saiam" em vez de "Os vizinhos saíam" . Falta de crase em "a casa vizinha" em vez de "à casa vizinha". Falta de vírgula em "sai" em vez de "saí". 2)Falta de vírgula em vocativo, como em "Vamos voltar caro amigo?" em vez de "Vamos voltar, caro amigo?" (Obs.: erro recorrente no texto). Falta de vírgula antes de conjunção adversativa, como em "Não quero acabar com sua diversão mas o dia" em vez de "Não quero acabar com sua diversão, mas o dia" (erro recorrente no texto). Falta de vírgula em oração invertida, como em "Sem soltar um só ruido ele me olha" em vez de "Sem soltar um só ruído, ele me olha". Falta de vírgula em "Ou não é claro" em vez de "Ou não, é claro". Falta de vírgula em "Você também é claro" em vez de "Você também, é claro" (e aconselho por um ponto final depois e iniciar o que vem depois disso com letra maiúscula). Uso incorreto de vírgula depois de "mas" e falta de vírgula antes de expressão "não é mesmo", como em "Mas, é claro que isso não te torna feliz não é mesmo?" em vez de "Mas é claro que isso não te torna feliz, não é mesmo?". Falta de vírgula antes de "ou seja lá o que você goste". Falta de vírgula em "tive medo das tentativas e do fracasso agora me contento" em vez de "tive medo das tentativas e do fracasso, agora me contento". Falta de vírgula em "não posso culpa-lo naquela altura até eu estava" em vez de "não posso culpa-lo, naquela altura até eu estava" . Falta de vírgula em "novamente como se todas as respostas" em vez de "novamente, como se todas as respostas". Falta de vírgula em oração invertida, como "assim que me casei com Helena não quis" em vez de "assim que me casei com Helena, não quis". Falta de vírgula em "Ela tinha planos sabe?" em vez de "Ela tinha planos, sabe?". Falta de vírgula em "preferido com uma xícara" em vez de "preferido, com uma xícara". Falta de vírgula em "Disse ela sorrindo" em vez de "Disse ela, sorrindo". 3)Quando se quer denotar tempo passado, deve-se usar o verbo haver, verificar a frase: "não prego os olhos a trinta e duas horas", o correto seria "não prego os olhos há trinta e duas horas" e em "a trinta e cinco anos" em vez de "há trinta e cinco anos" e em "a trinta anos atras" em vez de "há trinta anos atrás". "dessa cidade" usado em vez de "desta cidade". Uso de "a" em vez de "há" com sentido de existir em "Não a espaço para correr" em vez de "Não há espaço para correr". Letra minúscula usada depois de ponto, como em "que todos os brinquedos que possui" e em "ou acha que te falta algo". "Me levante" em vez de "Me levantei". Falta de concordância em "os passeios noturnos era" em vez de "os passeios noturnos eram". Palavra em letra maiúscula sem necessidade em "'Coitado'". Falta de letra maiúscula depois de ponto em "e deixou todos eles para trás". Uso de sob em vez de sobre, como em "sob a mesa" em vez de "sobre a mesa". Corrigir palavra em "uma cada dois" em vez de "uma casa dois". Obs.: é importante que se faça a escolha de apenas um tempo verbal para a narração. Aconselho que procure um beta reader; é sempre muito bom ter alguém que possa nos ajudar com a ortografia e também com uma opinião sobre nosso trabalho, e é isso que um beta faz, e o Inkspired disponibiliza betas através do Serviços de Autopublicação caso tenha interesse. Gostei muito do seu conto e da forma que você usou todo o diálogo do personagem com o animal para poder chegar ao conflito principal, que era o medo de ver a filha dele se arrepender no futuro pela escolha que fez. Fiquei encantada com isso! Bom, basta responder esta mensagem quando tiver corrigido a história para que eu faça uma nova revisão.
24 de Febrero de 2019 a las 14:22

  • - V - V
    Olá, corrigi o texto. Muito obrigada, anotei todas as observações e correções. Fico feliz que tenha gostado, como meu primeiro conto fiquei preocupada com o diálogo e com o conflito principal, fiquei com medo de não expressar as emoções do personagem corretamente. Muito obrigada <3 6 de Marzo de 2019 a las 18:04
  • Karimy Karimy
    Ah, deve apostar em mais contos, com certeza, esse ficou adorável. <3 Sua história foi verificada, mas aconselho a dar uma olhadinha nos vocativos; ainda possui alguns faltando vírgula. O vocativo não faz parte da oração, então tudo que for um chamamento, como "caro amigo", "caro", "querida" ou o nome de uma pessoa, ou qualquer coisa que seja usado para chamar alguém, deve ficar isolado da oração por vírgulas. Bjs! 6 de Marzo de 2019 a las 18:28
  • Karimy Karimy
    Também há erros de construção no estilo "Me levante" em vez de "Me levantei". Quando puder, seria bom se pedisse um beta reader. 6 de Marzo de 2019 a las 18:29
~