Trem-da-meia-noite Seguir historia

garotaestragada

Então Naruto recolhia seus pedaços E embarcava no trem da meia-noite Ele tinha seus motivos Nunca conseguiria agradecer a Hinata por tudo que havia feito por ele Mas aquela era a noite que havia decidido partir.


Fanfiction Anime/Manga No para niños menores de 13.

#sasunarusasu #sasunaru #narusasu #narusasunaru
2
3.4mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

É hora de partir - único

escutem midnight train do sam smith, que foi a música que inspirou essa fic 

pensem que é o Naruto falando pra Hinata 

AVISO: eles não tem filhos aqui.

* * * *


Naruto se encontrava em sua sala, assinando papéis e mais papéis. O relógio na parede marcava 4:47, o que só o fazia ficar cada vez mais ansioso. Lá fora, o sol amanhecia, com alguns raios tímidos iluminado as ruas vazias de Konoha.

Largou a caneta se jogando para trás na cadeira. Estava casado, mesmo que a insônia não fosse deixa-lo dormir. Limpou as mãos suadas na calça, fechando os olhos enquanto sentia o coração martelar no peito pela ansiedade.

Naruto não se lembrava muito bem do dia que beijou Hinata pela primeira vez. Haviam apenas alguns fragmentos, e imagens rápidas que não conseguia prestar atenção realmente.

Mas havia uma coisa que ele se lembrava muito bem: quando fechou os olhos e sentiu os lábios quentes nos seus, sua mente traiçoeira o fez se lembrar de certos momentos de sua vida. Coisas que já faziam tanto, mas tanto tempo, e mesmo assim, ainda eram tão frescas em sua mente.

Como os beijos que havia trocado com Sasuke meses antes daquilo tudo, antes de Sasuke partir de novo para sabe se lá onde.

Manteve os olhos fechados, deixando as lembranças invadirem sua mente.

-- Nunca pensei que te veria vestindo um kimono. - Sasuke disse certa vez, medindo Naruto de cima a baixo com uma sobrancelha arqueada.

-- Nem eu... - Naruto respondeu, se olhando no espelho e tentando amarrar o maldito nó. - Mas que porcaria. - resmungou lutando contra a corda.

-- Tsc, me dá isso aqui. - Sasuke se aproximou, pegou nas duas pontas fechando a roupa corretamente e passando a corda em volta do quadril de Naruto. - Pronto.

Sasuke continuou no mesmo lugar, os olhos abaixados. As mãos subindo pelo tórax de Naruto até seu cabelo, colocando algumas mexas no lugar.

Naruto aproximou seu rosto do dele devagarzinho, os narizes se tocando, depois as testas e então os lábios em um beijo casto e repleto de saudade.

-- Senti sua falta. - Naruto sussurou olhando para os olhos de Sasuke.

-- Eu também. - Sasuke sussurrou, a mão indo dos cabelos de Naruto para seu rosto, tocando a bochecha com carinho.

O beijo que se seguiu foi repleto de paixão, desejo e tristeza. Por que eles sabiam que não poderiam ficar juntos. Que quando Naruto acordasse Sasuke não estaria ao seu lado.

Umideceu os lábios, ele ainda lembrava tão bem daquele dia. Era o festival de inverno e mesmo Konoha sendo tão fria aqueles dias, o corpo de Naruto aquecia só de lembrar.

--Você sabe que eu não posso ficar. - Sasuke disse, sem olha-lo nos olhos.

-- Por que Sasuke?! - perguntou, esfregando as mãos nos olhos para limpar as lágrimas que começavam a cair. - Por que você não pode ficar?

-- Por que você não me pertence, Naruto. - Sasuke respondeu, deixando as lágrimas escorrerem pelo rosto branco. - E o que você precisa eu não posso oferecer. Eu só sei destruir e eu não quero mais... "te fazer chorar". - era o que iria responder, mas deixou as palavras morrerem em sua garganta.

Eles não eram mais crianças, eram casados e tinham suas vidas. Não podiam mais fingir que poderia ficar juntos. Aquela utopia que haviam criado só os machucava, por isso Sasuke se virou e foi.

Mas a verdade mesmo era que eles não conseguiam ficar longe um do outro. Os corpos simplesmente se atraiam de uma forma que não sabiam explicar. Mas mais do que o corpo, era como se suas almas se atraísse, não tinha como explicar apenas sentir.

Foi o chakra conhecido que fez Naruto despertar de seus devaneios. E ele sabia que Sasuke estava sentado na janela, apenas esperando que se virasse. E foi o que fez, devagarzinho, sem abrir os olhos ainda.

Sasuke nunca soube explicar o misto de sentimentos que sempre sentia quando via Naruto, e duvidava que um dia conseguisse.

Os olhos sempre se encontravam e os sorrisos que vinham, mesmos que discretos, e eram impossíveis de segurar.

-- Quanto tempo pretende ficar na vila? - Naruto perguntou, tentando manter o clima profissional.

-- Tenho muitos assuntos para resolver, então... Indeterminado.

Sorriram, Konoha nem imaginava o que iria acontecer sala do Hokage durante aquela madrugada.

-- Eu sou um monstro? - a pergunta sussurrada pegou Sasuke de surpresa.

Naruto abriu os olhos e Sasuke pode ver as lágrimas que tomavam os olhos azuis.

Se aproximou lentamente, se sentando no colo de Naruto e limpando as lágrimas. Acariciou os cabelos loiros, questionando o porque da pergunta.

-- Você não é um monstro por escolher você mesmo pelo menos uma vez na vida, Naruto. - negou com a cabeça, acariciando a nunca bronzeada. - Por mais que possa parecer egoísmo. Não é, você sempre se esforçou para fazer todos felizes. Do seu jeitinho atrapalhado mas enfim. - riu, levantando os ombros.

Naruto deu uma risadinha e encostou a cabeça no peito de Sasuke, escondendo o rosto ali.

Hinata era... Um sonho. Qualquer pessoa naquela vila amaria te-lá como esposa. Ela era gentil, inteligente e linda. Mas... Todos os dias que Naruto acordava com ela do lado era como se... Uma parte sua fosse embora.

Riu amargo, o que o clã Hyuuga pensaria dele? Hanabi provavelmente o socaria até os punhos sangrarem, Hiashi ele nem queria saber, tinha calafrios só de pensar, e Neji... Uma parte sua acreditava que Neji o apoiaria. Já a outra acreditava que ele nunca deixaria a situação ficar do jeito que havia ficado. Por que no fundo, ele via Neji com seu Salvador, o irmão mais velho que nunca teve.

Aquilo não fazia dele um monstro? O clã Hyuuga havia lhe acolhido. Era seu lar mesmo que nunca tivesse se sentido em casa lá realmente.

O único que conseguia faze-lo se sentir em casa era... Sasuke.

Nunca conseguiria agradecer a Hinata o suficiente por tudo que ela havia feito por ele. Sentiria falta dos abraços delicados dela, dos segredos que compartilharam, mas não podia continuar ao lado dela. Não podia prender Hinata a si, ela merecia alguém que a amasse na mesma intensidade. Não era justo dar esperanças a ela de algo que nunca iria dar certo.

Levantou a cabeça e deixou Sasuke limpar as lágrimas das suas bochechas. Beijou cada dedo da mão pálida.

Sasuke se levantou e ofereceu a mão para lhe ajudar, olhando em seus olhos e sorrindo docemente como poucas vezes ele fazia. Respirou fundo, pegando na mão de Sasuke e se levantando.

Iriam embarcar em seu próprio trem da meia-noite. Não queriam machucar as pessoas que os amavam mas, pelo menos um vez na vida, eles tinham que escolherem a si mesmos. Naruto tinha suas razões para fazer o que fazia.

Uma razão, na verdade. E ela estava bem a sua frente lhe esperando e sorrindo de um jeito que fazia o coração de Naruto saber que fazia o certo.

Então Naruto recolhia seus pedaços e embarcava no trem da meia-noite, por que aquela era a noite em que havia decidido partir.

24 de Enero de 2019 a las 08:03 1 Reporte Insertar 119
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
bA blue Amy
24 de Enero de 2019 a las 18:14
~