Sing For You Seguir historia

jongstar Raquel

Kyungsoo ganha a vida dividido entre dar aulas para crianças de manhã e cantando em restaurantes à noite. Ele tem uma paixão platônica por Chanyeol, o pianista que o acompanha nas apresentações e tem uma namorada. Sem conseguir se livrar daquele amor não correspondido, Kyungsoo contenta-se em cantar músicas românticas secretamente dedicadas ao pianista. | chansoo| songfic| plot doado pela @honeyosam no grupo Exo Fanfics.


Fanfiction Bandas/Cantantes No para niños menores de 13.

#chansoo #exol #exo #fanfic #kpop #kyungsoo #kyungyeol #sooyeol
3
3.7mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 15 días
tiempo de lectura
AA Compartir

I sing for you

Kyungsoo chegou no restaurante onde se apresentaria naquele final de semana um pouco antes do horário marcado, apenas para testar o som e, quem sabe, comer alguma coisa. A semana havia sido difícil, as crianças davam mais trabalho conforme o final do ano letivo se aproximava e ele estava exausto. Era seu primeiro ano dando aulas após se formar em Pedagogia e, por mais que amasse seu trabalho com os pequenos, o que ele gostava mesmo era de música.

No entanto, ele só começou a se apresentar por insistência do melhor amigo Sehun que, além de lhe dar todo incentivo do mundo e ajudá-lo a perder a vergonha de cantar em público, também encontrou alguns barzinhos legais para ele se apresentar nos finais de semana que até pagavam uma graninha boa. Foi em um desses barzinhos que ele recebeu o convite para se apresentar em um restaurante recém aberto, um desses chiques na zona sul, com pianista e tudo.

Kyungsoo ia bem, as suas apresentações acompanhadas pelo piano eram um sucesso e os clientes adoravam. No entanto, Jongdae, o antigo pianista sofreu um acidente e precisou se ausentar. Seu lugar foi substituído por Park Chanyeol, um estudante de música talentosíssimo com uma linda voz e cachinhos adoráveis. Ele passou a acompanhar Kyungsoo em algumas músicas e até lhe dava dicas de como poderia melhorar no canto. Chanyeol chegou subitamente, mas se aproximou de mansinho e foi conquistando espaço na vida de Kyungsoo aos poucos. Quando este se deu conta, estava completamente apaixonado por Chanyeol e foi aí que seus problemas começaram, pois ele tinha namorada.

Não que Kyungsoo fosse dar em cima do Park ou coisa do tipo, ele jamais faria algo assim. Limitava-se a observá-lo de longe ao lado da namorada Baekhee e sofrer em silêncio por sua paixão platônica. Aquele amor unilateral o machucava mais que tudo no mundo. Qualquer pessoa em seu lugar e em sã consciência já teria se afastado de Chanyeol para não sofrer, mas Kyungsoo claramente era masoquista. Preferia ter o coração partido toda vez que via Chanyeol aos beijos com a namorada do que desistir de suas apresentações noturnas ao lado dele e seguir com sua vidinha solitária de professor.

— Kyungsoo, você já chegou. — Jongin, o dono do restaurante, recebeu-o com o sorriso simpático de sempre. — Sehun não veio com você?

— Não, ele precisava ficar em casa planejando as próximas aulas. — respondeu e percebeu Jongin ficar com uma expressão frustada, que ele tratou de disfarçar o mais rápido possível.

Ele deixou Kyungsoo em uma mesa próxima ao piano e voltou para supervisionar as coisas na cozinha, o restaurante não demoraria a encher.

Kyungsoo comeu sua comida distraído, sem se importar com a hora, pois havia chegado mais cedo que o habitual. Porém o tempo foi passando rápido e nada de Chanyeol chegar.

A maioria das mesas já estavam ocupadas e as pessoas perguntavam sobre a música ao vivo. Para piorar a situação, um amigo de Jongin havia pedido uma música em especial. Ele planejava pedir a namorada em casamento durante o jantar e a moça já estava prestes a pedir a sobremesa. Jongin apareceu novamente demonstrando claros sinais de preocupação e não largava o celular.

Kyungsoo resolveu sair do salão um pouco e foi até a área reservada aos fumantes, que estava vazia por causa do frio. Acabou esbarrando numa bagunça de quase dois metros de altura, cabelos cacheadinhos e riso fácil. Chanyeol caminhava apressado na direção contrária e por pouco não o derrubou.

— Por que você está aqui? Os amigos do Jongin já foram embora? — Chanyeol perguntou preocupado.

— Não, eles ainda estão lá dentro.

— Ainda bem, o Jongin não parava de me mandar mensagens perguntando se eu sabia ou não tocar a bendita música.

— E você sabe?

— Claro. Qual música do seu amado Ed Sheeran eu não sei tocar?

Kyungsoo revirou os olhos.

— Por que você se atrasou tanto?

— Fiquei preso na faculdade. Mas, por sorte, consegui passar naquela maldita matéria que eu estava tendo dificuldades. Agora o semestre finalmente acabou. Estou tão feliz!

Sem mais nem menos, Chanyeol o abraçou. Talvez fosse por causa de sua empolgação — claramente era — mas Kyungsoo não estava preparado para aquilo. Não calculou por quanto tempo ficaram abraçados, foi um contato rápido, mas quando Chanyeol o soltou seu coração estava batendo forte demais.

Kyungsoo sentia-se ridículo como uma garotinha se apaixonando pela primeira vez. Chanyeol causava nele as mais diversas sensações, deixava-o nervoso quando se aproximava e fazia-o estremecer com o mais singelo toque. Porém ele tinha namorada, Kyungsoo sabia e se odiava por isso. Mas ainda assim, se tivesse uma única chance de se declarar, por menor que fosse, não a deixaria escapar. Ele não queria roubar o namorado de Baekhee, queria apenas se livrar um pouquinho daquele peso em seu coração.

— Vamos? — Chanyeol chamou quando o viu estático no mesmo lugar. Kyungsoo concordou com a cabeça e o seguiu, ignorando as pernas bambas e aquele nervosismo descomunal. Patético.

Jongin suspirou aliviado ao vê-los entrando juntos e fez um sinal para Kyungsoo começar logo. Ele cantou os primeiros versos de Thinking Out Loud — a música escolhida pelo cliente — sem tirar os olhos de Chanyeol, que estava concentrado demais no piano para notar. Depois, olhou na direção da mesa onde estavam os amigos de Jongin. Eles pareciam tão apaixonados que por um breve momento Kyungsoo os invejou. Gostaria de poder viver um amor tão bonito quanto aquele. Olhou para Chanyeol novamente e sentiu-se péssimo. Sua voz ficou levemente embargada, mas ninguém percebeu.


People fall in love in mysterious ways

(As pessoas se apaixonam de maneiras misteriosas)


Maybe just the touch of a hand

(Talvez apenas com o toque de uma mão)


Well me, I fall in love with you every single day

(Bem, eu me apaixono por você a cada dia)


And I just wanna tell you I am

(Eu só quero te dizer que estou apaixonado)


Ironicamente, aquele pequeno trecho combinava e muito com a situação de Kyungsoo e, de certa forma, servia como uma declaração para o Park. Ao pensar nisso, seu coração ficou um pouco mais aliviado e ele sorriu. Usara aqueles versos para se declarar e ninguém havia percebido e por mais que parecesse idiota, aquilo o fez bem. A partir daquele momento, dedicaria mais músicas a Chanyeol mentalmente e se ninguém saberia, que mal tinha?




— Você só pode estar brincando! Usar músicas para se declarar? Isso é ridículo demais até mesmo para você, Kyungsoo.

Kyungsoo e sua boca grande. Ele podia ter guardado aquela sensação boa após cantar uma música para Chanyeol apenas para si, e não ter contado nada para Sehun. Agora, além de ser zoado pelo melhor amigo, também tinha que lidar com aquela terrível expressão de descontentamento no rosto dele.

— Ninguém mais precisa ficar sabendo, Hun. Eu só quero expressar esse sentimento de alguma forma e a música é a minha melhor opção e, além disso, é algo que nós dois amamos.

— O cara tem namorada, Kyungsoo.

— Eu sei.

— Uma namorada bonita.

— Sei disso também.

— E provavelmente é hétero.

— É, provavelmente. Estou sendo muito trouxa?

Sehun arqueou a sobrancelha como se dissesse "quer mesmo que eu responda?" Kyungsoo suspirou pesadamente e voltou sua atenção para a pilha de provas à sua frente. Eles estavam na sala dos professores e, enquanto Sehun aproveitava o intervalo para tomar aquele cafezinho, Kyungsoo corrigia algumas avaliações de seus alunos para não deixar nada acumular. Assim teria mais tempo livre para se dedicar ao seu trabalho no restaurante de Jongin e ensaiar novas músicas.

— Está fazendo tudo isso para ter o fim de semana livre? — Sehun perguntou como se pudesse ler a sua mente. Ele apenas concordou com a cabeça e voltou sua atenção para o trabalho. Sehun continuou. — Sinto falta de quando você cantava apenas por hobby, e não como um segundo emprego. Você nunca mais saiu comigo e quase não me dá atenção.

Sehun não estava mentindo. Era verdade que a rotina de Kyungsoo não era uma das mais fácies. Ser professor de educação infantil e ao mesmo tempo cantor amador ocupavam grande parte de seu tempo, no momento sua vida social era quase inexistente e ele tinha certeza de que se não trabalhasse na mesma escola que Sehun já teria perdido o contato com ele. O melhor amigo tinha razão em querer atenção.

— Você pode ir comigo ao restaurante me ver cantar. — sugeriu receoso.

— Não gosto daquele lugar. Preferia quando você cantava nos barzinhos de antigamente. Eu ficava de boa te ouvindo cantar aquelas músicas de corno enquanto tomava a minha cervejinha gelada.

— Mas o restaurante do Jongin é bem legal...

— Você quis dizer que é chique, né? E aquele cardápio? Eu gastaria meu salário inteiro em um único prato e ainda assim sairia de lá com fome.

— Posso pagar o seu jantar então. — Kyungsoo riu. — Sabia que o Jongin perguntou por você?

— Sabia que eu não me importo nem um pouquinho com isso? — retrucou mal humorado. Sehun estava terrível ultimamente. O final do ano letivo trazia grandes irritações aos professores e sua turma de alunos era considerada a mais problemática da escola.

O intervalo acabou e Sehun se levantou para voltar à sala de aula, mas acabou voltando para encher novamente sua xícara de café. Antes de sair, disse:

— Acho que preciso de um novo melhor amigo. Um que saia mais comigo e que seja menos trouxa. 

31 de Diciembre de 2018 a las 20:13 0 Reporte Insertar 2
Leer el siguiente capítulo Just a little bit of your heart

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 3 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión