True Love Seguir historia

ceeline Celine Sulenta

A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e palavras. Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida. - Martha Medeiros. A vida de Midoriya Izuku se resumia em encher a cara e transar e quanto mais melhor e mesmo que tivesse uma pequena paixão por alguém que jamais iria lhe corresponder Midoriya não sabia amar ou ser amado. Ao conseguir um emprego para fazer companhia para Todoroki Shoto, Midoriya vai entender o real significado de amar alguém.


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#lgbt #yaoi #hentai #lemon #boku-no-hero #Dabi-x-Bakugo #Todoroki-x-Deku #Midoriya-x-Todoroki #Deku-x-Todoroki #dekutodo #deku #paraplegico #drama #258 #Dabi #midoriya-izuku #todoroki-shoto #bakugo-katsuki #bnha #fluffly #amor-verdadeiro #nudez #ua #shounen-ai
4
4.1mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 30 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Prologo

Midoriya já tinha perdido as contas em relação ao quanto já tinha tomado ou que droga tinha gerido para lhe deixar extremamente excitado ao ponto de agarrar o primeiro que viu pela frente sem nem saber o nome, a única coisa que lhe passava em sua mente era que precisava se aliviar.


O beijo era afoito, quente e selvagem, o estranho puxava fortemente seus cabelos esverdeados, Midoriya dominava o beijo apertando ainda mais a cintura do outro ao ponto de querer deixar marca, ao se separarem um fio de saliva os conectava, o estranho suspirou quando o esverdeado dirigiu seus lábios em seu pescoço lhe marcando.


— Vamos para o quarto. — Sussurrou Izuku com a voz rouca enquanto mordia o nódulo da orelha do estranho, o mesmo sorriu ao sentir o outro se arrepiar. Midoriya nunca agradeceu por aquela balada ter quartos.


Os beijos entre o caminho do quarto eram incessáveis, a cada segundo ficavam mais desejosos e quentes. Durante os beijos o esverdeado passava sua mão pela parede na procura da porta e quando finalmente seus dedos tocaram em um volume mais baixo logo fora procurando pela maçaneta, sem demora se vê girando a esfera e entrando no lugar escuro.


Midoriya assim que entrou fechou a porta com um chute forte, o mesmo desceu suas mãos ao traseiro do moreno enquanto beijava seu pescoço de pele macia. O estranho fora sem pestanejar levantando a camisa do esverdeado que parou por um breve segundo de beijar o pescoço do outro por conta da camiseta entretanto sem nem uma demora voltou a beijar loucamente o outro.


O moreno deslizou a palma de suas mãos sobre o peito do garoto deixando ar quente sair de sua boca. O esverdeado fora empurrando o rapaz para trás até o mesmo cair sobre uma cama de casal arrumada, por pouco tempo diga-se de passagem.


— Se prepare. — Afirmou o esverdeado entre arfadas, o mesmo tirava rapidamente o cinto de sua calça antes de simplesmente abaixar a vestimenta e então subir em cima da cama logo se pondo sobre o moreno.


Já podia se ver claramente o volume na cueca box do rapaz. Ele começará a levantar a camisa branca do moreno até tirá-la por completo e simplesmente jogá-la para algum canto daquele quarto de balada.


— Gostoso. — Arfou o esverdeado enquanto começava abaixar a bermuda preta de seu parceiro de maneira rápida e sem paciência, o moreno estava ofegante entretanto extremamente excitado.


Midoriya quando abaixou a bermuda do rapaz, sua cueca também havia saído junto e aquilo realmente era conveniente para o esverdeado que clamava por prazer. O garoto colocou seu membro para fora de sua cueca box dando um sorriso malicioso.


Sem demora o rapaz fora encostando seu membro no membro do outro que automaticamente gemeu com o ato. Midoriya esfregou várias vezes seguidas o seu membro no do outro estipulando o pré-gozo de ambos, alguns gemidos escapavam da boca do outro que permanecia deitado na cama totalmente submisso ao esverdeado.


Midoriya deixou um sorriso mais longo sair e então posicionou seu órgão na entrada do moreno, por conta do álcool nem um dos dois haviam se preocupado com capa, o esverdeado simplesmente penetrou seu parceiro deslizando facilmente por suas paredes.


Um gemido prazeroso foi ouvido e Midoriya logo começou a fazer movimentos de vai e vem, o mesmo não estava dando a mínima para o outro ele apenas queria sentir aquele desejoso prazer. Não que o moreno estivesse sentindo dor ou algo do tipo, afinal Midoriya é um sonho na cama.


Izuku intensificou as estocadas bruscas, naquela altura seu membro deslizava sem nem um problema pelas paredes do moreno que tanto gemia de prazer.


O moreno levou suas mãos ao seu próprio pênis se alto masturbando, ele revirava seus olhos muitas vezes de prazer, Izuku sorria largamente ao ver aquela expressão  totalmente submissa.


O esverdeado permaneceu dando aquelas estocadas sem nem um sossego. Ele segurou a cintura do moreno fortemente assim deixando as entradas mais fortes e barulhentas, Midoriya deixava arfadas de prazer escapulirem durante o ato de prazer.


Ambos estavam com seus pensamentos fixos no prazer. Izuku colou seu peitoral ao peito do moreno, aproximando seus rostos para um beijo abafado e desejoso.


Suas línguas travavam uma batalha louca por espaço, tocavam em cada canto da boca do outro como se tentassem conhecer o local. As arfadas durante o beijo eram incessáveis, o casal estava ofegante tanto pelos movimentos rápidos de estocadas como os beijo exaustivo.


Quando ambos já se viam no ápice do prazer, Izuku fora logo retirando seu membro e levando sua mão até o mesmo, o esverdeado começa a se masturbar rapidamente.


O moreno logo fora se sentando e aproximando seu rosto do membro de Midoriya enquanto se alto masturbava. Izuku fechou um de seus olhos com pressão sabendo que estava quase por vim.


O mesmo deixou um gemido prazeroso escapar e então ejaculou no rosto do moreno, assim que o mesmo ouviu o gemido de Midoriya e sentiu o líquido viscoso deslizar sobre sua face, aquilo estipulou para que ele ejacula-se também junto de Izuku. Ambos estavam ofegantes.


Midoriya sorriu malicioso sentou-se sobre o moreno e passou a lamber seu próprio sêmen, atiçando-os mais uma vez. — Agora eu quero que você me foda com força. — Ditou com a voz rouca, a noite de Midoriya só estava começando.


[...]


Midoriya grunhiu ao despertar naquele quarto que exalava a sexo e suor, sua ressaca estava insuportável, mas nada que umas aspirinas não resolvesse, ao tentar se mexer sentiu dois braços lhe apertar fortemente em sua cintura, o esverdeado bufou de raiva ao se lembrar que acabou dormindo, o mesmo se desvencilhou do moreno sem acordá-lo e levantou-se da cama começando a pegar sua roupa e as vestindo.


Ao pegar seu celular para ver as horas sentiu um alívio por ser 5 horas da manhã ainda, afinal não podia se atrasar para a sua aula, o mesmo sai do quarto sem nem olhar para trás, por sorte seu apartamento ficava três quadras da balada pois duvidava que tivesse algum uber disponível naquele horário.


Quando chegou em seu apê, Midoriya franziu o cenho ao ver a notificação de despejo grudado em sua porta. — Droga. — Resmungou, arrancando o papel e lendo que tinha três meses para pagar o aluguel atrasado se não estaria no olho da rua. — Até que o velho desgraçado está sendo gentil em me dar três meses.


Suspirando o menor entrou em seu apê, indo em direção a cozinha e pegando as aspirinas tomando sem água mesmo, em passos calmos foi em direção ao banheiro, mas antes de entrar olhou para a porta ao lado onde ficava o quarto de Bakugo, o esverdeado foi logo entrando no quarto do colega e viu o recinto vazio. — Sempre esqueço que ele começou a morar com aquele namoradinho. — Falou torcendo o nariz.


Midoriya se perguntava como o amigo ficou preso a alguém, namorar lhe tira toda a liberdade.


Esquecendo isso foi no banheiro tomando uma ducha rápida, com a toalha enrolada em volta de sua cintura se dirigiu até o seu quarto e pegou a primeira roupa que viu pela frente, não estava com paciência para se ajeitar, precisava falar de maneira urgente com Bakugo, o loiro definitivamente não vai gostar que não conseguiu o emprego.


[...]


Assim que chegou na universidade Midoriya foi às pressas atrás do loiro imaginando que o mesmo estivesse em seu canto preferido no jardim, e lá estava o loiro desenhando como sempre, o esverdeado sorriu de canto e foi até o seu amigo.


— Kaachan. —Chamou com entusiasmo e sentou-se ao lado do loiro.


Bakugo olhou de maneira desconfiada para o amigo. — Porque não atendeu minha ligação ontem? — Midoriya olhou de maneira mais inocente que conseguiu.


— Fui para uma balada.


— No meio da semana? — Rosnou, não conseguia acreditar que seu amigo está na área de advocacia e ser totalmente irresponsável. — Você precisa ser mais responsável, que tipo de advogado você vai ser.


— O tipo gostoso. — Respondeu com um sorriso sacana, o mesmo logo revirou os olhos e bufou ao ver que seu amigo não tirou a carranca de seu rosto. — Aí como você ficou mais chato depois de namorar.


— Não fiquei mais chato, continuo igual. — Resmungou. — Agora me conta o que aconteceu?


— Ah você sabe, enchi a cara, peguei o primeiro gostosão que vi pela frente, eu comi ele e vice versa e… — O mesmo começou a tagarelar enquanto o amigo mantinha a mão em seu rosto não conseguindo acreditar que eram amigos desde a infância.


— Eu perguntei o que aconteceu em relação a entrevista que consegui para você. — Falou estreitando os olhos ao ver o outro mudo, logo o loiro suspirou. — Deku, eu estou falando sério você precisa ser mais responsável, você não consegue emprego e quando consegue não dura nem uma semana, daqui a pouco você vai ser expulso do apartamento e nós dois sabemos que o aluguel é super barato.


Midoriya se remexeu desconfortável com aquele sermão, ele sabia que o amigo tinha razão. — Eu sei, vou me empenhar, mas eu quero um emprego que não tome o fim de semana e isso é difícil de conseguir. — Resmungou, o loiro simplesmente revirou os olhos. — E bom… falando em aluguel… — Começou desviando o olhar e brincando com seus dedos. — Eu já to’ devendo dois mil de aluguel.


— DOIS MIL. — Exclamou arregalando os olhos, Bakugo suspirou massageando suas têmporas. — Olha… — Iniciou em um tom sério. — Eu vou dar um jeito em relação ao aluguel e também sobre o emprego, mas será a última vez está bem. — Midoriya assentiu.


— Obrigado. — Disse sincero, as vezes se passava na cabeça do esverdeado como Bakugo conseguia ainda ser o seu amigo.


— Enfim, já que aproveitou bem a sua noite, acho que hoje você não precisa dar em cima do Mirio não é mesmo. — O esverdeado sorriu de canto.


— Jamais, eu ainda terei ele. — Falou num tom determinado.


Bakugo simplesmente negou e suspirou, torcendo que algum dia alguém dobre o seu amigo. — Fico imaginando o que vai acontecer quando você namorar. — Resmungou mais para si mesmo, mas Midoriya mesmo assim ouviu e olhou de forma estranha para o loiro.


— Longe de mim esse tipo de coisa, esses sentimentos mudam as pessoas. — Falou num tom seco.


Bakugo não falou nada, Midoriya tinha razão sentimentos mudam as pessoas de uma maneira boa, mas às vezes as pessoas se tornam sombrias, Bakugo se lembrava da infância do esverdeado, era perfeito e do nada desmoronou. O loiro só queria que o amigo fosse feliz ao lado de alguém e não com um desconhecido diferente a cada semana.


O resto do dia passou de forma tranquila, Midoriya foi para seu apê e a fim de estudar para uma prova importante, já Bakugo foi resolver o problema do amigo.

28 de Diciembre de 2018 a las 01:43 2 Reporte Insertar 3
Leer el siguiente capítulo Uma última ajuda

Comenta algo

Publica!
Lyse Darcy Lyse Darcy
Adorei a premissa ... aguardando os próximos capítulos ... Beijos
28 de Diciembre de 2018 a las 17:22

  • Celine Sulenta Celine Sulenta
    qbom que gostou obg por comentar beijookas, até o prox 28 de Diciembre de 2018 a las 19:49
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 2 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión