Devassa atração Seguir historia

nataliavallin

Em uma manhã singular, imagens são a única prova de uma noite completa por uma atração repentina que causará dúvidas estranhas em um jovem que apenas acredita estar iludindo a si mesmo por um sentimento inválido.


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#258 #shiita #itashi #naruto
1
3.8mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Ilusão

O relógio marcava oito horas e Itachi sabia que já deveria estar pronto para mais um dia de trabalho, porém a única coisa que se permitiu fazer foi virar-se para o outro lado somente para a consciência não lhe matar por mais uma falta. Queria se levantar da cama, tomar um banho e vestir uma roupa apresentável mas infelizmente a ressaca da noite anterior não lhe permitia executar tal missão. Sua cabeça doia muito e pouco se lembrava o que havia acontecido no dia anterior e misteriosamente a única coisa que não saia de sua memória era a face de Shisui encharcada de suor ao seu lado da cama.

Passou uma das mãos pelo fino tecido do lugar percebendo pelo toque que ainda possuía calor humano, o que denunciava que o primo havia dormido ali ao seu lado. Se perguntava o que havia se passado sobre aqueles lençóis e sorriu com a imensidão de ideias que invadiram sua mente.

Mentiria se disse que não desejava o primo, na verdade seria uma de suas piores mentiras já que desde muito jovem observava Shisui e se aproximava a cada dia mais fingindo carregar consigo apenas os laços sanguíneos de sua família.

Como Shisui era o único filho de seu tio, havia sido muito mimado e tratado como o prodígio de todos. Graças a isso, Shisui se esforçava o máximo para se tornar o número um enquanto ele apenas empenhava-se para alcançar o mínimo que fosse da capacidade do mais velho.

O tempo passou e os dois cresceram dessa maneira, prodígios Uchihas admirados por todos. Itachi não se importava com isso, na verdade a única coisa que queria era ser reconhecido pelo mais velho. Mas como toda mentira chega ao fim, o mais jovem tornou-se o oposto que tanto tentou alcançar no momento em que descobriu que a dois anos o primo mantinha um relacionamento escondido com Hinata Hyuga uma de suas colegas de faculdade a qual Itachi adimirou durante muito tempo.

Passou longos anos de sua vida apaixonado por alguém que nem mesmo prestava atenção em si e por esse motivo passou a fazer da mesma, revelou o que era de verdade é desistiu de apostar em um jogo duvidoso.

Naquele momento já havia desistido de se empenhar no emprego, de estudar com tanto estímulo se entregando apenas a bebidas e sexo. Porém novamente estava mentido para si mesmo, dizendo que não amava mais aquele homem e quando por um acaso imaginou ter passado a noite com o mais velho sentiu-se novamente arrebatado por uma deliciosa sensação.

Passou uma das mãos pela face apoiando em seguida as mãos sobre a cama fazendo esforço para se levantar. Se de fato quisesse ter certeza que ele é Shisui havia dormido sobre aquela cama e não somente mais um de seus amantes, teria que largar todo o cansaço indo em direção ao trabalho onde encontraria o outro.

Após sentar-se na cama colocou os pés sobre o chão sentindo todo o frio do piso passar por seu corpo o despertando ainda mais de toda sua ressaca do dia anterior. Itachi se estragava com aquelas bebidas que insistia em colocar em seu estômago graças a sua intolerância ao álcool, e por esse motivo sempre chegava em casa completamente cansado, dolorido e desmemoriado.

_Maldição. -Passou uma das mãos pelos olhos fazendo um imenso esforço para relembrar do dia anterior sendo recebido apenas pela falha poucas cenas em que Shisui lhe observava carinhoso.

Pelo que parecia seu dia seria complicado e teria que se apressar em tomar um banho, vestir uma roupa e se arrumar para a imagem de filho perfeito que seu pai insistia em passar para a empresas mesmo que soubesse por suas novas atitudes que aquele garoto dedicado não existia mais.

Correu rapidamente até uma toalha sobre a escrivaninha e seguiu até o banheiro imaginando tomar pelo menos naquele dia um banho rápido para dar tempo de degustar ao menos um café sem pressa ou preocupações.

-×××-

Quando finalmente havia terminado de se arrumar e de saborear o desjejum do dia, Itachi suspirou satisfeito colocando ao lado do corpo a bolsa de trabalho contendo o necessário. Mataria Shisui se gastasse seu preciso tempo em ir até lá para encontra-lo sem tempo para si, como havia se acostumado escutar a maior parte das vezes.

Se o que estava imaginando estivesse certo provavelmete o primo não teria coragem de inventar alguma desculpa já que o mesmo não era muito bom nisso, e Itachi não pode deixar de transparecer o sorriso oblíquo que se firmou em seus lábios ao fantasiar a face do maior completamente envergonhada.

Abriu a porta de seu apartamento e seguiu até o elevador onde como sempre e da forma que admirava, desceu sozinho tendo apenas com a companhia magnífica de suas músicas trágicas e sem sentindo moral.

Quando após toda a demora e todas as paradas em vários andares daquele prédio, Itachi finalmente suspirou aliviado quando o elevador chegou ao final daquela viagem chata e cheia de pessoas que naquele dia resolveram sair no mesmo horário que si. Não que tivesse problemas com eles, na verdade aquilo se tratava apenas da sua arrogância inconveniente perante aos problemas que lhe chatiavam a tempos e que tentaria resolver o mais rápido possível.

Apesar que antes estava preso em uma máscara de virtudes frustradas por seus próprios sentimentos, em sua personalidade existia inúmeras qualidades e aquela amarga expressão que lançou a todos quando caminhou a passos largos para fora do elevador era apenas uma situação momentânea que jurava resolver entre si e seus problemas ou talvez até mesmo com o mais velho.

Colocou o telefone no bolso do terno em que vestia e no outro pegou um laço fino levando as mãos até os cabelos negros que foram presos de forma desleixada pelo homem que não demorou seguir apressado até a saída daquele lugar.

Com toda certeza trocaria a companhia de seu carro optando seguir a pé para o local que nem mesmo estava distante já que havia escolhido um prédio próximo por esse mesmo motivo. Sabia que estava atrasado mas não dava a mínima para o que o pai pudesse lhe dizer pois tudo que saía dos lábios somíticos daquele homem avarento se resumia em quantidades de dinheiro, destruir a vida do irmão mais novo e problemas em que somente o outro conseguia trazer para si.

Confessaria que além do amor que sentia por Shisui existia inúmeros outros sentimentos que mexiam consigo e um deles se resumia a maldita inveja do primo possuir como pai Madara Uchiha o homem mais brilhante, inteligente e despretensioso que Itachi já havia conhecido.

Shisui havia herdado aquele modelo de perfeição em que o irmão de seu pai havia se tornado e nada no mundo conseguiria se comparar a toda aquela natureza humana e pura que era o outro, e Itachi entendia sempre ao se lembrar por que até aquele momento havia mantido segredo sobre seus sentimentos.

Suspirou fundo tentando manter-se calmo. Talvez estivesse indo para a empresa daquela maneira vagarosa somente para repensar sobre a maldita pergunta do que de fato havia acontecido na última noite, talvez fosse por medo da rejeição, talvez não quisesse perder o que ainda tinha com o primo, talvez aquilo fosse só algo de sua mente pensando agora que tudo o que havia imaginado deveria ser esquecido... Mas também por um talvez deveria abandonar aqueles malditos pensamentos e apostar sua última ficha em seu mais impuro sorriso e em sua petulância como fazia sempre sem medo de ter se enganado em uma pura e inocente ilusão.

-×××-

Itachi estava normal naquele momento em que cruzou a entrada da empresa Uchiha seguindo com a mesma face seria e orgulhosa que sustentava ali dentro onde o pai insistia para manter-se como antes. Sua mente ainda trabalhava habilmente em descobrir como aquela noite havia sido, e a única coisa que voltava a lhe intrigar era a cena do primo encharcado de suor enquanto seus olhos negros fitavam libidinosos o corpo atraente em sua frente, desfrutando do pouco em que podia ver pelas curvas de seu pescoço juntamente com os lábios trêmulos que agora também fazia parte de suas memórias.

_Isso não pode ter sido um sonho.
- Itachi murmurou para si mesmo enquanto um sorriso torpe se formava discreto no canto de seus lábios.

Seguiu cheio de pensamentos pelo lugar sem se importar com nada que não fosse encontrar Shisui, e mesmo que graças a isso um outro Itachi surgia temeroso e inseguro, o moreno não tentava não se importar com isso já que uma hora ou outra aquilo iria acontecer e que fosse rápido antes que tudo que aconteceu se esfriasse em sua memória e dúvidas se mantessem ainda mais firmes em sua memória.

De fato ser rejeitado era uma situação muito possível já que Shisui sempre ignorava os seus sentimentos e claro, mantinha um relacionamento escondido com Hinata Hyuga que somente a si tinha conhecimento disso já que a rivalidade entre essas duas famílias proibia esse tipo de relação. Aquilo era outra coisas que não saia de suas lembranças, e a maldita cena da mulher nua dormindo ao lado do homem que tanto fez questão de amar. Seus ouvidos pareciam sangrar quando no outro momento Shisui revelou para e si lhe implorando segredo por medo de ser separado da mulher que tanto precisava para se manter feliz.

A partir daquele dia começou a manter inúmeros segredos que lhe prejudicaram o suficiente para torna-lo um idiota completo, porém mudaria aquela sina de erros que Uchihas cometiam consigo mesmo, e por isso se tornavam tão amargos.

_Itachi!? -A voz do tio pela quinta vez tentava fazer efeito no sobrinho que parecia não ter reparado nele até aquele momento.

Itachi virou-se para o mais velho completamente atônito por ter reencontrado logo Madara pelos corredor sendo que o mesmo havia viajado a poucos dias e não tinha previsão de volta.

_Tio! -Mesmo que confuso pela presença do maior, Itachi abriu um largo sorriso mostrando ao outro toda sua alegria por sua volta.

Madara se aproximou mais abraçando o sobrinho que devolveu o carinho animado por ter revisto o mais velho bem antes do tempo previsto. E depois de alguns segundos ali os dois se afastaram ainda com os sorrisos em seus lábios.

_O que está fazendo aqui tão cedo ? -Itachi perguntou curioso transformando aquele estranho silêncio em um diálogo.

_Falando assim parece até que não queria que eu voltasse.
-Madara falou brincalhão enquanto via Itachi balançar a cabeça contrariado com aquela brincadeira estúpida.

_Muito pelo contrário, estava sentindo muita falta de você, pois trazia alegria a este lugar. -O sobrinho falou carinhoso.

_Espero que esteja sendo verdadeiro. -Madara afagou os cabelo do sobrinho que sorriu pelo contato. _Mas enfim,
os investidores adiantaram a reunião aí pude voltar mais cedo para casa.

_Fez bem, a empresa está um caos ultimamente e Fugaku está a cada dia mais irritado. -Itachi suspirou arrumando os fios bagunçados pelas mãos do mais velho.

_Nem me fale, por isso estou aqui. -Madara sorriu colocando as mãos dentro dos bolsos da calça. _Pena que não pude curtir meu moleque, pois estava morrendo de saudades dele. -Fez uma expressão desanimada.

Itachi sorriu achando graça de todo o drama do mais velho e da afeição do tio pelo primo.

_Você terá tempo de fazer isso, aliás Shisui trabalha na mesma empresa que você. - Respondeu lógico.

_Na verdade Shisui faltou hoje e pelo que parece irá faltar o resto da semana. -O mais velho mordeu o lábio inferior perturbado pela conversa que iniciaram.

Itachi se assustou pelo que havia sido dito pelo tio naquele momento. Estava ali apenas para conversar com o primo e não conseguia digerir a maldita notícia de que Shisui havia faltado.

_Você sabe por que ele fez isso?
-Perguntou curioso mesmo que tudo dissesse para si que era por sua causa.

_Ele não me explicou nada. -Madara suspirou. _Infelizmente Shisui nunca me conta sobre seus problemas.

_Entendo... -O mais jovem respondeu pensativo.

Se por um acaso aquilo fosse pelo motivo do que acreditava terem feito, provavelmente aparecer lá fosse um infortúnio para Shisui que havia se afastado somente para não o ver e quem sabe esquecer de uma noite falida.

_Bom... -Madara colocou um das mãos no ombro de Itachi fazendo o sobrinho sair de seus devaneios para prestar total atenção em si. _Tenho que ir agora, mas sobre Shisui se está tão preocupado como ele, pode passar lá hoje e quem sabe você seja o sortudo que conseguira entender seus problemas.

Itachi não respondeu apenas confirmou balançando a cabeça em pura convicção de algo que nem mesmo tinha certeza se iria fazer. Madara sorriu agradecido e virou se distânciando enquanto o mais jovem o observava aflito.

Não que fosse um covarde, estava longe disso porém somente em pensar no que Shisui poderia dizer a si contrariando suas expectativas, deixava o jovem Uchiha um tanto quanto temeroso. Porém precisa disso, precisava enfrentar essa conversa e tentar entender se por acaso sua mente fértil não havia lhe pregado uma tremenda peça. Precisava e esperaria até o final daquele longo expediente para aquele encontro que tiraria das suas costas todos os pesos que carregava graças as palavras que guardou a tanto tempo consigo.

-×××-

Após o longo dia de trabalho, Itachi não demorou em pegar um infeliz táxi que circulou toda a cidade a procura de um simples lugar fazendo o mesmo reclamar a cada nova tentativa do motorista em deixa-lo em seu destino. Existia também uma maldita chuva que havia se iniciado a pouco tempo em conjunto com um detestável trânsito para ajudar todos os infortúnios de sua tentativa de acabar com suas angústias.

Quando enfim achou que suas frustrações terminariam no momento em que finalmente se aproximasse dos portões da mansão onde vivia o primo, recebeu a resposta que os problemas estavam mal começando juntamente com a chuva que lhe castigava.

Já havia anunciado sua presença. Então por que Shisui permitia que ficasse ali fora sendo acompanhado pela chuva e frio do lugar ? Pelo jeito deveria ter ficado em casa e fingido que aquilo jamais havia acontecido, já que de fato se não se lembrava e não tinha a mesma importância para o outro, e automaticamente se tornava algo inexistente.

Colocou as mãos dentro do bolso e ergueu a cabeça decidindo ir embora já que não iria valer a pena permanecer naquele lugar esperando por algo que não aconteceria. Suspirou fundo e virou-se caminhando devagar para longe dos portões.

_Itachi! -A voz saiu alta fazendo todo o corpo de outro vibrar.

O mais novo não demorou a redirecionar o corpo aos portões onde um pouco distante seus olhos se encontraram com os negros de Shisui que desviou contrariando as expectativas do outro de que aquele encontro seria sublime. O primo segurava em uma das mãos um guarda chuva preto enquanto seu corpo estava coberto por um sobretudo preto muito igual a todas as roupas que adorava vestir.

_O que está fazendo aqui em um dia chuvoso? -Shisui perguntou fazendo o olhar de Itachi voltar a si.

_Seu pai. -Disse alto para que a chuva não atrapalhasse no diálogo. _Seu pai me disse que você não estava bem e eu fiquei procupado. -Mentiu.

Shisui passou um das mãos pelo pescoço mordendo o lábio inferior. Sempre Madara Uchiha responsável por seus problemas.

_Entendo. -Foi o que respondeu e após alguns segundos de silêncio entendeu que não poderia deixar o primo ao lado de fora enquanto seu corpo estava todo encharcado e ele muito provavelmete terminaria com um resfriado. _Hmmm... não gostaria de entrar?

_Sera bom. - Itachi respondeu com um sorriso nós lábios que causou um certo incômodo em Shisui.

O mais velho caminhou até o portão a passos largos possibilitando se aproximar o quanto mais rápido de Itachi que lhe observava detalhadamente lhe causando novamente o mesmo incômodo. Quando se aproximou o suficiente da entrada puxou um grupo de chaves dos bolsos levando até próximo a fechadura girando apreensivo pelo que poderia acontecer após finalizar aquele ato.

Quando girou a chave uma última vez, escutou o barulho da tranca sendo aberta e retirou a mesma segurando em uma das grades do portão enquanto o puxava fixando seus olhos nos de Itachi.

_Entre. -Foi o que disse desviando o olhar.

Itachi percebeu a tensão do mais velho e torceu para que aquilo fosse apenas uma maneira de disfarçar o que havia acontecido com os dois no dia anterior. As mãos foram aos bolsos novamente enquanto seguiu para mais perto do primo. Seus olhos passearam por todo o corpo do outro porém nenhuma reciprocidade aconteceu e o mais novo sentiu que deveria resolver rápido aquele maldito problema para que as coisa entre eles não viessem a se tornarem ainda piores.

××-××

Agora estavam ambos se encarando sentados em lados opostos da mesa. Naquela posição não pareciam primos ou amigos de infância que brincavam juntos com seus sorrisos inocentes e problemas que nem mesmo existiam, naquela posição pareciam desconhecidos ou inimigos que de longas datas se odioavam e tinham que naquele momento ficarem próximos um do outro como um grande sacrifício.

_Você está muito diferente Shisui.
- Itachi arriscou soltando um sorriso ácido nós lábios disfarçando toda tensão que seus olhos carregavam.

A expressão de Shisui mudou, no lugar daqueles olhar frio que carregava desde que se sentaram naqueles respectivos lugares, um semblante triste se formou causando uma enorme dúvida em Itachi.

_Acha que sou o unico que mudou tanto assim? - Perguntou juntando as mãos entre as pernas.

Itachi mordeu o lábio inferior encarando desentendido o primo como se de fato não soubesse do que o outro estava falando.

_O que quer dizer?

_Você não é burro Itachi. -Shisui sorriu balançando a cabeça. _Sabe muito sobre tudo que fez esses anos, todos os problemas que causou, todos os envolvimentos com bebidas, pessoas ruins e tristezas para todos que são próximos a você.

_Està dizendo que se importa?
- Um sorriso patife desenhou os lábios do mais novo.

_Sabe que todos se importam.
-Tentou desviar o rumo daquela estranha conversa.

Itachi não segurou a gargalhada ao escutar as ultimas palavras do primo. Como havia se interessando por alguém tão complicado como ele?

_Você já imaginou como as coisas eram ruins para mim antes? Com os problemas que guardei tanto tempo e com a maldita imagem que mantive, chegando a me perguntar quem eu realmente era? -A expressão seria tomou conta da face do Uchiha.

_Então você é realmente esse homem que se agrada com coisas fúteis?

_O que eu posso fazer? Pessoas incompletas se tornam vazias.
-Arqueou uma das sobrancelhas observando a expressão assustada de Shisui ao ver como assumia sem problemas o que de fato havia se tornado.

Shisui não queria continuar aquela conversa, não queria continuar ali e de tudo que desejou se livrar naquele momento, queria nunca mais ter que encarar o Uchiha novamente em seu caminho. Itachi era um problema para tudo que acreditava, havia se tornado um problema para sua sanidade e agora diante de si procurava se tornar algo ainda pior pois aquele encontro não se tratava de uma simples visita mas um grande problema sobre a relação estranha que mantinham.

_Você deve estar com frio, não é mesmo? -Shisui tentou mudar de assunto encarando o outro que lhe sorriu patife.

_Digamos que uma roupa molhada não seja um dos melhores trajes que se possa vestir. - Respondeu provocador.

_Foi o que imaginei. -O mais velho suspirou. _Tenho certeza que você conhece muito bem a casa, então se quiser pode buscar algo para vestir, enquanto isso preparo algo para bebermos já que nenhuma empregada está aqui hoje.

Aquelas palavras pareceram melodias para os ouvido de Itachi que não se procurou em disfarçar como aquilo lhe favorecia em vários aspectos. Por isso não havia encontrado nem um deles pela mansão Uchiha e sua pouca inocência deixaria aquele maravilhoso detalhe passar despercebido.

_Você poderia buscar algo para mim. -Falou com uma expressão tranquila.

_Mas...

-Nada de mas, deveria ser mais gentil com suas visitas. -O mais jovem interrompeu o outro que suspirou irritado.

Estava sozinho naquela mansão com seu primo completamente maluco sem saber que horas seu pai poderia voltar da casa de seu amigo. De fato nada poderia piorar aquele terrível jogo de azar onde infelizmente Itachi dava as cartas.

_Ok. -Precionou as mãos sobre a mesa fazendo um pequeno esforço para se levantar. _Fique me esperando, prometo não demorar. -Disse com um sorriso falsa não demostrando ao outro que seu maior desejo naquele momento era sumir pela porta e esquecer tudo entre os dois.

_Ok. - Itachi confirmou com a cabeça enquanto Shisui suspirou cansado caminhando a passos largos pelo chão de madeira sendo perseguido pelo olhar indiscreto do outro. Estava sufocado porém enquanto os olhos de Itachi pairavam sobre si, preferiu por guardar todas aquelas bobagens para si e seguir apressado para finalizar aquela tarefa.

Passar a noite com seu primo bêbado não poderia promover coisas boas no futuro e Shisui sabia que aquele assunto logo seria lembrando, ou Itachi não estaria ali. Tinha que admitir que aquela havia sido uma das loucuras que mais adorou se meter, porém apenas por saber que aquilo era um problema deveria parar, esquecer e seguir sua vida como sempre fez.

Constantemente tentou convencer a si mesmo que era hetero e que tudo o havia sentido ao logo de sua vida era um grande equívoco, uma estranha confusão que poderia ser arrumada colocando as devidas peças no lugar. Porém nunca havia sido capaz disso de mudar o que era e sempre em meio a todos, sua vida ficou incompleta pois assim como Itachi se sentia imperfeito, faltava uma peça e por isso não conseguia consertar o quebra-cabeças.

Desde muito jovem sentia que possuía algo estranho entre si e seu primo e por esse motivo manteve-se o máximo que pôde afastado daqueles maldito olhar funesto que trazia consigo sua perdição. Era um bom plano e sempre havia funcionado com Itachi até que a doce e inocente personalidade do outro se quebrou deixando Shisui responsável por cuidar do mais jovem somente por medo de perde-lo. Aquela proximidade infelizmente trouxe consequências, veio a perceber quando muitas vezes próximo a janela do apartamento onde o outro morava observava seu rosto ameno descansar sobre o travesseiro enquanto sua pecaminosa mente vagava por pensamentos sujos que nem mesmo fazia questão de ressaltar naquele momento.

Malditos Uchihas, sempre tão sujos e cheios de problemas que fracos como eram não conseguiam se livrar das suas infelizes máscaras de ilusões. Daquela família seu pai havia sido o único que sempre conseguira se resolver consigo mesmo e Shisui chegou a acreditar cegamente que se tornaria um pouco do mais velho, porém apenas conseguiu se transformar em um farsante dos seus próprios desejos secretados por um insano desejo de perfeição.

××-××

Quando finalmente chegou ao seus quarto abriu a porta, adentrou o lugar e suspirou seguindo para qualquer gaveta que pudesse encontrar uma roupa boa para o primo que lhe esperava na parte inferior da casa. Não tinha um corpo magro e nem forte, era bem parecido com Itachi na verdade o que lhe proporcionava diversas escolhas do que levaria para que o outro vestisse.

Caminhou pelas camisetas finas e seguiu para as mais coladas passeando os dedos por elas até suas mãos ágeis encontrarem uma blusa preta e confortável a maneiras que Itachi adorava se vestir já que o mais novo desde muito pequeno sempre detestou vestes que causassem o mínimo de incômodo para si.

_Vejo que você lembra perfeitamente todos os meus gostos. -Uma voz rouca se fez presente arrancando de Shisui um arrepiou. _Você nunca foi um bom observador, porém sempre teve um carinhoso especial por mim.
- Itachi sorriu triste ao lembrar das inúmeras vezes que o outro lhe afastou. _Você tinha, não é mesmo?

_As pessoas crescem e acabam tomando distância das outras, porém existem pequenas lembranças que nunca se apagam. -Shisui respondeu prendendo com força a blusa entre os dedos.

_Me julga uma boa lembrança?
- Itachi perguntou levando uma das mãos ao bolso da calça.

Shisui pensou um pouco sobre o que poderia responder ao primo, porém nenhuma ideia havia sido boa suficiente causando no mesmo uma imensa necessidade de transformar aquele assunto em algo inexistente dentro daquele quarto.

_Acho melhor escolher uma calça. -O mais velho ignorou a pergunta jogando sobre o Uchiha a blusa que a pouco havia retirado do guarda roupa.

Virou-se para frente disfarçando novamente todo o nervosismo presente em si. Era sempre a mesma história quando ele e Itachi estavam junto, sempre se sentindo impotente e inseguro graças a presença forte que o outro instiam em deixar marcado em sua memória.

Os passos sobre o chão de madeira não passaram despercebidos por Shisui que suspirou sentindo novamente aquele mar de problemas lhe perseguirem com a distância que diminua entre eles. Maldita fosse sua atração por Itachi e abominável fosse aquela devassa necessidade que sentia ao ser tocado pelos dedos gelados que agora passeavam vagarosamente por seu pescoço.

Os olhos de Itachi estavam totalmente presos a Shisui enquanto suas mãos passeavam atrevidas pela parte exposta de seu pescoço. Lembrava-se muito bem como aquela região sempre forá delicada e sensível aos mínimos toques o que deixava o mais novo ainda mais necessitado de provoca-lo apenas ali, apenas em um lugar que sabia causar o mínimo que fosse de efeito sobre aquele que tanto lhe promovia sensações únicas com apenas um frio e inocente olhar.

Mas como sempre dizem, tudo que é bom nunca dura para sempre é Itachi acabava de provar daquelas palavras no momento que Shisui se virou se afastando o máximo de si. Os olhos lhe encaravam de forma intensa enquanto seus lábios entre abertos demoravam que aqueles toques haviam de fato surgido efeito, mesmo que contrário.

_Você deveria me esperar lá embaixo. -A voz baixa saia em uma falha tentativa de fingir calma. _Eu vou terminar de procurar uma roupa e desço logo, logo.

Itachi coçou a cabeça suspirando fundo enquanto mantinha seus olhos negros presos ao do outro.

_Por que está tentando fugir Shisui? -A perguntou assustou ainda mais Itachi pela coragem de ter sido tão direto com algo tão delicado.

_Não estou entendendo onde quer chegar e acho melhor você não continuar com esse assunto mais. -Shisui lançou um olhar severo para o primo que pareceu não se importar.

_Se não está entendendo deveria fazer um esforço para relembrar da noite passada e talvez você consiga compreender onde quero chegar. - Um sorriso patife desenhou os lábios do mais novo.

Os lábios de Shisui ficaram trêmulos ao escutar aquilo sendo dito pelo primo. De fato Itachi estava ali para retirar de si a verdade sobre a noite anterior, querendo lhe fazer confessar toda atração que sentiram o enlouquecendo, o quebrando tornando sua mente defeituosa e confusa.

_Como eu já dito antes, você deveria me esperar lá embaixo. -O mais velho suspirou mordendo o lábio inferior enquanto tentava arranjar em sua mente algo que lhe livrasse daquele maldito problema.

_Para continuarmos assim quando você descer logo depois fingindo que está conversa não existiu? -Itachi encarou com intensidade os olhos de Shisui que como sempre desviaram evitando um contato maior com aquele assunto.

As mãos delicadas deslizaram pelo rosto agora cansado visando de alguma forma maluca se livrar de tudo que está acontecendo. O que Madara pensaria de si? O que as pessoas diriam sobre uma atração suja por outro homem com o mesmo sangue que o seu? Nada de bom poderia tirar daquilo e Shisui sabia que deveria fugir o mais rápido possível como sempre fez.

Balançou a cabeça e caminhou apressado ignorando tudo que havia sido dito pelo primo, rejeitando aquela perversa tormenta que somente Itachi conseguia causar em si. E teria conseguindo atravessar aquele quanto para longe de seus problemas se as mãos firmes do outro não tivessem lhe segurado prendendo sua atenção nos negros olhos a sua frente.

_Não precisa fugir de mim. -Os lábios rosados de Itachi forçaram um sorriso triste arrancado de Shisui uma expressão assustada por encontrar naquelas palavras uma mínima tranquilidade para seu coração que diferente de sua mente dizia para ficar.

_Itachi... - A voz saiu receosa quando graças ao mais jovem ficavam cada vez mais próximos, o suficiente para sentirem a respiração quente um do outro.

O coração acelerou, a boca secou e as mãos buscaram trêmulas algum apoio. Shisui sabia que aquilo era um convite ao mais sujo dos pecados e como sempre estava prestes a ceder, prestes a cometer o erro de desejar os funestos olhos negros sobre si lhe delineando cheios de malícia e perversão.

O mais velho sentiu ainda mais aquele doce pecado quando os lábios melódicos tocaram os seus causando naquele momento uma canção calma e cheia de blasfêmias e como consequência um atração, um amor que Itachi conseguia transmitir agora sóbrio e consciente de que nenhuma bebida seria capaz de lhe satisfazer como aquele beijo.

As mãos do mais novo passearam pelo corpo do primo sentindo cada sensação que o outro conseguia transmitir com aqueles toques. Itachi adorava ver o corpo de Shisui arrepiar quando graças ao seu atrevimento suas mãos entravam pelo tecido da blusa e criava um choque sensual entre as duas temperaturas que perpetuavam em cada um dos corpos.

Porém tudo que é bom dura pouco e Itachi experimentou dessa frase novamente no instante que as mãos delicadas do mais velho bateram sobre seu peito evitando mais contato que poderiam ter ali. As línguas que antes se encontravam necessitadas se separaram mesmo que ainda envolvidas pelo delicioso jogo que antes ali perpetuavam.

_Itachi... Por favor... Não podemos.
-Shisui se afastou abaixando a cabeça evitando encarar aqueles olhos que tanto lhe atraiam para problemas.

Itachi suspirou irritado com aquele jogo de ilusões que Shisui insistiam em ficar mantendo-se distante de si. Existia mesmo um problema para não poderem? Para terem mesmo que viver em falsas vidas somente para agradar os outros?

_Se me disser...- Mesmo irritado a voz do mais jovem permanecia calma. _Se me disser que naquele noite nada aconteceu eu prometo te deixar ir embora agora, deixo você e nunca mais irei tocar nesse assunto.

Aquelas palavras entraram nos ouvidos de Shisui como um golpe o trazendo para a realidade, a amarga existência que agora lhe dava a pior das escolhas. Queria dizer que nada havia acontecido, que de fato era tudo fruto da mente mirabolante do maldito Uchiha, porém aquilo se passava de uma real situação que no momento em que participou havia se tornado a melhor das sensações.

_O que foi? - Itachi perguntou sorrindo imoral enquanto observava a expressão na face clara do outro. _Não consegue encontrar uma mentira plausível que mude o que aconteceu entre nós dois?

Shisui caminhou mais alguns passos para trás diante daquela provocação. Sua mente voltou para aquela impertinente situação e o mais velho não conseguiu esconder o frio em sua barriga e o arrepio que percorreu seu corpo ao relembrar detalhadamente da cena, de fato aquilo era algo que nunca esqueceria.

O moreno iria correr, fugir daquele lugar já que essa era sua única esperança, porém no momento que impulsionou o corpo sentiu as mãos de Itachi em seu corpo, dessa vez o prendendo com mais força.

Seus braços estavam envoltos pelas mãos frias do mais novo enquanto os olhos negros encontravam-se fixados em sua figura. Os dedos passearam por toda aquela região seguindo sem pudor até seu pescoço onde sem controle sobre o seu próprio corpo, fechou os olhos sentindo a deliciosa sensação do toque alheio.

Talvez fosse aquilo que encantasse tanto Shisui. O jeito carinhoso que somente Itachi possuía, os toques suaves e concupiscentes transmitido pelo mais jovem e o sublime olhar acolhedor ainda cheio de luxúria. Itachi era a junção de tudo imperfeito com o que existia de mais puro no mundo, o que tornava o jovem Uchiha uma magnificente obra única.

Os lábios de Itachi vasculharam sedentos o pescoço do mais velho como se estivesse escasso de algo tão saboroso. Mordeu, marcou e sentiu com mais vigor o gosto de Shisui se entregando pouco a pouco a si.

Shisui não segurou os gemidos que já escapavam eróticos enquanto permitia maior contado entre os dois corpos. Idiota, foi o que pensou quando Itachi o guiou
determinado até a cama de casal percebendo que aquela liberdade traria consequência.

Quando chegaram próximo ao lugar Itachi desviou sua atenção do pescoço do parceiro seguindo calmo até os lábios do mais velho onde se dedicou fazendo as duas línguas brincarem necessitadas.

_Tachi... -Shisui se soltou suspirando descompassado enquanto no canto dos lábios vermelhos do mais novo um sorriso imoral.

Itachi acabou com todo o espaço entre os dois corpos pressionando as ereções. Shisui fechou os olhos sentindo o corpo pulsar com aquele contado. Maldita era a resposta que seu corpo dava ao simples toque do Uchiha, maldita era a forma como desejava mais a cada minuto, maldita era a infeliz covardia de não admitir nada disso em um momento tão íntimo entre ambos.

_Seu corpo não te permite mentir. -Ali estavam novamente aqueles malditos olhos funestos lhe enlouquecendo enquanto a voz rouca de Itachi transformava aquelas palavras em melodias.

O mais novo precionou o corpo frio e encharcado com mais força contra o de Shisui, fazendo o mesmo gemer baixinho enquanto se esquecia dos problemas que envolviam aquele acontecimento.

Uma das mãos de Itachi passaram pelos fios negros de Shisui, segurando com firmeza enquanto voltava a lhe beijar um pouco mais afoito. A língua buscou com desejo possuir, mais e mais contato com o mais velho que começava a ignorar o bom senso se rendendo a perdição daquele contato.

_Tachi... -Falou quando se separaram para recuperarem o fôlego.

_Shhh. -O mais novo falou com um sorriso nos lábios enquanto sua mão livre deslizava pelo corpo do primo.

Shisui não impediu em nenhum momento o que estava acontecendo. Impediu menos ainda quando os dedos frios de Itachi traçaram um caminho por baixo de sua blusa causando um delicioso arrepio.

Em um momento o mais velho apenas sentia com deleite os dedos passearam por seu corpo, em outro suas roupas já se encontravam sobre o chão, enquanto as do primo eram retiradas em frente aos seus olhos que observavam obcecados.

Após estarem despidos Itachi voltou a se dedicar ao primo. Suas mãos seguraram seus braços sobre a cabeça enquanto seus lábios eram tomados com fome. Seus corpos se enfregavam devagar enquanto o desejo de ambos apenas aumentava com todas aquelas sensações.

O mais novo não se prendeu apenas aos lábios traçando caminhos pelo corpo do outro. Soltou as mãos que estavam presas entre as suas puxando o primo pela cintura enquanto sua língua marcava cada região daquele corpo.

Shisui gemeu mais alto do que desejava e Itachi não conseguiu segurar o sorriso libertino que lhe desenhou a face.

_Não consegue esconder que apenas isso é capaz de te deixar excitado, não é? -A voz rouca deixava o corpo de Shisui completamente arrepiado, e o mesmo xingou baixinho pelo dominio que o primo possuía sobre si.

Itachi se levantou da cama sendo seguido pelo olhar curioso do outro. Se ajoelhou em frente ao primo e segurou o membro do outro, já tejo entre os dedos observando com fascínio a face de Shisui mudar de confusa para prazerosa.

Iniciou um movimento vagaroso com as mãos enquanto seus olhos seguiam o primo demostrando naqueles olhos negros, todo o fascínio que aquela cena lhe proporcionava. Passou a língua pela glande distribuindo em seguida beijos molhados pela região enquanto Shisui segurava firme os lençóis.

Sua pele estava avermelhada, seus olhos marejados e sua boca entre aberta. Algo que formigou em Itachi ao perceber como era simples para si deixar aquele homem tão entregue.

_Seu gosto Sui... -O mais novo passou a língua pelos lábios. _É o mais gostoso que já provei.

Shisui sentiu suas bochechas arderam fechando os olhos enquanto Itachi voltava a estimula-lo. Os lábios envolviam seu membro enquanto a sucção ficavam a cada momento mais forte. O mais velho tentou manter os gemidos em segredo, porém o movimento produzido por aquela pressão e o calor que percorria seu corpo era impossível de serem negados. Tentou chamar pelo nome do primo, mas a voz permanecia presa em sua garganta que arranhava em sussuros eróticos e melodiosos aos ouvidos de outro.

Após alguns minutos se dedicando apenas a aquela atividade. Itachi largou o membro do primo passando a língua pelos lábios dormente que se encontravam vermelhos e molhados. Sua boca fora atraída as glândulas genitais onde se dedicou lambendo com cuidado enquanto escutava os gemidos do outro se intensificarem.

A língua passou maléfica pela região, a deixando completamente molhada e misturada com o prazer passado pelo mais novo. As glândulas genitais eram sugadas com intensidade a cada minuto até que Itachi juntou as dia a formas de prazer, passando a língua da base até a glande, deixando o outro mais e mais excitado com o tempo.

Shisui sentiu o rosto do mais novo se distanciar de si e momentos depois os lábios passarem por sua coxa, onde beijos e chupões foram distribuídos sem cuidado algum.
As mãos do primo seguraram firmes suas pernas e as separaram em um movimento brusco.

O mais velho tentou evitar o que fora feito porém as mãos se mantiveram firmes determinadas em mate-lo naquela forma.

_Nem louco eu vou deixar você escapar de mim agora. -Itachi sorriu ao dizer.

_Madara pode chegar a qualquer momento.

O Uchiha não se importou com o que fora dito por Shisui. Na verdade continuou o que estava a fazer antes de ser interrompido. Apoiou as duas pernas do primo que agora estava afastadas, em casa lado da cama. Separou com as duas mãos as nadegas e passou a língua pelos lábios ao ter acesso a toda aquela deliciosa visão daquela região rosada exposta a sua frente.

Shisui fechou os olhos extasiado com a nova sensação que tomava conta de todo seu corpo. Não confessaria, mas estava adorando a língua quente que agora lhe adentrava sem pudor o orifício. Os pés se agarraram aos lençóis enquanto Itachi aumentava suas investidas.

Uma coisa que sempre agradou o mais novo, era ver seu parceiro abraçado pelo prazer que ele pudesse proporcionar, e graças a isso não pôde segurar os gemidos ao reparar em como o outro estava satisfeito.

Itachi continuou, continuou por se excitar mais e mais com os gemidos roucos de Shisui e suas tentativas de mostrar que nada daquilo lhe agradava. Colocou as duas mais nas coxas do outro, segurando com força afim de marcar aquele corpo, como uma forma de mostrar ser aquela sua propriedade.

O tempo passou e sentindo que aquilo fora suficiente, o mais novo dos Uchihas se afastou observando com deleite a forma como aquele corpo lhe pedia para voltar. A visão daquela região que havia se dedicado a pouco tempo, lhe convidava novamente e Itachi não pôde negar, voltando porém com outra forma que pudessem agradar o mais velho .

Uma das mãos segurou o próprio membro negligenciado enquanto a outra
se dedicou ao canal do primo.

Shisui mesmo esperando o que pudesse vir, sentiu o corpo tremer sobre os dedos do mais novo. Sua boca estava seca e sua mente fugia toda vez que era penetrado. Mesmo negando, mesmo tentando se livrar do outro, Itachi infelizmente possuía poderes sobre si, poderes que o pobre e covarde corpo não era capaz de lutar. E lá estava novamente dominado pelo desejo insaciável de pertencer ao primo.

Quando sentiu ser o necessário para alargar o primo, Itachi se levantou se afastando do outro, que gemeu ao ter os dedos afastados do seu corpo. O mais novo sorriu patife e seguiu para o outro lado do quarto sendo seguido pelo olhar confuso do primo.

Shisui poderia correr dali naquele momento, se livrar do primo. Fechar a porta para que no mínimo Madara não chegasse para ver aquelas obscenidades, mas não conseguiu. Não conseguiu por que suas pernas tremiam, por que não estava raciocinando direito e por que não sentia mais vontade de fugir mesmo sabendo que seria essa a melhor opção.

Após um curto tempo, Itachi voltou trazendo consigo um recipiente em que continha lubrificante. Caminhou até a cama, onde Shisui desviou o olhar envergonhado pelo outro ter encontrado suas coisas pessoas.

O mais velho que estava quente sentiu o corpo se arrepiar ao ter o líquido gelado sobre seu canal. Mordeu o lábio inferior enquanto Itachi se dedicava á aquela atividade. Quando o outro sentiu ser o suficiente colocou o recipiente ao lado da cama segurando o membro entre os dedos e o posicionando na entrada do mais velho.

Shisui ao sentir, virou-se em direção ao mais novo. Os olhos de Itachi brilhavam desejos enquanto seus lábios rosados se encontravam sorridentes, em sintonia com o negro funesto do seu olhar.

Havia além de um simples desejo, uma paixão que mesmo não aparentando Shisui transmitia ao encontrar com o outro. Sentia-se confiante com aquele maldito, mais confiante do que já havia se sentindo em todo esse tempo com Hinata. Na verdade ninguém no mundo era capaz de deixa-lo daquela forma.

Maldito Uchiha, foi a única coisa que Shisui pensou antes do corpo ser preenchido pelo membro do outro. Sua cabeça arqueou, suas mãos se fecharam e a mente viajou em milhares de sensações.

Itachi gemeu ao penetrar aquele corpo, seus movimentos eram delicados, enquanto esperava o primo se acostumar. Moveu-se contra o corpo do primo abaixo de si e o pressionou contra o seu. Somente para possuir mais contanto com o outro.

Os movimentos que se mantinham lentos, ficaram mais rápidos a medida que sentia que o outro já não se sentia incomodado com seu membro. Shisui que até aquele momento se manteve distante do outro, aceitou o corpo que pressionava contra o seu.

Suas penas envolveram o outro é suas mãos seguraram os fios negros. Itachi se assustou um pouco, porém não reclamou. Sorriu ínfimo depositando beijos por toda a extensão do pescoço do outro que gemeu satisfeito.

_Eu te odeio. -Shisui falou fraco voltando a gemer.

Itachi não respondeu agarrou o corpo com mais força contra o seu. Seus movimento ficaram mais rápidos acompanhando toda a devassa atração que ambos os corpos precisavam. O mais novo sentia as paredes do corpo do outro lhe receberem quentes e úmidas da forma mais obscena possível.

Os ritmos que agora era intenso faziam Shisui gemer alto e rouco, enquanto o mesmo acontecia com o mais novo. O mais velho retirou as mãos dos cabelos do outro que caíram sobre a cama, levando-as até as costas do primo. Se agarrou firme enquanto Itachi entendia que ele queria mais que aquilo, e sem nenhum a dificuldade permitiu estocadas mais fortes no canal do outro.

Aquilo foi suficiente para atingir a próstata do outro, que graças a mais estocadas como aquela se permitiu a gritar tal alto sem se importar com a chegada do pai.

_Você parece está gostando.
-Sussurou Itachi empurrando com mais ferocidade o membro no interior do primo.

Não fora necessário muito mais para o mais novo sentir o corpo do outro tremer contra si, enquanto seu canal ficava mais apertado. Gemeu deliciado, apertando com mais força o corpo contra si. Se movimentou com mais rapidez dentro do corpo do outro o que proporcionou a ambos chegarem ao ápice.

Itachi caiu sobre o corpo do outro ao sentir seu líquido se derramar no interior do primo. Shisui soltou os braços que seguravam as costas do mais novo e as pernas que se encontravam bambas. Os dois estavam com as respirações das comparadas e a mente completamente alucinada pela sensação maravilhosa que os envolveram.

O mais novo se jogou no outro lado da cama e Shisui permaneceu parado enquanto todo aquele cansaço lhe tomava conta.

A mente de Itachi parecia está distante, enquanto seus olhos se fechavam vagarosos se entregando ao cansaço. A única coisa que conseguia captar no meio de tudo aquilo, fora a voz doce de Shisui lhe dizendo suavemente palavras que não tinha certeza terem escutado.

_Eu te amo.

Talvez estivesse errado. Porém não se permitiu dúvidar mais, dormindo novamente ao lado do outro e dessa vez acreditando encontra-lo pela manhã.

--×--

A manhã entrava pela janela enquanto os olhos funestos de Itachi despertaram juntamente com o primo que se levantava vagarosamente da cama. As mãos envolveram com delicadeza dos braços do outro que se assustou com o toque repentino.

_Estava pensando em fugir de novo? -O mais novo disse com um sorriso ínfimo nos lábios que não refletiam ao seu desespero de perder o outro novamente em uma nova manhã.

_Não posso fugir da minha casa.
- Respondeu Shisui divertido mesmo ainda se sentindo incomodado por tudo que havia acontecido com ambos.

Itachi sentou sobre a cama e observou o outro que lhe desviava o olhar.

_Parece que vamos repetir o mesmo de ontem, não é mesmo? -Itachi falou com um sorriso patife nos lábios. _Parece que sempre em um novo dia vou ter que tentar fazer você me aceitar.

Shisui balançou a cabeça lançando um olhar cheio de vida para o outro.

_Você me disse que se eu não te mandasse embora, não poderia depois. -O mais velho juntou as mãos. _Eu acho que não é mais uma escolha.

Após todo aquele tempo tentando, Itachi havia finalmente conseguido escutar o que sempre quis, Shisui não o expulsaria novamente de sua vida. O Puxou com força o jogando sobre si fazendo o outro de assustar com a atitude repentina, porém nada parou a gargalhada animada de Shisui que ele deixou escapar.

Os dois se encararam se mantendo em silêncio enquanto aproveitavam daquele contato que ainda era estranho para Shisui, ele não poderia negar.

_O que seremos se continuarmos assim? -Shisui passou a língua pelos lábios ainda preocupado com todos os novos acontecimentos

Itachi suspirou encarando com intensidade o outro antes de responder com convicção, sendo completamente verdadeiro.

_Seremos mais do que um simples e simplória desejo.
-Depositou um beijo na testa do outro. _Seremos dois amantes sem ilusões ou medos, ou apenas nós mesmo como somos nessa manhã.

Shisui sorriu balançando a cabeça. Definitivamente estava maluco por aceita-lo em apenas mais uma noite juntos, porém negar o que sentia era patético e restava apenas não deixá-lo partir.

_Eu te amo. -Depositou a cabeça no peito do outro enquanto sentia o coração do mais novo disparar dentro do peito.

Itachi não podia negar que estava feliz por ter certeza de que não havia se iludido na noite anterior como nas outras vezes. Agora tinha certeza, aquilo não era apenas um simples prazer, eram uma devassa e atraente atração entre duas pessoas que como dois polos diferentes precisavam ficar juntas.

E como Shisui todos viriam a descobrir que não existe preço para amar, existe apenas o amor.


24 de Diciembre de 2018 a las 19:00 0 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Sra Vallin Otome, fujoshi, preguicosa, maluca e totalmente apaixonada por livros. Alem destas caracteristicas, sou uma pessoas completamente viajada tendo facilidade em criar loucuras proprias em minha cabeca. Sou taurino e como consequencia viciada em tudo que seja de comer e que provavelmete possa me matar de colesterol alto ou qualquer outra doenca do tipo. Adoro escrever tambem, algo que me retira completamente da monotonia da escola e que me permite desfrutar de todas as loucuras que minha mente engenhosa adora criar.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

Historias relacionadas