falando sobre pó no XXX Seguir historia

shandra sandra shandra

AVISO: qualquer semelhança deturpada com a realidade não é mera coincidência.


Historias de vida Sólo para mayores de 18.

#conto #recaída #drogas
Cuento corto
0
4.6mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

único

(Grupo de garotas conversando coisas aleatórias)


a: Mulher, tu tem algum e-mail que tu não use? Eu tô tentando aqui conseguir um desconto no uber, mas eu já usei o meu cupom e agora tenho que fazer outra conta.

b: Pera, eu tenho sim, vou por pra tu. A gatinha aqui quando usava msn tinha vários e-mails.

c: Oh corre consagrado esse hein, indo fazer esse corre no uber. (risos)

a: Não tem quem me impeça de fumar hoje, querida, eu chego lá de carro na bocada, lindíssima, só saio, pego minha balinha e bumba!

c: Mulher, vai dar certo, a gente ainda fuma esse hoje.

b: Pronto, deu bom. (termina de colocar o e-mail)

a: Pegar esses código, vou ajeitar a conta aqui.


(rapaz conhecido chega)


d: E ai amores, como vocês estão? (distribui abraços entre as conhecidas) Contar pra vocês uma história. Vocês sabem aquela raposinha né? aquela histérica? não gosto dela, aquela ruiva. (elas concordaram) Viado, ontem eu tava no bar, lá pela gentil, ai chega essa menina desesperada. Olha o que eu tô falando pra vocês, desesperada, chegou falando que ia se matar, porque os amigos dela falaram que iam se matar também, daí um deles jogou ela do carro em movimento, a raposinha toda arranhada.

b: conhecido esses papo aí.

c: como assim macho? explica isso daí.

d: prestenção, eu tava com a galera no bar da Lôra né, daí ela chegou desesperada, queria o celular de alguém pra ligar praquele amigo dela, aquele mulher, um que vive encangado com ela, que só não usa mais droga pq tem só um nariz.

a: me ligo quem é.

d: e ela desesperava, viado. Ficava só repetindo "eu vou me matar, eu vou me matar", e eu já sem paciência pra essa cena toda que ela tava fazendo e ela repetindo "meus amigos vão se matar então eu vou me matar também." Tava em tempo de dizer "se mata então, mulher". Aí ela pediu o celular de alguém emprestado, só que ela queria levar o celular até a praça que era onde tinha um cara que ia passar o número pra ela. E eu "gatinha não é assim não, não vou deixar tu levar meu celular não". Mulher, os amigos, amigos entre aspas né por que amigo que joga a outra do carro nem amigo é não, empenharam até o carro por pó, tavam muito era loucos e ela lá ainda pensando neles. Devia era tá era muito doida também.

c: ta vendo mulher (falou se referindo a todos da roda), que putaria medonha. (indignada)

b: por isso que eu não gosto de quem usa pó direto. Se começa a mexer com isso direto é o que dá, fica só nessa e sequelando direto.

(continuam mais um tempo falando sobre o assunto)


(...)


(a "raposinha" chega no ambiente)

d: ta vendo, tá ali ela, meu Deus, chega tá chupada essa menina.

a: gente quando eu usava pó direto era nesse nipe aí, e eu tinha dinheiro, (passa alguns segundos sem falar para dar entonação de que todos na roda sabiam da situação, então não era preciso explicar). Se essa daí não parar oh, os amigos dela eu não coloco mas nem fé. Mas também, olha com quem essa menina anda, só com uns macho metido com coisa errada, moh escrotos. Vai ver ele já tinham eram empenhado esse carro mesmo pra pó e iam deixar essa pobi pra ser culpada.

d: é por essas, XXXX, que eu nem me meto nessas coisas. Fico só no meu beckzinho oh, e dá certo.

c: gente os códigos do uber deram certo, valeu XXXX.

b: nada mulher.

c: o uber chegou.

7 de Noviembre de 2018 a las 23:11 0 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~