Halloween Fears Seguir historia

luhander Luh Hander

Uma viagem. Um medo. Uma resposta. A cura. Um amor possessivo.


Fanfiction No para niños menores de 13.

#halloween #narusasu #naruto #sasuke #sasunaru
Cuento corto
5
4.4mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

Estou tão ansioso que não consigo me aguentar em pé. Finalmente poderei fazer uma coisa que sempre quis fazer.  

Por muito tempo, eu desejei ir até o meu parque temático favorito no dia das bruxas. Dizem que lá acontecem coisas aterrorizantes e tenebrosas, capazes de fazer você ficar sem dormir por dias ou até meses. Alguns até contam que ainda conseguem ouvir os gritos das mulheres e crianças de dentro do castelo mal assombrado e que esses gritos, ou sussurros, os perseguem até os dias de hoje. 

Sempre fui um amante do terror, embora nunca tivesse tanta coragem para assistir um filme muito pesado ou até mesmo ir naqueles brinquedos específicos nos parques de diversão. Corredores escuros? Nem pensar, passo longe ou correndo ou até os dois. Mas meu motivo para querer tanto ir a um parque assim é para justamente superar meus medos e aprender a lidar com eles. Quero que isso vire uma lição, uma metáfora, um dilema, para que eu possa superar meus problemas e dificuldades começando com o medo. 

Então cá estou eu, no hotel em que ficarei hospedado, a mais de mil quilômetros de distância de casa, completamente sozinho, em uma aventura na qual carregarei as memórias para sempre.  

O hotel era gigantesco! Todo branco com detalhes em dourado e prata, móveis antigos da mesma cor e candelabros belíssimos, se não estivesse todo coberto de teias negras. Como está na época do Halloween, o que mais tinha eram enfeites aterrorizantes de aranhas, abóboras, bruxas e caldeirões pelos salões. Até mesmo os funcionários estavam trabalhando com fantasias, essas de todos os estilos e tamanhos, alguns simples e outros completamente trabalhado nos detalhes.  

Estava tudo muito bonito para uma recepção hoteleira, e tudo muito trabalhado, conseguia-se ver a dedicação de cada um em tornar tudo aquilo único e bonito.  

-Próximo! - Um dos atendentes do hotel, esse que usava uma fantasia de zumbi, chamou o próximo da fila, que no caso, seria eu. A passos apressados e desajeitados, me dirigi ao balcão para confirmar minha hospedagem. - Bom dia, senhor. Seja bem vindo ao GreenPalace, está hospedado? - Perguntou educadamente. Eu demorei um pouco para responder, pois olhava para sua maquiagem incrivelmente bem feita e suas lentes de contatos tão claras quanto as paredes do local. 

-A-Ah! Sim, sim! Gostaria de confirmar minha reserva e pegar a chave do quarto, por favor. - Falei envergonhado quando percebi que o encarava demais. 

-Claro! Preciso de seu nome completo, por favor. 

-Naruto Uzumaki.  

-Hum... - Falou pensativo enquanto olhava algo na tela do computador. - Uma suíte simples, certo? - Perguntou agora me olhando. Sorri e confirmei com a cabeça. - Sinto muito, mas essa suíte foi ocupada um pouco antes de você confirmar o quarto.  

-O que? Como assim? Não pode ser! Eu até paguei o quarto! - Falei já numa pilha de nervos. Não, não! Estava bom demais para ser verdade! Isso que acontece quando eu resolvo fazer as coisas sozinho e desisto de ler as coisas por inteiro. 

-Sim, mas você pagou por uma suíte dupla. - Falou. Como assim? Meu rosto deve ter se contorcido mais do que o necessário para que ele terminasse de me explicar. - Veja. - Me mostrou o monitor. - Naruto Uzumaki, suíte cancelada e substituída por uma dupla.  

-Mas... o que seria uma suíte dupla? - Perguntei curioso. Bem, pelo menos eu tinha uma hospedagem, não é mesmo? 

-Uma suíte com duas camas, irá dividir o quarto, senhor Uzumaki.  

Respira fundo, bem fundo. Eu estou longe de casa, sozinho e vou ter que dividir o quarto com um completo estranho por mais ou menor uma semana.  

-Pense pelo lado bom, senhor, não passará a semana sozinho. -Tentou me tranquilizar e levantar meu astral que parecia negativo. Respirei fundo, contei até dez e disse: 

-Tudo bem, qual o numero do quarto? - Perguntei. 

-703, aqui está a chave. - Me entregou um cartão. - Deslize no local indicado e abra a porta quando a luz ficar verde. Obrigado pela preferencia e divirta-se. Qualquer coisa, interfone para a recepção , trabalhamos 24 horas por dia. Caso queira serviço de quarto digite 9 e aguarde alguns segundos que será prontamente atendido.  

-Muito obrigado. - Agradeci e fui direto para meu quarto. Se eu der sorte ainda o pego vazio, tudo que eu quero, e preciso, é de um banho quente e descansar um pouco da viagem, depois eu saio para almoçar ou dar um passeio. 

Assim que abro a porta de meu quarto, vejo uma mala de frente para a cama perto da janela. Bem, quem chega atrasado não escolhe lugar, não é mesmo? Teria que ficar com a cama perto da parede de qualquer forma, então fui até ela e coloquei minha mala ao lado.  

O quarto parece ser o único lugar aonde não é enfeitado com coisas do Halloween, a não ser pelas balas temáticas e alguns sucos de caixa. Passei um bom tempo olhando o lugar e só depois fui perceber que tinha alguém no banheiro. Pulei da cama quando a porta se abriu e revelou um morenoextremamente bonito.  

Aparentava ter minha idade ou um pouco mais, tinha a pele extremamente branca e seus olhos tão escuros quanto quando o céu noturno. Era um pouco mais alto e tinha alguns músculos a mostra pela camisa um pouco molhada que usava.  

-Ah, olá. Não sabia que já tinha alguém aqui. - Falou um pouco acanhado ao me ver de pé ao lado de minha cama, duro como uma estátua e parado como se fosse um completo idiota.- Oi? - Me chamou para a realidade e foi então que comecei a gaguejar. 

-M-Me d-desculpe! - Lamentável. Não. Lamentavelmente vergonhoso! - Fiquei sabendo agora que eu teria que dividir o quarto.  

-Ah, sim. Não leu o comprovante de compras até o final, não é mesmo? -Perguntou e me deixou completamente perplexo. Como ele sabia. - Aconteceu o mesmo comigo, fiquei tão surpreso quanto você, mas  parece que não foi tão ruim assim. - Se aproximou de mim e estendeu a mão. - Sasuke Uchiha. - Se apresentou e tudo que eu pude fazer foi aceitar o  cumprimento e me perder em seu toque tão quente pela água do chuveiro. Era impressão minha ou ele tinha dado em cima de mim? 

-Naruto... - Falei bobo e ele apenas sorriu, separando nossas mãos.  

-Que bom que não deixaram alguma garota chata em meu quarto. Parece que alguém lá de cima gosta de mim. - Falou enquanto arrumava alguma coisa em sua mala. 

Ah, ele não deu em cima de mim. Apenas ficou menos incomodado por eu não parecer tão chato. Só não entendi direito o porque de ter me chateado com isso. Parecendo incomodado com o silêncio repentino e talvez por estar em um quarto com um completo estranho, ele perguntou: 

-Já veio aqui antes? - Perguntou distraído com as roupas da mala sem me dirigir o olhar. 

-Ah, não. Na verdade eu sempre quis vir, mas só consegui dessa vez. Não sei bem como as cosias funcionam por aqui. - sorri constrangido.- Tenho que admitir que estou meio perdido. E você, já veio?  

-Eu? Claro. É o melhor lugar e a melhor época para se viver. -Falou simples, sem me olhar nos olhos. Tinha um tom de divertimento e entusiasmo como se ele viesse aqui sempre e nunca se cansasse de o fazer.  

- Sabe, você pode me apresentar as coisas por aqui. Como vamos dividir o quarto e ter que conviver por uma semana, acho que poderíamos passar o Halloween juntos. Oque acha?- Perguntei animado com minha ideia. 

-ahm... eu acho  que nã... 

-Ah! Seria tão legal, por favor! - O interrompi indo para mais perto dele e fazendo minha famosa cara de pidão. - Por favor.... 

-Tudo bem. - Suspirou. - Já que vamos ter que conviver mesmo... Acho que não vai ser nada demais. 

-Yayh! - Disse alegre. - Vou tomar um banho, não demoro muito. 

Peguei minhas roupas e fui correndo tomar um banho rápido. Até que ter um acompanhante de suíte não foi tão ruim assim. Além de fazer uma nova amizade eu terei companhia na minha viagem. Nunca fiquei tão alegre em cometer um erro antes, e me parece que não será um erro no final. 

 

-Woah! - Disse maravilhado assim que começamos a entrar no parque temático. - isso é incrível! O que é aquilo ali? - Perguntei olhando para um lugar em específico. 

-Aquilo ali é a sala dos espelhos. - Falou simples e como se não fosse tanta coisa assim. 

-E aquilo?- apontei para o outro lado.  

-A casa mal assombrada. 

-E ali? - Olhei para o locar e fiquei até um pouco pensativo. Sasuke respirou fundo e respondeu: 

-O banheiro masculino. Olha, se você quer que isso seja legal, você não pode ficar me perguntando as coisas dessa forma. - Se virou para mim e disse: - Vamos dar uma volta e caso você queira entrar em algum brinquedo dai, só ai, somente nesse momento, você abre a boca e fala. Ta legal? - Perguntou sorrindo falsamente e eu apenas revirei os olhos. 

Andamos mais um pouco até que decidimos entrar na casa mal assombrada, aquela que falavam tanto. Era realmente de arrepiar, quando entramos já podíamos ouvir alguns sussurros e baixos gritos de desespero pelo local. 

-Tem certeza de que quer entrar aqui? - Sasuke me perguntou desafiador e com um tom carregado no deboche. É claro que eu estou com medo e também pensava realmente em deixar o lugar, porém, depois dessa pergunta parecia que meu orgulho falava um pouco mais alto que minha razão. 

-Mas é claro que eu vou entrar! Você não vem? - Perguntei apressando meus passos e indo em sua frente. Escutei uma risada mas não tardou do mais alto me acompanhar.  

Meus passos foram diminuindo conforme entrávamos na casa. Por um segundo eu tive certeza de ter visto algumas pessoas ao meu lado, mas quando fui ver não... não tinha ninguém. Dei alguns passos para o lado oposto e acabei tropeçando em Sasuke. 

-Ah, me desculpa. - Falei mas quando olhei o que era, não era Sasuke. - Ah! - Berrei igual uma garota ao ver que era uma caveira ensanguentada.  

-Hahahaha! - Sasuke ria de mim ao aparecer atrás do esqueleto. - Você tinha que ver a sua cara. - brincou e eu apenas fiz cara de zangado e emburrado. 

-Quem você pensa que é? - Perguntei completamente enraivecido. - você quase me matou de susto! E se eu tivesse algum problema cardíaco? 

-Daí te levaríamos para o hospital. As vezes a vida é bem simples. - Falou enquanto colocava o objeto no local novamente para depois olhar para mim. - O que é? Para de me olhar assim. 

-Você é um insensível! Desumano! - Acusei enquanto voltávamos a andar.  

-Você que deveria parar de ser tão dramático, afinal, são só brinquedos. - Enquanto Sasuke falava eu olhava para ele e pude ver uma moça ao seu lado. Ela parecia um espírito, ou alguém encarnada.  

-S-Sasuke... - eu gaguejava e tentava falar, mas não saía nada. 

-Há, vai chorar agora? Naruto você já sabe que era só uma brincadeira, não precisa ficar assim. 

-D-Do seu l-lado! - Gritei para então chamar a atenção do mais alto que assim que olhou deu um grito, só que diferente de mim não pareceu uma menina. E isso, por um momento, me deixou frustrado.  

-Ah!  Corre! - O moreno segurou em minha mão e me puxou para fora daquele lugar. - Que lugar perturbado! Não vou voltar mais aqui. - Falou convencido enquanto a luz do sol incomodava nossos olhos acostumados com a luz fraca. 

-Há! Olha só quem está com medo! - Não perdi a oportunidade de tirar sarro com a cara do mais velho. - Parece que o jogo virou, não é mesmo? - Me lembro de ter lido isso em algum lugar, sempre quis falar tal frase. 

-Não é nada disso! Eu só fiquei assustado porque foi algo repentino! - Tentou regularizar sua respiração enquanto colocava a mão em seu coração. Engoliu a seco e se recompôs. - Vamos ainda temos muita coisa para ver. - desconversou, mas não insisti no assunto e fomos dar uma volta. 

Fomos em vários lugares diferentes. Fomos a lojinhas de roupas, de comidas, bebidas e em alguns brinquedos que não comprometiam minha saúde cardíaca.  No final das contas o dia estava muito divertido e Sasuke não parecia mais um ser ranzinza como antes. Agora ele já sorria um pouco e até brincava comigo. Só fiquei com raiva quando ele sujou minha bochecha como meu sorvete, disse que foi sem querer, mas tenho certeza que foi de propósito pois seu sorriso era acusador.  

Passou o dia e eu quase me esqueci do principal motive de estar aqui nessa viagem. Andamos mais um pouco até que decidimos entrar na sala de espelhos. Era um local grande, escuro, apenas com algumas luzes azuis, porém eram bem fracas, e também tinha o óbvio, muitos espelhos. Posicionados de forma estratégica para que você se confundisse e se perdesse. Seria uma ótima chance para superar alguns medos, e aproveitar que eu não estaria sozinho. 

-Tem certeza? - Me perguntou, mas dessa vez não tinha tom de zombaria e sim de receio. - Esse daqui pode ser um pouco forte demais... 

-Eu vou. - Falei decidido mas não deixei de brincar. - Se quiser, me espera na saída.  

-Ora, seu... - Ia falar mas o cortei dizendo: 

-Se você vem, vamos logo. - Falei e entrei no brinquedo. 

Era exatamente como descrito, mas tinha uma coisa que eu não sabia que tinha. Era possível ouvir algumas vozes no local, como se fosse um CD tocando repetidas vezes frases desmotivadoras o tempo inteiro.  

Eu passeava pelo labirinto de espelhos enquanto ouvia aquelas vozes de todos os tipos me falarem coisas horríveis. Me perdi de Sasuke na metade do caminho e foi aí que eu entrei em desespero. Eu sei que é um brinquedo, que no final vamos nos ver de novo, mas isso não fazia com que o percurso fosse menor doloroso.  

Hum, irônico. Sabemos o que tem no final do caminho, mas ele em si nos assusta tanto, por isso alguns desistem.  

"Olhe pra você, olhe essas roupas. Trapos eu diria." - Falou uma das vozes. 

"Foi você! Eu sei que foi! Me devolva! Não é seu!" - Berrava outra voz. 

Aquilo parecia mais uma tortura do que uma simples sala de espelhos. Eu me via refletido em vários lugares como se fosse me encurralar a qualquer momento. O lugar parecia não ter fim e para onde eu olhasse só conseguia me ver assustado e aterrorizado.  

E foi aí que comecei a gritar. Senti meus olhos se encherem de lágrimas pelo desespero e pelo medo que sentia. O medo de mim mesmo.  

-Naruto! - Escutei Sasuke me chamar. Finalmente tinha o encontrado.  

Me joguei em seus braços e chorei como nunca antes. Uma sensação de alívio se instalou em mim como se fosse adrenalina. Meu coração passou a se acalmar e o calor do corpo do mais alto me aquecia tanto fisicamente quanto psicologicamente. Finalmente eu não estava mais sozinho.  

-Naruto o que houve? - Perguntou aflito enquanto eu me agarrava em seu pescoço em desespero querendo me livrar de todos aqueles olhares. 

-Eu não consigo, eu não consigo! Eu continuo com medo! Odeio o escuro! Odeio ser deixado sozinho no escuro! - Falava quase sufocando em minha palavras enquanto o outro fazia carinho em minha cabeça e em minhas costas no intuito de me acalmar.  

-Você não está mais sozinho. - Falou, meu coração falhou e as lágrimas engrossaram. Embora o que o mais alto falou fosse momentâneo, aquilo me atingiu como uma bala.  

Eu tenho medo do escuro.  

Tenho medo de ser deixado para trás. 

Assim como eles fizeram. 

Meus pais... me deixaram no escuro.  

Meus pais... morreram no escuro.  

-Naruto, olhe a sua volta. - Sua voz soou mais melodiosa que o normal, me acalmou e então, lentamente, olhei em minha volta.  

Meus olhos se arregalaram assim que vi minha imagem encolhida perto do chão, sendo acolhido pelos braços do moreno que me envolviam e me acalmavam. A expressão de Sasuke era serena e me olhava pelo espelho de uma forma tão terna que quase esqueci o porque de estar chorando e quase engasgando com minhas lágrimas. 

-O que você vê? - Perguntou. Parei um pouco para pensar e acabei respondendo o obvio. 

-Eu e você. 

-O que você via antes? - Eu não sei aonde ele queria chegar, mas respondi sem questionar. 

-E-Eu me vi... 

-E porque estava assustado? 

-Porque eu estava sozinho... - Solucei. 

-E o que mudou em você de quando estava sozinho e quando está comigo? - Perguntou. Eu ia responder mas ele interveio.  - Você perdeu algum membro? Te maltrataram? Na verdade, quem te maltratou? Você estava sozinho. 

-Eu me maltratei... - Falei pensando nas palavras que eu disse. O moreno segurou no meu queixo e virou meu rosto para encara-lo, agora nos olhos e não através de um espelho.  

-Então eu acho que a única coisa que você tem que provar ou e superar, é você mesmo. - Sorriu docemente assim que viu meu olhar assustado. 

Eu não contei nada a ele, não contei minha história, de onde eu vim, o porque tenho medo, mas ele... ele não precisou saber disso para me ajudar. Tudo que ele sabia era meu nome, mas tudo que eu sabia era que ele havia me feito enxergar uma coisa que estava a minha frente. Porém eu vi de olhos fechados. 

O abracei apertado, tão forte que a respiração do outro foi cortada por alguns segundos.  

-N-Naruto e-eu não consigo ... - Afrouxei o apertar e olhei para ele. 

-Sinto muito. - Falei e ele concordou. - E obrigado.  

Segurei em seu rosto e dei um beijinho nas sua bochecha, sorrindo logo em seguida. 

Não tardou para voltarmos para o hotel. Assistimos uns filmes de comédia para me entreter, eu ainda estava muito assustado. Suas palavras haviam tido um efeito enorme sobre mim, mas eu ainda não havia superado por completo, isso já seria anormal de minha parte.  

Durante a noite, eu ainda tive alguns pesadelos com a casa mal assombrada, acordei aos berros e acabei acordando o outro também. Pedi milhares de desculpas para ele, que não merecia dividir o quarto com um doente como eu, mas tudo que ele respondeu foi: 

-Tudo bem, espere um segundo. - pegou o telefone, pediu dois chocolates quentes e duas fatias de torta de morango. Sorri para ele e esse sorriso foi correspondido. 

Comemos, bebemos, conversamos, aprendemos algumas coisas sobre o outro. No final, acabamos por juntar as duas camas e dormirmos juntos.  Eu não conseguia entender como ele conseguia ser tão bom pra mim sendo que eu o conheci hoje de manhã. Ele não ganhou nada em troca, e também não pediu nada, leu meus sentimentos como se fosse um livro aberto. 

Parecia coisa de outro mundo, parecia que eu estava vivendo outra vida. Mesmo tudo isso sendo a mágica do Halloween, eu não pretendia parar por aqui, afinal eu não tinha nada a perder. Só se estivesse longe de seus cabelos negros, assim como seus olhos, tão escuros quanto o céu noturno, me fizeram companhia nessa noite estrelada, assim como durante toda a semana. 

 E foi aí que eu percebi que nem tudo que vem do escuro, é ruim. 

Não ficarei mais sozinho, você será somente meu e somente meu.

Pra sempre e só. 

Porque agora, eu não vou mais ficar sozinho.

Se você quiser que eu fique
Preciso que você saiba
Você não pode, nunca me deixar sozinho
Se você quiser que eu fique
Saiba que eu não deixarei que vá.
-Colleen D'Agostino feat. deadmau5 - Stay
5 de Noviembre de 2018 a las 13:00 0 Reporte Insertar 3
Fin

Conoce al autor

Luh Hander Olá! Sou a Luhander, tenho uma conta no Social Spirit, porém como muitos dos autores de lá estão sendo banidos, preferi me prevenir e migrar para outro tipo de plataforma. Continuarei usando o Social até que algo aconteça, mas postarei aqui igualmente posto lá! Espero que gostem do que tenho a oferecer !

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~