Sobre Todas As Sensações Não Nomeadas Seguir historia

undertherain under therain

Tudo seria mais fácil se eu não existisse, porque talvez eu seja um fruto de todas essas sensações não nomeadas.


Fanfiction No para niños menores de 13.

#desabafo #chanyeolcentric #sentimentos-que-pesam
Cuento corto
5
4.6mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Sobre os dias bons e ruins

Eu nunca pedi pra ser assim, sabe? Eu sempre pedi para ser normal, na medida do possível. Ser feliz como todos os outros, viver como todos os outros, sorrir como todo mundo; Eu sempre quis ser normal.

Mas e aquela sensação insistente de que você não pertence ao mundo? Aquela falta de vontade de levantar de manhã, não por preguiça ou por querer dormir mais um pouquinho e sim porque você não quer nem ao menos existir? O sentimento de que ninguém realmente gosta de você ou da sua presença? Se sentir um peso perto de qualquer um? Não sentir que tem amigos? A sensação de que toda e qualquer pessoa que fala com você, logo vai te abandonar quando conseguir o que quer? A paranoia insistente sobre tudo? Os milhões de pensamentos e questionamentos que não te deixam descansar nem um minuto sequer? E aquela maldita ansiedade para coisas que podem nem ao menos acontecer, ou capazes de problematizar o simples ato de pedir algo em uma padaria? São todas essas sensações não nomeadas que me impedem de viver, são as culpadas de eu não ser como alguém normal. Que me impedem de ficar perto de alguém por muito tempo, que me fazem afastar as pessoas, com medo de me machucar e me machucando do mesmo jeito. Que não me deixam confiar. Que por fora, me deixam bobo e sorridente, fingindo ser apenas tímido, e que por dentro me deixam quebrado. Eu me escondo atrás de sorrisos fáceis e risadas exageradas, porque é tudo que eu sei fazer sem parecer dramático, sem parecer querer chamar atenção. Mesmo que muitas vezes eu seja grosso, mal-humorado e use um tom rude que não é de meu feitio, são apenas formas de me esconder.

Porque se você diz que não tem vontade de sair da cama, te chamam de preguiçoso. Se você diz que não aguenta mais viver, dizem que você tem vida fácil e mal chegou na vida adulta. Se você diz que tem problemas, eles riem de você e dizem “Espera só a vida adulta, Chanyeol”. Quando você diz que quer ir logo para o ensino médio, mesmo que seja só porque não quer voltar pra mesma escola e aguentar as paranoias de alguém lembrar e fazer piada do ataque que você teve no final do ano, eles dizem que você é inocente e que o ensino médio não é um paraíso, mesmo que você nunca tenha dito ou pensado que era, mesmo você sabendo que não é nada melhor que o fundamental. Se disser que está mal e não queria nem ao menos existir, dizem que você apenas quer chamar atenção.

Engraçado que são essas mesmas pessoas que insistem pra você contar o que te incomoda quando você baixa a guarda, que mesmo quando você responde “Nada”, elas dizem que se não fosse nada, você estaria bem e que qualquer coisa que nos põe pra baixo é importante. E se você diz o que é, mesmo que superficialmente, elas subestimam seu problema, dizendo que não é nada.

Contraditório, não é?

Pra mim, tem os dias bons e os dias ruins. Uns em maiores quantidades que os outros.

Tem dias que eu até consigo levantar, mesmo que mecanicamente, que em algum momento eu consigo sorrir de verdade, dar uma risada porque eu realmente achei algo engraçado, consigo me sentir bem. Me sinto completo e tenho vontade de viver, por menores que sejam as coisas que eu faça nesse dia, que me dá esperança de uma vida boa e normal. Esses são os dias bons.

Tem os dias, os malditos e numerosos dias, em que eu mal levanto. Ando no piloto automático, com uma máscara sorridente no rosto, rindo de tudo e aparentemente feliz, tudo isso por fora. Pra quem vê, parece um dia bom, um dia bom de uma vida normal; Porque por fora, eu sou normal. Por dentro, sou um caos total. Os pensamentos e paranoias insistentes me enchem a cabeça, as vozes autodepreciativas não se calam e a vontade de viver some, tudo parece vazio, sem vida. Mesmo rodeado de pessoas, me sinto totalmente sozinho, perdido. Eu apenas quero sentar no chão do banheiro e chorar, chorar até secar e com sorte evaporar do mundo, porém, eu não posso chorar, porque ninguém pode saber que eu estou mal, pra não chamar atenção ou preocupar alguém, mesmo que eu não acredite que a última parte seja possível. Eu tento me distrair, falhamente, com qualquer coisa, tentando a todo custo ignorar tudo de ruim. Esses são os dias ruins.

Ambos coexistem, sempre os ruins interferindo nos bons e nunca os bons nos ruins.

E tudo isso me deixa frustrado ao ponto de chorar. Eu me odeio por existir, em boa parte desses dias. Por que eu não nasci normal como todo mundo? Por que eu nasci tão complicado?

Tudo seria mais fácil se eu não existisse, porque talvez eu seja um fruto de todas essas sensações não nomeadas.


4 de Noviembre de 2018 a las 21:13 0 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

under therain Voltando a escrever depois de um bloqueio ferrado... Logo, voltando a ativa!

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~