Jogo do Mata Seguir historia

gil-yume1528887881 Yume -ni

Minseok, reza a lenda, possui certa obsessão em ganhar os jogos internos da escola. Infelizmente a turma dele não tem interesse em ganhar nada, apenas em passar nos vestibulares. Com ajuda de Sehun, do primeiro ano, ele começa a treinar nas horas livres, mas talvez Minseok tenha desejos ainda mais fortes e Sehun os desconheça.


Fanfiction Bandas/Cantantes No para niños menores de 13.

#kris #yifan #d-o #kyungsoo #sehun #minseok #xiumin #kriswu #Youaretheone #Queimada #Yatoesporte #exo #Xiumin-Sehun #Xiumin&Kyungsoo #xiuhun
3
4702 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Alcance a Bola


MINSEOK

— NÃO É ISSO QUE EU QUERIA DIZER!

Gritei com os pulmões cheios de desespero. Kyungsoo estava com o rosto vermelho enquanto me encarava furioso.

— E o que isso quer dizer então, Xiumin? Há quanto tempo você vem pensando dessa forma? — Sua voz era dura e fria. Minhas mãos estavam suando de puro nervosismo.

— Um menino do fundamental. — Ele soltou uma risada sarcástica. — Você é alguma espécie de pedófilo?

— O quê?! — Ofeguei, com a bile presa na garganta. — Kyung, foi um deslize. Eu não tenho nada com ele. Ele não deve nem saber que eu existo. Eu juro! — O rosto de Kyungsoo não movia nem um músculo. Então eu o vi desabar diante dos meus olhos. — Não chore Kyung, por favor! — Tentei me aproximar e ele se debateu, mas eu o segurei nos meus braços com firmeza. — Você é meu melhor amigo.
— Você sabe o que eu sinto por você, Xiumin. Você prometeu que eu seria o primeiro a saber quando você finalmente se apaixonasse. E-e-e-e... Eu sempre achei que conseguiria suportar. — Kyungsoo soluçou contra o meu peito. Eu nunca havia me sentido tão mal quanto agora. Ver ele chorar e saber que é minha culpa... É demais para mim. — Mas eu acho que não consigo. Não consigo ficar ao seu lado enquanto você pensa em outra pessoa.
— O que você tá dizendo, Soo?! — Segurei-o pelos ombros engolindo em seco.
— Acho que nossa amizade deve acabar aqui. Sinto muito, Minseok.

1 ANO DEPOIS SEHUN

Minseok estava com raiva. A bola de borracha vermelha estalava na parede a cada lançamento. A parede branca da quadra estava cheia de marcas e Minseok ainda não estava satisfeito com seu desempenho.Seus braços esguios e musculosos já estavam ardendo pelo esforço.

Depois de seu discurso inflamado sobre se esforçar nos jogos escolares e como era importante que todos os colegas participassem, ninguém apareceu para treinar. A frustração do garoto exalava pelos poros, porque ele queria ganhar. Desde o primeiro ano do ensino médio era o maior desejo de Minseok ganhar em qualquer modalidade nos jogos.

Infelizmente ele acabou na turma errada.

No primeiro ano, Minseok caiu na turma mais nerd de toda a escola. Tinham as melhores notas, um melhor comportamento e melhor relacionamento com os professores. No entanto, foram um desastre em todos os dois anos anteriores nos jogos escolares que Minseok tanto presava.

Não que ele não fosse um bom aluno.
Kim Minseok era o Presidente de classe, Presidente do Grêmio e um dos melhores alunos da turma. Terceiro lugar no top 10 de melhores notas da escola, perdendo apenas para Kim Junmyeon, que era seu primo, e Do Kyungsoo, seu ex-melhor amigo. A perda da amizade de Kyungsoo é algo que afetava Minseok até hoje. Ninguém sabe exatamente o motivo exato da briga entre os dois. Arrisco dizer que o motivo principal tenha sido a recusa do Do de entrar no time de basquete durante o segundo ano. Mas isso são especulações minhas.

Observar Minseok é uma das atividades que mais tenho apreciado desde o início do ano. Seu rosto bonito, seu físico magro e musculoso, sua personalidade alegre e amigável. Tudo nele beira a perfeição. Exceto, talvez, sua obsessão pelo troféu de plástico com tinta dourada que a escola dá para a turma vencedora dos jogos escolares. Suspirar pelo senpai escondido é gay demais até para mim.

— Sehun?

Merda! O senpai me notou! Dei um sorriso amarelo tentando disfarçar o quão sem graça eu estava.

— Oi hyung, posso jogar com você? — Corri até o meio da quadra, acenando para ele me jogar a bola. Minseok sorriu animado e arremessou a bola com maestria. Ela atingiu meu abdômen com força e senti minha pele arder, mas a seguro e arremesso de volta devagar, apenas para ele alcançar a bola. Ficamos treinando por quarenta minutos até a professora de educação física nos expulsar.

— Obrigado por jogar comigo. Perde a graça ter que fazer tudo sozinho. — Minseok desabafou enquanto passava o braço pelos meus ombros.— Você é bom, garoto.

— Sério hyung? — Dei um gritinho animado. — Um dia eu vou ser como você. Deve ser chato nenhum de seus colegas gostarem de jogar. O hyung franziu o cenho, demonstrando seu descontentamento.

— Não é que eles não gostem. — Soltou um suspiro — Só são ruins mesmo. No primeiro ano a gente riu muito e se divertiu, mesmo perdendo, mas eu acabei estragando tudo. Sei disso. — Eu realmente não estava gostando do olhar triste do Minseok hyung. Passamos em frente a sua turma e observamos seus colegas correndo para todos os lados enquanto terminavam os últimos ajustes para a feira cultural.

Deixa eu explicar melhor.

Todo ano nossa escola faz uma feira cultural com um tema diferente. Esse ano o tema é profissões e a turma do Minseok hyung ficou com Medicina. Eles estavam tentando recriar o ambiente de um hospital na sala de aula. Mesmo sendo tudo com TNT, cola quente e papelão tudo está ficando muito legal.

Vejo o brilho orgulhoso nos olhos do hyung, enquanto admira seus colegas com jalecos, toucas e estetoscópios revisando o assunto e brincando entre si. Depois da feira cultural, acontecem os jogos escolares. O que eu acho uma idiotice, já que todo mundo vai estar cansado das apresentações da feira cultural, mas a direção não está nem aí mesmo.

Durante os jogos temos várias modalidades, esportes em grupo como: futebol, basquete, vôlei, handebol e minha tão amada queimada.

E nem venham de mimimi dizendo que queimada não é esporte!

Como eu ia dizendo, temos esportes individuais como: pingue pongue, xadrez e dama. Eu no máximo jogo Pingue Pongue. Prefiro jogos que tenham mais movimento, então assim como o Minseok hyung, eu me inscrevi em todos os times de esportes em grupo. É uma pena que eu seja do primeiro ano. Sei que eu e o Minseok hyung conseguiríamos ganhar tudo juntos. Somos a dupla dinâmica nos jogos interescolares. O time da nossa escola já está nas quartas de final no futebol e basquete.

Kyungsoo hyung está olhando para nós de um jeito estranho com uma tesoura na mão, com sua roupa de enfermeiro. Esse hyung sempre me assustou mais do que o normal. Evito olhar para os olhos dele e continuo acompanhando Minseok hyung até o jardim da escola.

MINSEOK

Ficar ao lado de Sehun tem se tornado uma tarefa nada fácil. Essa criança gruda em mim em todos os momentos desde o início do ano. Isso me deixou extremamente satisfeito, é claro, mas ao mesmo tempo eu fico remoendo milhões de pensamentos depressivos e cheios de remorso pelos meus pensamentos pervertidos.

Não conheço ninguém mais criança que Oh Sehun, no entanto, ao mesmo tempo ele é adoravelmente sexy e sedutor. Sua camisa empapada de suor do treino mostrando seus músculos e seu corpo magro. Quando ele ri, seus olhos tornam-se duas adoráveis meias-luas. Seus lábios finos se entreabrem soltando uma risada fanha e adorável. Céus! Tudo nele é adorável.

Com maestria ele chuta a bola para mim, driblo um adversário imaginário e passo a bola pra Sehun novamente. Logo, meninos de outras turmas se juntam a nós e o jogo se torna mais animado. Estava tudo descontraído e alegre, até eu ver Kyungsoo andando até nós com os olhos faiscando.

— Minseok! Seu Idiota! A gente precisando da sua ajuda e você aqui jogando bola, imbecil! — O baixinho berra enquanto me arrasta do meio dos garotos. Dou um sorriso sem graça para Sehun e tento alcançar Kyungsoo para que ele pare de me arrastar feito um saco de batatas. Observo o rosto emburrado dele enquanto nos aproximamos da sala. Suspiro resignado e apresso meu passo o deixando para trás!

— Oppa! — Uma de minhas colegas de classe se aproxima. — Tem uns materiais pesados que precisamos da sua ajuda para carregar, tudo bem?

Dei um sorriso amigável, seguindo a garota. Quando olhei para trás por um impulso, notei Kyungsoo parado no corredor me encarando. Quando ele percebeu que o notei, corou e fugiu para dentro da sala. Dei um sorriso sem graça e voltei para o meu caminho.

Eu realmente não queria que as coisas tivessem acabado daquela maneira, Soo.

Me desculpa.

4 de Noviembre de 2018 a las 16:02 1 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Agora Mata!

Comenta algo

Publica!
Alice Alamo Alice Alamo
Olá, eu sou a Alice e venho pelo sistema de Verificação. Sua história foi posta Em Revisão pelos seguintes apontamentos: 1) Alternância verbal, ou seja, sua história se passa com narrativa no passado, mas em alguns momentos você narra no presente como em "Ver ele chorar e saber que É minha culpa... É demais para mim" ou "Prefiro jogos que tenham mais movimento". 2) A terceira fala é continuação da segunda, portanto, deve ficar junto e não em parágrafo a parte 3) Pontuação. Há falta de algumas vírgulas, principalmente no caso de vocativos ao longo de todo o texto. Para que a história seja Verificada, aconselho que seja feita uma revisão da história considerando os erros citados e outros se houver. Assim que feito, basta responder esse comentário que eu venho olhar de novo ;) Atenciosamente, Alice, Sistema de Verificação do Inkspired
13 de Noviembre de 2018 a las 11:48
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 1 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión