It Will Change Seguir historia

the_sweet_trash Bia Schulz

Mello escuta uma conversa de uns meninos dizendo que eles tinham dado um jeito para Mello em seu rival e, quando ele chega em seu quarto, encontra um Near totalmente machucado em sua cama, fazendo ele sentir coisas que nunca foram sentidas por ele antes. Durante o processo de recuperação de Near, Mello se torna seu porto seguro, aquele que o protege de noite dos pesadelos e, conforme o tempo passa, eles se tornam mais e mais próximos, até o relacionamento deles de amizade se desenvolve para um namoro. E agora, em seu aniversário de um ano juntos, ele decide fazer uma surpresa para o pequeno albino e levar o relacionamento deles para um nível mais sério.


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#gay #yaoi #bl #lgbtq+ #lemon #boyslove #deathnote #mello #near
Cuento corto
2
4497 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capitulo Único

 


Mello estava no quarto de Matt jogando videogame com o mesmo e, como sempre, Matt estava ganhando de Mello, já este, brigava com o ruivo por este não esperar ele levantar depois de ter sido nocauteado. Durante a tarde inteira os dois ficaram trancados no quarto de Matt, jogando e comendo besteiras, quando a hora do jantar chegou, os dois se levantaram e se dirigiram à sala de jantar.


Quando chegaram lá, todos estavam anormalmente quietos e, em meio ao silêncio, Mello conseguiu ouvir um grupo de garotos tendo uma conversa um tanto quanto inusitada:


– E então, fizeram o que eu pedi? –Disse um dos meninos, que parecia ser o líder do grupo.


– Sim, depois que terminamos ele estava desmaiado então, foi fácil levar ele para o quarto de Mello.- Disse o outro e Mello arregalou os olhos enquanto ouvia a conversa.


– Ótimo, Mello irá no agradecer por termos dado uma pequena “lição” em seu grande rival!- Rival? Near?


De repente, Mello se levanta de seu lugar e sai do refeitório sem falar nada para ninguém e, Matt, que estava ouvindo a conversa também, sorriu para si mesmo ao pensar que Mello se preocupava muito com aquele albino que tanto insistia em chamar de inimigo.


Mello corria em direção de seu quarto com uma preocupação palpável e, assim que chegou em frente à porta, respirou fundo e abriu-a, dando de cara com um Near deitado em sua cama, mas, antes que pudesse respirar em alívio, ele percebeu os machucados e roxos no corpo do menor. Se aproximou, lentamente, da cama e se sentou ao lado do pequeno corpo, descobriu a parte de baixo de seu corpo, apenas para descobrir mais roxos e cortes pelas coxas do mais novo. Observando mais atentamente, Mello percebeu que de seu orifício saia uma mistura nojenta de sêmen e sangue, foi aí que a ficha caiu para Mello.


Ele foi estuprado! De repente, um fúria sem igual se apossou da mente de Mello, ele queria fazer aqueles que fizeram isso pagarem muito caro por terem possuído o SEU Near, sim, seu e só seu, aqueles que fizeram ele sofrer iriam pagar, e muito caro. Mas, primeiro, teria que cuidar da pequena ovelha ferida em seus braços, Mello saiu para procurar uma caixa de primeiros socorros e, quando voltou, Near estava acordado e sentado em sua cama, encolhido e com lágrimas escorrendo por seus olhos quase negros.


Se aproximou e sentou ao seu lado, tocando-lhe o ombro, Near se virou assustado, soltando um ganido de susto, mas, quando percebeu que era Mello, pulou em seu colo e o abraçou pelo pescoço, manchando sua blusa de lágrimas. Mello deixou o menor descontando sua tristeza chorando em seu ombro e, enquanto isso, se perguntava o por que nunca tinha tido a ideia de abraçar Near antes, ele era tão quente e fofo, era tão pequeno e delicado, que parecia que iria quebrar com qualquer toque mais forte.


                                                                    – // Quebra-Tempo // -


Depois de dois meses do ocorrido, Near já conseguia ficar em lugares com muitas pessoas e já deixava algumas pessoas, incluindo Roger, Matt e Linda, o tocarem nas mãos e no rosto, mas, nada a mais que isso.


O médico disse que a rápida recuperação de Near foi graças ao apoio de Mello, que não saiu do lado do menor durante o período de recuperação, onde Near ficara na cama por 2 semanas e, depois disso, nenhum dos dois se desgrudou mais. Mello era o ponto seguro de Near, era ele quem cedia o ombro para o menor chorar quando Near tinha pesadelos com o que ocorrera.


Os garotos que fizeram aquilo com Near foram expulsos da Wammy’s, não sem antes levarem uma boa surra de Mello, que não foi impedido por Roger, que ficou assistindo e interferiu, apenas, quando os garotos desmaiaram e ficaram com os rostos irreconhecíveis.


                                                          – // - // - // - // - // - // - // - // - // - // - // -


Depois de um ano e meio de recuperação, Near já tinha voltado a como era antes, mas, sorria com muito mais frequência. Por que? Pois ele e Mello estavam namorando definitivamente, sua felicidade mal cabia no peito, ele nunca tinha se sentido assim antes, mas, a sensação de estar nos braços de Mello era tão gostosa, era tão bom ouvir ele sussurrando em seu ouvido o quanto ele lhe amava.


Mesmo depois de um anos juntos, Mello e Near não se tocaram mais “intimamente”, pois Mello respeitava Near e sabia que tinha que ir com calma com o menor por tudo o que ele havia passado, sabia que não poderia ser bruto, pois isso apenas serviria apenas para assustar o menor e isso Mello não queria; o loiro quer mostrar para Near que sexo pode ser prazeroso e não apenas dor e sangue, Mello quer dar prazer à Near, ele quer ver o rosto do “grande número um” corado com gemidos saindo de seus lábios, gritando seu nome apenas para ele.


Pov’s Mello


Hoje era dia de nosso aniversário de namoro, já faziam um ano e dois meses desde o dia mais feliz de minha vida, o dia em que Near aceitou ser meu namorado, o dia em que ele aceitou ser meu e de mais ninguém. E hoje, depois de um ano, irei lhe pedir em namoro oficialmente, em frente a todos da Wammy’s e, se alguém for contra, irei quebrar a cara dessa pessoa, pois ninguém iria contra o grande Mello, o terror da Wammy’s.


Assim que o horário da janta chegou, fui buscar Near em seu quarto e o acompanhei até o refeitório, onde nos sentamos na mesa junto com Matt e Linda, que agora estavam namorando, depois de meu melhor amigo ter se declarado para ela. Depois de deixar Near com Linda, eu e Matt fomos para a fila para pegar o nosso jantar e o deles; voltamos na mesa e comemos enquanto Matt falava sobre seus jogos. Quando todos terminaram de comer, me levantei e gritei para todos ficaram em silencia e, assim que consegui o que queria, continuei:


– Obrigado, tenho um comunicado a fazer.- Fui passando os olhos por todos do refeitório, enquanto continuava a falar: - Como todos vocês sabem, eu e Near paramos de brigar e competir, e, como todos sabem, também, nós dois viramos amigos, mas, mais que meu amigo, ele é o homem que eu amo. – Olhei para Near e ele (já) estava com os olhos marejados. – Eu o amo desde o momento em que pus meus olhos nele pela primeira vez, com todo aquele jeito fofo e tímido dele.


Agora que consegui a atenção de todos, era hora do gran finale:


– E hoje, depois de muito tempo, decidi que faria a coisa mais feliz da minha vida.- Olhei para meu bebê e as lágrimas escorriam por seu rosto corado.


Me aproximei dele, me ajoelhando em sua frente, falando:


– Near, amor da mina vida, você quer namorar comigo? – Seus olhos se arregalaram e sua boca abriu, mas, nenhum som saia dela.


E, percebendo isso, ele acena positivamente com a cabeça e me puxa, pelo pescoço, em sua direção, capturando meus lábios com os seus. Depois que a surpresa passou, levei meus braços ao redor de sua cintura e o puxei para mais perto, aprofundando o beijo, enquanto todos ao nosso redor nos aplaudiam.


                                                                – // Quebra-Tempo // -


Pov’s Autora


Depois da vergonha que passaram no refeitório, com todos os meninos tirando sarro da cara deles, Near e Mello voltaram para o quarto do maior e, assim que chegaram lá, Near puxou o mais para um beijo apaixonado, que logo se tornou mais intenso.


Near agarrava e puxava os cabelos loiros de Mello, enquanto este agarrava sua cintura com força, puxando o albino para mais perto, roçando suas cinturas, sentindo o menor suspirar em sua boa. Separando seus lábios, Mello desce os seus até o pescoço de Near, começando a chupar e a morder, apreciando os gemido baixos que o albino dava.


Se aproximou da cama levando Near com ele e, assim que chegou perto, jogou o menor sobre ela, ficando por cima dele, entre suas pernas. Seus lábios se separaram, mais uma vez, e os de Mello traçaram o caminho para o pescoço, já marcado, de Near, que suspirava com os toques do maior em cima de si. As mãos de Mello não paravam quietas, elas subiam pelo peito do albino, por cima da blusa, ou desciam em direção às suas coxas, onde apertavam com força, fazendo o menor gemer.


De repente, Mello se separou do menor, começando a abrir a blusa que ele usava, para, logo em seguida, levar seus lábios para os mamilos do menor, que começou a gemer verdadeiramente com o ato. Depois de deixar eles bem durinhos e inchadinhos, Mello foi descendo, trilhando o caminho até a barra da calça do menor, lambendo e chupando sua pele durante o caminho percorrido.


Assim que chegou na calça, Mello abaixou-a lentamente, com a boca, torturando Near, quando terminou de abaixá-la, subiu novamente até o volume do menor e, ainda por cima da cueca, começou a massageá-lo lentamente, enquanto o menor gemia e xingava o mais velho. Depois de, finalmente, se cansar de torturar o pequeno albino, Mello abaixa a cueca do mesmo e, de uma só vez, coloca o membro do menor inteiro na boca, fazendo com que o menor grite com a surpresa e o prazer que o ato lhe proporcionava.


De início, Mello quis começar devagar, para torturar o menor, mas, assim que o ouviu o gemido que Near deu, desistiu da ideia e começou a chupar rapidamente, resultando em um Near totalmente corado e gemendo alto.


Pov’s Mello


Quando percebi que Near estava quase gozando, parei de chupá-lo e tirei-o da boca, fazendo meu albininho reclamar. Mas, tirei sua atenção disso quando comecei a retirar minha camisa e, assim que percebi que ele estava me olhando, comecei a dançar sensualmente, fazendo- o corar e desviar os olhos para, logo depois, voltar a mirá-los em mim assim que comecei a retirar a calça e a cueca, ao mesmo tempo.


Depois que terminei meu maravilhoso (só que nunca) stripp, me aproximei novamente de Near e me deitei por cima dele, nos fazendo gemer juntos pelo atrito entre nossos membros; antes que ele pudesse falar alguma coisa, interrompi-o colando seus lábios nos meus e, assim que separei-os, levei minha boca até seu ouvindo, onde sussurrei:


– Não se preocupe, eu não vou machucar você e, no momento em que você quiser parar, é só me falar que eu obedecerei na hora, entendido?


– Tudo bem.- E, mesmo trêmulo, ele concordou em tentar, apenas por confiar em mim, isso me faz muito feliz.


Coloquei três de meus dedos na frente de sua boca e, timidamente, ele começou a lambê-los para que eles fiquem bem lubrificados e, assim que achei que já era suficiente, retirei-os de sua boca e os direcionei até sua entrada, que se contraiu com meu toque e, para distraí-lo da dor, tomei novamente seus lábios para mim, enquanto, devagar, inseria um de meus dedos em sua cavidade.


Assim que seu corpo parou de se contrair com a dor, adicionei outro dedo e repeti o processo até já ter os três dedos dentro dele se movendo, enquanto ele gemia e pedia por mais. Retirei meus dedos dele, recebendo um gemido de descontentamento e o substituí por meu membro, que já pulsava muito.


Pov’s Near


Enquanto Mello me penetrava com seu membro, gemidos de dor escapavam, sem querer, por meus lábios, e, por um breve momento, minha mente me fez reviver o que sofri nas mãos daqueles meninos, a dor que eles me fizeram sentir repetidas vezes enquanto eles riam do meu sofrimento. Confesso que, no começo, achei que tinha sido Mello que havia mandado eles me punirem por ser o número 1 da Wammy’s, mas, depois que ele veio me ajudar e me ajudou em minha recuperação, comecei a gostar dele verdadeiramente.


Meus devaneios foram interrompidos por Mello, que para me distrair da dor, começou a me masturbar e, com isso, gemidos relativamente altos saiam de minha boca e, assim que percebeu que eu havia me acostumado com a invasão, Mello começou a me estocar levemente e, conforme o prazer aumentava, a velocidade aumentava também e, a cada vez que Mello acertava minha próstata, gemidos mais do que altos saiam de minha boca e, em determinado momento, comecei a gritar ao invés de gemer.


–Ahn. Mello, continua.- As estocadas continuaram incessantemente.- Mais rápido.


Comesse pedido, as estocadas aumentaram de velocidade rapidamente, fazendo com que nossos corpos se chocassem em um ritmo alucinante, os gemidos saiam de nossas bocas e se misturavam, formando uma melodia mais que perfeita, o cheiro de sexo fazia tudo se tornar ainda mais erótico e, quando finalmente meu orgasmo estava se aproximando, Mello aumentou, se é que isso é possível, a velocidade das estocadas, acertando em todas elas minha próstata, o que me fazia ficar, cada vez mais, próximo de liberar minha semente e, meu limite foi quando Mello mordeu meu ombro a ponto de fazer ele sangrar e depois, sugou o sangue, lambendo a ferida.


Depois que gozei, ele gozou dentro de mim e deitou ao meu lado arfando e, com o movimento da cama, o sêmem saiu de dentro de mim e escorreu para fora e, diferente da última vez, isso não era nojento, era a prova do amor que sinto por Mello e que ele sente o mesmo por mim; com esses pensamentos em minha mente, adormeci em cima do braço de Mello.

29 de Octubre de 2018 a las 19:10 0 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Bia Schulz Olá, sou a ThaliaLalooth do SpiritFanfiction, tenho quase 20 anos e escrevo fanfics desde 2012, assim como leio fanfics à 8 anos, então posso dizer que sou uma senhora nesse meio haha. Fiz parte do ChanBaekWishes por 1 ano e confesso que foi a melhor experiência da minha vida dentro dessa vida louca que é escrever fanfics. Podemos dizer que sou bem lerda para escrever e postar minhas fics, mas prometo que vira e mexe vou aparecer por aqui para postar minhas old fics lá do SS.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~