Sehun é o Diabo Seguir historia

suxingpompom Suxing Pompom

[Sebaek| Longfic| Vingança] Sehun achava que tinha a vida perfeita, era casado com Baekhyun há 12 anos e tinha um casal de filhos adotivos. Vivia para seu lar e sua família. Até que um dia tudo em que acreditava vai pelos ares quando Baekhyun o troca por Chanyeol, um youtuber jovem e talentoso. Com seu casamento acabado e 12 anos da sua vida desperdiçado Sehun quer vingança. E vai tirar tudo o que Baekhyun mais preza na vida. ____________________________ >> Essa fanfic é baseada no filme "Ela é o Diabo" << >> Também está sendo postada no Social Spirit e Wattpad <<


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18.

#OhVivi #twice #Momo #suho #chanyeol #baekhyun #sehun #yaoi #chanbaek #sebaek #exo
1
4.8mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 15 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Sehun é submisso

Oh Sehun, era um homem totalmente dedicado ao seu casamento de 12 anos, seus filhos e seu lar. Todos os dias levantava bem cedo e seguia a mesma rotina, acordar seus filhinhos que não eram tão “inhos” assim. Suho e Momo já estavam com 15 e 17 anos respectivamente. Fazer o café da manhã, passar a roupa do seu marido Byun Baekhyun – que só usava a roupa se fosse passada no mesmo dia – ir correndo servir as crianças e o marido. Vivendo para a sua família 24 horas por dia.

- Meninos hoje vocês vão sozinhos para o colégio – disse Baekhyun de boca cheia. Mania que Sehun detestava.

- Por que você não pode levar as crianças se é caminho? Não vai para o trabalho?

- Tudo você quer saber Sehun, que insuportável – Baekhyun esbravejou deixando Sehun vermelho de vergonha. Depois de um silêncio sepulcral ele respondeu de má vontade – meu chefe vai abrir uma filial em Gangnam-du e essa é a minha chance de ganhar mais dinheiro daqueles clientes riquinhos para sustentar seus luxos.

Luxos? Que luxos? Sehun nem se lembrava qual foi a última vez que comprou algo para si. Roupas era só para os filhos que sempre queriam andar na moda e para Baekhyun que tinha que estar sempre apresentável no trabalho. Compras para casa não conta como luxo, já que seu marido segurava o dinheiro como ninguém, o fazendo ir em vários supermercados com uma pilha de encarte na mão a busca de melhores preços. Além de ficar com as pernas doloridas, no final do dia ainda tinha que ouvir “Você fica o dia todo batendo perna na rua ao invés de cuidar de casa”. Isso tudo ele aguentava há 3 anos.

Quando conheceu Baekhyun há 12 anos atrás, Sehun era um garoto cheio de sonhos, estava no primeiro período de administração e se apaixonou pelo belo estudante de contabilidades. Ele era engraçado e galante, não tinha ninguém na faculdade que não o conhecesse. Foi um sentimento tão avassalador que em 6 meses foram morar juntos. Com 1 ano de namoro foram para Holanda se casarem, viviam o amor intensamente. No 5º período Sehun parou de estudar para apoiar Baekhyun, já que quando eles casaram Baekhyun se responsabilizou pela faculdade do mais novo, Sehun até poderia ter trabalhado, mas seu marido era muito ciumento. Depois vieram as crianças, adotaram Momo e Suho, o maior sonho da vida do casal. Com duas crianças em casa obviamente não era o momento de entrar no mercado de trabalho, e assim mais uma vez foi levando a vida do jeito que dava. Tudo começou a piorar há 3 anos, as queixas de Baekhyun eram frequentes, sobre a casa, sobre os filhos, sobre seu corpo e as roupas que vestiam, seu cabelo estava ressecado, sobre tudo. Tudo o marido brigava, mesmo que o mais novo tentasse mudar nada estava bom. Se olhava no espelho e não se reconhecia mais.

“Não, esse não sou eu!”

Os dias foram se passando como todos os outros, filhos rebeldes, marido irritado, compras no supermercado e um cachorro que gostava de trepar em tudo o que via.

- Pelo menos alguém dessa casa tem libido – olhando para Vivi trepando no pé da cadeira. Baekhyun já não o tocava há quase 2 meses. Nunca tinha vontade, sempre estressado ou cansado. Isso quando não chegava em casa com cheiro de perfume de outros homens. Quando sentia vontade nem olhava em seu rosto, nem o agradava ou beijava. Sehun era seu “deposito”. Bufou estressado olhando mais um encarte de mercado.

De noite na mesa de jantar todos comiam calado, uma coisa que o chefe da família nunca abria mão é de ter todos à mesa para jantar.

- Essa carne está dura.

- Foi a melhor que eu consegui comprar com o dinheiro que você me deu.

- Está dizendo que não sei prover a minha família? Você que é um inútil que não sabe fazer nada. – tacou o prato de comida no chão e foi para o quarto batendo o pé.

Uma lágrima silenciosa rolou dos olhos do dono de casa, recebeu um carinho de Suho em seu ombro. Ia se levantar para limpar a sujeira, mas Momo se ofereceu para fazê-lo. Se sentia envergonhado por ser tratado assim na frente dos filhos, mas não era a primeira, nem a segunda, nem a terceira, na verdade ele perdeu as contas. Mandou as crianças se prepararem para dormir e foi fazer a marmita do dia seguinte para o marido, olhou o que tinha na dispensa e caprichou para fazer o melhor almoço já que Baekhyun não gostava de repetir as refeições. Se recordando de tempos atrás, lembrou com saudades da época que passaram várias semanas comendo ramyeon para comprar um carrinho de segunda mão.

“Bons tempos”

Ao chegar no quarto foi se trocar silenciosamente, e se deitou ao lado do seu companheiro. Estava quase adormecendo.

- Amanhã tem um coquetel da empresa em Apgujeong para comemorar a nova filial, deixei dinheiro na mesinha, dá um jeito nesse cabelo e compre uma roupa decente. Não me envergonhe mais.

Mesmo com aquelas palavras ácidas Sehun se sentiu agradecido por depois de tanto tempo poder sair com o marido, por ele pensar em si e poder comprar roupas novas. No dia seguinte foi ao shopping com os filhos escolher uma roupa legal e passou na cabelereira. Chegando em casa a filha mais velha fez uma maquiagem, depois de alguns anos se sentia brilhar novamente. Ficou na expectativa do marido vê-lo, mas este apenas passou rápido para o banheiro, se arrumou e chegou na sala deu a ordem.

- Então vamos logo, crianças se comportem, nada de trazer amigos para cá.

- Pai, não vai falar nada do papai Hun? – Momo perguntou na expectativa.

E como olhos avaliativos só respondeu.

- Você engordou, lembro que ficava muito melhor com esse tipo de roupa no passado. Acho que vou diminuir o dinheiro das compras, vamos logo.

- Estamos indo crianças, qualquer coisa nos liguem. Suho, a Momo está no comando então obedeça a ela – disse totalmente desconcertado pelas palavras que ouviu sobre si. Beijou os dois filhos e correu para o carro já que o motorista buzinava impacientemente para saírem logo.

O coquetel estava agradável, Baekhyun magicamente parecia outra pessoa. Parecia o jovem estudante do passado, mas não apresentava seu cônjuge a menos que alguém perguntasse quem era seu acompanhante. Isso fazia o doce homem se machucar mais um pouco, a cada rejeição mais um gole de champanhe, seu único consolo.

- Que bom que eu te encontrei Byun, tem um possível novo cliente que eu quero apresentar – disse o chefe canastrão – se você conseguir que ele feche contrato com a nossa empresa você vai ser o diretor da nova filial.

Aquilo animou o mais novo, se seu marido estivesse feliz e motivado no emprego tudo daria certo.

- Este é Park Chanyeol.

“Park Chanyeol, 25 anos, jovem, rico, sensual, sensação do youtube, divertido, ele faz o que ele quer, o dono do mundo.”

- Prazer senhor Park, me chamo Baekhyun, Byun Baekhyun.

- O prazer é meu.

Quando o sorriso brilhante de Park Chanyeol se abriu, Sehun sabia que as coisas não iam ficar bem.

25 de Octubre de 2018 a las 04:18 0 Reporte Insertar 0
Continuará… Nuevo capítulo Cada 15 días.

Conoce al autor

Suxing Pompom Oie!!!! Também estou no Social Spirits e no Wattpad com o mesmo user. @suxingpompom.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

Historias relacionadas