Ifood -ChanBaek Seguir historia

baxxxnamjoonx Ayle Bax

Baekhyun é apaixonado por Park Chanyeol dês do fundamental. Havia um certo interesse de ambos lados em conhecer um ao outro, mas Baekhyun tinha medo de ser rejeitado e Chanyeol por sua vez tinha o mesmo medo, e por ser tímido optou por nunca tomar uma iniciativa com o ômega. Passou-se um tempo dês de que eles se formaram e que cada um seguiu seu caminho. Até que num belo dia chuvoso o Park foi obrigado a entrar num restaurante por conta da chuva forte que acontecia pela grande cidade de Seul, e devido ao tempo de espera aproveitou para pedir algo para comer. Mas, há um porém nesse meio todo; por um ótimo acaso, Baekhyun trabalha nesse restaurante, e quando viu o alfa novamente bem na sua frente a poucos metros de distância, tudo pareceu voltar contra o seu peito, os sentimentos, a forte emoção... Seu coração voltou a dar pulos de alegria... Será que dessa vez eles terão coragem de chegar um no outro; será que eles deixaram o medo de lado nessa segunda oportunidade que o destino lhes deu?


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18.

#fanfic #text #diversos #A|B|O #18+ #lgbt+ #chanbaek #exo #258
17
4.6mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Todos los martes
tiempo de lectura
AA Compartir

Dia de Chuva


-Baekhyun On Pov-


Quarta-feira. Hoje está sendo um dia chuvoso, bem chuvoso. Pelo vidro das janelas, às vezes, aliás, por quase segundos de pausa eu noto algumas pessoas passando com seus guarda-chuvas enfrentando as rajadas de vento e os pingos de água lá fora.

Particularmente, eu gosto de tempos assim, porque é bom para se ler um livro, assistir um filme ou série enquanto come, ou além disso, simplesmente dormir. E com certeza, uma dessas coisas é o que eu queria estar fazendo nesse momento.


Mas nem tudo é querer, eu preciso trabalhar também.


Depois que eu saí da casa da minha mãe, meu sustento é o restaurante. Eu vivo sozinho num apartamento bem próximo do meu trabalho, o que para mim já é algo bom. Porquê da minha casa até aqui não demora quase nem quinze minutos, eu nem preciso pegar um ônibus, da para vir e voltar andando.


Porém. Eu estou de bom humor nesse dia tão feio para algumas pessoas. Um pré sentimento me agrada tanto que eu até sinto um pouco de receio. Essa emoção toma meu peito dês de o momento em que acordei hoje pela manhã, então eu acho que algo vai acontecer, eu só não sei quando e nem o que vai acontecer. Pode ser algo ruim... Mas eu torço que seja algo bom.

_Baekhyun... Baek... Acorda! - De repente ouço alguém me chamar. Eu devo ter me perdido nos meus devaneios novamente. Isso está acontecendo muito ultimamente.


_Que susto garota. - Repreendi Soomi. Em resposta ela ri da minha cara de espanto. Me recompús, caindo meu olhar sobre a bandeja que ela segura firme em suas mãos.


_Estava pensando no príncipe encantado é? - Brincou se encostando contra o balcão. Eu desviei meu olhar da mais velha, voltando ao que estava fazendo ou seja cortando pequenas frutas vermelhas para incrementar um prato.


_Humm... Talvez, e daí?... Ele deve estar bem longe daqui nesse momento. - Respondi ficando um pouco emburrado.


Soomi me parou e tirou a faca da minha mão, me entregando sua bandeja.

_Hum... Ou talvez não. Entregue essa bandeja na mesa cinco. Eu termino esse prato. - Completou sem nem me dar uma chance para retrucar. Entretanto, eu ainda me mantive parado atrás dela, como se estivesse processando ainda o que acabou de acontecer. Eu juro que eu não entendi nada, quero dizer, porque ela trocou nossos trabalhos assim?


_Anda, o cliente está esperando. - Gesticulou para que eu fosse com uma das mãos. Eu olhei para o prato e depois voltei minha atenção para minha amiga de trabalho.


_M-mas por que trocou nossas tarefas? - Perguntei. Não que a gente não faça isso na maioria das vezes, entretanto, a diferença é que sempre tem um motivo, ou porque um de nós está cansado, ou porque se interessou por alguém. O impasse dessa situação, é que não tem um motivo exato, por isso estou perdido.


_Para de perguntar e vai logo, você vai me agradecer no final, agora vai lá! - Me deu um empurrãozinho para fora. Eu tive uma enorme vontade de voltar para dentro da cozinha, mas não dava mais, o salão do restaurante está cheio, não tem como voltar.


Enquanto eu andava em direção às mesas respirei fundo na procura da mesa indicada por Soomi.


E quando a encontrei quase derrubei a bandeja no chão...


Ele está sentado ali, bem ali perto da janela, observando a paisagem lá fora, a expressão descontraída o deixa com a impressão de paciência. Mas sua mão posta sobre a mesa o contradiz a partir do momento em que seus dedos batem levemente contra a superfície da mesa, num gesto de inquietação.


Eu me custo a acreditar nisso... É óbvio que por morarmos na mesma cidade, isso algum dia iria acontecer, mas ainda sim eu ainda acho isso meio estranho, em quase um ano em que trabalho aqui eu nunca o vi entrar por aquela porta, esse lugar nem é tão famoso assim. Eu acho.


Meu corpo começou a tremer, meu coração bate tão rápido que parece que eu posso ter um desmaio a qualquer momento. Minhas mãos estão a soar e eu me encontro parado entre duas mesas olhando para o alfa a alguns metros de distância.


Eu estou a ponto de sair correndo. Uma que, está todo mundo me olhando agora, segundo que, isso foi uma surpresa para mim, eu não estou preparado para encarar ele depois de tanto tempo sem o ver.


Ah ele está tão bonito!


_Hã.. com licença, está tudo bem? - Uma cliente se preocupou com o meu estado de choque, e com isso eu voltei a realidade vendo que nesse momento eu realmente vou ter que ser o mais profissional possível para conseguir encarar Chanyeol sem dar sequer um vacilo.

_Ah... Está sim, está tudo bem, obrigado. - Dei um aceno doce a mulher e então em passos trêmulos eu segui até a mesa onde o Park está acomodado.

_Seu pedido. - Anunciei quando me aproximei o suficiente. O alfa levantou sua cabeça me olhando diretamente nos olhos. Ele acenou e agradeceu de forma mansa e gentil. Eu quase sofri uma combustão quando o vi tão de perto.

Ele definitivamente virou um homem tão lindo, ele já era bonito quando mais novo, mas agora conseguiu superar. O brilho em seus olhos é doce, mas o olhar é forte e intenso, ele observa com tanta confiança e audácia  que eu quase desmontei em sua frente.


Os lábios rosados e bem esculpidos estão ainda mais atrativos do que eu me lembrava, os cabelos muito bem cortados o deixam com um aspecto muito elegante. O terno lhe deu um ar consecutivo e eu confesso que isso sim me deixou sem ar. Eu me questiono, no que ele trabalha?


Quando voltei para a cozinha, Soomi já tinha terminado a sobremesa e parecia estar me esperando, seus braços cruzados denunciam uma postura meio impaciente.


Ainda pasmo pelo reencontro eu a encaro de boca aberta. Eu ainda não acredito no que aconteceu, e pior, eu me encontro tão inquieto agora, eu quero voltar lá e lhe fazer inúmeras perguntas mas acima de tudo eu quero tomar a atitude que eu não tive antes quando estudávamos no ensino médio, que é chegar nele e conversar de forma tranquila.  

_E aí como foi o reencontro? 

7 de Octubre de 2018 a las 22:15 0 Reporte Insertar 5
Continuará… Nuevo capítulo Todos los martes.

Conoce al autor

Ayle Bax Apenas mais uma querendo compartilhar suas ideias, hist�rias dentro de muitas realidades, mais uma escritora que escreve por amor. c

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~