Behind The Apocalypse Seguir historia

lollipopmars Lollys Mars

A mente humana ainda hoje é um dos maiores mistérios da humanidade. Ela pode agir de formas muito curiosas. De uma forma que jamais poderíamos imaginar. Livro II do Apocalypse


Fanfiction Bandas/Cantantes No para niños menores de 13.

#chen #exo #sehun #fanfic #lay #tao #luhan #chanyeol #d-o #kai #suho #xiumin #mind #kris #baekhyun
4
4746 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Lay

Lay andava pelo hospital, Sehun o observava de longe.
A essa altura, Lay deixara de ser um simples garoto com estresse pós traumático para um dos zumbis que andavam pelo hospital.

— Ele não é mais de um nós. — Sehun falou virando-se para LuHan, que estava sentado ao seu lado. — Ele foi pego. Agora é tarde.

— Do que você está falando? — LuHan não estava prestando muita atenção em Sehun.

— Lay. Ele foi pego. É um dos zumbis.

— Eu não faço ideia do que você está falando Sehun. São as vozes novamente?

— Não. Olhe só para ele. Todo lerdo, andando arrastado. As suas palavras não fazem mais sentido. Ele foi mordido. Se tornou um deles.

— Isso não faz o menor sentido. — LuHan virou-se para Sehun em busca de uma explicação, o outro estava com seu olhar completamente vidrado em Lay.

— Eles são como zumbis. — Havia convicção em seu olhar. — Todas essas drogas que dão para eles, os torna zumbis. A forma como andam, arrastando os pés. Quando falam, é como um gruindo sem sentido. Eles são zumbis. E agora o Lay é um deles.

— Olha Sehun, eu não faço a menor ideia de como sua mente louca funciona, mas isso até que tem um pouco de sentido. Embora todos nós tomamos essas drogas.

— A diferença, é que não parecemos zumbis. — Sehun falou como se fosse a coisa mais óbvia de todas.

— Lay teve estresse pós traumático, e agora foi diagnosticado com demência. O que você esperava?

— Não sei. Eu não tenho demência.

Sehun levantou-se e foi até Lay.

— Hm. — Lay mal olhou para Sehun.

— Você está bem? Consegue entender o que eu falo?

— Quem é você? — Lay estava confuso, não lembra-se de conhecer o rapaz a sua frente. Sua voz estava um pouco rouca.

— Sou eu. Sehun. Nós estamos na mesma ala, a algum tempo.

— Ala?

— Sim, do hospital.

— Hospital? Eu estou doente?

— Talvez. Eu não sei.

— Que tipo de hospital é esse?

— Um hospital psiquiátrico. — Sehun estava começando a perder a paciência e a se arrepender de ter ido falar com Lay.

— E o que é um hospital psiquiátrico? — Lay estava começando a ficar cada vez mais confuso.

— É um lugar onde pessoas com problemas na cabeça são mandadas.

— E por que eu estou aqui? Eu tenho problema da cabeça? O que há de errado com a minha cabeça?

— Eu não sei ao certo, quando eu cheguei aqui, você já tinha alguns anos de estadia.

— E quem sabe por que eu estou aqui?

— ROBERTA! — Sehun gritou, e a enfermeira apareceu alguns instantes depois. — Por favor, tira o Lay da minha frente ou eu vou colocar fogo nele.

— Me pergunto com o que você colocaria fogo nele. — A enfermeira falou em tom irônico.

— Não me desafie. — Sehun a olhou com seriedade.

— Não estou o desafiando. Eu sei que você pode. Mas você não vai. Você é um bom garoto agora. Não coloca mais fogo nas pessoas.

— Por que alguém colocaria fogo nas pessoas? — Lay perguntou sem entender o rumo da conversa.

— Ninguém vai colocar fogo em ninguém Yixing. Agora vamos voltar para o quarto, ok?

Sehun olhou para trás, porém LuHan já havia ido embora.

— Roberta, posso ir com vocês? — Ele perguntou e a enfermeira assentiu positivamente.

— O que ele está fazendo aqui? Ele que queria colocar fogo nas pessoas, não? — Lay perguntou olhando para Sehun um pouco assustado.

— Relaxa, eu não vou colocar fogo em você Lay. Você não fez nada para merecer. Ainda.

— Quem é esse Lay que você tanto fala?

— Você é Lay e Lay é você. — Respondeu Sehun gesticulando freneticamente.

— Então por que essa moça me chamou de Yixing?

— Por que você faz tantas perguntas? — Sehun olhou um tanto irritado para o outro.

— Por que é tudo um borrão na minha mente. Eu não sei o que está acontecendo. Então eu faço perguntas.

— Pessoas normais não fazem tantas perguntas. Elas aceitam os fatos. E pronto. — Sehun falou, como se fosse um expert no assunto.

— Sehun, permita-me corrigi-lo. — Roberta falou. — Pessoas normais, quando tem dúvidas, elas perguntam as outras, em busca de respostas.

— Perguntar o porquê de tudo é infantil! — Sehun falou convicto. — E altamente irritante.

— Sehun, nós já conversamos sobre isso.

— Sobre o que?

— Essas suas crises de superioridade. De dizer o que é certo e o que é errado. Quem deve morrer e quem deve viver. Você sabe que Yixing tem problemas de memória. Não deve trata-lo dessa forma. Você não é deus.

— Eu posso ser deus. Se eu quiser.

— Não. Você não pode. — Roberta abriu a porta do quarto.

— O que é deus? — Lay perguntou sentando-se na poltrona do quarto.

— E lá vamos nós. — Sehun virou os olhos e se jogou na cama. 

23 de Septiembre de 2018 a las 16:43 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Tao

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 11 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión