Destructive Behavior Seguir historia

shinobidesu Karina Diniz

E nessas explosões tu acabou machucando não só ele, mas a si mesma.


Drama No para niños menores de 13.

#borderline #drama
Cuento corto
10
5239 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Destrutiva

A garota era uma bomba-relógio. Tu meio que percebe isso de primeira pelo jeito ansioso que ela balança as pernas quando tá sentada, os dedos inquietos batendo com certa violência na mesa e os olhos passeando pela sala como se a qualquer momento pudesse ver algo que lhe despertasse interesse suficiente para sair daquela neurose psicótica. Mas quando ela sorri, diz palavras gentis e age totalmente diferente de segundos atrás, isso não te faz ficar hesitante? Não. Talvez tenha sido apenas uma primeira impressão ruim. Ela deve estar acostumada a escutar coisas como “te achava com cara de mal-humorada antes de te conhecer”.


Dois dias se passam e é como se tivessem se passado dois anos. Ela fala bastante, como se vocês se conhecessem desde sempre. Te conta sobre detalhes da vida dela que normalmente não se fala para qualquer um. Tu, como sempre, não vês nada de mal nisso. Confiança é fundamental em qualquer tipo de amizade, ela apenas está demonstrando confiar em ti, porque é assim que pessoas se relacionam.


E então seu tempo acaba. Simplesmente assim, sem nenhum aviso prévio. Palavras arrogantes e prepotentes saem da boca dela com a única intenção de te abater. Você sempre foi muito forte e estável mentalmente, mas ela sempre foi desequilibrada o suficiente para saber exatamente o que dizer para quebrar esse tipo de gente. Fraqueja em ficar sem resposta, o olhar furioso te encara como se pudesse apagar sua existência. Bastou isso para pensar que aquela garota, por mais que aparentasse ser uma boa pessoa, não valia a pena o esforço. Então você a abandona.


Ela sai de queixo erguido, na expressão inabalável que sempre sustentou tão bem. Mas a verdade é que nessa guerra interna de explodir sempre que se sentisse confortável o suficiente para ser abandonada, a única vítima do acidente era ela.
14 de Septiembre de 2018 a las 15:35 5 Reporte Insertar 9
Fin

Conoce al autor

Karina Diniz 19 anos de pura maluquice e paranoia. Irá fazer um supletivo ano que vem por não suportar mais repetir o segundo ano. Gostaria de ser mais produtiva de segunda a sexta. Tenta fazer algo novo e melhor todos os dias. Ah, também costuma falar com suas alucinações nas horas vagas.

Comenta algo

Publica!
abacaxi T. abacaxi T.
Não sei nem o que dizer, definiu borderline na minha vida, mas pelo menos eu sou boa em calar a boca até a pessoa sair pra então eu explodir com as paredes. Seus textos são muito bons!
26 de Octubre de 2018 a las 18:31

  • Karina Diniz Karina Diniz
    Passa o tutorial de como não explodir, porque sinceramente, acho que nunca vou conseguir. Quando eu vejo, a bomba já foi jogada e está prestes a explodir. Tô muito feliz de ver que comentou em todos eles! De verdade, me sinto muito agradecida por isso. 30 de Octubre de 2018 a las 09:28
  • abacaxi T. abacaxi T.
    Sou nova na plataforma, então estou procurando as coisas ainda e seus textos me chamaram atenção. Não sei como não explodir, mas eu consigo segurar até as pessoas saírem ou eu mesma me retiro. Eu fico muito mal quando não consigo evitar isso. 30 de Octubre de 2018 a las 13:35
Ronnan Ronnan
Conheci alguém assim. Mas ao invés dela explodir com os outros, a pessoa simplesmente se "auto-sabotava" fazendo quem estava a sua volta se afastar. Isso era e não era proposital. Depois que eu entendi isso, virei amigo dela e passei a aturar essas atitudes.
14 de Septiembre de 2018 a las 21:51

  • Karina Diniz Karina Diniz
    Entendo bem como é esse tipo de pessoa, até porque eu sou uma que se auto sabota. Na real o que nós fazemos é uma tentativa desesperada de fazer as pessoas ficarem, só que isso acaba distanciando mais ainda. Viver desse jeito é um paradoxo que eu não desejo pra ninguém, mas com ajuda de ninguém mesmo que eu mesma num surto psicótico bem sinistro, eu consegui encontrar uma maneira de parar de me auto destruir e parar de me importar com as pessoas. Se eu tivesse um conselho para te dar, seria ter paciência. Pessoas com esse tipo de comportamento demoram até apresentarem uma melhora, e jogar isso na cara da pessoa pode até piorar o estado dela. Enfim, espero que tudo esteja bem para você e sua amiga, abraços <3 15 de Septiembre de 2018 a las 08:57
~