Meu querido Professor Seguir historia

l_rell L_Rell NL

Chichi era uma jovem garota que acabou de realizar o seu maior sonho. entrou na sonhada faculdade de direito. tudo seria novo, tudo seria um sonho. até um professor tornar seu pior pesadelo antes mesmo de o conhecer, mas por azar do destino ele não é nada do que ela esperava e o que seria o seu pior pesadelo se tornou seu desejo mais obscuro


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#dragonball #hentai #aluna #professor #romance #hot #gochi #chichi #goku #gohan #univeersos-goku-e-chichi #hentai-goku #hentai-chichi #dragon-ball
2
5.1mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Todos los lunes
tiempo de lectura
AA Compartir

Conversas no café

Meu querido professor universo Gochi

Aquele seria o seu primeiro dia na tão sonhada faculdade de direito. Muitas coisas estavam passando em sua mente, ela tinha várias expectativas sobre o curso escolhido. Era um curso sério e exigia total domínio e leitura, completa atenção e estratégia de ação. Fora que ela se esforçou tanto para aquilo, valera o tempo que perdeu em seu curso e história da arte só para poder estar ali.

Recebeu a lista de leitura obrigatória dos professores. Cada um tinha sua peculiaridade, cada um seu próprio jeito de interagir e de cobrar. Recebeu o perfil de cada um deles. A descrição do currículo dos mesmos era impressionante.

Sentada no café próximo ao campus ela estava olhando em seu notebook, refazia novamente algumas anotações importantes pertinentes aos primeiros livros exigidos. Ela então escutou um grupo de estudantes falando animadamente. Eram alunos do curso de direito, só que uma turma mais avançada, fechou o notebook e munindo—se de coragem se levantou e foi até eles.

—Oi, desculpa interromper, mas... eu sou caloura no curso e não pude deixar de ouvir um pouco da conversa. Eu poderia conversar um pouco com vocês?

Eles se entre olham por alguns instantes...

—Claro, puxe uma cadeira – Disse uma garota de longos cabelos azuis. – Como se chama?

—Eu sou a Chichi. E você? – perguntou a garota ainda tímida ao colocar o cabelo por trás da orelha.

—Eu sou a Bulma – fala com um sorriso – esse é o Yamcha, Lunch, Lazuli e esse o Tenshi, ele é aluno de intercambio.

—Prazer – fala a garota sorrindo.

—Então...direito né? – perguntou Bulma ainda sorrindo.

—Sim...eu estou muito nervosa – confessara Chichi

—Bom, deveria ficar. Eu sei o quanto é puxado no primeiro ano, te garanto que depois melhora. Afinal é Oozaru Academy né? – fala Bulma sincera

—Acha mesmo? – Chichi pergunta insegura

—Tenho certeza – Bulma fala com um sorriso – deixa eu ver quem você pegou

Chichi então passa uma cópia de sua grade de professores e horários

—Nossa. Esse ano colocaram pesado a primeira turma – disse Bulma com uma careta.

—Deixa eu ver! – pediu Lazuli olhando o papel – ela o pegou, nossa! Para o primeiro ano ela tá muito ferrada

—Ele quem? Quem é ele afinal? — Chichi perguntou em desespero.

—O professor Goku. Ele é especialista em direito criminal. Osso duro se quer saber. Ele tem um importante escritório no centro, só pega caso grande... E de vez enquanto agracia alguns alunos com um estágio em seu escritório. Esse ano é a bola da vez. – Bulma fala firme.

—Ele é tão ruim assim? — Chichi perguntou preocupada.

—Pode ter certeza! Eu fiquei em recuperação na matéria dele 3 vezes seguidas até finalmente conseguir me livrar das garras dele – Lazuli fala com uma careta

—Tá legal – Chichi disse com suspiro de terror e pânico que gritavam dentro de si agora – podem me falar sobre os outros? Eu realmente estou muito nervosa agora.

—Claro! Vamos lá. – Tenshi fala firme

Então eles começam a dar um feedback sobre cada um dos professores ali. Chichi conversava alegremente até olhar no relógio e ver a horas.

—Merda! Vou me atrasar – disse a garota se levantando – me chamem no grupo depois.

—Pode deixar gatinha – disse Kuririn rindo e recebeuo um olhar indiscreto de Lazuli.

Chichi correu como louca atravessando o campus e adentrando no prédio do curso de direito.

Ela usava um vestido azul casual e um sapatinho confortável – tinha dessas manias de conforto -. Seu cabelo estava em coque mal preso com uma ponteira e usava uma bolsa transversal de lado onde carregava seu material e seu notebook

Quando chegou próximo a sala se sentiu completamente deslocada. Todos trajavam roupa social. As garotas com seus terninhos e os garotos sociais. O professor do primeiro tempo se aproximou. - Era o tal de Konnan, era o coroa até bonito, muito elegante naquele terno- Olhou Chichi dos pés à cabeça quando a garota adentrou na sala.

Ela queria esconder sua cara em qualquer lugar fundo e escuro em que ninguém mais dirigisse olhares reprovadores as suas vestimentas. Caminhou então para o fundo e ali mesmo se sentou.

Toda a turma já se encontrava disposta ali.

—Não se sinta mal por errar no vestuário. Se serve de consolo eu ia vir de jeans e polo – um garoto de cabelos negros arrepiados ao lado de Chichi disse e deu um sorriso acolhedor – só mudei depois que meu irmão avisou, ele também não foi nada sutil acredite, ia odiá-lo – riu o garoto. – Prazer eu sou Gohan – ele disse estendendo a mão e ela o cumprimentou.

—Sou Chichi – disse - Ai meu deus! Eu estou péssima, olha só pra mim! – ela então sussurra chorosa o que o fez achar certa graça do desespero.

A aula começou e o professor fizera questão de tocar no assunto das vestimentas e colocou Chichi de pé em o que ela considerou uma pública humilhação para ela que se já estava se sentindo mal, não que ele fora grosseiro ou disse algo não condizente, apenas exemplificou os conceitos básicos das vestimentas. Ela pediu licença e se retirou da sala. Os múrmuros e risinhos eram grandes.

Ela se sentou em um dos bancos dali e abriu seu notebook fazendo uma nova anotação, tinha pouco tempo, tinha que ir trocar urgente aquela droga de roupa. O pior era que seu guarda roupa não comportava aquilo. Mas realmente não suportaria passar novamente por aquele constrangimento. Ela se levantou guardando notebook enquanto caminhava e acabou por esbarrar forte em um Homem alto e acabou derramando todo o café que o mesmo tomava em sua roupa e na dele de quebra.

—Ai meus deuses! Me desculpa...não foi minha intensão... eu ...eu... – Chichi buscava palavra, mas começou a chorar – eu... sou uma tonta...uma droga de garota desastrada e agora você tá aí sujo e eu? Que droga! Olha como eu estou! É o pior dia da minha vida!

O jovem alto que tinha os cabelos negros rebeldes, no entanto a olhava com uma seria expressão. Chichi podia jurar que ele a mataria! Ele olhou para sua camisa e para o seu copo de café no chão e em seguida para a garota irritante e desesperadamente chorona...não tinha tempo para aquilo. Teria que dá uma aula em breve. Ele olhou no relógio e colocou a mão no bolso. A sua vontade era de matá-la. Parecia um filhotinho acuado, era muita maldade gritar com ela naquele instante, como ele queria e o faria em qualquer um dos casos. Deveria pelo jeito ser alguma aluna de publicidade. Era muito inquieta e gesticulava demais. Ele se virou pra sair, não queria perder a compostura, mas a garota puxara seu braço. Ele então a olhou incrédulo e depois para a mão da garota em seu braço e retornou depois para ela.

—Deixa eu levar para lavar, é o mínimo que posso fazer – Chichi fala secando as lágrimas.

O jovem pondera aquela oferta então, muito embora já fosse uma das suas opções, essa ou mandar vir um conjunto limpo.

—Tem uma lavanderia aqui perto. – Ele fala imponente com uma voz firme e autoritária, mas ao mesmo tempo suave e grossa.

Ela o acompanhou atravessando o campus e entrando em pouco tempo no lugar. Ele olhava novamente no relógio enquanto a garota falava ao balcão. Ele tirara então o paletó e afrouxara a gravata desabotoando a camisa branca tirando a mesma. Chichi então se virou para o jovem e por deus quase perde o chão. Que corpo era aquele? Até a garota do balcão corou sem ar. Ela esticou a mão pegando as peças de roupa. O jovem não pode deixar de achar graça na cara das garotas, afinal era algo corriqueiro...

Chichi entregou as peças a balconista que pediu alguns minutos.

O jovem se sentou na cadeira e pegou um livro de sua pasta começando a ler de onde parou. Sua postura era séria e compenetrada. Chichi, por outro lado, o observava disfarçadamente... Como era lindo! Tinha uma fisionomia mais que atraente. Era desejosa. Os cabelos negros e olhos de igual cor. Era muito forte, mas nada que não fosse atraente. Como ocultava aquele corpão naquele terno? Chichi poderia fazer misérias com aquele homem. Podia chama-la de sua e a possuir a hora que quisesse... e a boca? Que boca era aquela? Ficando sério daquela forma e lendo...porra era sexy até assim. Ela fantasiou aquele homem todo de cima a baixo e podia jurar que estava calor porque seu corpo parecia arder em chamas. Sentiu seu rosto aquecer, e sem perceber já estava o encarando compenetrada em seus devaneios sexuais.

—Você está bem? – a jovem perguntou levantando uma sobrancelha a encarando.

Chichi sente um balde de água gelada em seus pensamentos obscuros de colegial.

—Humm?! Eu... to sim.

—Não me parece muito bem, parece centrada em algo muito profundo também– o jovem analisa

Então Chichi se dá conta que tinha que trocar a droga da roupa

—Ai meu Deus to atrasada de novo! – disse exasperada a garota. – Ela correu ao balcão e pagou o serviço — olha me perdoe por tudo, mas realmente tenho que ir. Eu tenho que trocar essa droga de roupa e ainda vou pegar o mostro do Goku no próximo tempo. E pelo que fiquei sabendo não é nada bom já que o ego dele chega na sala antes mesmo dele. Eu acabei de ser completamente ridicularizada por um que era considerado um dos mais bonzinhos... imagine se fosse o Goku? Eu juro que me mataria, não quero ficar de recuperação ou pior reprovar infinitamente nesse modulo. -disse a garota abrindo a porta e saindo correndo.

Ele, no entanto, ficou ali pensativo em tudo que acabou de ouvir. Ele voltou sua atenção novamente ao livro, mas a afirmativa da garota latejou novamente.

—Meu ego chega antes de mim na sala? não acredito que ela falou isso – murmurou goku para si mesmo.

Chichi chegou a uma loja ali próxima e escolheu algumas peças pagando pelas mesmas e trocando as roupas. Aproveitou para retocar um pouco a maquiagem. Dessa vez com um pouco mais de tempo voltara ao campus e entrou na sala se sentando ao lado de Gohan novamente.

—Bem melhor – fala o garoto sorrindo gentil

—Aí nem me fale...o meu dia tá ferrado, não tem como ficar pior.

—Boa tarde a todos. Imagino que já me conheçam e espero que saibam exatamente o que espero de cada um. Não aceito menos. Meu trabalho e torna-los grandes. Não aceito medíocres e nem os formo.

Chichi ao ouvir aquela voz foi o suficiente para o resto do seu chão cair...

—Ele é o professor Goku? – murmura com Gohan engolindo em seco.

—Sim, ele mesmo! Espera, você não o conhecia?

A garota apenas tinha a cabeça abaixada na mesa respirando desesperada se lembrando de tudo que fez e falou.

—Tô muito ferrada! – sussurra a morena.

13 de Septiembre de 2018 a las 14:18 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Ato culposo, mente culpada

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 12 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión