Recomeço Seguir historia

yasu Yasu Wada

"Não consigo compreender de onde a Baa-chan tirou essa ideia de me colocar na escola em que ela é diretora, e ainda por cima meus pais concordaram, não dá para acreditar nisso. Ok compreendo que a Kurenai me pediu para que eu tenta-se uma aproximação com outros adolescentes de minha idade e tentar me relacionar, até parece ser tão fácil assim, não depois do que já sofri."


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#sasuke #sasunaru #naruto
10
5.1mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 15 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Prólogo

                     


Não consigo compreender de onde a Baa-chan tirou essa ideia de me colocar na escola em que ela é diretora, e ainda por cima meus pais concordaram, não dá para acreditar nisso. Ok compreendo que a Kurenai me pediu para que eu tentasse uma aproximação com outros adolescentes de minha idade e tentar me relacionar, até parece que é tão fácil assim, não depois do que já passei.


Infelizmente não dá para ficar remoendo de quão essa ideia é absurda o dia inteiro, uma hora tenho de levantar e tentar encarar isso numa boa; encaro o celular que apitava aquele barulho a mais de minutos em cima da escrivaninha do outro lado do quarto, estratégia para levantar. Levanto sem nenhum ânimo, procuro pelo chinelo, que esqueci onde o deixei ontem antes de me deitar, não o acho “espero que não seja a Kurama que o carregou novamente” sigo em direção ao celular para desligar o despertador, e seguidamente para o banheiro que há no quarto.


Encaro-me no espelho, não consigo entender o que as pessoas pensam o que eu sou; vejo as cicatrizes em meu rosto contrastando com o meus imensos olhos azuis e cabelos loiros, a minha pele está mais pálida do que o normal e as bolsas escuras que residiam debaixo de meus olhos me dá a aparência meio mórbida.


­— Pelo jeito vou ter arrumar essas olheiras hoje. — Digo ainda me observando no espelho, entro no box, ligo o chuveiro, sinto a água morna entrar em contato com a minha pele, queria tanto compreender o meu propósito de vida o porquê de ainda está vivo, preferia ter morrido se soubesse que isso aconteceria, mas aconteceu e agora tenho de tentar o máximo não pensar nisso; fecho o registro do chuveiro e pego a minha toalha e começo a me secar indo de encontro ao espelho novamente, observo a minha baixa estatura e magreza “isso já está muito notável”, nunca estive tão magro assim, puxo uma pequena balança que mantinha debaixo do armário da pia para confirmar as minhas suspeitas, é e pelo visto elas estavam certas.


— 43 kilos. — Muito abaixo do normal. Não posso fazer nada já que tudo que eu como não costuma parar em meu estomago. Empurro a balança de volta para debaixo do armário, e começo a vestir o uniforme da escola que estava dobrado na pequena bancada da pia, com certeza foi a Kaa-san que o colocou aí ontem. Agora devidamente vestido, pego um corretivo e pó na gaveta do armário para esconder somente essas olheiras deixando o mais natural possível.


— Acho que ficou bom, ninguém vai perceber assim eu espero. — Caminho para fora do banheiro, pego o um All Star preto e calço, procuro pela minha mochila que fui forçado a comprar junto com cadernos novos; pego o celular e os fones, coloco no bolso da calça, confiro se está tudo certo e saio do quarto. Desço as escadas lentamente sem nenhum ânimo, ao chegar à sala abandono a mochila em um dos sofás e vou em direção à cozinha fitando o chão.


— Está atrasado. — Levanto a cabeça e observo a minha progenitora e todo o ambiente, Tou-san e Baa-chan também estavam ali presentes me observando com a mesma intensidade que a Kaa-san está. Como esperado, eles querem saber da minha reação com tudo isso que está acontecendo.


— Não tinha percebido, desculpe. — Falei voltando a fitar o chão e caminhando em direção a uma cadeira da mesa. Peguei a xícara de café que Kaa-san depositou a minha frente e rejeitei as torradas também colocadas ali, tentei ignorar o olhar fulminante que ela me lançou.


— Naruto você tem que comer, se não ficará fraco, e hoje você começa a frequentar a escola. — Dirigi o olhar a ela novamente, observei o seus cabelos vermelho como sangue, ela é linda, tem razão de ter feito tanto sucesso como modelo no tempo em que desfilava, não que tenha parado totalmente, mas hoje ela é uma empresária e estilista bem sucedida.


— Ela tem toda a razão Naruto, você passará mal se não se alimentar direito. — Agora quem disse foi o Tou-san; viro-me em sua direção e o observo, sou a sua copia perfeita, mas obviamente ele é bem mais alto, musculoso e sua pele não é pálida como a minha. Ele também é lindo, e não digo isso por parecer-me com ele só falo porque ele realmente é, ele também está em sua melhor forma. — E meu tempo está acabando infelizmente, tenho que ir para a empresa, cuide bem dele Tsunade. — Meu pai diz se levantando e vindo em minha direção me abraçando e passando a mão nos meus cabelos bagunçando-os.


— Pode deixar Minato ele ficará bem. — Minha avó diz enquanto ele se vira para Kaa-san a dando um beijo e saindo da cozinha mas antes dizendo um bom dia.


— Então vai comer? — Kushina diz com uma sobrancelha erguida, quando ela me olha assim não é muito confiável a contestar. Pego a torradas sem dizer nada e tento colocar para dentro, implorando para meu estomago não recusar naquele momento, e por milagre consegui as comer. Depois desse feito virei para a Baa-chan que continuava sentada ali na mesa e a encarei, como se ela entendesse esse olhar se levantou.


— Vamos indo Naruto, se não chegaremos mais atrasados do que já estamos. — Sem acreditar ainda que estou sendo submetendo a isso me levanto.


— Se cuide meu filho, se sentir que não está bem procure a sua avó imediatamente, me ouviu? — Ela falou vindo em minha direção e me abraçando enquanto eu respondia somente com um aceno positivo com a cabeça. — Também estou indo trabalhar agora, volto a tarde, já estarei aqui quando chegar então não se preocupe, ok? — Confirmei com a cabeça novamente.


Tsunade já esperava na porta com as chaves do carro em mãos e a sua pasta, andei em sua direção e a abracei, instantaneamente sumi em seus braços, por ser baixinho e ela alta, realmente não queria ir mas não posso fazer nada em relação a isso, já tinha sido muito adiado. Segui para a sala onde peguei a mochila no sofá e saímos de casa ao encontro do carro estacionado em frente à casa; “espero que nada aconteça e que esse dia passe rapidamente”, esse foi o meu pensamento enquanto entrava no carro e Tsunade dava partida.


7 de Septiembre de 2018 a las 21:00 3 Reporte Insertar 3
Leer el siguiente capítulo I went too far

Comenta algo

Publica!
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
Olá! Escrevo-lhe por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para verificar o cumprimento das Regras comunitárias e ajudar os leitores a encontrar boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se você não quiser verificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através de Serviços de Autopublicação. Fiz a reverificação da sua história, já que, na resposta do primeiro comentário da equipe, você disser ter feito algumas modificações. Sua história, porém, permanece como "Em revisão" pelos seguintes apontamentos retirados dela: 1)Pontuação: "Ok compreendo" em vez de "Ok, compreendo"; "de minha idade e tentar me relacionar" em vez de "de minha idade e tentasse me relacionar". Uso de vírgula para unir frases que deveriam estar separadas por ponto, como em "tentar me relacionar, até porque" em vez de "tentar me relacionar. Até porque" — isso ocorre porque a primeira frase está concluída e com o sentido completo; a segunda frase não faz parte da primeira e fala sobre algo diferente. Quando o assunto tem sentido completo e está finalizado, devemos iniciar a nova frase depois de ponto. E quando mudamos por completo a ideia-núcleo, a frase deve ser iniciada em um novo parágrafo. Existem muitos casos como o citado no exemplo. "meu propósito de vida o porquê" em vez de "meu propósito de vida, o porquê". "é e pelo visto" em vez de "É, e pelo visto"; "ninguém vai perceber assim eu espero" em vez de "ninguém vai perceber. Assim eu espero" ou, a depender do que quiser dizer, "ninguém vai perceber assim, eu espero". 2)Acentuação: "estomago" em vez de "estômago". 3)Grafia e outros: "de quão essa ideia é absurda" em vez de "o quanto essa ideia é absurda". Uso de dois tempos verbais na narrativa, como "é", "encaro" — no presente — e "apitava", "residiam" — no pretérito. É importante escolher apenas um tempo verbal para a narrativa. "as pessoas pensam o que sou" em vez de "as pessoas pensam que sou". "tenta-se" em vez de "tentasse". Observação: os apontamentos acima são exemplos, há mais o que ser revisado na história além deles. Aconselho que procure um beta reader; é sempre bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que acertamos e o que podemos melhorar, e os betas do Inkspired, quando contratados, fazem uma análise detalhada da sua história e a enviam através de um comentário. Caso se interesse, esse recurso também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Além disso, também temos o blog Tecendo Histórias, que dá dicas sobre construção narrativa e poética, e o blog Esquadrão da Revisão, que dá dicas de português. Confira! Bom... Basta responder esta mensagem quando tiver revisado a história, então farei uma nova verificação.
Camy <3 Camy <3
Olá! Eu venho representando o Sistema de Verificação do Inkspired! A sua história está marcada como "em revisão" por enquanto. Isso significa que vou te passar uma lista dos principais erros gramaticais da sua história. Você pode decidir arrumá-los ou não. Se resolver arrumar a história, por favor responda a este comentário para que eu volte aqui e reavalie a sua história! Você tem dois problemas com verbos: no primeiro parágrafo, "tenta-se" deveria ser "tentasse". Um pouco mais adiante, "se se soube" deveria ser "se soubesse". Seria bom se você pudesse rever o uso do tempo verbal pretérito do futuro do subjuntivo. Como a sua história está em primeira pessoa, você não precisa dizer que o seu personagem pensou aquilo. Você já está nos contando a história a partir da cabeça dele, é claro que todas as narrações vêm dele. O leitor já sabe que aquilo foi um pensamento, não é preciso dizer. Nos diálogos, é essencial separar o que é fala e o que é narrativa. Você deixa a narrativa no parágrafo da fala e isso confunde o leitor. Se não quiser fazer um novo parágrafo, peço que considere ao menos acrescentar outros travessões, algo como isso: - blalblabla. - Pessoa voltou. - Aeeeee. Você só precisa de prática, e vai dar tudo certo! U beijo :*
12 de Septiembre de 2018 a las 23:28

  • Yasu Wada Yasu Wada
    Olá Camy! Revisei os dois erros com os verbos, os travessões e tentei melhorar o uso do tempo verbal, ainda não ficou 100%, mas com o tempo me aperfeiçoo e melhoro a minha escrita. Obrigado por sua verificação. 14 de Septiembre de 2018 a las 10:49
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 1 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión