Noite no Dormitório Seguir historia

BeatrizPFT25 Beatriz PFT25

Kirishima tinha-se declarado para Bakugou, desde ai ele nunca mais parou de deixar claro o seu amor. Agora numa noite no dormitório, Bakugou decide fazer-lhe um convite, um convite pelo qual Kirishima há muito tempo esperava. [KiriBaku| TodoDeku]


Fanfiction Anime/Manga No para niños menores de 13.

#bakushima #yaoi #tododeku #kiribaku #midoriya-izuku #Todoroki-Shouto #Kirishima-Eijirou #Bakugou-Katsuki #mha #bnha #my-hero-academia #boku-no-hero-academia
Cuento corto
9
5.1mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único - Noite no Dormitório

A primeira vez que o disse foi nos dormitórios, como os nossos quartos eram do lado um do outro aproveitei numa das noites de um fim-de-semana em que nenhum de nós foi para casa, e quando vi o Bakugou na varanda dele, decidi sair do meu quarto e ganhei coragem para me declarar.

No início ele arregalou os olhos e depois começou a gritar, não que eu estivesse à espera de outra reação, e foi ai que eu disse que não precisava de uma resposta, simplesmente queria que ele soubesse, porque eu já não conseguia guardar para mim.

E desde esse dia sempre que eu sentia vontade para dizer, eu simplesmente dizia, sem me preocupar se estávamos na sala de aula, no refeitório, em alguma pausa de treino, na sala de convívio dos dormitórios, a mudar de roupa nos balneários, eu já não me importava com as pessoas à nossa volta ou a situação em que estávamos.

O resto da turma as primeiras vezes estranharam e ficaram claramente surpresos pelas minhas declarações repentinas, mas depois de uns dias já se tinham habituado e achavam até normal, até o Bakugou estava a aceitar, já não gritava para me calar, simplesmente dizia que era irritante estar sempre a repetir o mesmo.

E um dia eu ganhei ainda mais coragem e pedi que ele namorasse comigo, e o que mais me surpreendeu foi que ele aceitou! Graças a isso a nossa relação tinha avançado muito, eu podia abraçá-lo mais abertamente, andávamos de mãos dadas quando íamos a encontros e até nos beijávamos quando estávamos sozinhos no quarto um do outro, apesar de ele não ter dito verbalmente nenhuma vez que se sentia da mesma forma que eu, só pelas atitudes que ele tinha comigo já era feliz, o amor que sentia por ele estava a ser correspondido, e a sensação que eu tinha era muito boa, sentia-me muito feliz!

Nós agora estávamos na sala de convívio dos dormitórios, a maioria tinha ido passar o fim-de-semana a casa dos pais, dos que tinham ficado só eu, o Bakugou, o Midoriya e o Todoroki, é que tínhamos decidido ver um filme antes de irmos para os quartos, mas o Midoriya a meio do filme tinha acabado por adormecer no ombro do Todoroki, e o Todoroki estava mais interessado na cara do Midoriya do que no filme propriamente, então era basicamente eu e o Bakugou a ver o filme, mas quando olhei para ele, o mesmo estava a olhar em direção a televisão, mas parecia tão perdido em pensamentos que senti como se estivesse a ver o filme sozinho.

Assim que o filme acabou, levantei-me e desliguei a televisão, quando me virei vi que o Todoroki estava a pegar o Midoriya ao colo.

– Queres ajuda a carregá-lo? – Ofereci, mas o Todoroki era forte o suficiente para carregar o Midoriya sozinho.

– Não é preciso Kirishima, obrigado. – E ao dizer isso foi em direção às escadas, sendo seguido por mim e pelo Bakugou, que ainda parecia um pouco pensativo.

Quando vi o Todoroki a subir para o terceiro andar estranhei, o quarto do Midoriya era no segundo, então para onde é que o Todoroki o ia levar?

– Todoroki onde é que vais? – Perguntei confuso e curioso.

– Para o meu quarto, eu não consigo dormir bem na cama do Midoriya. – Ele respondeu com uma cara tão serena que eu só consegui corar um pouco, ele não sentia vergonha a dizer essas coisas? Ele fez parecer que os dois dormiam juntos muitas vezes.

– To-Todoroki! – Chamei um pouco envergonhado, ele olhou para mim e eu voltei a falar. – Tu e o Midoriya… Vocês… Sabes tu e ele… – Eu estava nervoso para fazer aquela pergunta, mas a minha curiosidade era maior. – Vocês são o quê? – Perguntei não arranjando outras palavras.

– Namorados. – O Todoroki nem pensou duas vezes antes de responder.

– E… E vocês já…? – Eu não teria coragem de perguntar com todas as letras mas ao ver o Todoroki corar percebi que ele sabia o que eu queria perguntar.

– Sim. – E respondeu num murmúrio, por alguma razão senti-me aliviado por saber que até o Todoroki ficava envergonhado com essas coisas.

– Entendo. – Eles já estavam numa fase do relacionamento mais avançada que eu e o Bakugou.

Chegamos então ao quarto andar e o Todoroki ainda tinha mais um lanço de escadas para subir.

– Até amanhã. – Despediu-se antes de começar a subir as escadas.

– Até amanhã. – Respondi abrindo a porta do meu quarto e vi o Todoroki acabar de subir as escadas, o Bakugou olhava para mim, também com a porta do seu quarto aberta.

– Bakugou. – Chamei com um sorriso, depois de ver o Todoroki tão carinhoso com o Midoriya não podia não sentir vontade de voltar a declarar-me. – Eu gosto de ti!

Ele não disse nada, só bufou e desviou a cara, entrando no quarto, eu ri com a reação dele e entrei no meu quarto também, apaguei a luz e preparei-me para dormir mas não estava a conseguir fazê-lo, quando abri os olhos vi que a luz do quarto do Bakugou ainda estava acesa, fui até á janela e vi que o Bakugou estava na varanda a olhar para o céu pensativo, lembrei-me da primeira vez em que me declarei e senti vontade de voltar a fazê-lo.

Quando abri a janela e fui para a varanda o Bakugou olhou para mim, parecia surpreso, provavelmente por estar acordado.

– Não consegues dormir? – Perguntei encostando-me a parte que unia as duas varandas. – Se quiseres posso ir buscar o meu colchão e vou dormir ai contigo. – Eu disse com um sorriso, já tinha dormido no quarto do Bakugou, mas tinha sido antes de começarmos a namorar, por isso já estava a espera de uma resposta negativa, mas não consegui sentir um pouco de ciúmes do Todoroki e do Midoriya que dormiam juntos.

Estranhei o Bakugou não ter respondido nada e olhei para ele que me encarava muito seriamente, eu não consegui evitar corar com o olhar dele em mim.

– Tu queres? – Ele perguntou de repente, eu não percebi do que ele estava a falar, e ele ao notar isso levantou o dedo do meio na minha direção e antes que lhe pudesse perguntar o porque disso ele começou a lamber o dedo, primeiro de um lado e depois do outro, sempre com a língua de fora, e não podia negar que tinha ficado excitado com isso, eu já o queria fazer há muito tempo, mas não sabia se o Bakugou queria o mesmo.

Ele parou o que estava a fazer e olhou para mim à espera de uma resposta, eu apenas assenti envergonhado mas feliz, e ele virou-se de costas e foi em direção ao quarto, ele ia deixar-me sozinho depois de me fazer ficar com vontade? Ele não seria tão cruel! Ou seria?

Antes de entrar no quarto ele olhou para mim e falou.

– Não vens? – Perguntou com uma sobrancelha arqueada, já que eu não me mexi, pensei que ele me ia deixar ir dormir no quarto dele e fiquei feliz.

– Vou só buscar o meu colchão. – Disse e virei-me mas a voz dele fez-me parar.

– Para o que vamos fazer hoje a minha cama é suficiente. – Eu encarei-o e vi que ele estava com um sorriso provocativo, não contive o sorriso e rapidamente deixei a minha varanda e fui para a dele.

– Bakugou. – Disse antes de o abraçar.

– Eijirou. – Chamou-me e virou-se de frente para mim com um sorriso.

Eu arregalei os meus olhos, era a primeira vez que ele me chamava pelo primeiro nome, e isso fez o meu coração bater ainda mais forte.

– Katsuki! – Eu disse e juntei os nossos lábios no curto beijo. – Eu gosto de ti! – E beijei-o novamente. – Estou perdidamente apaixonado por ti! – E voltei a beijá-lo. – Amo-te! – Eu disse sorrindo. Ele aproximou a sua boca ao meu ouvido e sussurrou.

– Eu também Eijirou. – Eu já não controlava o bater do meu coração, e tudo só ficou mais intenso quando ele me começou a beijar, um beijo mais profundo e apaixonado.

Sem interromper o beijo guiei o Bakugou para a cama e deitei-o carinhosamente, ficando por cima dele, desfizemos o beijo e olhei nos olhos dele e antes que o pudesse beijar de novo ouvimos um som, mais propriamente um gemido, eu arregalei os olhos e olhei para cima, de onde tinha vindo o som, que era do quarto do Todoroki.

– Quando aqueles dois começam o Deku nunca segura o primeiro gemido. – Disse o Bakugou irritado, provavelmente não era a primeira vez que o ouvia.

Eu ri e olhei para ele sorrindo.

– Pelos vistos não somos os únicos que se vão divertir hoje. – E beijei-o novamente, pronto para uma noite pela qual há muito já esperava. 

5 de Septiembre de 2018 a las 19:54 4 Reporte Insertar 4
Fin

Conoce al autor

Beatriz PFT25 Viciada em BNHA! ❤ Apaixonada pelo Todoroki Shouto! ❄❤🔥 Escrevo nos tempos livres! ✍ TT: Beatriz_Kami7 Sintam-se livres para falar comigo :3 Tenho conta também no Spirit, Wattpad e Nyah, todas com o mesmo nome

Comenta algo

Publica!
Kayla Hümmer Kayla Hümmer
Eu estou completamente apaixonada por essa história! A escrita é tão delicada e bonita, é impossível não sentir o coração quentinho com ela 💙
23 de Septiembre de 2019 a las 09:30
Kayla Hümmer Kayla Hümmer
Eu estou completamente apaixonada por essa história! A escrita é tão delicada e bonita, é impossível não sentir o coração quentinho com ela 💙
23 de Septiembre de 2019 a las 07:35
Ariane Mendes Ariane Mendes
6 de Septiembre de 2018 a las 20:44

  • Beatriz PFT25 Beatriz PFT25
    Por alguma razão não consigo ver o teu comentário 😅 8 de Septiembre de 2018 a las 05:36
~