Kyuubi no Kitsune Seguir historia

nathymaki

Arrancados de uma festa a fantasia, Naruto e seus amigos precisarão correr e recuperar as nove caudas perdidas antes que o mundo seja jogado ao caos. Conseguirão eles salvá-lo antes o fim torne-se realidade?


Fanfiction Anime/Manga Todo público.

#universo-alternativo #ua #fantasticoink #naruto #mítica #aventura #deuses #mitologia-egípcia #mitologia-grega #mitologia-nórdica #lendas-brasileiras #folclore #time7 #time10 #sasuke #sakura #time8 #gaara #lee #temari
Cuento corto
13
6.2mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

A música pulsava através das paredes quase como um coração que, ao invés de sangue, bombeava uma energia contagiante. Na pista de dança, corpos se remexiam e deixavam-se cair em ocasionais investidas em direção ao chão, quase como se houvessem derrubado algo. Ino observava o movimento no salão com o coração pulsando de felicidade. A festa havia sido um sucesso. Seus olhos atravessaram a multidão e se encontraram com os orbes verdes de Sakura que também fitava as pessoas, sem acreditar. Ergueu as sobrancelhas como se dissesse: “Eu avisei que ia funcionar, não avisei? ” E recebeu em troca um revirar de olhos cansados em troca.

Há dias estavam correndo para cima e para baixo, entregando convites, organizando comes e bebes, surtando com os problemas de som que pareciam não ter fim, tudo para que esta fosse a melhor festa de Halloween que aquele bairro já vira. Não conseguiu esconder o sorriso que lhe tomava os lábios ao correr os olhos pela decoração de morcegos, luas cheias e serpentinas que desciam do teto presas por fios invisíveis. O ponche laranja e roxo parecia causar estranhamento no início, mas o sabor era delicioso demais para deixar que tal coisa fosse um empecilho.

As paredes estavam cobertas de tecidos com pinturas de cemitérios e túmulos cujos escritos pareciam mudar para o nome e a data de nascimento dos que estavam ali presentes. Abóboras iluminavam os cantos, exibindo sorrisos alegres ou, por vezes, assustadores. E o ambiente não podia estar mais completo sem a presença das fantasias, claro! Os demais convidados adultos não sabiam, mas, entre os jovens colegas, havia sido combinado um tema geral que deveria ser seguido à risca, ou Ino provavelmente os procuraria e amaldiçoá-los-ia até a quarta geração. E ali estavam eles, em suas gloriosas fantasias de deuses antigos e outras entidades mitológicas. Algumas bem ousadas, como a de Karin que parecia ser composta apenas de uma saia folhas e um cropped com uma estampa floral, deixando a mostra as pinturas feitas na pele em padrões constantes; outras nem tanto. Franziu a testa ao ver Shino passar coberto de vestes negras e fechadas, não muito diferentes das que usava no dia a dia.

Sacudiu a cabeça e mexeu o corpo deixando o ritmo lhe contagiar, fazendo os braceletes em seus braços e o pesado colar dourado no pescoço balançarem. O vestido branco em corte egípcio moveu-se consigo ao se dirigir à mesa de bebidas. Arregalou os olhos e tossiu dentro do copo ao ver Sasuke caminhar em sua direção. E, nossa, aquilo sim era um exemplo de senhora fantasia.

- Uau, Sasuke! - Comentou ao vê-lo se aproximar para servir mais ponche. - Essa armadura de Loki combinou muito bem com você! - Elogiou, observando a forma do metal assentar perfeitamente nos músculos do abdômen e os chifres dourados que em contraste com os cabelos negros mais compridos davam um ar perigoso, mas muito, muito charmoso. Ele assentiu, não parecendo se importar muito.

- Foi tudo culpa do Naruto. - Suspirou, levando o copo aos lábios e tomando um gole. - Ele insistiu em vir de Thor e disse que a fantasia não estaria completa sem um Loki. - Rolou os olhos, se perguntando como deixara isso acontecer. Ino escondeu uma risada ao avaliar o amigo que andava de um lado para o outro, quase pulando em visível afobação.

Tinha que admitir que a fantasia estava realmente muito boa, os fios loiros haviam crescido e agora caíam pela nuca, espetados e revoltados para todos os lados, a capa vermelha ondulava a cada movimento e o martelo de brinquedo estava preso ao cinturão por uma tira de couro. O metal maleável do colete era bem decorado com imagens de raios e a calça legging deixava muito a imaginação.

- Ele não deixa de ter razão. - Correu os olhos de um para o outro e deixou um sorriso malicioso escapar.

- Mas e você, Ino, está fantasiada de que? Empregada?

- Oras, não me venha com gracinhas. - Bufou. - Não está vendo que claramente eu sou Ísis, a deusa da magia egípcia?

- Hum... era para ser claro? - Sorriu de lado ao receber um tapa bem merecido no braço. - Sakura, - virou-se para a garota que se aproximava. – pode, por favor, dizer a sua amiga que é perfeitamente comum não saber quem diabos seria Ísis?

- Eu te avisei, Ino. - Ela riu ao ver a cara de poucos amigos da outra.

- Eu ia vir de Frigga, mas alguém teve a audácia de escolher a fantasia primeiro.

- O que eu posso fazer se ela reflete perfeitamente meu eu interior? - Riu, mexendo nas tranças feitas nos cabelos róseos e no vestido trançado em tons do pôr-do-sol que usava. - Mas o que me surpreende foi você ter conseguido convencer o Shikamaru a entrar nessa.

- Ah, sim! - Os olhos azuis de Ino brilharam de empolgação. - Ele está em algum lugar por aqui usando só um saiote egípcio e um colar de ouro, sem falar na pintura azul da pele para ficar de acordo com Osíris. - Apontou para a multidão, como uma mãe orgulhosa enumerando as façanhas que havia arrancado dos filhos. - Aposto que está aproveitando para exibir aquele peitoral magrelo para a Temari em uma tentativa de conquistar ela de vez. - O comentário fez as duas garotas caírem na risada. Sasuke se afastou, levando um segundo copo na mão e o entregando a Naruto que agora desafiava Chouji – usando uma cauda de papelão e escamas que lembravam a pele de um crocodilo no mesmo tom verde - a ser capaz de levantar seu martelo de brinquedo, o que ele fez sem grandes esforços, deixando o loiro decepcionado.

- Isso não tem graça! - Fez bico para Sasuke, aceitando o copo que lhe era estendido.

- Compre um martelo mais pesado da próxima vez. - Sugeriu, segurando um sorriso de canto.

- Ah, vamos lá, Sasuke! Todo mundo sabe que somente o Thor pode levantar o martelo e que para ele parece uma pluma. Devia acontecer o mesmo comigo!

- Você vai conseguir, Naruto-kun! - Hinata que ouvira o loiro falar, disse baixinho, recebendo um enorme sorriso em troca. Puxou o rabo de cavalo alto e escondeu o rosto nos fios. Trazia nas costas um arco e uma aljava cujas flechas prateadas estavam entalhadas com o nome Ártemis e a marca de uma lua crescente, usava roupas boa e leves para caça, bem como botas de couro. Os olhos perolados brilharam como a lua. Antes que pudesse acrescentar algo, o som de um corpo caindo se fez ouvir logo atrás deles.

Vários convidados pararam de dançar para olhar o garoto de espessos cabelos negros em forma de cuia caído no chão. A pele estava completamente pintada em um tom escuro e, além das roupas vermelhas, trazia um gorro que se encontrava caído ao lado de sua cabeça.

- Você está bem, Lee? - Uma Temari irritada apareceu logo atrás, usando uma cauda de sereia com abertura para as pernas de forma que pudesse caminhar sem grandes dificuldades. Os cabelos loiros estavam soltos e lisos, colares de pérolas se enroscavam em seu pescoço e um top decorado com conchas deixava a barriga à mostra. - Eu avisei que amarrar uma das pernas não ia funcionar!

- E como você espera que eu entre no personagem? - Ele respondeu, franzindo as sobrancelhas grossas como se o que houvesse sido dito não fizesse sentido, desgrudou a cara do chão e se pôs de pé. Bom, quase completamente. Sua perna direita se encontrava amarrada para trás, presa com um laço a coxa. Ele saltava sem parar, tentando manter o equilíbrio, mas, nem por um segundo, parecia se incomodar ou apresentar cansaço. Pegou o gorro do chão e o colocou de volta na cabeça, sorrindo para os amigos como se nada tivesse acontecido. - Além disso, pular faz bem! Alimenta o nosso fogo da juventude! - A garota lançou as mãos para o céu, como se perguntasse o que havia feito para merecer isso.

- Ah, Gaara, você tinha que escolher o esquisito! - Suspirou, resignada. - Sempre dificultando minha vida...

- Boa noite, Temari, Lee. - Hinata cumprimentou, educada. - Onde está o Neji?

- O Neji não quis vir. - Disse Lee entre pulos. - Algo sobre não existir um deus que tivesse os cabelos compatíveis ou algo assim.

A música parou de tocar por tempo suficiente para Ino subir no palco e iniciar um discurso entusiasmado de boas-vindas. Todos os presentes se viraram para olhar quando, de repente, as luzes piscaram e se apagaram e o som que saía dos autofalantes se calou. Correram para as janelas que não estavam cobertas pela decoração e observaram os prédios da cidade, um por um, terem suas luzes apagadas e desaparecerem na escuridão. Os murmúrios inquietos se espalharam pelo salão e, sem aviso, um raio desceu dos céus e um trovão rimbombou com um estrondo. Gritos e pânico se espalharam pela multidão que começou a correr em direção às portas duplas a fim de fugirem dali o mais rápido que pudessem.

- Por favor, vamos nos acalmar! Não podemos entrar em pânico! - Ino tentava acalmar as pessoas falando o mais alto que podia, ainda em pé no palco. - Foi apenas um apagão, precisamos ficar todos juntos e esperar notícias de... - a voz morreu em sua garganta ao voltar os olhos para a janela como os demais.

Não podia acreditar no que estava vendo. Bem no meio da avenida, um enorme furacão se formava e avançava com violência em direção ao prédio que estavam. As bocas se abriram em choque e surpresa, e os soluços engasgados de "Vamos todos morrer!" tomaram o lugar do pânico ao verem os carros sendo arrancados das ruas como se fossem pequenas peças de um jogo e se perderem no interior daquele vendaval rodopiante.

Ino desceu do estrado e se juntou aos amigos para observarem o fim juntos. Mais um raio cortou o céu e, dessa vez, atingiu as janelas, explodindo-as em milhares de cacos. Todos se jogaram no chão enquanto uma forte luz azul tomava conta do ambiente, sufocando tudo e todos que ali se encontravam.

***

Sakura foi a primeira a acordar. Tocou o ponto dolorido na testa que havia batido quando caíra e afastou os cabelos do rosto para olhar em volta. Franziu as sobrancelhas contra a luz inesperada e piscou para acostumar-se a ela. Se encontrava em um lugar completamente branco. Nuvens pareciam flutuar a poucos centímetros do chão e uma leve neblina saia do lago localizado em um grande círculo a sua frente. Firmou os joelhos no chão, se é que o que estava pisando era mesmo o chão, e pôs-se de pé. A saliva ficou presa na garganta quando os pensamentos assimilaram o significado daquele lugar. Era isso. Aquele raio a havia matado. Por isso a brancura e as nuvens. Ela estava morta! Em pânico, percorreu com os olhos minuciosamente ao seu redor, suspirando de alívio ao ver uma cabeleira loira familiar. Correu até os amigos e quase caiu por cima deles.

- Naruto! Sasuke! - Sacudiu-os. - Por favor, não estejam mortos!

- Só mais cinco minutos, mãe... - Naruto resmungou, virando-se. Ao seu lado, Sasuke sentava-se lentamente. A armadura dourada parecia brilhar, como se agora fosse mesmo feita de ouro puro. Sakura sentiu as batidas do coração retornarem ao ritmo normal, agora mais certa de que não haviam morrido.

- Anda logo, Naruto! - Irritada, puxou a capa vermelha que ele usava de lençol e desferiu um soco em sua cabeça.

- Ai! - Ele gemeu de dor, despertando por completo em um instante. - Por quê me bateu?

- Por ser um idiota. - Resmungou.

- Quietos. - Sasuke ordenou em voz baixa, prestando muita atenção nos arredores. - Tem alguém se aproximando.

Os três aguardaram em silêncio, enquanto o som de passos ficava cada vez mais próximo.

- Eu tenho certeza que ouvi o Naruto choramingando por aqui. Sakura! Naruto? Estão aí? - A voz foi prontamente reconhecida e Sakura levantou-se para encontrá-la.

- Ino! Estamos aqui! - Os recém-chegados correram, vindos do lado direito do lago e as duas garotas se abraçaram. Logo atrás deles seguiam Hinata, Shino e Kiba.

- Ainda bem! Eu pensei que estivéssemos todos mortos! - Ino fungou.

- Caham! - Shikamaru pigarreou para chamar a atenção de todos. - Não estamos mortos, mas parece que fomos levados para algum tipo de lugar secreto. - Ele olhou em volta com interesse analítico. - Ninguém se lembra de como chegou aqui?

- Acabei de acordar e não vi mais ninguém além de vocês.

- Mais importante que isso. - Naruto interrompeu, olhando embasbacado para Shikamaru. - Por que diabos você está azul?

- O quê? Você deve estar ficando... - e levantou os braços para olhar, a voz morrendo aos poucos ao constatar que ele estava certo e a tinta que usara mais cedo agora parecia fazer parte permanente da pele. - ...louco.

Ino, Chouji e Kiba se juntaram a Naruto nas gargalhadas.

- Usando saia e pintado de azul, por favor não me deixem fazer ele esquecer disso! - Naruto apertou a barriga que doía por conta das risadas. Porém, antes que pudessem prosseguir com as piadas que Shikamaru certamente consideraria inúteis, o som de passos irrompeu da ponta oposta junto a uma respiração ofegante.

- Pessoal! Estão todos bem, que alívio. - Lee vinha pulando a frente, arrastando Gaara consigo. Eles se aproximaram e todos encararam, espantados e chocados, o moreno que saltitava.

- Lee, sua perna! Ela sumiu!

- Sério, Naruto? Acha que não percebemos? - Gaara passou a mão pelos cabelos ruivos e a depositou nos ombros de Lee, ajudando-o a se equilibrar.

- E os seus pés?! Eles estão para trás! - Gaara nada respondeu, apenas suspirou, cansado.

- Parece que todo aquele treino na festa vai ser bastante útil agora. - Lee sorriu, nenhum pouco abalado.

- Hum, onde está a Temari? - Shikamaru perguntou, olhando para o caminho pelo qual eles haviam vindo e não a encontrando.

- Aqui. - Uma voz soou a beira do lago e todos convergiram a tempo de ver uma forma humana emergir da água e se sentar na borda. A cauda de sereia da fantasia havia se juntado e cintilava com o brilho das escamas verdadeiras em tons verdes e azuis. - Aparentemente, não posso ficar muito tempo longe da água. Quase ia morrendo sufocada ao acordar.

- Um está azul, o outro sem perna, pés aparecem virados para trás e ela agora é uma sereia. - Sakura ergueu os dedos, enumerando. - Muito bem, o que está acontecendo aqui?

- Fico feliz que tenha perguntado, pois eu tenho a resposta. - Uma voz melódica e suave veio do lago e todos se afastaram um passo observando a criatura que andava sob as águas sem qualquer esforço. Temari mergulhou novamente e nadou para longe da borda ao vê-la se aproximar. Possuía uma pelagem vermelho-dourada, bigodes finos e dentes afiados. Tinha a forma de uma raposa e o tamanho de um chihuahua, porém, o mais impressionante, eram as nove caudas que se erguiam e balançavam suavemente as suas costas. Os olhos, negros e inteligentes, fitaram cada um dos presentes antes de pular para a margem e se sentar diante deles tranquilamente. - Bem-vindos, humanos, ao jardim do limbo.

- Impressão minha ou essa raposa falou? - Ino apontou, trêmula.

- Falou sim. - Gaara disse com calma, os olhos analisando a forma diminuta diante deles.

- Limbo? Então estamos mortos? - Sasuke questionou, dando um passo à frente.

- Quem sabe agora? - O ser indagou. - Mas em breve podem ter certeza que irão. O mundo mortal corre perigo e vocês são os únicos que podem salvá-lo.

- N.…nós? - Hinata perguntou, a voz trêmula.

- Sim. - A criatura ecoou em uma voz grave. - Vocês são a última esperança de todos os reinos.

- Então eles já estão perdidos. - Comentou Shino, girando os anéis de caveira que haviam surgido em seus dedos, os olhos bem escondidos por trás das lentes escuras.

- E quem é você? - Foi a vez de Shikamaru indagar.

- Eu sou a protetora do equilíbrio, aquela que traz ordem ao caos e luz a escuridão. Podem me chamar de Kyuubi no Kitsune*, ou se preferirem, Kurama.

- E o que quer dizer sobre sermos a única esperança de todos os reinos?

- Não pode estar falando sério, Naruto. - Sakura interrompeu. - Não pode acreditar simplesmente em qualquer raposa falante que surge do nada e joga uma bomba dessas!

- Mas ela está falando sério! - Defendeu-se. - Se não acredita em mim, pergunta para o Shikamaru.

Sakura voltou-se para o garoto de pele azul, esperando apoio. Mas, para sua decepção, ele assentiu para o loiro e inclinou a cabeça para trás, olhando para Kiba que trajava uma roupa típica de quem trabalhava nas forjas, além das diversas ferramentas que trazia no cinto, e era conhecido por "cheirar mentiras".

- Kiba?

- Ela está falando a verdade. - Ele coçou o nariz, quase como se desejasse o contrário.

- Viu só? - Naruto apontou antes de se voltar para a raposa que assistia a tudo, impassível. - Então que conversa é essa de última chance, Kurama?

- Um poderoso mago budista ficou obcecado pelo poder. Como ele não aceitava a mistura das religiões e dos vários deuses que conviviam juntos pelo globo, decidiu que criaria um novo mundo onde existisse apenas um único deus: o próprio Madara Uchiha.

Os olhos se voltaram para Saduke, incrédulos

- Esse não era o seu tio maluco que foi internado num hospício por ficar falando que os deuses existiam e estavam entre nós? - Naruto perguntou.

- Sim, o mesmo que fugiu de lá e nunca mais foi visto. - O jovem Uchiha completou, amargurado. - Mais alguma coisa?

- Bom, parece que ele não era tão maluco assim. - Ino pigarreou em um tom displicente.

- Interessante. - Disse a raposa, atraindo a atenção de todos. - Mas vocês não têm muito tempo para impedi-lo. Caso não consigam, vocês próprios e o resto do mundo perecerão no caos.

- O que temos que fazer, ó sábia raposa? - Lee parou de pular e se apoiou pesadamente em Gaara, que usava somente um saiote de folhas trançadas e braceletes de raízes, além das pinturas no rosto que destacavam o vermelho do cabelo.

- Precisam encontrar a minha estátua roubada e devolvê-la ao tempo no topo da montanha mais alta. Sem ela em seu devido lugar, eu e todos os deuses não temos força para lutar e muito menos nos materializar para impedir as catástrofes que estão assolando o mundo. O máximo que posso fazer, é me comunicar com vocês nessa forma. E o que resta do meu poder está se esgotando rapidamente. - Kurama ergueu-se nas quatro patas e os encarou com os olhos inteligentes. - Mas aviso logo que Madara não é tolo, ele quebrou a estátua e escondeu as partes distantes umas das outras. Precisarão se separar se quiserem encontrar e devolvê-las a tempo.

- Mas somos apenas mortais, o que poderíamos fazer? - Sakura perguntou, ainda incerta.

- Não se preocupem com isso. Antes de adormecerem, os deuses e outras entidades deixaram parte do seu poder reservado a mim para serem distribuídos àqueles que o merecessem. E aqui estão vocês, incorporados na forma física de deidades.

- Mas isso são apenas fantasias! - Temari gritou da água. - Não pode estar falando sério! Quer dizer que agora tenho mesmo esse rabo de peixe?

- Eu tomaria mais cuidado, mortal. - A raposa avisou. - A Iara é bastante sensível quando se trata da sua cauda. O mesmo vale para todos vocês. Respeitem os deuses e o poder lhes pertencerá.

- Mas como encontraremos as partes? E como saberemos onde encontrar o templo?

- Basta seguir as luzes. Elas o guiarão em sua jornada. Com o restante do meu poder, irei deixá-los o mais próximo possível do local em que os pedaços estão escondidos. Quando recolherem todos, saberão o que fazer em seguida. - Kurama ergueu a pata e a desceu em um movimento fluido. Luz brilhou sobre o chão e envolveu todos em um redemoinho de cores. - Ah, antes que eu esqueça, nesse mundo seus nomes humanos não existem. Terão que se tratar como os antigos deuses o faziam.

- O que isso quer dizer? - Kiba gritou.

- Boa sorte, meus amigos, o mundo conta com todos vocês.

A luz se intensificou e um portal se abriu sobre seus pés. Então, juntos, eles despencaram para o vazio.

***

O trio de deuses nórdicos caiu através do buraco que se abrira no céu. Os pássaros azuis-celestes planavam suavemente agitando suas longas caudas cintilantes em ondas suaves. Abaixo deles, a luz da manhã incidia sobre a floresta que parecia dançar, os galhos acompanhando o balançar das folhas e o sussurro do vento.

- Aaah! Alguém faz alguma coisa! - Em meio ao pânico de ver o chão se aproximar, Naruto puxou o martelo do cinturão, que agora reluzia com o brilho do metal e das runas nele gravadas, e o girou acima da cabeça. Raios estalaram no céu e o poder percorreu todo o seu corpo. Agarrou a gola da armadura de Sakuke que segurou Sakura pela cintura e os três pousaram suavemente no chão.

- Uou! Isso foi incrível! - O loiro vibrou, entusiasmado. - Será que eu posso atirar raios que nem nos jogos de videogame? - Estendeu o martelo a frente, com uma expressão de concentração, porém, nada aconteceu. - Hum, acho que deve estar com defeito.

- A sua cabeça quem deve estar com defeito. - Sakura resmungou, limpando a sujeira das vestes.

- Ou talvez isso tudo não passe de um daqueles jogos de realidade virtual! - Naruto como Thor, olhava em volta, maravilhado. - Quem sabe se eu tirar os óculos da cara, tudo acabe.

- Não acho que seja isso. - Sasuke, agora Loki, comentou vendo-o tentar tirar óculos inexistentes da face. Mal terminou de falar e um guincho agudo emergiu das árvores.

- O que foi isso? - Sakura, ou melhor, Frigga, olhou em volta, desconfiada.

Mal havia acabado de perguntar quando uns bandos de macacos com longas orelhas enroladas pularam das árvores e caíram direto na cara de Naruto.

- Ahh! Tira isso de mim! - Gritou, sentindo as unhas cortarem sua pele e o peso dos animais o derrubarem no chão. Aparentemente satisfeitos, eles pularam de volta para as árvores e voltaram a se balançar tranquilamente como se nada houvesse acontecido. Naruto-Thor se apoiou nos cotovelos e cuspiu um punhado de pelos, lançando um olhar mortal para os bichos.

- Eu avisei que não era só um jogo. - Sasuke-Loki disse ao escorar-se na árvore e acariciar as marcas nos pulsos, como se cordas bem apertadas houvessem sido amarradas neles.

- É você avisou. - O loiro concordou, mal-humorado, passando as mãos pelo rosto em uma tentativa de aplacar o ardor dos arranhados deixados pelas criaturas. - Mas quando te dou ouvidos mesmo?

- Parem com isso, vocês dois. Eu... - Sakura-Frigga se interrompeu, os olhos atraídos para um conjunto de luzes flutuantes que parecia formar um caminho floresta adentro. - Aquilo devia estar acontecendo? - Apontou, chamando a atenção dos outros dois.

Sasuke-Loki analisou as luzes que bruxuleavam, enquanto Naruto-Thor tentava tocar em uma delas que imediatamente se extinguiu, deixando a seguinte mais brilhante.

- Acho que é isso que a raposa quis dizer quando falou que as luzes nos guiariam.

- Então o que estamos esperando? Vamos segui-las! – Naruto-Thor avançou na frente, a capa ondulando as suas costas, seguindo o caminho iluminado e não dando oportunidade para uma nova discursão.

Os três se embrenharam na floresta, pulando sobre raízes que ameaçavam agarrá-los e afugentando os animais estranhos que surgiam para espiá-los. O caminho terminou junto a uma cachoeira que, 60 metros acima, vertia água em uma coloração vermelha.

- Isso não pode estar certo. - Sasuke-Loki murmurou, se abaixando e jogando uma pedra na água.

- Talvez eu possa explodir tudo. - Naruto-Thor sorriu já puxando o martelo.

- Você só quer uma desculpa para testar os raios que eu sei. - O moreno revirou os olhos.

- Temos que atravessar a cachoeira. - Sakura-Frigga caminhou entre eles, em transe. - Há uma passagem no topo. - Ela piscou e seus olhos entraram novamente em foco. - Eu não sei explicar, apenas tive uma visão nossa entrando lá e achando uma caverna.

- Faz sentido. - Sasuke-Loki ponderou. - Frigga tem o poder da profecia, então o pedaço da estátua deve estar escondido lá.

- Como vamos chegar lá em cima? - Naruto-Thor coçou a cabeça. - Eu poderia carregar vocês de novo.

- Não será necessário. - O moreno sorriu, como se estivesse prestes a revelar uma carta escondida na manga. - Loki pode dar um jeito nisso. - E, dizendo essas palavras, fechou os olhos e se concentrou. Os amigos assistiram boquiabertos seu corpo mudar e se tornar mais fino e comprido, uma coloração roxa se espalhando e enormes asas saindo das costas. Ele havia se transformado em uma cobra alada.

- Nada mau. - Naruto-Thor admitiu. - Mas eu poderia ter carregado todos sem essa exibição toda. - A cobra girou os olhos para o céu, demonstrando que ainda podia entender o que falavam, e abaixou o torso para que eles pudessem subir.

As enormes asas se abriram e ele alçou voo, sendo necessárias não mais do que três batidas dos poderosos membros para que chegassem ao topo. Do alto avistou uma trilha que seguia para o interior da cachoeira e flutuou ao seu lado, deixando os amigos descerem antes de se transformar de volta e se juntar a eles. Entraram na caverna e Sakura-Frigga estendeu a mão acendendo uma chama que iluminou o interior. Pinturas de lobos enfeitavam as paredes junto as runas que pareciam se destacar ao serem iluminadas pelo fogo. Gotas de água pendiam das estalactites e caiam nas poças logo abaixo com um barulho continuo. No centro da caverna, em um altar iluminado pela luz que entrava de fora por uma rachadura no topo, avistaram três peças que pareciam ter a forma das caudas de Kurama. Atrás do altar, uma pintura de um enorme esquilo vermelho parecia os encarar com raiva.

- Está fácil demais. - Sasuke-Loki olhou em volta, desconfiado.

- Quem se importa? Os pedaços estão logo ali, só precisamos pegá-los, não é? - Naruto-Thor avançou.

- Espera! - Sakura-Frigga gritou. - Pode ter alguma... - mas ele não lhe deu ouvidos e estendeu as mãos, tocando uma das caudas. - ...armadilha.

O ar ao redor pareceu explodir e todos foram jogados para trás. As runas nas paredes brilharam, iluminando o espaço e deixando bem visível para os três os lobos que se descolavam das pinturas e se materializavam, agora em carne e ossos. Eles rosnaram, exibindo os dentes afiados, as caudas se remexendo com vontade enquanto o pelo azul se arrepiava, prontos para o ataque.

- Naruto, seu idiota! É claro que um lugar como esse viria com o nome ARMADILHA estampado na entrada. - Sakura-Frigga acendeu ambas as mãos, aguardando o ataque.

- Eu não tenho culpa se não tinha nada escrito na entrada! - O loiro se defendeu, puxando o martelo do cinto e tentando convocar raios como na primeira vez.

- Vamos apenas cuidar desses lobos e para podermos pegar as partes da estátua logo. - Sasuke-Loki suspirou, dando um passo à frente e estendendo a mão no ar de onde puxou um cajado como em um passe de mágica.

Porém, antes que pudessem atacar, um rangido de cortar os ouvidos soou dentro da caverna. Os três taparam as orelhas como se o som os machucassem e caíram de joelhos. Naruto-Thor se recuperou mais rápido e arregalou os olhos para a figura gigante que se erguia por trás do altar. Os pelos avermelhados e selvagens, a cauda enrolada e os dentes da frente salientes e afiados, agora se erguiam em todos os seus dois metros de altura.

- Esquilo*! - Foi o que teve tempo de gritar antes de ser acertado com força no peito pelas garras da criatura e lançado caverna afora.

- Na.... - Sasuke engasgou e sentiu a garganta queimar. - Droga, malditas regras. Thor! - Gritou para o buraco pelo qual os dois haviam desaparecido.

- Não temos tempo para se preocupar com ele agora. - Sakura-Frigga se pôs de pé. - Eles não parecem nada contentes de terem sido deixados para trás.

Os lobos rosnavam e retesavam as patas, tomando o impulso necessário para pular. Sasuke-Loki girou o cajado, acertando o primeiro na cabeça e o jogando contra a parede com força suficiente para esta rachar. A criatura caiu e não mais se moveu, dissipando-se em fios brancos de energia que sumiram pela abertura no topo.

Sakura-Frigga lançou as chamas em forma de uma barreira, tentando mantê-los próximos, enquanto Sasuke-Loki saltava sobre o muro e tratava de acertá-los com golpes poderosos. Juntos, os dois acabaram com os nove lobos restantes que se dissiparam na mesma energia branca que o primeiro. Correram para o altar e coletaram as três partes da cauda de Kurama no exato momento que a montanha tremeu. As estalactites do teto se soltaram e rachaduras surgiram nas paredes. O moreno voltou a se transformar na cobra alada e agarrou Sakura-Frigga pelos ombros, desviando das pedras que caiam e fugindo pela abertura acima do altar.

Do lado de fora puderam ver o céu coberto de nuvens negras cujos relâmpagos liberados pareciam convergir em um único ponto iluminado que flutuava no ar. Fagulhas elétricas voavam, arremessadas do martelo que Naruto-Thor brandia, em direção ao esquilo vermelho que saltava entre as pedras com agilidade. O loiro explodiu o ponto de apoio para o qual o animal seguia, derrubando-o na água. Mais raios partiram do martelo, dessa vez mirando em uma superfície bem maior, eletrocutando o esquilo. Naruto-Thor girou a arma sobre a cabeça e a lançou, acabando de vez com o animal que se desfez em uma coluna de fumaça. As nuvens se dispersaram e ele desceu, encontrando os outros dois o esperando bem longe da margem.

- Não foi tão difícil assim. - Abriu um sorriso imenso. - Viram só aqueles raios? Eu disse que conseguiria! - Ergueu o braço em direção a água e o martelo voou de volta para sua mão.

- É, mas quase soterrou a gente nessa sua brincadeira de para-raios. - Ela retrucou, puxando o tecido do vestido e improvisando uma bolsa para guardar as peças que haviam pego. - E agora, para onde vamos?

O silêncio pós-batalha foi preenchido por vários grasnares vindos das árvores. Inúmeros corvos se encontravam empoleirados nos galhos, os olhos vermelhos fixos nos três como se tentassem passar uma mensagem.

- Sas... Ai! Quero dizer, Loki. Você se transforma em animais, o que eles estão dizendo?

- Não seja idiota, só porque eu me transformo e não significa que falo a língua deles!

O bandou saltou dos galhos e tomou os céus, voando em direção a montanha que se erguia tão alta quanto as nuvens.

- Acho que estão nos dizendo que o caminho é aquele. - Sakura-Frigga se meteu entre os dois. - Vamos, precisamos nos apressar. Aquela raposa nos disse que não tínhamos muito tempo.

Sasuke-Loki suspirou e, ignorando as provocações do loiro, transformou-se mais uma vez na cobra alada, lançando-se nos céus e deixando ser guiado pelos corvos.

***

Cair de um portal no céu já havia sido bem ruim, agora Ino-Ísis tinha que lidar também com a areia seca e quente que insistia em entrar em seus olhos e grudar entre os dedos do pé, protegidos apenas por um par de sandálias rasteiras. Olhou em volta não vendo nada além de areia e mais areia na imensidão que era aquele deserto. O sol da tarde incidia sem piedade na pele e o vento deixava sua garganta seca, ansiando por um copo de água gelada.

- Onde estamos?

- Pensei que até você notaria que estamos em um deserto. - Shikamaru, vulgo Osíris, respondeu sem muita pretensão. O calor também o afetava e ele quase podia ouvir o som de seus neurônios fritando em sua cabeça.

- Gente, será que podem me dar uma ajudinha aqui! - Chouji, ou melhor, Sobek balançava sua longa cauda de crocodilo, desesperado. As escamas em suas costas tinham uma aparência rachada e se soltavam pouco a pouco.

- Precisamos de água e rápido. - Shikamaru-Osíris olhou para a amiga, esperando.

- Eu não sei o que fazer!

- Bom, então é bom descobrir. Osíris é o deus dos mortos, não acho que invocar água faça parte dos poderes dele. Mas quem sabe se uma certa deusa da magia pudesse tentar...

- Tudo bem! Tudo bem! Já entendi! - Ela fechou os olhos e tentou se concentrar, afastando da mente tudo que a perturbava no momento. Como se já estivesse à sua espera, uma palavra surgiu em sua mente. - Maw*. - Disse em voz alta. Hieróglifos dourados brilharam a sua frente e, do céu, uma torrente de água caiu vinda do nada. O liquido acertou em cheio Chouji-Sobek que teve o corpo lubrificado e reabastecido. As escamas se juntaram e o poder inundou seus membros novamente.

- Bem melhor... - suspirou, aliviado. Sentou-se e avaliou a bolsa que trazia, fazendo um muxoxo ao ver as batatinhas alagadas. - Para onde vamos agora?

Shikamaru-Osíris franziu as sobrancelhas, levando a mão aos olhos para bloquear o sol e tentar enxergar mais longe.

- Acho que estou vendo uma pirâmide, mas parece distante demais para alcançarmos a pé. - Ele voltou-se para a amiga. - Acha que pode nos teleportar até lá? - Ela fechou os olhos, concentrando-se mais uma vez, porém agora, nada acontecia.

- Acho que teletransporte não se encaixa com magia. Por que você não tenta?

- Se ao menos existisse água por perto, eu poderia levar a gente até lá rapidinho... - Chouji-Sobek lamentou.

- E onde acharíamos água no deserto? - Ino-Ísis revirou os olhos.

- Talvez eu possa dar um jeito. - Shikamaru-Osíris disse, mergulhando as mãos na areia e buscando com os sentidos o que havia mais ao fundo. A terra tremeu e dela levantaram-se quatro corpos mumificados carregando uma liteira coberta de aparência antiga e gasta.

- Eca! - Ino-Ísis franziu o nariz, balançando os cabelos loiros trançados para longe do rosto. - Quem chamou a cavalaria zumbi?

- Prefere ir a pé? - O garoto de pele azul indagou, voltando-se para as múmias e ordenando em uma voz firme. - Levem-nos até a pirâmide. - As criaturas recém-surgidas apenas grudaram seus orbes vazios nele, antes de se abaixarem, permitindo que os três subissem na liteira. As escamas e todo o peso da cauda extra não pareciam incomodar os carregadores que apenas os ergueram como se não levassem nada além de plumas e começaram a correr a uma velocidade surpreendente para seres mortos em direção a pirâmide. A cobertura oferecia algum consolo diante o sol forte, porém os assentos não conseguiam se manter secos devido ao líquido que escorria das costas de Chouji-Sobek.

- Mas o que é isso? - A garota afastou os pés do liquido que mais parecia uma gosma.

- Dizem que o suor de Sobek deu origem a todos os rios. - Shikamaru-Osíris não deu muita atenção ao fato, concentrado em observar a pirâmide se aproximar cada vez mais.

- E isso não é de forma alguma nojento.

- Veja pelo lado bom, de sede ninguém vai morrer.

- Ah não, muito obrigada, mas prefiro passar sede a beber o seu suor. Eca!

- Silêncio, Ísis. Estamos chegando. Precisamos ter mais respeito nas tumbas dos grandes faraós.

- Por que me chama de Ísis e não de I... - Observou-a se engasgar com o próprio nome, antes de explicar tranquilamente.

- A raposa de nove caudas nos disse que nossos nomes mortais não existiam aqui. - A corrida dos carregadores diminuiu e a liteira parou a sombra lançada pelo monumento, sendo abaixada de forma que eles pudessem descer. - Somos representações de divindades e, portanto, temos que nos tratar como tal.

Os três saltaram do transporte e as múmias voltaram-se para aquele que as convocara em uma última reverência, antes de desaparecerem.

- Achei que as pirâmides fossem maiores. - Ino-Ísis comentou, decepcionada.

- Isso foi há 5.000 anos atrás... Depois de ver os arranha-céus atuais, qualquer outra construção antiga vai parecer pequena.

- Gente, tem uma porta aqui. - Os três se juntaram na entrada ladeada por duas grandes colunas cobertas de pinturas e hieróglifos. Os olhos se voltaram para a loira que estendeu a mão, dizendo a palavra que vinha a sua mente.

- W'peh*. - A porta tremeu e se abriu para a escuridão no interior. - Primeiro vocês.

O trio de deuses atravessou a soleira e, imediatamente, tochas se acenderam nas laterais formando um caminho para o centro da sala onde o trono do faraó se erguia. Eles avançaram, hesitantes, atentos a qualquer sinal de movimento. Estátuas de argila carregando longas lanças ladeavam as paredes alternadas com sarcófagos cujos olhos pareciam seguir cada mínimo movimento.

- Muito cuidado agora. - Shikamaru-Osíris falou em voz baixa. - Os antigos egípcios eram famosos por maldições e armadilhas colocadas nas tumbas.

- Isso não está certo. Devia haver água aqui. Eu posso sentir.

- Estamos em uma pirâmide no meio do deserto, como diabos haveria água aqui? - Ino-Ísis bateu o pé contra o chão e o impacto pareceu se propagar por toda a estrutura. Poeira caiu do teto enquanto as paredes tremiam.

- Corram! - Gritou Shikamaru-Osíris se encaminhando para o trono sobre o qual parecia haver três peças que lembravam as caudas da Kurama.

Porém, antes que pudessem chegar até o destino desejado, as estátuas tremeram e ergueram suas armas apontando as lanças ameaçadoramente. Os sarcófagos se abriram e as múmias se ergueram, deixando vazar o cheiro de morte e putrefação para o ambiente.

- Essas eram as armadilhas que você tinha comentado? - Chouji-Sobek olhou para trás, tentando evitar escorregar no próprio líquido que produzia enquanto puxava o bastão que trazia nas costas.

- É, e agora elas foram ativadas! - Ele parou de correr e se firmou, protegendo os outros dois que corriam. - Vão logo, peguem as peças enquanto eu os mantenho ocupados.

Estendeu as mãos, lançando sombras que se espalharam sobre seus pés até alcançarem as múmias saídas do sarcófago. Elas paralisaram em meio ao movimento e ele ordenou em voz alta: - Vocês obedecerão a mim! Eu sou Osíris, deus dos mortos e da vida, escutem meus comandos!

Faixas surgiram das sombras e se enrolaram nelas, prendendo-as, de modo que logo pararam de resistir e passaram a atacar as estátuas que ainda avançavam com as armas em punho. Um grito de comando soou do local em que o trono se encontrava:

- Ha-di*! - E um hieróglifo dourado brilhou sobre o chão logo antes dele se desfazer em pedaços, arrastando todos os presentes para o fundo.

Shikamaru-Osíris fechou os olhos, preparando-se para o impacto, e, quando este não veio, reparou nas asas multicoloridas que de abriam as costas de Ino-Ísis. Os fios de luz pareciam lhe agarrar, diminuindo a velocidade da queda.

- Ísis, onde está Sobek? - Gritou, não vendo o amigo em parte alguma. Ela apontou para baixo e ele pôde ver um rio subterrâneo que corria tranquilamente em direção ao norte, saindo da construção e alimentando o deserto. As pesadas estátuas afundavam na água, e, ao tentarem sair eram puxadas novamente por enormes crocodilos albinos que destroçavam tudo que seus dentes alcançavam. Em meio a luta, Chouji-Sobek balançava seu bastão, destruindo aquelas que conseguiam fugir do ataque feroz dos bichos. O ar tinha um tom mais fresco e dois pousaram em uma das margens a tempo de ver o amigo partir uma última cabeça ao meio.

- Foi uma explosão e tanto aquela. - Shikamaru-Osíris comentou, chutando um dos fragmentos que sobrara das estátuas para longe.

- Ora, obrigada. - Ela piscou, satisfeita. - Consegui pegar as peças. - E estendeu as mãos, apresentando as três caudas que resgatara do trono. - Para onde vamos agora?

- Os crocodilos estão dizendo que devemos seguir o rio até a nascente. - Você consegue falar com eles?

- Deve ser coisa do deus. - Chouji-Sobek deu de ombros. - Então, vamos? Eles disseram que podem nos dar uma carona.

- Claro. Sempre quis descer um rio montada nas costas de um crocodilo. - Ino-ísis comentou, sarcástica. Mas seguiu os amigos mesmo assim.

***

Em um dia qualquer Temari, agora como Iara, odiaria ser jogada dentro d'água de supetão. Sorte que, no dia de hoje, a água não lhe machucava, pelo contrário, parecia lhe dar ainda mais força.

- Duas vezes no mesmo dia. - resmungou. - Me lembre de avisar aquela maldita raposa que não gosto de ser jogada de 200 metros de altura numa poça minúscula como essa.

Olhou para os céus onde um mini redemoinho de vento descia lentamente em direção a terra em cujo centro estavam o irmão e o ser vermelho de uma perna só que parecia rodar no mesmo lugar. Eles aterrissaram e o vento se desfez de uma vez, fazendo várias folhas se desgrudarem dos seus galhos e ganharem os céus.

- Essa coisa de saci vai ser moleza. - Lee-Saci sorriu, erguendo o polegar para demonstrar que tinha tudo sob controle. - Olha só, veio até com um cachimbo! - Puxou o objeto do bolso e o levou aos lábios, fazendo uma careta e tossindo engasgado em seguida.

- Ou talvez seja melhor não. - Gaara-Curupira comentou, olhando em volta e tentando assimilar o lugar que estavam. As árvores eram altas e as folhas grandes filtravam os últimos raios de sol. O ar úmido grudava na pele e os insetos pareciam não ter fim. - Precisamos nos mover e encontrar logo essas partes para voltarmos ao normal.

- Eu adoraria que isso acontecesse logo. Não acredito que de todos os lugares tinha que cair em uma poça minúscula e cheia de lodo como essa.

- Não é bem uma poça, está mais para um pântano. - Lee-Saci constatou, tendo o cuidado de desviar do olhar perfurador que Temari-Iara lhe lançava.

- Precisamos seguir o curso do rio. - Gaara-Curupira assumiu a liderança, sentia um formigamento estranho na nuca, quase como um sexto sentido lhe dizendo o caminho correto a se tomar. - Mas temos que ter cuidado, já é quase noite e não sabemos o que pode estar escondido na mata.

Os outros dois assentiram e seguiram com cuidado pelo leito, os olhos atentos as folhas que se mexiam esporadicamente a sua volta. Três pegadas marcavam o caminho que seguiam, duas delas parecendo indicar a direção oposta à que caminhavam e a outra aparecia em ritmos irregulares. Temari-Iara os seguiu pela água e suspirou aliviada quando passaram daquele pântano para uma fonte mais limpa e azul que desaguava em uma bela clareira. A lua despontava no céu e iluminava o centro do lago como se algo atraísse sua luz. Uivos nada amigáveis vinham da mata ao seu redor, juntando-se aos poucos ao som de cascos batendo contra o chão.

- Eu acho que tem algo no fundo do lago. - A garota falou ainda observando a forma com que os raios do luar se dirigiam ao local. - Vou olhar no fundo.

- Não demore muito, as coisas vão de complicar aqui em cima em breve. - Gaara-Curupira assentiu para a irmã e puxou a lança de ponta afiada que trazia nas costas amarrada com um cipó. As folhas se moveram e um brilho de fogo foi avistado. Um enorme cavalo com chamas saindo onde deviam estar a cabeça sacudiu o pescoço fazendo o fogo crepitar com mais violência, em uma clara ameaça. Outras mulas-sem-cabeça surgiram ao redor da primeira e, da margem oposta, enormes lobos exibindo garras e dentes afiados se ergueram em toda a sua altura. - Vamos segurar o máximo que pudermos. Vá!

Temari-Iara mergulhou e moveu a cauda com energia, desviando das folhas e algas submarinas que tentavam lhe agarrar. Chegou ao fundo do lago e em um pedestal enfeitado por flores de vitórias-régias, viu as três partes da cauda que estavam procurando. Estendeu a mão para pegá-las quando algo se enroscou em seu corpo, puxando-o para baixo e apertando sua garganta em uma tentativa de sufocá-la. Sem saída, buscou com as mãos no fundo do lago e seus dedos se fecharam ao redor de uma pedra pontiaguda.

Dois olhos feitos de fogo surgiram a sua frente e ela usou a pedra para acertá-los com toda a força que conseguiu reunir. O aperto ao seu redor se afrouxou e ela se impulsionou de volta para o altar, livrando-se do ser reptiliano. Agarrou os pedaços da estátua e nadou rumo a superfície, sendo recebida por um forte vendaval que procurava apagar as chamas das mulas sem muito sucesso. Os lobisomens rodeavam seu irmão que girava a lança tentando se defender dos ataques.

- Tapem os ouvidos! - Gritou, tomando fôlego e deixando a voz sair em uma canção. Os lobisomens pararam de atacar e se dirigiram ao lago, mergulhando na água e afundando, um por um, sem fazer esforço algum para subirem de volta a superfície. As mulas-sem-cabeça agitaram os cascos, nenhum pouco afetadas pela música e se prepararam para avançar.

Nesse momento, Temari-Iara cantou com todas as suas forças, rezando para que algo acontecesse e um portal de luz colorida brilhou na água.

- Todos para dentro! Agora! - Gritou, interrompendo a música e se lançando junto aos outros dois no círculo de energia pela segunda vez no dia.

***

No topo da montanha, local do santuário da Kyuubi no Kitsune, o cachorro autômato de Kiba-Hefesto atacava os pássaros sem dó enquanto ele lançava ondas de fogo com as mãos nuas, trazendo à tona o cheiro de carne queimada. Shino-Hades, apenas olhava para as criaturas que tentavam se aproximar, emitindo ondas de terror tão fortes do capuz que estas se afastavam amedrontadas e aos guinchos. Hinata-Ártemis dava cobertura aos amigos com suas flechas prateadas, acertando aquelas que conseguiam desviar das ondas de fogo e de escuridão, e, claro, dos dentes afiados do cachorro.

O homem responsável por tudo, Madara Uchiha, apenas ria dos esforços feitos por eles enquanto mais e mais criaturas se materializavam da escuridão que tomava o corpo da estátua localizada no centro da caverna, em meio as águas purificadoras que jorravam de sua boca. Outro terremoto percorreu o lugar e mais rochas caíram acertando o autômato que teve uma das patas amassadas.

- Akamaru! - Kiba-Hefesto gritou, desviando a atenção por um minuto do que fazia.

- Isso não é hora para dar nome a uma máquina. - Shino-Hades correu para onde ele estava e mergulhou as mãos no solo, fazendo vários guerreiros esqueletos subirem e formarem um anel protetor ao seu redor.

- Desistam pequenos humanos, não podem me deter. A escuridão ganhará lugar nesse mundo e acabará de vez com essa miscigenação profana de deuses. - Ele abriu as mãos e telas se formaram no ar mostrando imagens de cidades sendo cobertas pelo mar, prédio e torres desabando, o caos e o pânico espalhado no rosto das pessoas que tentavam de tudo para fugirem dos desastres. - Em breve não restará mais nada.

- Ah, é? E quem foi que disse? - Uma voz alta invadiu o aposento e logo Sakura-Frigga e Naruto-Thor apareceram, ainda montados em Sasuke-Loki em sua forma de cobra alada. Eles saltaram para o chão e ajudaram a combater os pássaros negros que atacavam.

- Desculpem o atraso, gente! - A voz de Ino-Ísis partiu da entrada da caverna, trazendo Shikamaru-Osíris e Chouji-Sobek consigo. - Tivemos uns problemas sobre crocodilos não saberem escalar. - E acrescentou diante o olhar que a rosada lhe lançava. - Nem me pergunte.

- Precisamos afastar ele da estátua para conseguirmos encaixar as peças de volta. - Sasuke-Loki, agora em forma humana, disse para os demais.

- Ora, ora, se não é o meu pequeno sobrinho. - Madara sorriu, um brilho alucinado tomando-lhe os olhos. - O que faz lutando do lado desses restos de deuses que mal tem poderes próprio para se manterem?

- Lamento, tio. – Ele afastou a falsa preocupação com um gesto. - Mas não gostaria de ver o mundo destruído hoje.

- E o que pensam que podem fazer para me derrotar? - A risada escapou pelos lábios e ele não notou o portal colorido que se abria sobre sua cabeça.

- Podemos começar acertando um bom chute! - Lee-Saci desceu de uma vez, a única perna estendida, acertando o malfeitor no peito e o lançando contra a parede.

- Agora, coloquem as peças de volta na estátua! - Shikamaru-Osíris comandou e as garotas avançaram. - O restante dê cobertura e não deixem nada se aproximar.

- Não! - O grito de Madara pareceu ecoar por toda a montanha invocando cobras-aladas que cuspiam fogo para se juntarem aos pássaros negros, bem como enormes chacais que rosnavam de forma nada amigável.

Sakura-Frigga e Ino-Ísis correram para a água que envolvia a estátua e ajudaram Temari-Iara a encaixar as caudas em seus devidos lugares.

Um trovão rimbombou do lado de fora e Naruto-Thor girou o martelo, acertando várias criaturas com seus raios. Virou-se para Madara e Sasuke-Loki se juntou a ele para ajudar. Agora os três lutavam em uma mistura de luzes, escuridão e magia.

- Thor! - Sakura-Frigga gritou, lançando no ar uma casca de noz que encantara no caminho até ali, conforme vira em suas visões. - Loki! Usem isso!

Madara bateu o pé contra o chão e uma onda de energia derrubou todos os presentes. Hinata-Ártemis pulou no exato instante e agarrou a noz no ar, prendendo-a em uma de suas flechas e atirando-a com precisão no peito do vilão. A pequena fruta pareceu emitir uma luz antes de se abrir com um barulho alto de sucção que puxou todo o corpo do Uchiha para o seu interior, deixando para trás nada mais que um grito estrangulado.

Ino-Ísis encaixou a última cauda no lugar e todo o ar pareceu congelar. As pedras pararam de cair e o tremores cessaram. Nas imagens que ainda permaneciam projetadass no espaço, puderam ver que o mar recuava e os prédios voltavam as suas formas originais. Luz dourada percorreu a estátua, clara demais para eles a fitassem diretamente e toda a escuridão e as criaturas que os atacavam desapareceram.

- Muito bem, jovens humanos. - A pedra dura e lisa se tornou tecido, cobrindo-se de pelos vermelhos-dourados. - Fizeram um excelente trabalho defendendo o mundo e retomando minha forma original. - Kurama entoou, agitando as longas caudas. - Os deuses agradecem e eu também.

- O que vai acontecer com ele? - Naruto-Thor perguntou, apanhando a noz e agitando-a, ouvindo gritos de protesto pela ação.

- Peço que não se preocupem. Eu mesma prepararei um retiro onde ele ficará para refletir sobre suas ações. - Os olhos negros se fixaram em Sasuke-Loki, sondando. - Isso se estiverem de acordo.

- Tudo bem. - Assentiu, vendo a veracidade das palavras refletidas em seus olhos. - Parece melhor do que um hospital psiquiátrico mesmo.

- Então, meus amigos, é aqui que nos despedimos. - A raposa inclinou a cabeça, em agradecimento. - Fiquem orgulhosos de seus feitos pois foram vós que salvaram a todos. - A luz que a envolvia pareceu expandir e os cercou, tornando os arredores indistintos e levando-os para cada vez mais longe.

***

A primeira coisa que ouviram foi o som da música pulsando nos autofalantes, junto as vozes e risos dos demais convidados. Eles olharam em volta, supressos e confusos, constatando que não haviam sinais de nenhuma das catástrofes que haviam visto antes de serem levados pelos raios.

- Os deuses podem ser bem eficientes. - Naruro assobiou, abrindo um sorriso satisfeito. Os demais exalaram, aliviados, por tudo aquilo ter finalmente acabado.

- Só digo uma coisa, Ino. - Disse Sakura de forma séria. - Na próxima festa que der, nunca mais eu bebo desse seu ponche de cor esquisita.

Os amigos caíram na risada e voltaram a pista de dança, agora com a certeza que o mundo estava salvo.

*Glossário

*Kyuubi no Kitsune – Descritas como seres inteligentes, são possuidores de habilidades mágicas que aumentam com a sua idade e sabedoria. A cada 100 anos, recebem uma nova cauda, sua coloração muda para prateada ou dourada tornando-se mais poderosas. Quando atingem nove caudas são referidas como Kyuubi no Kitsune. Passam a possuir sabedoria infinita e a capacidade de ouvir qualquer coisa, incluindo, dependendo do tipo de Kitsune, os pensamentos de humanos em qualquer canto do mundo, atingindo a onisciência e quase a onipotência.

*Esquilo- o esquilo aqui mencionado é Ratatosk, aquele que corre acima e abaixo na árvore do mundo, Yggdrasil.

*Maw- água

*W'peh- abrir

*Ha-di- quebrar

19 de Agosto de 2018 a las 03:29 9 Reporte Insertar 14
Fin

Conoce al autor

Nathy Maki Leitora voraz desde que tenho idade para segurar um livro em mãos. Sagitariana e um poço de emoção e muuita indecisão. Amo um clichê bem escrito e um suspense que te prende, mas fantasias e ligações são especialidade. Sou fã daqueles finais inusitados. Até mesmo os tristes! Lema: Colecionar sonhos, ideias e magia e depois transformá-los em palavras é o que torna bela a vida.

Comenta algo

Publica!
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá! Seria o Sasuke de Loki a minha religião? Acho que com certeza, sim! E o Naruto achando que o martelo de mentira dele ia funcionar igual ao do Thor? -apesar que depois funcionou mesmo - eu ri muito com essa fic kkkkkkk. Enfim, vou comentar por partes. Você usou deuses de várias mitologias e inclusive do próprio folclore brasileiro e colocou os integrantes dos times como deuses da mesma mitologia, deixando o sete com nórdica, dez com egípcia e oito com a grega e os restantes com o folclore brasileiro e isso foi genial, parabéns, merece o tocantins inteiro! A jornada de cada um para recuperar as caudas de estatua foi emocionante´, e você colocou cada time em um cenário bem característico (amo piramides). Eu esperava mais da luta com o Madara, ela foi bem breve e no fim tudo deu certo (graças a Deus). Eu fiquei pensando em como uma fic que começa em uma festa de halloween e termina em uma aventura com seus amigos, em que você ganha poderes de deuses mitológicos e salva o mundo (?) é uma brisa muito louca, talvez a Sakura tenha razão sobre o ponche. Parabéns pela criatividade, mais uma vez. Não há muitos erros de ortografia, a leitura flui muito bem. Foi uma historia gostosa de ler, e a ambientação não deixou a desejar.Você soube encaixar os personagens muito bem no subgênero. Parabéns por cumprir o desafio e obrigada por compartilhar a sua história com a gente. Até a próxima <3
4 de Octubre de 2018 a las 14:29
Ellie Blue Ellie Blue
AI MEUS DEUSES, COMEU AMEI ESSE NEGÓCIO! Começando pela escrita, a descrição das cenas e dos cenários em que todas as personagens apareceram, cara, estava impecável. O tom aventureiro e bem-humorado da história, mesmo que tudo parecesse ser meio tenso, fez com que eu ficasse com um sorrisão na cara durante toda a história. Só quero dizer que Sasuke-Loki é a minha nova religião, com licença. Bom, é isso, eu realmente adorei, até mais!
26 de Agosto de 2018 a las 19:02
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
Oie! Gostei demais da sua história. Acho que devo começar pelo cenário e descrições em geral, que, na minha opinião, ficaram muito bons e na medida certa, consegui enxergar tudo através dos olhos dos personagens. Outra coisa que me chamou bastante a atenção foi o uso do Curupira, do Saci e da Iara, sempre falo que temos referencias maravilhosas de lendas, lugares, enfim, tudo o que envolve cultura, para usar e mesmo assim quase não vejo isso sendo explorado pelos escritores e foi utilizado por você de forma linda. Também gostei de ver o Sobek e o Hefesto, que são divindades poderosas, mas pouco conhecidas. Com relação ao todo, devo acrescentar a relação da história com a categoria "aventura" deixou o enredo mais leve, o que também foi ainda melhor aproveitado com as pitadas bem-colocadas de humor. Gostei muito as história, autora!
26 de Agosto de 2018 a las 18:17
Wolfinha -- Wolfinha --
Gente, depois dessa história desanimei pra escrever a minha kkkk Vai ser difícil ganhar de tu, mulher! Nunca dei tanta gargalhada como dei nessa fic Naru ficou muito fofo e engraçado de Thor, assim como os outros AMEEEEEEEEIIIIIIII <3
23 de Agosto de 2018 a las 17:18
nic furuya nic furuya
Eu, mais uma vez, acabei lendo algo de um fandom que não faço parte e simplesmente ADOREI ler isso, está tão bom e tão detalhado, conseguiu me prender do começo ao fim <3 parabéns
23 de Agosto de 2018 a las 09:56
CC C Clark Carbonera
Nossa, pelo visto direi isso mais vezes nesse desafio Norte e Sul: narrativa excelente! As partes cômicas foram ótimas e a mistura de mitologia também! Meus parabéns ;D
20 de Agosto de 2018 a las 09:24
Tali Uchiha Tali Uchiha
C-A-R-A-L-H-O A história é detalhista de uma forma orgasmática. Eu vou salvar pra ler novamente porque, por estar um pouco tarde, minha cabeça não deve ter processado direito todas as informações. Eu amei, foi simplesmente incrivel, cheia de personalidade e originalidade. Parabéns, de verdade, tu é foda xuxu <3
19 de Agosto de 2018 a las 20:30
Kaline Bogard Kaline Bogard
Caraca! Que história rica! Fiquei com um pouco de medo de não acompanhar, pelo número de personagens. Mas consegui me situar muito bem. Esse Shino pessimista xD Gente, ta na mão do Narutinho, tá na mão de deus. Literalmente. Adorei ele como Thor e o Sasuke como Loki! Foi tão poetico Huashuahsusha Shikamaru azul, eu só conseguia pensar em Avatar xD Lee roubando a cena como nunca. O Oscar de melhor entrada triunfal vai pra quem? Que continue queimando o fogo da juventude. E eu nunca pensei que shipparia Hades x Hefesto... shippei! Parabéns pela história divertida e por cumprir tão bem o desafio! Abraços ♥
19 de Agosto de 2018 a las 08:56

  • Nathy Maki Nathy Maki
    Uou, olha esse comentário maravilhoso!! Antes de tudo eu peço desculpa pela demora em responder, mas a faculdade e o resto tava umma loucura! E eu perdi as respostas que tinha feito no caderno kkkk Segundamente, menina eu nunca esqueci isso porque foi uma coincidência incrível! Eu li a sua história no antes de você comentar aqui e tive um sonho muito louco com Shinokiba kkkkkk parece que eu mergulhei mesmo lá! Ai no outro dia eu acordo e vejo esse comentário e o review fantástico e quase penso que tava sonhando ainda! Muito obrigada mesmo! Foi o primeiro que eu recebi, nem sei como agradecer! Quer o mundo? Te dou todinho porque você merece ♡ Agora passado o meu surto, eu confesso que fiquei com medo de ter usado muitos personagens também, e tinha ate cortado o time da Hinata pra ver se diminuia mais, porém nao aguentei, tinha que botar eles e ficar com todos os times completos (exceto o Neji e a Tenten pq eles estavam ocupados com ouuutras coisinhas :v) Fico muito feliz em saber que a história nao ficou perdida! Eu super achei que combinava Naruto Thor e o Sasuke Loki, além de shippar os dois ainda dava pra fazer mensagem subliminar huehehhe Nooossa! Eu tinha esquecido completamente de Avatar! Na verdade, aqui tem muita muita referência aos livros do Tio Rick riordan, eu não resisti kkkkk e neles o Osiris é azul xD Mas como eu não queria deixar apenas as mitologias conhecidas, coloquei a brasileira no meio pq nossa cultura é linda e merece ser exaltada :3 Lee com certeza arradando nas entradas triunfais, melhor voadora sim ou com certeza? Huehehheeh foi totalmente sem querer, mas olha só que shipp mais interessante, fiquei muito interessada :v De novo, meu mais profundo agradecimento pelo carinho, por ter gostado e se divertido com a história e pelo review que vou carregar no coração ♡ Um beijão! 11 de Septiembre de 2018 a las 11:04
~