christtmas christtmas w

Jungkook mal conseguia fitar as orbes negras que o encaravam sem pudor algum, muito menos empurrar a mão que retirava seus óculos com cuidado. Era difícil quando o rosto do outro ficava tão próximo ao seu, como se o obrigasse a tomar alguma medida drástica. Taehyung tirava toda sua sanidade, e Jungkook sabia bem disso.


Fanfiction Sólo para mayores de 18.

#christtmas #kookv #vkook #taekook #yaoi #lemon #jungkook-taehyung #bangtan #bts #jungkook #taehyung
Cuento corto
14
5.6mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Avanço

Para Jungkook, o conceito de liberdade era relativo. Encontrar um relacionamento e ficar por ali era simples, mas não eram todas as pessoas que se inundavam naquilo e continuavam a sair e se divertir sem ter uma segunda voz — mais explicitamente, a do seu parceiro —, gritando o quanto era irritante e errado.

Sentia vontade de ter um relacionamento com alguém mesmo que as opções retirassem boa parte de sua liberdade como solteiro, mas por muitos motivos, sempre se impedia de avançar um pouco mais.

Ainda não era em seu mundo que pessoas tímidas alcançavam altas palmas depois de um belíssimo discurso sobre tal assunto; muito menos que mesmo sendo tímidos, conseguiam chegar na pessoa que gostam e dizer o interesse.

E isso era um saco.

Tentou de várias formas mudar um pouco sua timidez. Insistia em conversar mais, falar mais, até mesmo passara boa parte do seu tempo livre procurando modos de dialogar sem travar ou explicar algo muito rápido. Sempre ficava impressionado quando tinha algum avanço, mesmo que não fosse tão grandioso.

— Precisamos terminar esse trabalho até hoje e você continua olhando pro nada — Jimin resmungou antes de bater com a palma contra a mesa que Jungkook estava. — Acorda!

— Hã? O quê? — Jungkook disse assustado antes de levar o indicador até os óculos e ajeitá-lo no rosto. — O que foi?

— Você não ouviu nada que eu disse? — Jimin perguntou irritado vendo Jungkook negar rapidamente. Passou a mão pelas madeixas loiras, levando-as para trás antes de suspirar. — Precisamos. Terminar. O Trabalho — disse pausadamente, e os olhos arregalados de Jungkook serviram para deixar bem claro que ele realmente havia "acordado".

— É pra entregarmos hoje a noite?! — Jungkook não conteve a voz alterada. Droga, o que diabos estava fazendo? Sabia que não tinha tempo para respirar naquela escola, muito menos para sonhar acordado enquanto seu mundo continuava girando e as matérias sendo dadas e acumuladas.

— Sim, é. Mas você congelou do nada enquanto eu te explicava o que vamos fazer — Jimin bufou, pegando a caneta sobre a mesa do mais novo e anotando algo na caderneta que tinha em mãos. — Precisamos terminar ele hoje a tarde, já que eu não estou nem um pouco afirm de bater cabeça com isso e o professor pediu para enviar antes da dez horas. 

— Você já fez a sua parte? — Jeon indagou, a mão tateando o bolso em busca do celular.

— Sim, já mandei pro seu email. Fiz a maior parte já que você não parece muito bem esses dias. Mas mesmo assim, não vacila! Não vou perder nota só porque você fica tendo crises existenciais.

— Jimin hyung, aconteceu algo? — Jungkook vasculhava o email no celular em busca da mensagem que o Park havia dito ter enviado, aproveitando disso para fingir que não estava tão preocupado. Mas estava. Jimin era um poço de amor consigo, vê-lo estressado por um simples trabalho — mesmo sabendo que Jungkook era tão responsável quanto ele — era uma dica clara de que algo não estava mais no controle do mais velho.

— Não, não aconteceu — Jimin mentiu descaradamente, mesmo sabendo que logo admitiria tudo perante ao mais novo. — É só... terminar o trabalho.

Jimin suspirou pesadamente antes de se afastar da carteira de Jungkook e ir até a sua própria, atrás do mais novo.

Mesmo sem ter sido dito, Jungkook já imaginava o que havia ocorrido. Se não fosse com o namorado de Jimin, poderia ter sido algum problema com a mãe que estava passando por tratamentos médicos. Mas o Park mesmo havia dito que ela estava melhorando, o que não restava dúvidas para si mesmo: era no relacionamento de Jimin que estava localizado o problema.

Levantou da carteira e foi até o lado de fora da própria turma, a mão segurando o batente da porta enquanto Jungkook olhava para os dois lados como se procurasse algo. Sabia que Jimin era forte e lidava bem com problemas — ao menos, melhor que si —, mas ainda sim tentaria conversar com ele e aconselhá-lo. Só não faria naquela hora, já que o Park irritado era realmente assustador.

Não queria nem sonhar em estar perto dele quando o loiro desse seu nível máximo de estresse. Era um dragão cuspindo fogo para todo lado. 

Jungkook apertou o batente da porta quando encontrara o que tanto buscava observar. O sorriso bobo logo surgiu em seus lábios, assim como a aceleração das batidas em seu peito, dando claro indício de que todo aquele sentimento não podia ser mera coincidência.

A figura esbelta foi logo identificada, assim como o sorriso que Jungkook tão bem conhecia. Taehyung usava uma das duas opções de uniforme que a escola permitia. As cores da calça e camisa eram mais escuras e combinavam com os negros cabelos que Taehyung portava, assim como os olhos que o deixavam sem fôlego.

Era diferente do uniforme cinza com uma simples gravata no pescoço que Jungkook usava e, que para ele, seria o único fardamento que realmente gostava.

Se afastou um pouco para trás, buscando deixar apenas o rosto a mostra para que pudesse observar melhor e escondido

Taehyung conversava alguma coisa que Jungkook não ouvia pela distância com o namorado de Jimin. A postura ereta enquanto as mãos buscavam vez ou outra ajeitar os cabelos ou dar uma olhada no celular; os lábios sempre tão úmidos pelo passar da língua sobre eles.

Taehyung era o que chamaria de garoto dos sonhos. O que para Jungkook, se tornava irresistível, já que não era fácil encontrar alguém por aí que estude, seja gentil, divertido e ainda por cima, bonito como Taehyung era. 

Mas o Kim parecia portar tudo aquilo, e o melhor, deixava a mostra para que os olhos vividos de Jungkook pudessem apreciá-lo. 

Não foi muito difícil para Jungkook sentir o coração bater acelerado em um nervosismo desconhecido quando viu Taehyung pela primeira vez. O Kim era amigo do namorado de Jimin, como não o veria? 

O Park sempre vivia andando pelos corredores de mãos dadas com o namorado enquanto Taehyung era obrigado a segurar vela juntamente com Jungkook. Era impossível não ter notado todos os (mínimos) detalhes do mais velho.

Havia se tornado um hobby, talvez. Já que era isso que estava fazendo naquele exato momento: observando.

— Depois vou pedir pro Yoongi dar um pouco de água pro Taehyung, porque minha nossa, você está secando o cara! — Jimin disse risonho enquanto se levantava e tratava de ficar ao lado do mais novo. — Por que não fala logo pra ele, hm?

— O quê?! tá maluco, hyung? — Jungkook disse baixinho, e mesmo que tivesse ficado boquiaberto com a ideia, sua voz calma e contida só fez Jimin sorrir baixo.

— Você não faz, alguém vai fazer.

— Eu não teria coragem, você sabe disso — Jeon admitiu, o rosto voltando para a sala e encarando Jimin a sua frente. — Eu com certeza começaria a falar bobagens ou até mesmo gaguejar!

— Vocês são amigos, não são? Ao menos, precisam ser! — Jimin cruzou os braços enquanto olhava com o cenho franzido para o mais novo. — Não me diga que todas as oportunidades que eu dei a você foram desperdiçadas?

— Você me dando oportunidade, hyung? Você só estava de namorico com o Yoongi hyung, isso sim! Nada de oportunidades. E outra, eu falo sim com o Taehyung, mas... é diferente.

— Diferente? — Jimin disse em dúvidas antes de balançar a cabeça negativamente. — Certo, não importa. Você é bonito e tímido, ele é bonito e extrovertido, tem tudo pra dar certo.

— É... talvez. De alguma forma eu sei que ele tenta se esforçar pra falar comigo, mas é exatamente isso, hyung! Eu quase não falo, é sempre ele. As vezes eu acabo gostando mais de escutar ele e prefiro não falar nada, e deve ser chato ficar só falando o tempo todo. Ele deve pensar que não quero é conversar — explicou.

— Todos que convivem com você sabem da sua timidez. Não precisa ligar pra isso — Jimin tocou no ombro de Jungkook, apertando ali enquanto sorria arteiro. — Agora vai lá falar com ele.

— Eu não vou falar-

Jungkook sentiu um empurrão em seu ombro, e só foi perceber que estava do lado de fora da sala, totalmente exposto, quando observou a porta da sua turma ser trancada por Jimin. Correu até ela enquanto batia desesperado, implorando para que Jimin abrisse a porta e o deixasse entrar. Não adiantou muita coisa. Jimin e suas maldades para fazer Jungkook criar coragem. 

— É o Jimin? — ouviu a voz de Taehyung soar calma, mesmo que meio assustado com o ato do Park. Havia estranhado o outro aparecer do nada pelo corredor, e ainda mais o barulho da porta sendo batida.

— S-Sim, ele só está brincando — Jungkook sorriu nervoso, mesmo que a vontade fosse sair correndo dali e só voltar no outro dia. Ficar tão perto de Taehyung era, estranhamente bom, mas assustador. 

— Entendi — Taehyung mordeu o lábio inferior antes de olhar para trás e procurar por Yoongi. 

Pensou se talvez o outro ajudasse a fazer Jimin abrir a porta, já que as batidas e pedidos aflitos de Jungkook de nada estavam adiantando.

Mas foi só Yoongi aparecer em frente a turma e chamar pelo nome de Jimin que a porta foi literalmente escancarada. Jungkook só sentiu a mão ser puxada com força e o corpo ser levado para dentro da sala de novo, o baque alto da porta assustando até mesmo Jimin.

— Apelou! — Jimin disse irritado, o corpo pressionando a madeira escura mesmo que fosse impossível da porta ser aberta já que estava trancada.

— Eu não fiz nada! E outra, foi você que me empurrou pra fora da sala! — Jungkook rebateu, o bico adornando os lábios enquanto caminhava de volta para sua carteira, os pés querendo adentrarem o chão com as fortes pisadas.

Jimin até mesmo desfez a cara de falsa irritação, apenas destrancando a porta e voltando para sua carteira.

— Falou com ele?

— Cala a boca, hyung! — Jungkook resmungou enquanto pegava a mochila e colocava nas costas, as mãos segurando em cada alça. Jimin tentava conter a risada por ver seu dongsaeng tão irritado, mesmo que boa parte fosse simplesmente vergonha por ter sido mostrado demais. — Vou pro laboratório.

— Eu irei pra casa — Jimin pegou sua própria mochila e a deixou pender em um dos ombros. — Não esqueça do trabalho.

— Vai repetir quantas vezes ainda? — indignou-se, voltando para a porta e a abrindo. Agradeceu mentalmente por Taehyung e Yoongi terem ido embora, mas não gostou muito de lembrar por qual motivo. 

— Até você me enviar esse trabalho hoje antes das dez horas — seguiu o mais novo, estalando a língua no céu da boca antes de admitir: — eu e o Yoon brigamos.

— Imaginei que sim, só não entendo o motivo — Jungkook começou a ir em direção do laboratório onde poderia concluir o trabalho, fitando o mais velho enquanto aguardava uma resposta.

— Eu havia dito que queria apresentar ele aos meus pais, mas Yoongi disse que talvez não fosse o momento, e isso acabou me deixando irritado — confessou, os olhos lutando para não desabarem em lágrimas como bem faziam.

— Hyung, nem todos são cheios de autoconfiança como você. Ele deve ter medo de seus pais não gostarem dele, ou não apoiarem o relacionamento, só isso. Acho que não tinha necessidade de brigarem. 

— Eu sei, Jeon! Por isso me sinto mal. Eu disse que ele não queria assumir nosso namoro e coisas assim, acabei ficando estressado e fui embora da casa dele ontem.

— Por isso estava todo estressadinho essa manhã? Faz sentido. Você é uma criança, hyung.

— Não nego — Jimin disse baixo, parando em frente a porta do laboratório e estendendo a mão com uma chave para Jungkook, que tratou de usá-la.

— Uma das qualidades de ser amigo do monitor é ter a chave do laboratório — Jungkook disse vitorioso, colocando a chave na fechadura e girando para o lado, abrindo porta.

— Você está se aproveitando da minha enorme gentileza — Jimin revirou os olhos, um sorriso soprado escapando dos lábios ao pensar que ele que havia deixado claro que ofereceria a chave para Jungkook caso ele necessitasse dela. Mimava muito o mais novo, e sinceramente, não achava nem um pouco ruim. Jungkook era sensato, e compreendia bem um não se recebesse um. Talvez fosse por isso que o Jeon estivesse tão receoso em admitir seus sentimentos para Taehyung. Um não seria definitivo para ele. 

— Bem, até depois. Não se esqueça de fechar a porta antes de sair. E... — Jimin levantou o indicador até o rosto, fitando as orbes castanhas que o olhavam desconfiados. — Não deixe ninguém entrar.

Jimin se despediu do mais novo e tratou de ir para casa. Só tinham horários pela manhã em alguns dias, então era normal que ficassem na escola apenas por pura vontade ou preguiça de voltar para o lar. E não é como se Jimin não aproveitasse para ficar com o namorado, muito menos Jungkook, que podia passar o resto do dia na presença de Taehyung.

Jungkook trancou a porta e deixou a chave sobre uma mesa próxima dela, jogando a mochila na cadeira que compunha a mesa.

Havia várias estantes de livros no local em uma fileira organizada que proporcionavam uma imagem mais acolhedora por ali. As janelas planejadas um pouco acima das estantes contribuíam para iluminar o local. Era aconchegante como Jungkook bem gostava. Só tentava ignorar o ar gelado que era proporcionado pelo ar condicionado que o fazia tremer minimamente. Não gostava do frio, mas não tinha muitas opções há não ser se adequar a ele. 

Foi em direção a sessão de computadores um pouco mais a frente, puxando uma cadeira e sentando. A mão foi ágil em ligar o computador, e em seguida, já estava acessando sua conta pessoal do email para buscar em sua caixa de mensagens o trabalho que deveria fazer.

— Isso é uma droga, se eu mudar essa parte, vou ter que alterar essa também — murmurou consigo, a mão movimentando o mouse com agilidade. — Talvez se eu só diminuir aqui...

E foi com aqueles pensamentos que Jungkook passara seu tempo. O estresse e o cansaço vieram junto da conclusão do trabalho, e foi quase impossível não soltar um xingamento alto. Finalmente havia finalizado tudo aquilo.

Salvou o trabalho e tratou de buscar o email de Jimin, enviando o anexo para ele.

Para: Jiminlindã[email protected]

Assunto: O trabalho que quase me matou.

Hyung, eu terminei o trabalho, mas teve algumas partes que precisei diminuir e mudar os textos. Não deve ter alterado o sentido dos outros, mas dá uma olhada antes de entregar.

O suspiro não foi tão de alívio assim. Talvez Jungkook tivesse feito o trabalho rápido demais. Ou passado mais tempo pensando se Taehyung já teria ido embora. Ou, mais ainda, como seria legal falar tudo o que sentia e ser correspondido. Menos atenção no trabalho do que deveria ter dado.

Quando ouviu o celular vibrando no bolso, teve a certeza que Jimin já havia descoberto seu falso esforço.

Jimin hyung:
Que porra é "Taehyung é tão bonito" na porcaria do trabalho, Jungkook? Você tá tirando com a minha cara?
Caramba, isso tá em todos os tópicos
JUNGKOOK!

Choramingou enquanto respondia a mensagem, quase tentando passar pelos dedos o quanto estava cansado e querendo voltar para casa depois de passar uma tarde tentando concluir aquilo.

Jimin hyung:
Você vai terminar esse trabalho em casa, Jungkook. Mas pelo amor dos céus, ajeita mesmo. 
OU EU TE MATO

Guardou o celular no bolso novamente, indo até próximo a mesa onde sua mochila descansava na cadeira e colocando a mesma nas costas. Buscou a chave e destrancou a porta, arregalando os olhos quando a abriu e avistou Taehyung ali, sentado no chão próximo a porta, encostado em uma das paredes do corredor enquanto mexia no celular.

Jungkook engoliu em seco e deu mínimos passos para trás, no intuito de se enfiar ali dentro e só sair depois que Taehyung tivesse caído fora.

Mas não teve essa sorte. Não quando os olhos de Taehyung correram por seu corpo até acharem seus olhos, engolindo-o por completo.

Era estranho, sabia que era. Taehyung parecia estar... diferente. Quase como se fosse um olhar cheio de insinuações, assim como o sorriso de canto, arteiro.

— Não deveria estar em casa, Jungkook? — a voz rouca foi como uma faísca ativada na mente de Jungkook. O mais novo buscou sair da sala depressa, tentando não ficar nervoso enquanto tentava trancar a porta. Precisava ir urgentemente para casa naquele momento. — Jungkook...

Mordeu o lábio inferior com a proximidade perigosa demais atrás de si. Bem como a mão que segurou a sua, forçando-o a parar de tentar trancar a maldita porta.

— Nervoso?

— Q-Quero voltar pra casa — Jeon disse com a voz quase embargada, o lábio inferior sendo maltratado pelos dentes apertando ali.

— Jimin me disse que você estava estudando no laboratório — Taehyung explicou, segurando sutilmente no pulso de Jungkook e o virando para si. — Pensei em conversamos um pouco, o que acha?

— Estou muito cansado agora, hyung — Jungkook murmurou, sentindo os pulsos sendo dominados com as mãos grandes, desejando realmente gritar por socorro.

Não é como se tivesse deixado explícito para Jimin o que realmente Taehyung era. Em partes, não mentiu. Apenas ocultou alguns fatos. Estava se lamentando muito por isso agora. Jimin o jogara no covil dos leões imaginando serem de pelúcia. 

— Gosto quando você me chama de hyung... — Taehyung levantou cuidadosamente as mãos de Jungkook que tão pouco sabia o que fazer, segurando uma de cada lado na porta que o mais novo antes tentava trancar. — Sabia que eu sou louco por você, hm?

— Hyung... — Jeon choramingou, o embrulho no estômago com a proximidade do mais velho. O corpo reagia submisso a imposição de Taehyung, e a mente se martirizava por aquilo. O Kim colocou sua perna no meio das coxas de Jungkook, apertando propositalmente o membro do outro, tomando o gemido manhoso quando finalmente colou os lábios aos de Jeon.

Não era afoito, nervoso. E também não era à primeira vez que Jungkook era pego desprevenido. Sempre ficava "protegido" quando estava com Jimin ou Yoongi. Taehyung agia como normalmente era quando na frente dos amigos.

Mas quando eles não estavam, Jungkook conhecia um novo Taehyung. Perigoso e... carregado de malícias.

— Você disse que estava cansado — Taehyung se afastou dos lábios machucados pelas mordidas do mais novo, beijando a bochecha de Jungkook antes de sugar a pele do seu pescoço. Sentiu Jungkook tentar mover as mãos que eram seguradas, sorrindo contido enquanto descia um pouco mais. — Será que posso? — disse insinuante demais, e Jungkook lamentou por saber exatamente do que o mais velho falava.

Quanto mais Taehyung descia pelo corpo do mais novo, as mãos de Jungkook ficavam livres da prisão em que eram mantidas. Jungkook ajeitou com o indicador os óculos no rosto, suspirando quando Taehyung ficou de joelhos em sua frente.

Taehyung arrastou a língua nos dentes de cima, o olhar apreensivo de Jungkook alimentando a sua vontade de fazer o mais novo implorar por mais.

Tateou a calça de Jungkook enquanto desabotoava e abria o zíper, sorrindo quando Jungkook apertou as unhas contra a mão, tentando aliviar um pouco da tensão que sentia.

— Nervoso? — o Kim perguntou novamente enquanto abaixava a calça do mais novo até os joelhos, olhando de baixo para Jungkook enquanto aguardava sua resposta.

— Estamos em frente ao laboratório e visivelmente pra qualquer um que passar por aqui, é claro que eu estou, hyung... — disse arrastado com a boca que sugou sua glande por sobre a boxer.

Ficaria maluco com tão pouco, e ninguém melhor que Taehyung para provar aquilo.

— Serei rápido nisso, depois vamos para um lugar mais reservado — Taehyung abaixou a boxer do outro, apenas suficiente para que conseguisse ter aquela bela visão de Jungkook ficando duro com sua ousadia. 

— L-Lugar mais reservado como assim-

Os gemidos saíram altos e sem nenhum controle, a boca de Taehyung o engolia por completo e com vontade, sem se importar se Jungkook cederia tão rápido ou se não aguentaria o peso do corpo. A mão de Jeon timidamente foi parar nas madeixas vermelhas de Taehyung, puxando com receio e até mesmo, delicadeza.

Mas estava realmente sendo impossível não gemer mais alto do que o esperado, apertar mais forte do que desejava, ou movimentar o quadril para frente em busca de mais contato.

Taehyung não tinha dificuldades em atiçar um outro lado de Jungkook, pouco utilizado e aproveitado. E de fato, o Kim preferia daquele modo, buscando ativá-lo e insinuá-lo, ao menos enquanto chupava Jungkook com vontade e o via entreabrir os lábios em gemidos sôfregos.

Jungkook sentiu as pernas fraquejarem, os gemidos ficaram mais altos e, meio incerto se deveria, segurou com força madeixas vermelhas e empurrou o rosto de Taehyung um pouco mais para frente, buscando mais daquela sensação maravilhosa. Taehyung não reclamou, muito menos tentou impor algo. Deixou que sua boca fosse movimentada do modo como Jungkook queria, sentindo o aperto nos fios ruivos quando Jeon se desfez em sua boca.

Tratou de engolir tudo, assistindo Jungkook se encostar na porta enquanto tentava regular a respiração.

Se levantou e foi até a mochila que deixou jogada no chão, segurando com uma das mãos e indo em direção a porta atrás de Jungkook, abrindo-a e jogando a mochila sobre a mesa que antes Jungkook deixara a chave. 

— Tae, o Jimin hyung disse que não era pra deixar ninguém entrar! — Jungkook tentou colocar as roupas novamente, mas as mãos que puxaram sua cintura com possessividade o impediram de cair enquanto era trazido para dentro do laboratório. — H-Hyung, precisamos ir embora!

— Aqui está frio — Taehyung comentou enquanto esconstava o quadril de Jungkook na mesa, obrigando o mais novo se inclinar ali, de frente para si. — Vamos fazer ficar calor.

Jungkook mal conseguia fitar as orbes negras que o encaravam sem pudor algum, muito menos empurrar a mão que retirava seus óculos com cuidado e o abandonava na cadeira ao lado. 

Era difícil quando o rosto do outro ficava tão próximo ao seu, como se o obrigasse a tomar alguma medida drástica. Taehyung tirava toda sua sanidade, e Jungkook soube bem disso quando sentiu a mão do mais velho cobrir sua boca.

— Acho que você irá gostar disso — Taehyung falou antes de aproximar os lábios da orelha de Jungkook, a respiração do outro se chocando contra sua pele e o fazendo morder o lábio inferior em ansiedade. — Eu gosto.

Jungkook gemeu manhoso contra a mão quando a palma de Taehyung segurou seu membro e começou a masturbá-lo com intensidade, e mesmo que a pouco já tivesse se desfeito, o corpo já reagia aos toques intensos do mais velho.

Taehyung parou os movimentos apenas para retirar o uniforme que já estava o irritando por impedir um contato maior, ficando apenas com a boxer branca e se colocando entre as pernas do mais novo, que gemeu baixo com o atrito do membro de Taehyung com o seu.

Taehyung sabia que se fizesse Jungkook gozar novamente, seria doloroso para o mais novo, então parou os movimentos da mão e segurou a cintura de Jungkook, virando-o de costas para si e impedindo o mais novo de continuar beijando-o como bem fazia.

Esticou a mão para pegar a mochila, e consequentemente, inclinou o corpo contra o de Jeon, fazendo o mais novo suspirar pelo toque, pelo choque em sua pele que apenas Taehyung conseguia proporcionar.

Taehyung pegou o tubo de lubrificante, mostrando para Jungkook enquanto beijava o pescoço, mordendo o lóbulo da orelha antes de se afastar a contragosto novamente.

Jungkook se inclinou mais ainda na mesa. Talvez conformado de que (in)felizmente já havia imaginado aquilo. Desejado.

Taehyung colocou o conteúdo nos dedos, achando fofo quando Jungkook arqueou a coluna com o toque gelado em sua entrada.

Taehyung esperou por algum tempo, apenas provocando Jungkook enquanto fingia que iria penetrá-lo com os dedos, mas logo voltava atrás.

O remexer no quadril foi um golpe baixo, o Kim teve que admitir. Jungkook não era inocente. Tímido não tinha nada a ver com isso, e Taehyung entendeu bem quando o mais novo voltou um pouco para trás, tocando na sua ereção e o fazendo segurar sua cintura com a mão. 

Começou a introduzir um dedo, e o resmungo de Jungkook serviu para mostrar que não estava nada confortável, apesar dele saber bem que logo melhoraria.

E melhorou.

Ainda minimamente, mas Jungkook conseguia sentir um mínimo prazer quando um segundo dedo foi introduzido e começou a se movimentar em seu interior. Choramingou quando o terceiro foi colocado, e levou a mão até boca, mordendo a lateral.

— Você é muito gostoso, Jungkookie – Taehyung afirmou, retirando a boxer que ainda usava antes de pegar novamente o tubo de lubrificante, dessa vez despejando em seu membro e espalhando por ele. – E eu quero ver essa boquinha implorar por mais enquanto faço isso.

Taehyung começou a penetrar Jungkook lentamente, buscando não assustar o mais novo com o incômodo que ele deveria ainda estar sentindo.

Conseguiu suspirar deleitoso quando se acomodou por completo dentro do outro, permanecendo parado para que Jungkook se acostuma-se com a sensação.

Começou a se movimentar assim que Jungkook insinuou que já estava tudo bem com o rebolar do quadril. Taehyung demorava para penetrar o outro, e quando fazia, ia fundo e forte. A cada vez que se impulsionava novamente, Jungkook gemia alto e apertava as unhas contra as mãos em claro desespero.

Como dizer que precisava que o outro fosse mais rápido e constante, e parasse com aquela tortura?

Tensionou o braço em tentativa de se tocar, mas o “não” autoritário de Taehyung o fez voltar atrás, colocando as mãos abertas sobre a mesa enquanto era estocado com mais força e velocidade.

— Hyung... – e mesmo que estivesse tentando ao máximo se conter, Taehyung transformava isso em nada quando se inclinava e beijava seu pescoço, deixando alguma marca na tez clara que Jungkook sabia que não sairia logo.

— Você me deixa maluco, sabia? – o Kim confidenciou com a voz rouca, as mãos segurando na cintura de Jungkook e se impulsionando com mais intensidade, acertando a próstata do mais novo diversas vezes e o fazendo arfar alto e sem controle.

Quando Taehyung já estava quase em seu clímax, literalmente estranhou Jungkook parecer não estar assim como ele.

Os gemidos sôfregos e contidos o máximo possível com a mordida que era dada no lábio inferior de nada representavam as estocadas fundas e intensas que Taehyung dava no mais novo.

Só foi aí que o ruivo entendeu a mão debaixo da mesa. Jungkook acariciava a glande e vem ou outra cobria totalmente com a mão, se impedindo de gozar, provavelmente desejando durar mais o momento íntimo dos dois.

— O que pensa que está fazendo? – o Kim perguntou antes de buscar a mão de Jungkook e a colocá-la para frente novamente.

— E-Eu...

— Você não devia fazer isso, sabia? – Taehyung disse, puxando as madeixas negras e fazendo Jungkook arquear a coluna. Arrastou a língua do pescoço até a orelha, mordendo o lóbulo e vendo os pelos de Jungkook se arrepiarem.

Tratou de ficar de olho nas mãos de Jungkook sobre a mesa, investindo rápido e forte na entrada do mais novo, sentindo ser tão bem acolhido pelo interior de Jungkook que mal conseguia se manter sem gemer extasiado com a sensação.

Jungkook não estava muito diferente. Gemia manhoso, e ficou ainda mais quando as madeixas foram apertadas e as estocadas ficaram mais fortes. 

A mão do Kim tratou de soltar suas madeixas e irem para o membro esquecido do mais novo, deixando a masturbação lenta que contrastava com as estocadas rápidas.

Jungkook arfou alto quando o clímax finalmente se abateu contra si, deixando o rosto encostar sobre a mesa, totalmente atônito.

Taehyung não conseguiu se segurar mais depois de ver Jungkook tão extasiado com o prazer que proporcionara, saindo do mais novo para movimentar a mão em vaivém sobre o seu membro apenas para atingir seu ápice.

Tratou de juntar as roupas no chão, pedindo para que Jungkook fizesse o mesmo. 

— Me sinto esgotado – o mais novo disse com as bochechas ruborizadas, o sorriso tímido sendo deixado nos lábios enquanto pegava seu óculos na cadeira e o colocava no rosto novamente.

— Gostou? – Taehyung terminou de colocar seu uniforme antes de se aproximar de Jungkook e puxá-lo para seus braços. Deixou um beijo calmo e sereno nos lábios de Jungkook, sorrindo entre o ósculo quando o mais novo tentou aprofundá-lo.

— Vamos, precisamos realmente ir agora.

Jungkook terminou de se vestir, indo até a porta e juntando a própria mochila que ficara por ali mesmo. Foi só aí que lembrou do trabalho.

 Droga, o maldito trabalho! 

Observou Taehyung fechar a porta e entregar a chave para ele, sendo corajoso o suficiente para se aproximar e colar os lábios minimamente.

— Eu preciso ir – Jungkook murmurou, e o abraço que recebera até serviu de consolo.

— Você terminou seu trabalho? – Taehyung indagou, observando Jungkook negar com os olhos aflitos.

Ele estava tão bonito...

As madeixas bagunçadas e as bochechas vermelhas, enquanto a respiração lutava para se tornar normal.

— Vamos voltar, então. Eu ajudo você – Taehyung pegou novamente as chaves, indo até a porta do laboratório e destrancando. – Eu avisei para o vigia que iria terminar um trabalho antes das seis horas. – Olhou para o relógio no pulso, sorrindo pequeno. – Acha que terminamos em vinte minutos?

— É coisa simples, eu termino – murmurou, sentindo o calor se apossar do corpo quando Taehyung segurou sua mão e o puxou para dentro, levando-o na direção dos computadores.

Mesmo receoso, ligou novamente o computador, sorrindo contido quanto Taehyung puxou uma cadeira e colocou do seu lado, observando suas ações.

— “Taehyung é tão bonito” – o ruivo disse calmamente, sentindo de certa forma a bochecha esquentar. – Você colocou isso?

— E-Eu estava sonhando acordado – Jungkook murmurou, apagando a frase e tratando de fazer o mesmo nos outros tópicos.

— Sonhando comigo?

— Hyung!

[...]

— Jimin hyung, entregou o trabalho? – Jungkook perguntou antes de sentar na carteira, ajeitando a mochila atrás de si. 

— Sim. Tudo certo agora – Jimin disse calmamente, ajeitando suas coisas na carteira antes de olhar para Jungkook novamente. – Eu fui na casa do Yoongi ontem a noite conversar com ele. 

— Só conversou? – Jeon disse em tom malicioso, sentindo o tapa dado sobre seu ombro. – Hyung!

— Eu não sou você – disse simplório, e Jungkook olhou incrédulo para o mais velho. – Pensa que eu não sei?

— Não sei do que você está falando.

— Transou com o Taehyung dentro do laboratório.

— Fala baixo! – Jungkook disse assustado, buscando algum olhar desconfiado das pessoas na sala, mas não encontrou nada. – Quem te disse isso?

— Meu namorado.

— Ah, só podia ser – revirou os olhos antes de prestar atenção no quadro da sala, mesmo que não tivesse nenhum professor na sala. Taehyung era um grude com Yoongi, seria até estranho se ele não tivesse contado. 

— Não pretendia me contar? – Jimin disse falsamente entristecido, sorrindo quando Jungkook o olhou com a melhor cara de tédio que tinha. – Tá, já entendi!

— Eu ia contar, só não por mensagem, hyung. Mas se até o Taehyung fez isso, acho que vou aderir.

— Você já falou como se sente pra ele? – Jimin indagou, ciente de que Taehyung estava alimentando o mesmo sentimento que seu dongsaeng, como Yoongi lhe contou ainda na noite passada quando fora na casa do mais velho para resolverem as coisas. — Você pode apelar pra cantadas sutis, sabe? Taehyung pegaria fácil.  

— Acho que vou saber o momento certo para dizer a ele. Por enquanto, me sinto bem assim – admitiu, o sorriso pequeno tomando conta dos lábios rosados com a ideia de Jimin. 

Mas de fato, o momento certo viria mais cedo do que imaginava. Só precisaria controlar o próprio embrulho no estômago ou o medo repentino que sentia quando pensava em dizer algo como aquilo para Taehyung. 

Assim que a sineta esclareceu o fim do horário para o intervalo, Jungkook foi para fora da sala assim como Jimin e todos os outros que estavam ali. 

Sorriu assim que avistou a face tão bela e que o observava, mordendo o lábio inferior quando um rápido aceno de mãos foi dado para si e para Jimin ao seu lado. 

— Acho que temos sorte — Jungkook comentou assim que começaram a ir em direção aos outros, acabando com a distância. 

— Talvez — Jimin entrelaçou os dedos aos de Yoongi antes de selarem rapidamente um beijo. — Uma oportunidade, Jeon — Jimin disse para o mais novo, passando a caminhar com Yoongi. — Não perca. 

— Oportunidade? — Taehyung disse confuso, muito diferente da versão que se encontrava com Jungkook antes de achá-lo no laboratório. É, coisas da vida. 

— Jimin hyung é doido — explicou, mordendo o lábio inferior e tratando de seguir com Taehyung o casal de namorados a sua frente. Lembrou rapidamente das palavras de Jimin, sorrindo ao perceber que realmente faria aquilo. 

Observou  Taehyung mais próximo, enquanto as mãos uma do lado da outra pareciam ser ímãs querendo se unir. 

— Oi — Jungkook disse simplório, fazendo Taehyung o olhar em busca de explicação para aquilo repentinamente. — Você está sozinho? 

Taehyung franziu o cenho por pouco tempo, sorrindo gentilmente quando entendeu a simples cantada. 

— Pra você, sempre — o Kim piscou rapidamente antes de entrelaçar os dedos aos de Jungkook. — Adoraria que me fizesse companhia. 

Até que Jimin tinha razão. Cantadas sutis serviram muito bem. 

4 de Agosto de 2018 a las 17:54 2 Reporte Insertar 5
Fin

Conoce al autor

christtmas w Em algum lugar, escrevendo alguma coisa <3 sasunaru & taekook <3 perfil no wattpad: christtmaskv.

Comenta algo

Publica!
Nana Nikiforov Nana Nikiforov
gente que delicia e essa, to apaixonada.
August 17, 2018, 02:36

  • christtmas w christtmas w
    Aaaah <3 fico muito feliz que tenha gostado, anjo! August 17, 2018, 19:05
~

Historias relacionadas