Why can't you see me? Seguir historia

J
Jay Jay


Eu tentei de todas as formas possíveis te esquecer, construir um lar fora de você, mas portas levam a armadilhas e procurar um caminho alternativo por uma escada não me levou a nada. É uma pena que as coisas não tenham acabado bem no final das contas, parecia um plano perfeito, no entanto você não pensou assim. Porque eu não era ele, porque eu era Kim Minseok e ele era Kim Minhyuk. [ XIUHAN | XIUMIN!Twins | DARK | STALKER | TW ]


Fanfiction Sólo para mayores de 18.

#Dark-XiuHan-EXO-EXO-M-LuMin
Cuento corto
11
4.9mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Everyone else can

Eu tentei de todas as formas possíveis te esquecer, construir um lar fora de você, mas portas levam a armadilhas e procurar um caminho alternativo por uma escada não me levou a nada.

É uma pena que as coisas não tenham acabado bem no final das contas, parecia um plano perfeito, no entanto você não pensou assim. Porque eu não era ele, porque eu era Kim Minseok e ele era Kim Minhyuk.

Mas que culpa tive de não poder tirar os olhos de ti, Luhan, desde a primeira vez que pisou em minha casa?

Não pude prever minha paixão à primeira vista quando apareceu na entrada com ele ao seu lado, lhe apresentando como seu mais novo amante;

Você era um mágico e me hipnotizou com os sorrisos fáceis e cabelos esvoaçantes. Lembro-me de como você brilhava semelhante a um ser divino e tinha aquele olhar apaixonado…

Aquele olhar apaixonado para...ele.

O reconhecia, pois via-o refletido em meus olhos sempre que eram deferidos à você. Aquela era a forma com a qual eu te olhava e você olhava para Minhyuk.

Me peguei sentado em frente a penteadeira do quarto de minha mãe diversas vezes, alisando e analisando meu rosto, comparando-o à foto de meu irmão que ficava em cima da cabeceira da cama de meus pais.

Éramos iguais, crescemos ouvindo isso. Nos vestíamos igualmente, ganhamos e compartilhamos os mesmos brinquedos. Então por que não poderíamos compartilhá-lo também?

Minhyuk e você sempre esbanjaram e transbordaram amor para todos os lados, e eu assistia tudo aquilo apenas como um mero espectador vendo à um filme de romance e me imaginando como parte dele. Em minha cabeça, eu era o Minhyuk e você era só você na forma mais bela, verdadeira e apaixonada por mim.

No entanto, como um mero observador, esse era um filme distante da minha realidade, e por muito tempo me contentei em ser somente a pessoa que assistia.

Foi então que comecei a acompanhá-lo com os olhos sempre que dormia em nossa casa; cada gesto, expressão ou fala. Presenciei às escondidas seus momentos de romance com meu irmão no sofá da sala e às vezes me pegava zelando por seu sono.

Você era tão belo enquanto dormia.

Conter-me para não encher sua bela pele alva com carícias era extremamente difícil.

Às escondidas, o apreciava como o verdadeiro admirador que era. Contudo havia momentos nos quais me sentava ao seu lado no sofá e você sorria gentilmente em minha direção, mas seus olhos ainda procuravam pelos de Minhyuk.

Como eu odiava isso.

Quantas noites não fui torturado pelas confissões e desabafos de amor de meu irmão. Ele me contava tudo sobre você, e ao mesmo tempo em que não conseguia parar de ouvir, a raiva que sentia por ele possuí-lo e eu não consumia-me dos pés à cabeça.

A insensibilidade de Minhyuk ao falar sobre você para mim, transbordando amor a cada fala, me deixava angustiado, com a garganta coçando e os olhos se afogando em lágrimas contidas.

Em pouco tempo não pude evitar vê-lo com asco. Já não era mais meu irmão, aquele com quem cresci e protegi com meu corpo e alma. Ele se tornou apenas MinHyuk, alguém igual a mim e ainda assim totalmente diferente.

Ele tinha algo que eu queria muito, algo que eu nunca poderia ter. E por isso deixei que minha profunda inveja tomasse conta de todos os meus sentidos.

Procurei por você em outras pessoas, porém nenhuma delas tinha o gosto que imaginava que você teria. Os lábios embora finos, não eram os seus. E não havia qualquer brilho naquelas pessoas.

Não eram o meu Luhan.

Você tinha uma pessoa igual à mim, então por que eu não poderia ter alguém como você? Me parecia injusto.

Perguntas como esta que viviam rondando minha cabeça durante horas e horas me fizeram concluir que você, Luhan, era exclusivo e feito aos moldes de Deus para mim. Estávamos destinados a sermos um só, e ao fim de tais afirmações já me encontrava mais animado e disposto a não desistir de ti.

Foi então que comecei a seguí-lo.

Cada passo, cada suspiro e cada piscada eu poderia contar quantos eram.

Descobri desde seu chocolate favorito até o melhor horário para tomar banho seguindo a sua rotina.

Quando te disse que havia comprado seus doces favoritos, você simplesmente agradeceu e voltou a se agarrar ao pescoço de Minhyuk. Então lhe dei flores e você estranhou, sorriu e me perguntou como eu sabia que eram as suas favoritas.

Mas Luhan... Você nunca percebeu meus esforços para aproximar-me de ti; até mesmo quando você estava andando sozinho pelas ruas noturnas e vazias da madrugada de Seul e eu apareci para te acompanhar como o guardião que gostaria de ser para ti.

Nunca entendi o seu susto ao me ver. Pensei ter deixado claro que sempre estaria ao seu lado, que sabia todos os seus passos para seu próprio bem. Mas você só se afastou e me olhou nos olhos pela primeira vez, mas, infelizmente, não da forma que eu queria.

Você estava assustado. Suas íris tremiam e passeavam de um lado para o outro pelos cantos dos olhos, procurando por algo na rua deserta.

Quando te deixei em casa, você só me disse um obrigado e entrou depressa no edifício. Eu não entendi o seu nervosismo em minha presença e não entendi a razão de ter se afastado mais ainda depois do ocorrido.

Nunca fomos próximos para nos considerarmos amigos; no entanto, pensei que finalmente estávamos mudando isso. Talvez eu estivesse sendo muito apressado e tenha estragado tudo.

Mas poderíamos recomeçar.

Sou grato por ter aceito minhas desculpas por ter-lhe incomodado de alguma forma. E agradeço pela segunda chance, por ter voltado a falar comigo mais uma vez após o ocorrido.

Entretanto, uma segunda chance não significava nada quando tudo o que aconteceu foi voltarmos a sermos estranhos um para o outro, e de novo aquele maldito olhar apaixonado estava lá.

Foi então que eu percebi que nunca sairíamos da estaca zero se ele continuasse ali, se Minhyuk não deixasse de existir.

Talvez o antigo Minseok não fosse nem um pouco agressivo. Mas, Luhan, você foi o maldito mágico que me enfeitiçou e fez-me uma marionete controlada por meu grande amor dedicado a ninguém além de ti. Jurei silenciosamente fazer qualquer coisa para ter você aos meus braços e aquela briga caiu como uma luva.

Confesso que fiquei no mínimo chateado por ter dito ao meu irmão que eu estava te assustando e perseguindo por estar totalmente apaixonado por você. É claro que Minhyuk não acreditou em tudo, porém só a ideia de que eu tinha olhos para o amante dele fora o suficiente para tirar meu irmão de seu estado emocional sempre calmo e pacífico.

Eu pretendia fazer as coisas de forma mais calma, menos macabra e planejada. Só que eu não pude pensar direito ao ouvir tantas acusações daquele que deveria me amar a qualquer custo, meu irmão gêmeo.

Talvez o ápice de minha raiva tenha sido a constatação que ele fez questão de pronunciar silaba por silaba.

“Luhan nunca vai te amar. Desista, Minseok”

Minhyuk fora um bom irmão e garanto-lhe que nunca me esqueci de nossos momentos felizes juntos; até mesmo me permitir derramar algumas lágrimas após acertá-lo uma, duas, três, quatro, cinco e várias outras vezes na cabeça com o ferro da lareira até que seu crânio se tornasse irreconhecível.

Era até mesmo uma cena cômica de se ver. Do centro da sala eu era capaz de ver meu reflexo na televisão e o rosto desfigurado de Minhyuk.

Me pergunto se tivesse assistido aquela cena, como reagiria? Ainda amaria ele? Amaria sentir o cheiro do sangue que manchava o carpete da sala?

Eu duvido muito disso.

Olhei uma última vez para aquele que antes era meu irmão e que agora não passava de uma carcaça que seria decomposta pelas bactérias que sumiriam com ele no máximo em três ou quatro dias quando fosse parar no mar, e então dei meu último adeus para aquele velho e conhecido rosto.

No dia seguinte, peguei-me fitando no espelho do quarto de minha mãe novamente, comparando minhas feições às de Minhyuk e ao ver sua mensagem brilhando na tela do celular que antes pertencia à ele, um sorriso instantâneo se formou entre meus lábios.

As coisas estavam incrivelmente bem e de acordo com o meu plano, talvez fosse o universo finalmente nos dando a chance de ficarmos juntos como deveria ser.

Fomos predestinados à isto e não podemos deixar de cumprir as ordens de Deus. Tudo o que fiz foi em nome do amor, em seu nome; mas sabia que você não faria o mesmo por mim, Luhan, e eu poderia conviver bem com o fato de que eu era invisível aos teus olhos, você não podia me ver.

Por que você não podia me ver? Todos os outros podiam.

Mas Minhyuk, em contraposto, era o centro do seu universo, o sol responsável por toda a vida que lhe habitava e consumia.

Imagino o quão devastado não ficaria ao saber que uma estrela tão forte e intensa quanto ele também poderia morrer.

Por isso eu não me importaria de ser o teu centro e pelo mesmo motivo, usei as melhores roupas e perfumes que encontrei no guarda roupa de Minhyuk, arrumei o cabelo da mesma forma que ele fazia sempre que iria te encontrar.

A excitação de saber que teríamos nosso primeiro encontro fazia meu peito arder em ansiedade, mal podia esperar para vê-lo dirigir aqueles olhares apaixonados para mim. No entanto, não parecia nem de longe melhor do que beijar teus lábios e provar os seus gostos.

Eu poderia ter feito sua noite ser inesquecível, mas você não seguiu o plano. Não seguiu os meus planos, muito menos os de Deus ao perceber que eu não era ele. E mais uma vez encarei ao meu reflexo de forma miserável.

Você não se parece em nada com seu irmão”, respondeu-me reteso, afastando-se de minhas mãos em tua cintura.

“Como não? Eu pareço em tudo com meu irmão”, respondi-lhe irritadiço. “Não há nem sequer uma diferença entre nós dois. Somos a mesma pessoa, sempre fomos. Por que você não é capaz de me amar, Luhan?”

“Você não é ele”.

E como um choque de realidade que viajou rapidamente por meu corpo em forma de um arrepio na espinha, a verdade caiu como um grande peso em minhas costas e foi então que eu percebi.

Eu não era ele, mas eu queria desesperadamente ser ele.

Tomado por tal tristeza, não pude deixar de chorar em seu abraço.

Você estava amedrontado demais para fugir e ficou ali em silêncio enquanto eu chorava em teu colo como uma criança com medo dos monstros embaixo da cama. Quando afastei-me somente o suficiente para olhá-lo nos olhos, o medo que ali habitavam tornaram meus pesadelos mais reais do que nunca.

Não era daquela forma que você deveria me olhar.

Não era daquela forma que as coisas deveriam estar acontecendo.

Acariciei sua bochecha esquerda como uma forma de me despedir de ti. Toquei seu rosto em todos os pontos que pude e quando você se preparava para perguntar-me onde estava Minhyuk, eu lhe fui mais rápido ao agarrar-lhe o pescoço.

Me enfurecia que sua face fosse tão bela até mesmo pálida… E então vermelha… e então roxa. Até que toda a vida e calor esvaísse-se de teu corpo, que agora parecia tão frágil ao redor de meus braços.

Não se preocupe, pequeno Luhan. Eu protegi você naquele momento, segurei-o como se segurasse meu mundo e beijei teus lábios gélidos.

Te beijar fora ainda melhor do que eu poderia imaginar…

Não há palavras que possam descrever tal sensação.

Com cuidado e atenção, lhe dei um banho e coloquei-o para dormir ao meu lado na cama de meus pais e deitei-me ao teu lado.

Com um sussurro de um boa noite e um selo em sua testa, prometi a mim mesmo que lhe protegeria de agora em diante e você finalmente seria meu.

31 de Julio de 2018 a las 07:10 0 Reporte Insertar 4
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

Historias relacionadas