Cuento corto
1
5.0mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Uma Carta Para o Cara Que Não Me Amou

Oi,Você não deve se lembrar de mim,bem,se você se lembrasse talvez eu não estivesse escrevendo isso pra você agora,mas eu sinto que você precisa saber tudo que eu senti por você até o dia que você me "matou" por dentro.
Minha "morte",bem,foi aos poucos,você conseguiu fazer isso gradativamente até aquela noite,aquela maldita noite que você finalmente me fez sentir como se eu tivesse morrido e bem,eu morri de certa forma.
Mas você precisa saber como tudo começou,como você conseguiu transformar meu conto de fadas em um terrível final infeliz.

Eu nem queria ir aquela festa.

Minha colega tinha brigado com o namorado,mas ela insistiu que eu não me preocupasse e fosse me divertir e eu acabei indo.
Lá eu te conheci e você fez com que eu sentisse que eu era a garota mais bonita da festa, porque a todo momento você passava por mim e me olhava demorado e eu queria tanto que você parasse e falasse comigo,desejei tanto que voce acabou fazendo isso.
Mas contrariando todas as formas que eu imaginei de você vir falar comigo, você escolheu me chamar pra dançar e enquanto dancavamos você me falou de você e eu não conseguia parar de sorrir, porque além de ser lindo você também era divertido.
Minutos depois fomos para um lugar um pouco longe do barulho da festa e você me beijou. Eu não sabia que era possível flutuar com os pés no chão,mas você me mostrou que era e o seu beijo,ah o seu beijo eu nunca saberia descrever, porque algo tão bom assim não dá pra explicar com palavras,só sei que era maravilhoso. Pronto. Não precisava de mais nada,eu sabia que tinha me apaixonado por você no instante em que fechei meus olhos e você me beijou.
Mas você morava longe.

Quilômetros de distância e a gente não ia se ver por um bom tempo. Mas eu sei que você nem pensava em mim quando estava longe,mas eu não te esquecia nem por um segundo.

Então eu queria te lembrar das vezes em que criei coragem e te liguei. É,Você se lembra agora quem é que sempre ligava?pois é,era eu.
Eu ficava o dia todo pensando em vários assuntos que eu podia conversar com você quando te ligasse a noite,eu escrevia tudo em um caderno e quando eu finalmente criava coragem te ligava e ficava olhando minhas anotações para nunca ficarmos com aquele silêncio chato e constrangedor das ligações.
Eu não sabia muito sobre sua vida,agora eu sei porquê,eu não fazia parte dela,mas naquela época isso não importava pra mim.Ouvir sua voz era importante pra mim. E você cantava pra mim quando eu te ligava, então eu tenho que te "agradecer" por nunca mais ter conseguido ouvir You Give me Something de James Morrison sem sentir um aperto por dentro. E também por me sentir triste de certa forma toda vez que você me encontrava quando estava com seus amigos e fingia não me conhecer.
Mas eu fingia pra mim mesma que nós éramos seu segredo,que no fundo você se importava comigo apesar de só me procurar nos fins das festas.
Éramos jovens e você sendo popular tinha a atenção de todos enquanto eu era só uma garota tímida e com poucos amigos não tão populares quanto os seus.
Mas apesar de ir morrendo aos poucos por amar você eu ia suportando tudo, porque eu tinha em mente que você sempre estaria lá nem que fosse pela metade,nos fins das festas,quando ninguém estava nos vendo.
Até que...Bem,você me disse que estava namorando. Mas eu não levei tão a sério, até porque você queria me beijar mesmo depois de confessar isso. Então naquela festa, acho que nós tínhamos um destino: nos conhecer em uma festa,viver momentos inesquecíveis(pelo o menos pra mim) em uma festa e acabar tudo em uma festa.

Você a beijou.

O estranho é que eu não senti absolutamente nada.

Eu fiquei naquela festa,eu dancei com meus amigos enquanto você a beijava e olhava pra mim. E eu achei que fosse me sentir assim no dia seguinte.

Mas não.

No outro dia eu não conseguiria descrever aqui como eu me senti. Era como se alguém que eu amasse tivesse morrido. Na hora eu não percebi,mas esse alguém que eu amava e que morreu, era eu.
Eu morri naquele dia,a pessoa que eu costumava ser. A garota forte e que acreditava no amor morreu naquele dia.
Não vou dizer que você estragou tudo,que me fez uma pessoa horrível depois disso, porque já passei dessa fase.
Mas de alguma forma eu quero te agradecer,eu sei que isso é meio bizarro,mas eu realmente quero te agradecer, porque hoje eu sou uma pessoa diferente,eu sou mais cuidadosa,mais sensível,mais realista.
Mas o ruim disso tudo é que não acredito mais em contos de fadas ou amor a primeira vista e isso era algo em que eu amava acreditar.
Como você me disse na última vez que nos falamos: "Nunca diga adeus,diga até algum dia."

Então,até algum dia.

28 de Julio de 2018 a las 00:26 2 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Sandy Santana Amo séries, livros e música!

Comenta algo

Publica!
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
É uma pena que ainda existam idiotas (de todos os gêneros) que sejam capazes de fazer exatamente isso. De fingir que não conhece, se fazer de indiferente e até maltratar na frente dos outros em alguns casos, enquanto que, quando ninguém está olhando, é o cão ferido que ele(a) está desejando. Fazer o quê? Nem todo mundo é honesto consigo mesmo, e prefere ferir a enxergar.
27 de Julio de 2018 a las 21:11

  • Sandy  Santana Sandy Santana
    Triste realidade. Alguém sempre está ou vai algum dia estar passando por isso. 29 de Julio de 2018 a las 13:42
~