Comemorar um dia especial Seguir historia

yoonseok_never Yoon Seok

Aniversário de Yoongi, e Hoseok está planejando uma festa surpresa, porque para o ruivo deve sim comemorar o aniversário do amado, é um dia especial de uma pessoa encantadora. E para Yoongi não descobrir, ele faz o azulado buscar um pacote na cidade, enquanto arruma as coisas para a pequena festa. Hoseok acha que Yoongi está demorando demais e resolve ligar, o mesmo atende enquanto está dirigindo e ele descobre que tem uma festa surpresa vindo, mas o que eles dois não imaginavam era que um caminhão desgovernado bateria no carro de Yoongi. O que será que vai acontecer com o Yoongi? E Hoseok, ele ouviu todo o acidente? Ainda haverá festa?


Fanfiction Bandas/Cantantes Todo público.

#romance #drama #gay #despertar #yoonseok #sope #trágedia #dor #lágrimas #min-yoongi #jung-hoseok #acidente #coma #aniversário #surpresa #comemoração
Cuento corto
3
4660 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Seu aniversário


— Yoongi… — chamo baixinho perto da pequena orelha pálida.


— Hm? — resmunga sonolento.


— Yoongi, acorde. Já está na hora.


— Hora de que Hoseok?


— De levantar, bobinho.


— Ainda está bem cedo, me deixe dormir mais um pouco. — pede o azulado, se escondendo no edredom ébano.


— Nada disso. Eu preciso que você levante para me ajudar. — falo puxando delicadamente o edredom, fazendo a claridade do quarto te despertar totalmente.


Logo escuto um pequeno bufar vindo de si, se senta na cama preguiçosamente e emburrado por não ter deixado dormir mais um pouco. Uma graça!


— Ajuda em quê?


— Que você vá buscar uma encomenda para mim lá no correio!


— Não pode esperar o próprio correio trazer aqui em casa?


— Não!


— E por que não pode? — questiona com aquele jeitinho mandão.


— Porque eu já esperei demais por essa encomenda e até agora não entregaram. Então o senhor poderia ir lá buscar para o seu querido Seokie? — utilizo toda a manha que há dentro de mim para fazer a pergunta que salvará a minha vida por algumas horinhas.


Ele fica me encarando por um bom tempo com aqueles olhinhos pequenos e sonolentos, até que finalmente eu escuto o que queria.


— Tá, eu posso fazer.


— Agora levante essa linda bunda branca e vá se arrumar para ir buscar a minha encomenda.


— Espera… Isso é para agora?


— Sim!


— Mas Hoseok, o correio nem deve está aberto ainda?! — Yoongi me olha totalmente incrédulo.


— Por isso mesmo. Você irá chegar cedo e será o primeiro a ser atendido, em questão de minutos você estará de volta. — na maior cara de pau que tenho começo a enxotá-lo da cama com um sorriso largo de pura diversão.


— Hoseok?!


— Por favor. — imploro fazendo o biquinho que ele tanto ama e acha fofo demais.


— Aish Hoseok! — resmunga baixinho com as bochechas rosadas. — Ok.


— Te amo, pequeno. — revelo beijando suas bochechas cheinhas.


Enquanto esperava ele se arrumar, desci correndo as escadas para esconder o bolo que estava semi-pronto, só faltava colocar a cobertura de chocolate e por os docinhos na geladeira e tudo estaria prontinho para a festa de mais tarde. Foi completamente difícil fazer essa festa surpresa para Yoongi, porque ele odeia comemorar o aniversário dele, ao contrário de mim que precisa comemorar momentos muito importantes.


E o aniversário dele é, porque se ele não existisse o que seria de mim? O meu mundo com toda certeza seria menos colorido. Já que é ele que torna as cores mais vivas com o seu jeitinho marrento e manhoso em certos momentos, seus gestos tímidos em demonstração de carinho entre outras coisas em momentos só nosso.


Termino de limpar a bancada e escuto passos na escada, e lá estava ele descendo emburrado mas lindo, como sempre, me fazendo suspirar como uma adolescente que acaba de conhecer o amor pela primeira vez e que não quer que esse momento acabe nunca. E eu realmente não quero, nunca me senti tão feliz como estou agora vivendo ao lado de quem eu amo.


— Você quer que eu passe em outro lugar além de buscar a sua encomenda?


— Hm… não, só quero que você vá buscá-la e volte para casa o mais rápido possivel.


— Então, eu podia ficar e amanhã e buscaria o seu pacote, que tal? — pergunta abraçando minha cintura com um biquinho mordivel nos lábios rosados.


— Não, não pode. Você prometeu que iria, Yoongi — já reclamo porque sei que não conseguiria controlar negar algo àquele baixinho manhoso.


— Você é chato, hein. — revira os olhos jogando o cabelo para trás.


— Que você ama. — não consigo deixar de ser pretensioso em relação a isso e provoco com um sorriso malicioso nos lábios.


— Pior que é verdade. — murmurou me olhando de canto de olho.


Só de ouvir algo assim dele, me esquenta tanto por dentro.





Com muito esforço consegui fazer com que o Yoongi saísse de casa, sem que ele percebesse o que estava fazendo na cozinha, porque eu nunca tive muita sorte na minha vida. Na verdade só dei sorte quando conheci esse baixinho marrento e manhoso e consegui fazer com que ele pertencesse a ela.


É engraçado que sempre fizemos parte do mesmo grupo de amigos, mas nunca conseguimos nos conhecer realmente. Lembro até hoje do Namjoon e Jimin comentando sobre um tal de Min Yoongi, que ele estava com eles minutos atrás. O nome dele sempre era citado em algum momento das nossas conversas e isso me deixava completamente curioso, porém sempre que eu achava que iríamos conseguir nos encontrar a expectativa era dilacerada.


Era completamente frustrante, mas um dia por obra do destino — o que eu adoro sempre colocar como ponto principal — nos esbarramos e eu não fazia a menor ideia de que era ele. Só mais tarde em uma ida na lanchonete perto da faculdade que eu conheci o famoso Min Yoongi, o garoto que eu havia derrubado no corredor.


A partir dali começamos a conversar - para ser mais sincero eu falava e ele me ouvia - e uma amizade foi se formando e crescendo ao ponto de evoluir uns meses depois. E cá estamos nós morando juntos como se fossemos casados e totalmente felizes.


Hoje comemoraremos o aniversário do Yoongi com nossos amigos, sei que quando ele descobrir vai reclamar porque ele não queria ter uma festa e do nada brotou uma, mas lá no fundo sei que ele vai se fazer de durão e reclamar muito no meu ouvido. No entanto vai se sentir bem por ter todos que são importantes ali.


Ele já deve ter chegado no centro para pegar a encomenda, torço para que tudo dê certo e que enrolem bastante ele lá, ainda não consegui terminar tudo para a festa surpresa. O bolo já está pronto, os docinhos também, agora é só esperar que os meninos cheguem com a carne para o churrasco.


Conheço bastante o meu pequeno e como ele ama carne, fazer um churrasco com os amigos vai ser bem divertido. Já tem uma hora que ele foi buscar a encomenda e nem uma ligação ainda, vou aproveitar que está tudo pronto e os meninos já chegaram para ligar, a parte boa é que no nosso carro tem um aparelho que dá para atender a ligação sem precisar sofrer um acidente.


Lembro até hoje de Yoongi com os olhinhos arregalados quando o telefone tocou e logo em seguida a voz de Namjoon surgiu querendo confirmar se estava tudo ok, para a nossa saída à noite. Enquanto a chamada é feita torço para que ele não surte ao atender.



“Amor?”


HOSEOK?!” em vez de um cumprimento tímido recebo um grito.


“Que foi?” questiono curioso com esse ato do Yoongi.


QUE FOI? VOCÊ AINDA TEM A CARA DE PAU DE PERGUNTA O QUE FOI?!!


“Sim, eu nem sei o que aconteceu.”


Coitadinho do Jung Hoseok, ele não sabe de nada. NUNCA SABE DE NADA!” quando pensei que ele não iria mais gritar e só ficar no deboche, leigo engano.


“Se você não me disser, eu nunca saberei, meu anjo.”


Você me mandou buscar uma encomenda, tive que enfrentar uma fila gigantesca para ser atendido. Basicamente uma hora na porra de uma fila, para quando chegar no balcão e não ter porra nenhuma de encomenda, HOSEOK!”


“Yoongi.”


Cala a boca, cala a boca. Você me acordou para ir em um lugar que não tinha nada” a irritação não abandona sua voz.


“Também não é assim.” tento acalmá-lo com a voz mansa.


Como não Hobi, você sabe que eu amo dormir.” diz com a voz manhosa e imagino ele fazendo o famoso biquinho.


“Amor...” tento segurar a risada, mas falho quando escapa baixinho.


Não ria!


“Desculpa, eu acho que acabei me enganando e...” sou cortado com sua fala acusadora.


Mentira! Você não queria que eu ficasse dormindo no meu aniversário.”


“Que isso Yoongi! Eu nunca impediria você de fazer algo disso.” afirmo convicto, já que eu sei que meu baixinho ama dormir.


Ah então você me mandou para buscar algo inexistente, porque está planejando uma festa surpresa?”


“Er...”


Hoseok, não me diz que foi por isso que me acordou?


“N-Não, imagina...” merda, eu não consigo mentir para esse baixinho.


Hoseok!”


“Yoongi!”


Você sabe que eu não gosto dessas coisas.” e em questão de segundos ele começa a reclamar.


“Mas eu gosto, é um dia especial e merece ser comemorado.”


Hobi...”


“Yoongi deixa de ser chato.”



Antes que ele pudesse me responder escuto um barulho de buzina e pneus deslizando descontroladamente pela pista. Logo em seguida o som de batida bem alto, e depois dessa vasta barulheira um silêncio cobre o outro lado da linha.


Essa quietude já me faz sentir o peito apertado e um nó gigantesco na garganta, só de saber que a pessoa que amo está assistindo um possível acidente me deixa totalmente aflito. Não faço ideia de quanto tempo ficou sem som, até que uma onda de gritos começa me deixando completamente preocupado por não ouvi-lo.


Tento me manter calmo para não deixar ele mais assustado do que já deve estar, Yoongi odeia sangue e com toda certeza ele não deve saber o que fazer. Então resolvo chamá-lo calmamente.



“Yoongi? Amor? O que aconteceu?”


“...”


“Amor, fala comigo.”


“Meu deus, Yoongi o que esta acontecendo?”


...


“Me responde!”


... chamem a ambulancia


“Yoongi? Me responda por favor.”


Tem alguém dentro do carro e gravemente ferido, vamos tentar tirá-lo de lá.


“Ai meu deus! Por favor alguém me diz se o Yoongi está bem”


“...”


A ambulância cheg-... moço continua... os olhos abertos


“ALGUÉM PEGA A PORRA DO CELULAR E ME FALA SE A PESSOA QUE ESTAVA NO CARRO ESTÁ BEM?”


“...”


“...”


“ALÔ?! ALÔ??!”


chamada encerrada



O desespero se apossou de mim de uma forma que eu não sabia o que fazer, só senti meus olhos se encherem de lágrimas e tudo ficar abafado ao meu redor. Namjoon e Jimin correram em minha direção perguntando o que havia ocorrido, mas eu não consegui responder nada. Tudo estava preso em minha garganta e uma dor no peito insuportável.


A única coisa que passava em minha mente era que Yoongi poderia estar morto pela histeria da pessoa que o socorria, o pior disso tudo era que ninguém parece enxergar o celular ao lado dele. Não sabia em que hospital haviam levado o meu pequeno, me sentia completamente sem chão.


Até que horas depois recebi a ligação de um número desconhecido que em segundos descobri ser o Hospital Bae-Nam, me informando que havia um parente meu na sala de cirurgia por ter sofrido um grave acidente e pedindo para que eu fosse lá assinar as papeladas de internação e tudo mais. Não pensei duas vezes e chamei um táxi para ir ao Hospital.


O Doutor que fez a cirurgia em Yoongi me explicou que o estado em que ele chegou era muito grave, mas que no momento ele estava fora de risco, porém ficaria na UTI em observação para ver se não teria uma complicação após a operação. Em momento algum me deixaram entrar na UTI para vê-lo e isso durou três dias.


A sensação que tinha era agridoce, porque por um lado sabia que ele estava vivo e ficaria bom, mas por outro ele poderia piorar e me deixar, e isso é completamente doloroso. Depois de passar as setenta e duas horas na UTI, Yoongi foi encaminhado para o terceiro andar onde ficavam os quartos, demorou mais algumas horas até o Doutor me deixar entrar no quarto para ver o meu pequeno.


Vê-lo deitado na cama com vários aparelhos conectados em si monitorando cada batimento e respiração me destruiu. O roxo que estava no lado direito do rosto pela batida e o braço enfaixado me fez desmoronar em segundos. Nada daquilo deveria ter acontecido, porque aquilo tinha que acontecer em um dia tão especial?


— Quanto tempo ele ficará assim, doutor?


— Até que o corpo dele fortaleça e não será necessário de tanta ajuda.


— Mas ele vai acordar?


— Vai, mas no momento o melhor é deixá-lo em coma para que ele não sinta tanta dor.


— Entendo…


Se Deus existe mesmo, desejo que meu Yoongi volte para mim, que quando ele acordar esteja tudo bem e que tudo isso que passamos seja só um susto. Eu não sei viver sem ele.


— Volte para mim, Yoongi. — murmuro tocando levemente o rosto pálido com manchas roxas. — Você não pode desistir de nós.






Os dias foram se passando, e nada dele acordar para me tirar desse sofrimento sem fim, muito pediram para que eu desse a paz e desligasse os aparelhos, mas eu não consigo desistir dele. Yoongi nunca desistiu de mim em momento algum de fraqueza, não será agora que irei dar para trás e simplesmente me render ao que os outros acham melhor. Irei esperar o tempo que for, sejam dias, semanas, meses ou até mesmo anos.


Eu sei que ele irá acordar, só não está no momento certo ainda. Ele não está pronto e quando chegar a hora irei ver o meu Yoongi sorrindo de novo para mim, reclamando que não o deixo dormir um minuto sequer em paz.


Mas não posso negar que a cada segundo que se passava se tornava doloroso demais vê-lo dormindo profundamente nessa cama de hospital, dói demais. Passei por uma terrível fase que me culpava por tudo, porque ele não acordava e que isso era culpa minha. Fui eu que mandei ele ir buscar a porcaria da encomenda no centro e ainda liguei para ele enquanto estava dirigindo.


Sei que não é minha culpa e muito menos dele por isso ter ocorrido, e sim daquele maluco que estava bêbado e avançou o sinal e bateu com tudo no nosso carro. E agora estou aqui vendo aquele que amo tanto desacordado, já se passaram oito meses e ele não voltou. Por que meu deus? Isso é para me castigar? Se for, está sendo o pior castigo que existe, mas irei continuar aqui firme e forte, por você Yoongi. Por mim, por nós.





A chuva cai sem parar lá fora e a única coisa que faço na nossa casa é observá-la com uma dor no peito, já se passou tanto tempo desde o dia em que eu olhei para aqueles belíssimos olhos e sorriso gengival. Quero sentir o peso do pequeno corpo e quente junto ao meu, me acalentando e aquecendo nos dias frios de inverno. As risadas que escapavam em meio às brincadeiras e carícias embaixo do edredom, os sussurros e até mesmo os sons manhosos em um momentos de luxúria e paixão intensa. Mas isso tudo parece tão distante, como se fosse de outra vida, uma era que passou e vagas memórias surgem em meio a quietude da casa que um dia foi animada e viva.


Hoje é seu aniversário Yoongi, um dia tão especial porém tão triste que me aperta o peito e o ar me falta, você poderia estar aqui comigo comemorando o seu dia. Reclamando que era besteira estar comemorando algo tão banal e que eu deveria te deixar dormir mais um pouco usando a desculpa de ser um dia especial; deveria ganhar o seu amado descanso especial.


Eu com toda certeza iria chiar por não estarmos fazendo nada legal para comemorar esse dia importante demais para mim e para você - mesmo que negue. Sairia da cama fazendo um falso drama para ver se o baixinho preguiçoso iria se levantar da cama, mas ele não cairia mais nesse teatro e me ignoraria com sucesso.


Por mais que estivesse fingindo estar irritado, desceria as escadas sem fazer barulho e tiraria o bolo de dentro do forno. Colocaria as velinhas que comprei expondo a sua idade - já que mesmo com a carinha de bebê, você não é mais tão novo assim - e do mesmo jeito silencioso que desci as escadas subiria para o nosso quarto. Fazendo um mistério total com a minha entrada repentina no quarto despertaria a sua curiosidade e quando resolvesse tirar o edredom de cima do rosto inchado de sono, veria o bolo que fiz, sendo seguido pela canção de parabéns.


Sei que você sorriria envergonhado e faria o seu adorável biquinho resmungando que não precisava, porém o brilho em seus olhos me indicaria que foi um dos melhores presentes e que estava totalmente feliz com esse pequeno ato meu. E o sussurro que escaparia de seus lábios: “Obrigado Seok” e eu só conseguiria sorrir largamente e puxá-lo para um abraço bem apertado com direito a vários beijinhos em seu rosto.


O melhor modo de comemorar o seu aniversário.


Contudo…


Isso não passa de um sonho meu que se repete, na véspera e no dia do aniversário do Yoongi. Já se passaram cinco anos e o meu pequeno continua no mundo dos sonhos, em momento algum durante esses meses e anos deu sinal de que iria acordar para me agraciar com a sua adorável presença. Só sustos e apertos no peito quando a dois anos atrás sofreu uma parada cardíaca, ninguém sabe o quanto me senti inútil ao assistir os médicos tentando reanimá-lo.


Alí estava ele em minha frente, partindo sem se quer me dar adeus e isso me dói tanto que chegou em um momento em que não sabia mais o que deveria fazer sobre tudo aquilo. Novamente o hospital tentou me convencer com a ajuda de nossos amigos que o melhor seria desligar os aparelhos, mas não irei fazer isso.


Se ele lutou para voltar no momento em que quase partiu, não serei eu quem desistirá. Porque somos teimosos demais para desistir um do outro.





Não faço a menor ideia de em que momento adormeci em meio aos pensamentos sobre nós dois, a dor de não te ter em meus braços e a vontade que sinto em te ver acordado implicando comigo. Demorou um tempo para eu perceber que o que havia me acordado era meu celular que não parava de tocar, de imediato já pensei que era algum dos meninos achando que eu precisava sair para me alegrar um pouco.


Cheguei a pensar seriamente em ignorar e desligar a chamada, porém o que me chamou a atenção foi o número desconhecido. Algo dentro de mim vibrou e por incrível que pareça tudo começou a ficar lento a minha volta. Minha respiração se tornou alta e as batidas do meu coração soaram gritantes em meus ouvidos.


Antes que a chamada fosse encerrada, a atendi e levei o celular para perto do meu rosto e escutei uma voz feminina.


Boa tarde, é com o Sr. Jung que falo?


“Sim”


Aqui é o Hospital Bae-Nam, estamos te ligando para avisar sobre o estado de Min Yoongi


Quando ouvi isso, tudo que se passava lento começou a acelerar de uma forma absurda me deixando completamente nervoso para saber a resposta. Torcia com toda a minha força para que não fosse nenhuma notícia ruim. Eu não suportaria uma coisa dessas.


“O que aconteceu?”


Bom, Sr. Jung temos uma boa notícia para o senhor.”

“Q-Que seria?”


“O paciente Min Yoongi acaba de sair do coma.”


“Oh meu deus!”


O Doutor Kim pediu para avisá-lo sobre o despertar do paciente, o senhor poderia vir agora?


“SIM! SIM! E-eu estou indo pr'aí agora mesmo.”



Após ouvir a notícia que o amor da minha vida acabara de despertar daquele sono profundo e sem fim, tudo à minha volta começou a tomar forma e cores. Um peso que me fazia definhar aos poucos, mas o que eu perdi nesse tempo todo foi recuperado com essa excelente notícia.


Saí da cama e fui em direção ao banheiro para tomar um banho e me arrumar de uma maneira mais agradável para o meu amado, seria o nosso reencontro e tinha que estar todo arrumado. Em menos de dez minutos já estava pronto e correndo em direção à frente da casa para ir pro Hospital Bae-Nam, peguei um táxi que passava naquele instante vazio na rua e pedi para que fosse o mais rápido possível em direção ao Hospital.


Chegar lá nunca demorou uma eternidade, mas finalmente consegui. Me apressei, subindo correndo as escadas para o terceiro andar e saindo em disparada quando cheguei no andar pelo corredor gigantesco em direção ao quarto do meu amado.


Antes que pudesse chegar no quarto encontrei com o doutor Kim que me puxou para um canto, para explicar a situação de Yoongi.


— Então é verdade mesmo? Ele acordou?


— Sim, o Yoongi acordou faz uma hora.


— Uma hora e só agora vocês resolveram me ligar? — questiono um pouco irritado pelo fato de ter um tempo dele acordado e ninguém me comunicou nada.


— Hoseok, eu precisava saber se estava tudo bem com o paciente, não poderia expor ele a muita agitação logo de cara, entenda que foi para o bem dele e para o seu também. — a maneira calma e firme com que o Doutor Kim falava comigo me fez ficar um pouco agitado e ao mesmo tempo tentava me acalmar por ser uma situação delicada.


— Eu entendo doutor, irei me acalmar pelo bem do Yoongi. Ele voltou, doutor!


— Eu sei, por essa uma hora acordado não mostrou nenhuma sequela nos exames que realizei, esta tudo em ordem com ele, porém…


— Porém? — o fato dele ter dito um “porém” já me deixou inquieto e nervoso, porque ele havia acabado de dizer que estava tudo bem e agora vem com isso? O que será que aconteceu com meu Yoongi?


— Olha Hoseok, irei ser sincero com você. Não sabemos ainda se ele perdeu a memória, mesmo que nos exames tenham dito que ele não tem nenhuma sequela daquele acidente. Ele ficou cinco anos em coma, então peço que vá com calma.


Ao ouvir aquilo do doutor, eu senti o meu mundo desabar mais uma vez, a felicidade não cabia em mim ao saber que ele finalmente acordou. Yoongi voltou para mim, como o prometido, porém a fala do doutor foi como um soco forte na minha cara. O meu pequeno nesse meio tempo de sono profundo pode ter perdido a memória, esquecido do que vivemos e passamos juntos.


Saber dessa possibilidade é extremamente doloroso e eu não sei se eu posso aguentar, mas por ele irei tentar. Yoongi pode ter perdido os nossos momentos do passado, entretanto eu posso lhe dar momentos futuros daqui para frente. Novas memórias.


— Entendi, doutor Kim. Posso ir vê-lo agora?


A ansiedade e o medo me dominavam a cada segundo que o Doutor a minha frente não respondia a minha simples pergunta e ficava só me olhando sério, avaliando-me para vê se eu estava apto para entrar no quarto do Yoongi, meu namorado. Não é como se eu o fosse assustar ou entrar gritando com ele, talvez puxá-lo para meus braços e dar-lhe um forte abraço que irá transmitir toda a saudade que sentia dele.


— Pode, Hoseok. Não se esqueça de conversar calmamente com ele e de se apresentar.


— Tudo bem.


Não esperei o doutor falar mais nada e saí em disparada em direção ao quarto em que Yoongi está, o corredor do hospital nunca foi tão longo durante esses cinco anos em que ele esteve adormecido. A cada passo que eu dava, meus pensamentos fervilhavam e o principal deles é que ele não tenha perdido a memória. Que esteja bem e no momento esteja desorientado por ter passado tanto tempo dormindo. Eu não quero que ele se esqueça de nós, de mim, do que tivemos naqueles três anos juntos. Mas se tudo tiver apagado, não irei dar as costas e sim o farei viver coisas novas e com o tempo elas possam voltar. Se não voltarem, eu posso contar como tudo aconteceu entre nós.


Meus pensamentos eram tantos e não paravam um segundo sequer que eu não percebi que cheguei ao final do corredor e estou em frente à porta do quarto do Yoongi. Para ser sincero, não sei se consigo entrar, eu sei que esperei tanto por isso e eu quero entrar, no entanto não sei se vou conseguir não chorar ao vê-lo acordado. Mesmo que o medo me corroa por dentro, não irei dar para trás e o que me espera ali dentro irei ser forte e enfrentarei com o ele.


Tudo a minha volta parecia que se transformou em câmera lenta, minha mão demorava um século para chegar à maçaneta da porta, e quando a empurrei para abrir eu consegui ouvir o meu coração batendo acelerado em meus ouvidos enquanto a porta se abria aos poucos revelando a pessoa que mais amo, sentada na cama e acordada.


A sensação de ver ele acordado e me encarando com aqueles olhinhos castanhos, fez com que um enorme peso que estava em minhas costas desaparecesse e a vontade de correr até ele e chorar por finalmente ele estar ali é gigantesca.


Tenho uma leve sensação de querer me beliscar para ver se realmente estou acordado e que nada disso é mais um sonho que estou tendo com ele acordado. Meu Deus! Por favor, que não seja um sonho. Porque se for... Eu não sei se vou suportar. Não queria chorar na frente do Yoongi, mas é impossível.


Ele está acordado.


Ele voltou.


Meu Deus, obrigado.


— V-Você está b-bem?


Ouvir sua voz, mesmo estando falha e bem baixa. Foi à melhor sensação que senti o que me fez rir e chorar ao mesmo tempo. Passei meu braço direito sobre meu rosto afastando as lágrimas que continuavam a descer sem minha permissão.


—Sim, sim! Eu só estou muito feliz que você tenha acordado, Yoongi.


Ver Yoongi tombar a cabeça para o lado meio confuso, mas com a presença do belo sorriso gengival deu-me coragem para me aproximar e sentar na poltrona perto da cama. Todos os meus movimentos até a poltrona foram observados por seus pequenos olhos castanhos, isso me deixou com um leve arrepio. É muito bom poder sentir isso novamente.


— Eu sou Hoseok, o carinha que divide o apartamento com você, e quem você namora. — eu quis completar com isso, mas seria muita informação. Resolvi deixar em pensamento a última parte.


Yoongi continuou me olhando, não esboçou nenhuma expressão com o que informei isso me deixou com muito medo e com um aperto no peito por ser verdade que ele perdeu a memória durante esse tempo. Eu queria perguntar, mas não sabia como então resolvi que começaria novamente, só que diferente.


— Como você está, depois de dormir por um bom tempo?


— E-Estou b-bem.


— Isso... Isso é muito bom. — murmurei limpando meu rosto que ainda estava molhado pelas lágrimas.


— P-Por que e-eu estou n-no hospital? — questiona curioso, mas é notória a dificuldade na fala por muito tempo sem usá-la.


— Está aqui por ter sofrido um acidente de carro.


— A-Acidente?


— Sim, você estava voltando para casa e falando comigo no telefone, quero dizer, estava no viva-voz que você tem no seu carro. Estava esperando o sinal abrir para poder voltar para casa mais cedo por ser seu aniversário, só que o caminhão do outro lado avançou o sinal e com isso bateu com muita força em seu carro o arrastando por quatro metros. Você bateu a cabeça no vidro da porta mesmo estando de cinto de segurança, foi socorrido rapidamente pelo que me informaram e está aqui até hoje. — conto tudo com um nó na garganta por lembrar do barulho de buzina, da batida no carro, dos gritos e o silêncio na ligação. Para depois de alguns minutos ouvir o barulho da ambulância.


— E q-que dia é h-hoje?


— Hoje, 09 de março de 2020.


— 2020? N-Não é 2015? — noto sua agitação e o medidor cardíaco começar a apitar um pouco mais rápido.


— Yoongi, você ficou cinco anos em coma. — tento não deixar as emoções falarem alto novamente e começar a chorar, nesse momento tenho que acalmá-lo e explicar isso.


— N-No dia do meu ani-aniversário? — sua pergunta me faz ter uma leve esperança que não seja uma perda de memória e sim uma desorientação pela falta de noção de tempo.


— Sim. Você estava fazendo vinte e dois anos naquele dia. Hoje está fazendo vinte e sete anos.


— Eu... Eu tô v-velho — sua conclusão em relação a sua idade atual me fez rir.


— Só um pouquinho. — mostro o pequeno espaço entre meu dedo indicador do polegar, o que o faz sorrir.


Antes que eu possa falar algo mais a enfermeira bate na porta indicando que o meu tempo acabou e que devo deixar Yoongi descansar. Foi muita coisa para entender e que merece ser digerida com uma boa noite de sono. Mesmo que não queria ir embora e fique aqui só olhando ele acordado, não irei atrapalhar a recuperação dele.


— Bom, eu tenho que ir agora. Mas amanhã de manhã cedinho eu volto. Okay?


— Ok.


— Descanse e nada de dormir demais novamente.


— Ta.


— Estou muito feliz que tenha acordado.


Yoongi balança a cabeça positivamente e sorri, a vontade que tenho é de te dar um leve beijo nos lábios, mas sei que não posso avançar demais. Então me despeço dando-lhe um beijo na testa. Sinto o calor de sua pele e escuto o suspiro que soltou com o toque em sua testa, me afasto contragosto e sorriu para si. Viro-me para ir em direção a porta do quarto onde está a enfermeira até que sua fala me faz parar.


— S-Seokie, quando eu vo-voltar pra casa ainda v-vai ter a f-festa surpresa?


A sensação de alegria e alívio que me consome ao ouvir isso, que acaba trazendo lágrimas em meus olhos e o sorriso não cabe em meus lábios. Volto a ficar de frente para o baixinho encostado nos travesseiros.


— É claro que sim, pequeno. Não podemos deixar de comemorar um dia tão especial como esse.


Em resposta fui presenteado com um belo sorriso gengival. Logo, logo iremos para a casa e a festa estará te esperando, como eu irei te esperar até o final. Porque temos que comemorar um dia tão especial, o seu aniversário, Yoongi.

23 de Julio de 2018 a las 14:39 0 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Yoon Seok ❀¸。ʏᴏᴏɴsᴇᴏᴋ ʜᴀʀᴅ sʜɪᴘᴘᴇʀ¸。❀ 彡 ʏooňɢı!ɞoţţom sզuѧԀ 彡 һosєoҡ!ţop squad ♡ ¡หd¡ε кσяεคห ♡ ❖ ℓєiτσrα❀¸。{ⒻⒶⓃⓉⒶⓈⓂⒶ}❀¸。αρσsєηтα∂α ❖ ɑɱɑ ɛรcʀɛver ɳɑร ɦѳʀɑร ѵɑgɑ

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~