The Little Prince Seguir historia

dreaminggirl Deneb Hwenzel

Tanto Moonbae quanto Donghyuk possuem problemas psicológicos. Moon possui um distúrbio de bipolaridade e depressão que já esteve mais forte, enquanto que Donghyuk é dotado de uma enorme timidez, resultado de fantasmas de seu passado. Ao adentrarem seu terceiro ano de faculdade, eles começam a passar por problemas e provações em sua amizade e, mais especificamente, são adicionados outros sentimentos à suas histórias. No entanto, conhecendo a plena vida de ambos os lados, serão capazes de dar o próximo passo?


LGBT+ Sólo para mayores de 18.

#gay #yaoi #lgbt #original #psicologia #esquizofrenia #loucura #angst #depressão #superação #smut #258 #soft #ajuda #TAS #transtornos-psicologicos #coreia #trsite #psiquiatria #chorar #perturbações #fobias #fobia-social #não-é-kpop
2
5014 VISITAS
En progreso
tiempo de lectura
AA Compartir

prólogo

— Lee Donghyuk

A vista da "Seul Adormecida", como eu e meus poucos amigos costumávamos chamar, era sempre a mais bonita.

A brisa fria do fim do verão batia em meu rosto, enquanto eu subia uma escada vertical no meio da escuridão noturna, seguindo alguns de meus amigos até um local que eu não fazia ideia de onde era.

— Moon, aonde caralhos você está nos levando? — Jinwoo, meu melhor amigo de infância, perguntou alto para aquele que nos meteu nessa.

— É uma surpresa! — a voz aveludada declarou. — Confiem em mim, eu tenho certeza que vão gostar.

— Hyung, certeza de que isso é uma boa ideia? — Minhyuk, ou Rocky como costumávamos chamá-lo, questionou o irmão mais velho, que provavelmente sorria de forma quadrada enquanto nos incentivava a continuar subindo.

— Olha só, já chegamos! — o moreno que estava na frente exclamou. Estava muito escuro, por isso eu não enxergava nada, mas consegui escutar seus pés baterem sobre uma superfície, provavelmente de metal.

Eu era o último da fila, então logicamente escutei todos os três chegarem na minha frente. Quando estava subindo a superfície, uma mão estendeu-se na minha direção, me fazendo forçar a visão para ver seu dono. Moonbae a estendia para mim, com aquele exato sorriso quadrado de quem mal pode esperar por algo.

Aceitei a ajuda e subi no mesmo lugar que ele, não reparando muito no local em primeiro plano. — Muito obrigado — falei.

— Não foi nada, hyung! — o mais novo declarou, se virando para o outro lado e andando um pouco. Acompanhei sua visão até o que realmente importava.

— Meu Deus, Moon, aonde a gente tá?! — Rocky perguntou. Sua voz exalava uma felicidade aparente enquanto eu escutava-o andar por aí.

— Em um outdoor abandonado — o questionado respondeu. Eu estava totalmente sem palavras.

Estávamos em uma parte afastada da cidade, que poucas pessoas vão, em um outdoor enorme que não era preenchido com propagandas há muito tempo. Conseguíamos ver toda Seul Adormecida de lá de cima, desde as margens até o centro, uma boa parte iluminada, e a outra apagada.

O céu estava sem Lua naquela noite, e o único brilho que tínhamos era o dos satélites e estrelas que podiam ser vistos mesmo estando na cidade. — Como você encontrou esse lugar? — Jinwoo perguntou.

— Bem, isso é história pra outro dia — ele respondeu, rindo e dirigindo seus passos até a grade do lugar, se sentando na beira da plataforma, com os braços firmes na grade e as pernas para fora.

— Você é louco — o irmão dele disse, indo até o mais velho e lhe chutando de leve. — Mas é um louco esperto.

O garoto riu e continuou olhando para a paisagem noturna. — É... Talvez eu seja mesmo.

— Mas, mesmo sendo louco — Jinwoo começou —, encontrou um lugar muito legal.

Eu e os meninos nos sentamos perto do louco que só se mete em encrenca, eu a sua direita, seu irmão a sua esquerda e Jinwoo ao meu lado.

— Eai, Donghyun, o que achou? — ele me perguntou, encostando a bochecha na grade e sorrindo.

Moonbae sabia o quanto eu amava astronomia e paisagens noturnas, então fiquei feliz por ele ter me perguntado. No entanto, minha timidez – que é forte mesmo entre meus melhores amigos – falou mais alto e fez com que eu respondesse um simples: — Esse lugar é incrível.

Ele sorriu – ele sempre sorri – e voltou a olhar para a paisagem. Pegou seu celular em seu bolso traseiro e começou a procurar uma música para colocar, chegando na conclusão que escutaríamos Happy Pills dos Weathers, e o colocando em volume máximo enquanto se levantava e dançava e cantava singelamente, sem jeito algum.

Mesmo ele sendo um dos melhores dançarinos que eu já conheci, ele tende a não demonstrar.

Começamos a rir, todos nós, enquanto Moon fazia seus solos de guitarra com a boca e cantava com vozes estranhas para nos divertir. Entendo porque ele está se preocupando tanto com isso, afinal, daqui dois dias a faculdade volta – dessa vez, Rocky estará conosco, já que finalmente se formou no Ensino Médio –, mas Moon sempre se preocupa se iremos continuar nos falando por causa de nossos cursos diferentes.

Moonbae faz belas artes – mesmo que tenha um dote incrível para música –, Jinwoo faz música – rumo que Minhyuk também decidiu tomar –, e eu faço artes cênicas.

Estamos todos juntos desde o ensino médio, e apenas desejo que fiquemos assim para sempre.

Voltando para o que importa, Moon estava todo feliz dançando, feliz demais. — Bae, você bebeu? — perguntei na inocência, ganhando um olhar de repreensão do mais novo.

— Você sabe que eu não bebo, hyung — respondeu, rindo e revirando os olhos.

Se estivéssemos apenas nós dois eu diria: "não revire o olhar pro seu hyung!" e o faria rir, mas, infelizmente, minha coragem é limitada.

Moon sorriu e andou até mim, pegando em minha mão me puxando para o meio da plataforma enquanto os meninos nos assistiam. — Hyung, você está tão quieto, algo aconteceu? — perguntou enquanto me fazia balançar com ele de um lado para o outro, de mãos dadas.

Minhas mãos estavam frias, e suavam assim como parte da minha testa e minhas têmporas. Senti meu rosto esquentar por um simples contato que já deveria ter deixado de me parecer constrangedor, e analisei sua imagem:

Os braços do mais novo eram definidos e estavam descobertos, já que usava uma espécie de moletom-regata cinza, coisa que gosta bastante nos dias de verão. Além disso, ele estava usando um jeans preto e consideravelmente largo e rasgado, e all stars vermelhos rabiscados como sempre. Por um segundo me perdi em sua imagem e seu corpo, mas logo voltei ao normal.

— Eu sou quieto, Moon — retruquei, o fazendo rir.

— Ah sim, desculpe, eu esqueço da sua timidez as vezes — falou. Eu sorri de canto, era difícil não fazê-lo, já que sempre que a positividade ilumina o rosto de MoonBae, eu sinto que sou iluminado também. Ele entrelaçou nossos dedos, continuando a se mexer bem mais lento do que a música – que já tinha mudado àquela altura. Os olhos de Bae se focaram nos meus, e não saíram mais de lá, e apenas ficamos balançando nossos corpos e braços, sorrindo como os retardados que somos.

— Se forem se pegar, favor, fazer isso em outro lugar! — Rocky brincou, me deixando bem vermelho.

— Aish, fica quieto Rocky — Bae declarou, se soltando de mim e indo até o mais novo. — Acho que quem quer um beijinho é você — o irmão mais novo entrou em desespero e começou a negar e gritar, mas o mais velho lhe deu um beijo na bochecha mesmo assim.

Todos começamos a rir e a apreciar a vista depois disso.

E, naquele dia olhando para a Seul Adormecida, depois de ter dado as mãos para Moon e me iludir um pouco mais com essa minha paixão platônica, fiquei pensando em minha cama o quão bom seria se ele realmente tivesse me tirado de lá e me beijado, da exata maneira que Rocky insinuou. 





18 de Julio de 2018 a las 03:28 0 Reporte Insertar 1
Continuará…

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~