Agridoce Seguir historia

gil-yume1528887881 Yume -ni

Minseok é um hibrido comilão de cinco anos. Ele adora as guloseimas que Chanyeol Hyung faz para ele e não suporta ficar sem seus tão amados pãezinhos chineses, os Baozi. Com carinho, Chanyeol aprimora suas receitas segundo o paladar apurado de seu gatinho. Depois de uma viagem rápida de negócios, eles não esperavam que sua vida pacata poderia mudar tão rapidamente.


Fanfiction Bandas/Cantantes Todo público.

#junmyeon #suho #xiumin #minseok #Minseok-Junmyeon #JunmyeonCat #Chanyeol-Yifan #Junmyeon&Yifan #Minseok&Chanyeol #MinseokCat #yifan #chanyeol #exo #xiuho #krisyeol
16
5.0mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Baozi

Minseok encarava os pequenos pãezinhos em cima da mesa, com seus olhos cheios de expectativa. Sua calda balançava animada e sua boca enchia de água, só de pesar no sabor do recheio dos Baozi’s na forma. Chanyeol Hyung estava colocando mais para cozinhar quando se virou novamente e encontrou o pequeno híbrido com as mãozinhas esticadas para apanhar um dos pães ainda quentes.

— Yah, seu espertinho, o que pensa que está fazendo?

Chanyeol afastou Minseok da mesa, o pegando no colo.

— Você pode se queimar.

— Eu estou com fome, Hyung! – O gatinho miou manhoso, remexendo-se no colo de Chanyeol de maneira impaciente. – Está com um cheiro bom.

— Eu estou feliz que meu gatinho gostou do cheiro, mas está quente e pode machucar sua boquinha.

Ele apertou o nariz de Minseok e o levou para o banheiro da suíte, onde os dois dormiam juntos.

— Hora do banho!

— NÃO!

Minseok começou a se remexer com mais empenho, choramingando.

— Hyung! Banho não.

O pelo de sua cauda estava arrepiado só de pensar em entrar em contato com a água. Chanyeol encheu a banheira, ainda com o híbrido no colo. Não podia correr o risco de ele fugir do banho. Com dificuldade, colocou-o na água morna. Min chiou irritado, mas permaneceu na água enquanto seu Hyung esfregava suas orelhas e suas costas. Quando chegou a vez da cauda o gatinho fez sozinho. Não gostava quando outras pessoas tocavam em um lugar tão sensível como aquele. Enquanto lavava a cauda, Chanyeol esfregava entre seus dedinhos do pé e reclamava de suas unhas compridas.

Adorava ser mimado por Chanyeol e sabia o quanto era sortudo por ter sido adotado por alguém tão legal quanto o confeiteiro. A vida no abrigo não era nada confortável e era constantemente maltratado pelos cuidadores. Ele tinha apenas um amigo chamado Suho, um gato persa que havia sido maltratado por sua primeira família que o havia levado ainda filhote. Ele ficou extremamente reticente em aceitar ser adotado de novo, mas Kris se mostrou carinhoso e compreensivo quanto aos traumas de Suho.

Minseok ficou para trás quando Suho foi adotado, mas recebia constantes visitas do amigo, já que Kris o levava toda a semana, junto com várias guloseimas e brinquedos. Alguns meses depois, ele veio junto com seu amigo, Chanyeol. Park Chanyeol na época era apenas um dos cozinheiros da confeitaria onde trabalhava. Sentia-se sozinho e, quando Kris lhe falou do híbrido de gato que vivia no abrigo, viu a chance de possuir uma companhia durante seus dias solitários.

Conquistar o gatinho foi mais fácil do que imaginava. Enquanto Kris sofreu para conquistar Suho durante meses, depois de algumas semanas, Minseok estava completamente apaixonado por Chanyeol e suas guloseimas. O que ele mais adorava era Baozi, o pão chinês que o confeiteiro fazia com frequência, assim que percebeu a paixão de Minseok pela receita.

Deixar Minseok sem comer Baozi o deixava muito irritado e com o rostinho emburrado de um jeito muito fofo. Chanyeol riu do gatinho enquanto lhe enxugava os cabelos ruivos, cantarolando uma canção para acalmar os ânimos. Desde que adotou o híbrido sua vida ficou mais agitada e divertida, sem falar no treinamento. O paladar apurado de Minseok era o melhor jurado do confeiteiro na hora de testar ingredientes e montar cardápios, rapidamente ele foi eleito o novo chefe e o salário aumentou consideravelmente. A vida se tornou ainda mais cômoda para o híbrido e seu humano.

— Hyuuuuuuuuung! Eu queroooooo! – Min miou enquanto era vestido.

— Yah. Seu guloso. Não pode comer demais, está ficando gordinho. Olha só essas bochechas.

— Não me importo, Hyung!

Chanyeol suspirou, completamente tentado a ceder, mas a médica de Minseok já havia dado bronca sobre a alimentação dele.

— Eu quero comer pelo menos um antes de ir para casa do Suho!

— Eu já disse que ainda não, Minseok. – Chanyeol falou mais firme, tentando ignorar os olhinhos chorosos do gatinho.

Suas orelhinhas se abaixaram e então ele percebeu, Minseok ia chorar. O choro do híbrido deixava Chanyeol completamente desnorteado, ele pegava o menino no colo e andava com ele de um lado para o outro o embalando desesperado para que ele cessasse as lágrimas.

Prometeu pilhas de Baozi, Jiaozi, bolos, tortas e qualquer outro tipo de comida que Minseok gostasse. Ele foi se acalmando aos poucos e, fungando, abocanhou o Baozi que Chanyeol havia colocado em frente ao seu rosto. Com a tristeza esquecida, o confeiteiro suspirou aliviado ao ver o gatinho comendo calmamente em seu colo. Acariciou as orelhas do híbrido que ronronou em seu colo e logo ele estava ronronando em meio a uma soneca inesperada.

Já fazia um ano e Chanyeol não havia aprendido a driblar Minseok ainda.

Quando Kris chegou, para buscar o amiguinho de Suho, o encontrou enrolado no sofá com as bochechas sujas de farinha e a barriga inchada de tantos pãezinhos comidos. Chanyeol estava na cozinha, com uma cara extremamente frustrada, enquanto colocava alguns Baozi’s em vasilhas para que Kris levasse. 

— Deixou que ele comesse demais, de novo Park?

— Eu não consigo. Não consigo negar nada para ele, ainda mais quando chora. – Kris balançou a cabeça em desacredito e sorriu para o amigo.

— Tente conversar com ele. Faz mal para a saúde comer tanta massa o tempo todo. Comer de vez em quando não tem problema, mas o Min já está passando do peso ideal para a idade. Ele só tem cinco anos. 

— Eu sei, eu sei...

Chanyeol ajeitou as vasilhas dentro da mochila do gatinho e entregou para Kris.

— Vou tentar conversar com ele. Você pode falar com Suho para conversar com o Min também?

— Pode deixar Yeol. Eu vou cuidar bem do seu bebê. Sua viagem não vai demorar tanto, não é?

— Não, é só uma exposição de três dias.

Chanyeol acompanhou Kris até a sala, ele pegou Minseok no colo com o híbrido ainda adormecido e se dirigiu até a garagem, com o confeiteiro em seu encalço levando a mochila.

— É tudo feito na hora. Eles gostam de ver o processo.

Kris assentiu e colocou o menino na cadeirinha, sob o olhar paternal de Chanyeol.

— Então nos vemos em três dias.

Os dois apertaram as mãos e Chanyeol observou o carro do amigo se afastar, com seu pequeno gatinho comilão adormecido.

 

# # #

 

Minseok acordou durante a noite com sua barriga fazendo um barulho engraçado. Remexeu-se na cama e esbarrou em Suho sem querer, o amigo o empurrou de volta quase fazendo com que caísse no chão frio. O híbrido se levantou com um bico nos lábios e a cauda arrastando no chão por ainda estar com sono.

Andando pela casa, seus olhos de gato facilitavam a locomoção para que não esbarrasse nos móveis, sua mente de gatuno já imaginava o sabor dos doces que seu Hyung havia feito. Na cozinha ele rapidamente reconheceu as vasilhas em cima da mesa e com maestria pulou na cadeira e da cadeira para cima da mesa. Quando viu todos aqueles Baozi’s a sua disposição, atacou a primeira vasilha, sentindo pena por não estarem mais tão quentinhos, como quando seu Hyung tirava do forno.

Aos poucos ele parou de mastigar, lembrando—se da conversa que havia tido com Kris Hyung, sobre como Chanyeol Hyung estava preocupado com a saúde do seu pequeno híbrido. Ele se sentiu culpado por deixar seu Hyung triste. Olhou para as vasilhas e pensou se Suho também não sentia vontade de comer algum Baozi. 

Desceu da mesa com um dos pães em mãos e correu até o quarto onde o amiguinho dormia. Subiu no colchão e pulou em cima de Suho que chiou irritado com o peso de Minseok em cima de si.

— Minnie! Saaaaaai! Você é pesado. – Ele empurrou o gatinho que caiu de volta no colchão resmungando. Suho levantou esfregando os olhinhos. – O que você está fazendo acordado?

— Toma. – Minseok colocou o Baozi diante dos olhos sonolentos de Suho. O gatinho persa farejou o alimento e mordiscou a massa aos poucos, logo tomou das mãos do amigo e comeu sob o olhar atento de Minseok.

— Myeonnie... Quando você acha que o Chanyeol Hyung vai voltar? – Suho deitou novamente com o amiguinho conchegado em seus braços, como nos tempos do orfanato. Mesmo sendo mais novo, Suho sempre foi muito protetor com relação a Minseok, já que o gatinho sempre foi muito inocente e não via maldade nos homens como ele já havia visto. Quando Chanyeol apareceu, seu coração encheu—se de ciúme e preocupação com seu pequeno Hyung. Minseok ronronou com o carinho de Suho em suas orelhas e virou o corpo para fitar os olhos do gato persa ainda esperando uma resposta.

— Eu não sei, Hyung. Kris disse que seria logo. Então será. – Ele fez um bico insatisfeito com a resposta e voltou a importunar Suho.

— Mas ele prometeu que voltaria logo! Está demorando muito!

— Você tem que ser paciente, Hyung. Se ele prometeu, é porque irá cumprir.

Minseok deitou a cabeça na barriga do seu Dongsaeng e tentou acalmar sua saudade. Rapidamente ele e Suho dormiram embolados um no outro, esquecendo as preocupações de suas cabecinhas infantis.

 

# # #

 

Minseok gostaria de entender alguma coisa, mas Kris Hyung não havia falado nada além de que o gatinho deveria colocar um casaco, pois iriam sair. O corredor do hospital era barulhento, deixando Min confuso com tantos sons e cheiros diferentes por todos os lados. 

Estava assustado.

Queria seu Hyung.

Chanyeol Hyung.

Com os olhinhos cheios de lágrimas, ele abraça as pernas curtas contra o peito, esperando Kris Hyung voltar. Quando ele se senta ao lado de Minseok seus olhos estão vermelhos e o rosto abatido.

— Hyung. O que estamos fazendo aqui? Pensei que a gente ia ver o Chan Hyung.

Kris ficou paralisado sem saber o que fazer. Deu graças a Deus quando a enfermeira se aproximou e pediu para que eles a acompanhassem. O híbrido grudou no rapaz prendendo seus dedos na calça jeans de Kris. Um medo sufocante começou a encher o coração de Minseok quando ele finalmente compreendeu o que estavam fazendo ali. 

Chanyeol estava adormecido em uma maca com vários fios ligados a ele. Uma máscara estava em seu rosto, pois ele não conseguia respirar sozinho, suas pernas estavam enfaixadas e suspensas para cima. Minseok estava tão assustado que se recusava a aproximar-se de Chanyeol, chorado baixinho agarrado a perna de Kris.

— Minnie, o Chan precisa de você agora.

Kris Hyung acariciou os cabelos ruivos de Minseok, tentando acalmá-lo. O híbrido chorou por alguns minutos, ainda grudado na perna de Kris até que levantou o rostinho inchado, pedindo colo. – Chanyeol sofreu um acidente de carro enquanto voltava do aeroporto para casa. Ele está dormindo, mas precisa da sua ajuda para acordar. –  Kris tentou explicar da melhor maneira possível para encorajar o gatinho a chegar a mais perto. Minseok virou o rosto para fitar Chanyeol novamente. Ele estava tão quieto, nem parecia seu Hyung brincalhão. Kris se aproximou calmamente da maca observando as reações de Minseok, quando sentou na poltrona ao lado do amigo, Min segurou os dedos grandes de Chanyeol com sua mão pequena e esfregou os olhos, tentando não chorar.

— Hyung. Desculpa ter demorado, foi tudo culpa do Kris Hyung que não me trouxe logo. Prometo que vou ajudar você a acordar, prometo.

A enfermeira que assistia a cena segurou as lágrimas e sorriu com o carinho de Minseok por Chanyeol. O gatinho pediu para deitar ao lado do humano, e com permissão da enfermeira, Kris aconchegou Min ao lado dele com cuidado. A cauda do bichano se mexa devagar, como se Minseok tivesse encontrado seu porto seguro novamente.

8 de Julio de 2018 a las 00:00 3 Reporte Insertar 4
Leer el siguiente capítulo Jaozi

Comenta algo

Publica!
Alice Alamo Alice Alamo
Oi! A sua história foi colocada "Em revisão" por alguns detalhes. No começo da narrativa, não tem erros, mas, conforme ela avança, alguns vão aparecendo. Esse é o caso por exemplo das vírgulas em vocativos, alguns erros de digitação como "chorado" em vez de "chorando", uso de hífen no lugar de travessão, etc. Esses erros se repetem nos capítulos da história e podem ser resolvidos com uma rápida revisão sua acredito. Caso deseje que a fic seja Verificada, basta fazer as correções e me avisar aqui no comentário, ok? Atenciosamente, Alice, Sistema de Verificação do Inkspired
13 de Noviembre de 2018 a las 12:10

  • Yume -ni Yume -ni
    Olá, todos os capítulos já foram revisados. 28 de Noviembre de 2018 a las 11:35
  • Yume -ni Yume -ni
    Acredito que todos os erros apontados foram corrigidos. 28 de Noviembre de 2018 a las 11:35
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 2 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión