1989 Seguir historia

pcyooda Park Yooda

O colégio podia ser um período intenso para muitas pessoas, mas para Baekhyun era só um lembrete de sua indecisão. Era um ano decisivo, porque além de ser seu último ano como um adolescente colegial, também era o último da década, então ele queria fazer valer. Mesmo que soasse extremamente supersticioso, ele não ligava. Ele só queria que 1989 fosse um ano pra ser marcado na história.


Fanfiction No para niños menores de 13.

#80s #colegial #exo #baeksoo #anos-80
18
4939 VISITAS
En progreso
tiempo de lectura
AA Compartir

1988

O céu estava se preparando para receber os fogos de ano novo, como uma tela inteira negra com alguns pontos de destaque, levementes brilhantes.

Baekhyun estava em uma colina alta com sua família e alguns amigos em volta, esperando para que um novo ano se iniciasse.

Um ano que seria decisivo em sua vida.

1989 era o ano que marcava uma linha entre um fim e um recomeço. Como se fosse o limite dos dois lados, o forçando a escolher um dos dois.

Mas ele não sabia qual lado deveria seguir.

Seguiria para um futuro promissor, uma carreira depois da faculdade? Uma vida normal e rotineira, com sua família genérica, emprego genérico e amigos genéricos?

Ou ele poderia ser livre?

Poderia?

Eram tantas decisões a ser tomadas que o garoto ficava sem ar.

“Dez minutos, pessoal.” Gritou Jackson, seu irmão mais velho.

Estavam todos bêbados e ninguém havia reparado que ele já não estava no meio deles. Ele já não estava no meio de qualquer um, e isso fazia um tempo.

Sentia-se deslocado. Como a peça perdida de um quebra cabeça.

“Hey, amigo. Um pouco mais de ânimo, uh? Até parece que está indo para a guerra.” A ironia era que ele não poderia estar mais certo. Byun estava indo para a guerra consigo mesmo.

O garoto forçou um sorriso.

“Só estou cansado, Jackson. É tudo.”

O mais alto balançou a cabeça, como se entendesse. Mas ele não entendia, não tinha como. A pressão da família era inteiramente direcionada a Baekhyun.

“Tente se animar. Ano que vem vai ser o melhor! Seu último ano no colégio!” Ele estava mais animado que o próprio irmão, e Byun achava isso um tanto engraçado.

Ele suspirou, balançando a cabeça positivamente para o irmão, que lhe fez um carinho na cabeça de volta, o deixando sozinho.

Sim, era seu último ano. Mas também significava ser o ano de decisões. Decisões que pareciam permanentes.

Ele se sentia um pouco sem rumo ou direção, apenas vivendo o momento.

Sentia-se como uma alma vagando, a procura de um corpo para se estabelecer.

E esse corpo, ele sabia, era uma mera casca de algo que ele não podia controlar: seu futuro.

O futuro era assustador.

Principalmente para um adolescente em seu último ano de colegial.

Ele sentia como se tivesse que resolver sua vida inteira em um ano só.

E esse ano era 1989.

“3 minutos, já estamos quase lá.”

Será que estavam?

Ele suspirou, pegando a garrafa de soju que havia roubado do tio, enquanto este estava ocupado demais desmaiando na cadeira reclinável.

Bebeu três goles, tossindo um pouco pelo mal costume de beber. Pensou em fazer algum tipo de promessa supersticiosa antes que o ano se iniciasse, quem sabe assim não começaria com uma meta?

“Devo começar a prometer coisas, então?” Ele riu debochado. Já estava soando como um maluco.

“Já vai começar.” Alguém gritou ao fundo, fazendo com que todos corressem para se reunir antes dos fogos começar a brilhar no céu.

O primeiro foi um rastro dourado. Seguido por mais três. E depois um laranja, fazendo uma sucessão de cores que pareciam lindas vistas com os olhos de alguém otimista.

O que não era o caso de Byun.

A contagem se iniciou, e ele pensou que deveria começar a falar ou então não iria conseguir fazer o seu trato com a Sorte.

“10!”

O garoto suspirou, acompanhando os rastros de luz no céu.

“Eu prometo me empenhar mais na escola.”

“9!”

“E confiar mais nas pessoas.”

“8!”

“Prometo fazer novos amigos.”

“7!”

“Quem sabe até uma tatuagem.” Ele sorriu, achando graça.

“6!”

“Prometo aceitar mais convites.”

“5!”

“Aceitar mudanças…”

“4!”

“Não bater no Chanyeol.” Isso seria quase impossível.

“3!”

“Prometo ser eu mesmo, verdadeiro acima de tudo.”

“2!”

“Prometo não bloquear meus sentimentos.”

“1!”

“E mais do que tudo, prometo fazer esse ano valer.”

“FELIZ ANO NOVO!” Todos gritaram juntos, se abraçando e brindando a passagem com seus copos na mão.

Baekhyun ergueu seu pequeno copo de Soju pro céu, como se estivesse brindando com o próprio ano que estava vindo.

“Feliz 1989.”

E virou o gole garganta abaixo.

28 de Junio de 2018 a las 17:05 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Reminiscence

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 4 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión