Little Faith Seguir historia

miwasama Beatrice Merlin

Três anos. Já se passaram três anos e as sensações que você costumava provocar em mim ainda permanecem cravadas em minha memória... Leia escutando Rise - Boyce Avenue.


Cuento Sólo para mayores de 18.

#oneshot #songfic
Cuento corto
0
4.9mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Little faith

Três anos. Já se passaram três anos e as sensações que você costumava provocar em mim ainda permanecem cravadas em minha memória.

Abri a janela esta manhã e foi estranho, muito movimento, muito barulho e mesmo assim, tudo parecia andar tão devagar. O tempo, este sim não muda, não espera, não pára para nada; e mesmo assim, hoje pareceu estar mais preguiçoso.

Eu olhei para o retrato no criado mudo e notei algo diferente, as cores que preenchiam aquela foto já não estavam mais ali, a alegria que ela transmitia agora era como adagas cravadas em meu peito, era como um abismo que sussurrava meu nome em meio ao vazio, e eu era cada vez mais atraída. Toquei aquela imagem como se ela transmitisse algum calor, mas a única coisa que eu sentia era o frio toque do vidro da moldura; com pesar deixei aquele vestígio de sua presença para trás.

Os frágeis resquícios de luz que adentravam pelas janelas eram o suficiente para mostrar o quanto eu já não me importava com nada, tudo parecia tão... Intocável. Preferi sair para o mesmo lugar que costumava me animar; ledo engano, ali era justamente o lugar onde teu cheiro costumava impregnar o local. Vi seu amigo ali, ele sorriu, um tanto triste, eu entendo, mas ainda assim, é difícil acreditar. Você entende, não é?

O som das buzinas que passavam pelo centro da cidade, pessoas animadas por todo lado, afinal, hoje é uma data bem importante; e para mim, hoje poderia ter sido a data mais importante da minha vida! Mas a vida é uma vadia, e o karma, uma senhora vadia! Sei que você riria se ouvisse isso, afinal era você que costumava falar isso quando algo não dava certo. E pelo que estou vendo, nada está dando certo na minha vida.

No trabalho tudo permanece igual, as tintas continuam lustrosas, e o pincel ainda se curva perante a tela, minhas mãos ainda continuam a escrever poesias de amor e traçar ilustres paisagens; ainda escuto as músicas daquele antigo disco de vinil, e nunca me esqueço das vezes que te via dedilhar as teclas de marfim daquele velho piano com tanta maestria. Era amor, amor pela arte, amor pelas expressões, amor pelo simples fato de amar. E era assim que eu te amava. Dedilhei com cuidado aquelas teclas, e sorri, lembrei do timbre de tua voz ecoando naquela sala, e imaginei se tua voz estaria agora ecoando pelo vasto espaço, pela eternidade. Bem provável, já que você costumava dizer que era um anjo, mas Lúcifer também era.

Mas uma vez, mais um ano estava partindo e as pessoas contentes pela noite da virada do ano, era costume seu virar o ano vestido de branco e azul, então para não quebrar essa tradição, usei aquele vestido branco que você me presenteou, e amarrei aquela fita azul nos cabelos, uma lágrima teimou em cair, e eu rolar livremente. Deixei o ateliê sob os cuidados daquele amigo seu, que vinha todo final de mês nos chamar para curtir na casa de praia dele; pedi a ele para nunca se desfazer do piano, e cuidar daqueles quadros, um em especial eu tive que trazer para casa.

Cinco minutos para meia noite, alguns diriam que eu tenho pouca fé, mas acho que tenho fé demais, no que eu sinto, e no que eu quero; já estou farta de tudo isso, queria que você voltasse para casa, para mim, e sei que, por Deus, se você pudesse, estaria aqui em meus braços, me dando outra rosa branca enquanto roubava outro beijo, me fazendo perder os sentidos... Me amando como sempre fazia.

Pousei a caneta ao lado do papel e sorri, beijando a folha com certo carinho, as luzes da cidade invadiam o prédio onde eu estava e eu sorri, olhei em volta e juro que senti teu cheiro perpassar pela varanda, a rosa branca estava sobre a mesa e eu peguei, juntamente com a nossa foto sorrindo. Dei uma última olhada naquele quadro fincado à parede do quarto, céus, estava tão... Pleno, você sentiria orgulho daquele quadro, tenho certeza; virei-me a tempo de ver os fogos colorirem o céu perto da basílica di San Giovanni in Laterano e o balançar do vento em meus cabelos. Com meu coração em paz e um sorriso, tomei uma dose do vinho que estava sobre a mesa, deitando sobre a cama eu fechei meus olhos, ouvindo teu riso e tua voz, lembrando teu calor e sussurrei enfim: “Eu jurei que estaria para sempre do seu lado”, enquanto lembrava tuas últimas palavras: “Eu te amo”.


"MORTE TRAGICA A PIAZZA DI PORTA MAGGIORE, ROMA"

Di Lettere Tragiche

Giovane donna trovata morta all'Hotel Portamaggiore.

Il primo giorno del nuovo anno, un caso tragico ha scosso la mattinata degli abitanti di Piazza di Porta Maggiore, una giovane donna che soggiornava all'Hotel Portamaggiore è stata trovata morta, sotto il letto, con una rosa tra le mani. Il direttore dell'albergo disse alla stampa che la giovane donna era sola ed era conosciuta in albergo per essere sempre gentile con tutti, "era una ragazza molto tranquilla e devota", disse, lamentandosi della sua morte.

La polizia locale che stava indagando sul caso portò all'analisi una bottiglia di vino che giaceva sul tavolo e l'ipotesi dell'avvelenamento fu confermata dopo aver trovato un'alta percentuale di cianuro di potassio nella bevanda, la giovane donna morì di forma indolente per quello che consisteva; ma quello che sorprese tutti, incluso il fotografo della stampa, fu il fatto di trovarla come se stesse solo dormendo, con un sorriso sulle labbra, diverse lettere d'amore sulla testa del letto e un dipinto dove la giovane donna la teneva un ragazzo, lo stesso che era con lei in una foto accanto a lei a letto.

La sua famiglia ha rifiutato di parlare a causa della perdita, ma abbiamo appreso che il ragazzo nella foto era il suo fidanzato, che era morto tre anni prima, nella stessa data in cui la ragazza si era tolta la vita. Abbiamo chiesto alla famiglia della vittima di leggere alcune delle lettere trovate nel posto, che è stato concesso; e non poteva essere spostato dall'ultima lettera che la giovane donna aveva scritto, che trascriviamo nella parte finale qui sotto:

"... Spero che mi perdonerai, ma per favore, non dimenticare che anch'io sono perso qui senza di te, e che l'eternità non è nulla in confronto a quello che proviamo l'uno per l'altro ... Ti amo."

Fonte: Il Messaggero

“MORTE TRÁGICA NA PIAZZA DI PORTA MAGGIORE, ROMA”

Por Lettere Tragiche

Jovem encontrada morta no Hotel Portamaggiore.

No primeiro dia do novo ano, um caso trágico abalou a manhã de moradores da Piazza di Porta Maggiore, uma jovem que estava hospedada no Hotel Portamaggiore foi encontrada morta, sob a cama, com uma rosa em mãos. O gerente do hotel disse à imprensa que a jovem hospedada estava sozinha e era conhecida no hotel por ser sempre gentil com todos, “era uma moça muito tranquila e dedicada” disse lamentando a morte da jovem.

A Polícia local que estava investigando o caso levou para análise uma garrafa de vinho que jazia sobre a mesa e a hipótese de envenenamento foi confirmada após constatarem alta porcentagem de Cianeto de Potássio na bebida, a jovem morreu de forma indolor pelo que consta; porém o que mais surpreendeu a todos, inclusive ao fotógrafo da imprensa foi o fato de encontrar a mesma como se estivesse apenas dormindo, com um sorriso nos lábios, várias cartas de amor sobre a cabeceira da cama e um quadro onde estava a jovem abraçada a um rapaz, o mesmo que se encontrava com ela em uma foto ao lado dela na cama.

A família da jovem não quis se pronunciar devido à perda, mas soubemos que o rapaz da foto era seu noivo, que havia falecido três anos antes, na mesma data em que a jovem tirou a própria vida.

Pedimos a família da vítima autorização para ler algumas das cartas encontradas no local, a qual foi concedida; e não teve como não se emocionar com a última carta que a jovem havia escrevido, a qual transcrevemos a parte final abaixo:

“[...] Espero que me perdoe, mas, por favor, não esqueça que eu também estou perdida aqui sem você, e que a eternidade não é nada comparado ao que sentimos um pelo outro... Eu te amo.”

Fonte: Il Messaggero 

26 de Junio de 2018 a las 19:44 1 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Beatrice Merlin "Amar alguém profundamente lhe dá força; ser amado profundamente lhe dá coragem." Hikaru Yu Yu Hakusho

Comenta algo

Publica!
Beatrice Merlin Beatrice Merlin
29 de Junio de 2018 a las 07:32
~