Perdoe-me, padre Seguir historia

vitabrevis Jess

Youngjae odiava igrejas tanto quanto odiava seu café sem açúcar; e ele realmente detestava coisas amargas. Em uma cidade onde a hipocrisia reina, a chegada de um padre com um passado conturbado pode deixar as coisas um tanto confusas. × 2jae | Shortfic | +18 ×


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18.

#got7 #slash #lemon #yaoi #padre #ChoiYoungjae #ImJaebum #jaebum #2jae
8
5.0mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 10 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Prólogo

Youngjae odiava igrejas tanto quanto odiava seu café sem açúcar; e ele realmente detestava coisas amargas.

O fato de precisar acordar cedo, no seu único dia de folga, sentar-se em um maldito banco de madeira e ouvir um babaca qualquer, vestido em uma roupa preta, falando por mais de uma hora sobre uma ficção mais forçada que Crepúsculo, o tirava do sério.

Não era só isso, é claro. Era muito além. Em uma cidade como a dele, no interior do interior da Geórgia, aquele pequeno espaço era tão lotado de hipocrisia que o estômago de Youngjae revirava-se, afinal, deitar-se com outro homem era a pior abominação.

É claro, se você ignorasse o prefeito, que transava com a filha de dezesseis anos do vizinho, o dono da loja de esportes que tinha um caso com a mulher do professor de história, ou o jardineiro da família, que possivelmente já tinha dormido com todas as mulheres casadas para quem já havia trabalhado, inclusive, com a própria mãe do Choi.

Mas, aparentemente, o seu pecado era pior do que todos aqueles.

Ele respirou fundo. Viu quando a família Kim chegou ao recinto. Yugyeom estava com as mãos enterradas no moletom vermelho que usava, o rosto semicoberto pelo capuz. Não coberto o suficiente para esconder seu olho roxo. Espancar o filho gay? Ah, isso também não era considerado errado na comunidade, afinal, homossexualidade é, claramente, falta de Deus.

Era por isso que ambos estavam sentados naqueles bancos desconfortáveis e gelados: Por terem sido vistos se beijando em uma sorveteria, numa tarde de folga do trabalho de Youngjae.

Ninguém realmente se importava com o fato de Yugyeom e Youngjae serem maiores de idade, donos do seu próprio dinheiro; eles moravam com os pais e, na porra do fim do mundo, isso significava que eles tinham o dever de obedecerem seus progenitores e distribuir alguns "améns" aos domingos, se não quisessem morar na rua.

Isso, ou acabar como Yugyeom. Youngjae não podia evitar sentir-se culpado, mas não via nada errado no que haviam feito. Pelo visto, na Geórgia, você podia foder a cidade inteira, desde que não se deitasse com alguém do mesmo sexo.



26 de Junio de 2018 a las 00:51 0 Reporte Insertar 3
Continuará… Nuevo capítulo Cada 10 días.

Conoce al autor

Jess ···peɴѕo qυe deve нαver αlɢo proғυɴdo eм αlɢυéм тα̃o vαzιo qυαɴтo eυ··· ⸼ proυd cнoι yoυɴɢjαe υттed ⸼ 2jαe 2yoυɴɢ нαrd ѕнιpper ⸼ Kιм Mιɴѕeoĸ {мαrѕнмαllow ♥} ⸼ Aнɢαѕe ' Eхo-l ' 24U ' Beɢιɴɴιɴɢ ' ѕυporт мy вoyѕ ♥⸼ мυlтιғαɴdoм ⸼

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

Historias relacionadas