11:11 Seguir historia

luhangerie nana

E mesmo depois de meses, Baekhyun ainda não tinha superado o fato de que Chanyeol o deixara sem olhar para trás. Pelo menos, não até decidir finalmente sair daquele apartamento e seguir em frente.


Fanfiction Bandas/Cantantes Todo público.

#luhangerie #superação #drama #yaoi #kpop #chanbaek #exo
Cuento corto
10
4729 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

I believe I'll be over you


Foi no fim de semana de uma primavera, exatamente às 11h11 da noite, que eu decidi levar a minha vida para frente. Eu estava me mudando do nosso apartamento, aquele mesmo que você deixou sem mais nem menos, e eu tinha um sentimento estranho dentro de mim.


Não sei se o fato de que haviam várias caixas espalhadas pelo apartamento me fizessem lembrar de quando nos mudamos para lá, e que ele estava exatamente desse mesmo jeito, ou se era apenas o fato de que eu não estava deixando só você para trás, mas também todas as minhas lembranças. Esteja você nelas ou não.


E, enquanto eu estava parado em frente à porta de entrada, segurando mais uma das caixas que eu levaria lá para baixo e colocaria no caminhão de mudança, inevitavelmente eu me lembrei de você. Me lembrei da sua presença que me aquecia nos dias frios, ou do seu cheiro que impregnava por onde você passava; me lembrei de tudo, em cada canto que eu conseguia encarar, enquanto estava parado na porta.


Eu lembro que assim que você foi embora, eu me perguntava se eu tinha feito algo de errado. Se o fato de eu ter começado a desconfiar demais de você por ter ficado distante demais de mim, tenha te afastado mais ainda. Me perguntava se alguma coisa em mim, qualquer coisa, pudesse ter feito você tomar a decisão de fazer as malas e ir embora sem dar explicações.


E mesmo depois de alguns meses e muito apoio dos meus amigos, eu ainda me perguntava sobre você. Mas eram perguntas diferentes das de antigamente. Agora eu me perguntava como você estava, onde estava e se estava com alguém. Se a minha desconfiança sobre você ter um amante estava certa ou se eu fui apenas maluco em pensar nisso. Mas havia uma coisa que sempre martelava a minha cabeça, sempre que você me vinha à mente.


Será que um dia eu vou conseguir te esquecer, Chanyeol?


Suspirei e coloquei a caixa com as minhas coisas, no chão. A vontade de mandar os homens da mudança irem embora e apenas continuar naquele apartamento, tomaram conta de mim. Porque apesar do nosso final ter sido algo digno de drama, eu ainda me lembrava muito bem das nossas boas lembranças.


Quando encarei a cozinha, ainda do mesmo lugar onde eu estava, me lembrei de todas as vezes em que tomávamos vinho apoiados no balcão, enquanto ríamos e contávamos sobre o nosso dia. Você sempre estava cozinhando nessas horas.


Andei, devagar, até a sala de estar perto de mim e vi o nosso calendário na parede. A data onde comemoraríamos o nosso aniversário de cinco anos de namoro ainda estava lá. E apesar de a data ter passado há alguns meses, eu nunca consegui tirar aquele calendário dali ou simplesmente trocar a página.


Na mesa da sala de jantar, onde eu conseguia ver muito bem da sala de estar, eu vi você sorrindo para mim, enquanto comíamos sua comida. Você sempre estava me encarando e analisando as caras que eu fazia a cada garfada, e sempre sorria quando percebia que você tinha me conquistado mais uma vez com o seu dom na cozinha.


Na pequena varanda do apartamento, me lembrei de te encontrar debruçado ali enquanto fumava um charuto, porque estava me esperando chegar. E quando você percebia que eu te observava feito bobo, você sorria e me chamava. E sempre que você sorria daquele jeito, eu sabia que nós ficaríamos abraçados, observando o caos da noite na capital, por um longo tempo.


Quando fui até o nosso antigo quarto e encarei a cama espaçosa que tínhamos comprado apenas por causa de seu tamanho, me lembrei de todas as vezes em que eu encontrava você lendo um livro, encostado na cabeceira, e, quando me via, você sorria de lado e dava leves batidinhas no espaço do colchão ao seu lado, me chamando para deitar com você.


Aquela cama ainda tinha o seu cheiro.


E quando eu percebi que todos os cômodos já tinham acabado, eu me toquei que eu nunca mais teria lembranças como aquelas, porque você foi embora, Chanyeol. Deixou a mim e todas essas lembranças para trás. E só então, ao perceber isso, eu voltei a me perguntar mais uma coisa sobre você: Alguma coisa disso tudo foi importante para você? Lembrar de todas essas coisas te faz sentir como eu me sinto: nostálgico e incompleto? Ou sou apenas eu que passo muita parte do meu tempo pensando no passado, enquanto você provavelmente está se focando no futuro?


Quando eu voltei para a porta da frente, passando por todos os cômodos de volta e me lembrando de mais detalhes de nossas lembranças, eu percebi que ainda faltava mais uma que nem ao menos pode ser classificado como um cômodo: a porta da frente.


Encarando a porta grande e desgastada pelo tempo, eu voltei a me lembrar de quando eu saía para trabalhar e você me dava um beijo e um abraço. Nunca apenas um dos dois. E eu sempre fazia isso com você toda vez que você saía. Aliás, a única vez em nosso namoro que nenhum de nós dois beijou e abraçou o outro em despedida, enquanto sussurrava um ‘toma cuidado lá fora’, foi quando você foi embora sem olhar para trás. Sem parecer estar arrependido ou incerto sobre o que fazia.


E foi nesse momento, Chanyeol, que eu percebi que eu teria que fazer a mesma coisa. Eu teria de respirar fundo e sair por aquela porta, indo embora do apartamento assim como você fez, e esquecer de tudo isso que acabou de passar pela minha cabeça.


E não importava quanto tempo ainda levaria para eu tirar você e todas as nossas lembranças da minha cabeça, eu sabia que sair do apartamento já era um grande passo nesses últimos meses desde que você se foi.


E foi exatamente isso que eu fiz. Peguei a caixa que estava no chão e saí pelo corredor do prédio para voltar ao caminhão que estava lá fora me ajudando com as coisas. Sem olhar para trás, assim como você fez. Então eu finalmente senti como se um peso fosse tirado das minhas costas.


Um alívio tomou conta do meu coração, e eu percebi que agora eu estava muito perto de esquecer você.


25 de Junio de 2018 a las 18:25 0 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~