Cuento corto
4
4.8mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Outros olhos

Seus corpos se chocam em um vai e vem firme, porém carinhoso.

A pele alva do corpo abaixo do seu está coberta de suor – como você está também –, e os cabelos negros estão grudados na testa, esses dois combinam tão bem, principalmente quando banhado pelo luar como está agora. Você sabe que nunca viu ninguém em sua vida tão belo.

Os gemidos que em sua cabeça ecoam roucos, e apesar de imaginar braços fortes o toque em seus ombros é delicado.

E então você sente que seu ápice está próximo – como o do corpo abaixo do seu – e, com uma voz rouca você pede que abra os olhos.

Olhos claros.

E seu mundo calculadamente montado e imaginado com tanto fervor, é totalmente destruído.

Não são os olhos escuros, que tanto lhe causam arrepios e emoções.

E então você percebe que os gemidos, ora roucos, na verdade são os seus próprios, e vê o porquê o toque em seus ombros era delicado. Igual aos braços que circulam seu pescoço.

E você entende. Entende o porquê aquele sentimento de vazio abate seu peito.

Afinal, não é ele que está ali.

9 de Junio de 2018 a las 22:42 0 Reporte Insertar 3
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~