My precious Yoda Seguir historia

magnolia

Após ter uma briga horrível com seu namorado, BaekHyun decide reunir motivos para ter começado um relacionamento com ChanYeol. [[ESTA FANFIC TAMBÉM ESTA POSTADA NO SOCIAL SPIRIT NO USUÁRIA MAGNOLIAS]]


Fanfiction Romance adulto joven No para niños menores de 13.

#fanfiction #o-lado-ruim-do-amor #romance #brigas #chanyeol #baekhyun #exo #chanbaek
Cuento corto
15
5.0mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Nada me esquenta.

My precious Yoda.


Nada me esquenta. – Capítulo único.


   Eu briguei com meu namorado.

   Foi uma briga horrível, onde cada um falou o que queria e ouviu o que não queria. Claro que eu não esperava que depois da discussão, ChanYeol decidisse que seria melhor que ele passasse a noite em outro lugar. Isso já faz uma semana, eu estou com saudade. Eu estou sozinho em nosso apartamento e está frio. Mesmo com vários cobertores, nada me esquenta. O que me deixa preocupado é que eu não sei onde ele está. Me sinto culpado, mas não arrependido porque a culpa é dele. Se ele não tivesse deixado uma pessoa qualquer tocar de maneira tão íntima nele, nada disso teria acontecido. As pessoas ficam falando que eu devo dar um tempo para ele, que quando ele quiser ele vai aparecer. Se elas estivesse no meu lugar, com certeza já teriam ligado para polícia. Eu estou morrendo de preocupação, ninguém entende como eu me sinto. Não queria que ele fosse embora, só queria que ele não desse ousadia para as pessoas que estão flertando com ele. Eu sei que ChanYeol não é do tipo de pessoa que interage com outras pessoas fora da sua zona de conforto e as vezes não vê malícia nas coisas quando são com ele. Não acho que ele seja idiota, mas as vezes as coisas estão tão nítidas para mim e para o ChanYeol é um grande ‘ata.

   Apesar de tudo eu não sou a pessoa mais ciumenta do relacionamento, normalmente é o ChanYeol que fica puto com facilidade quando o negócio é ciúmes. Não me aguentei, quando eu vi umx alheio chegando com intimidade para cima de ChanYeol. O problema é que ChanYeol não se acha bonito, claro que ele não é um Deus grego, mas ele é um cara bonito. – Quem não iria querer um cara de um metro e oitenta e gato? – Então ele acha que ninguém ficaria interessado nele, só que isso é uma coisa que só ele acha. Claro que ele fica horrível com aquele boné que comprou na nossa primeira viagem juntos, mas ele insiste em usar. Ele não percebe que o boné dá um realce horroroso para suas orelhas, o deixando igualzinho ao Yoda. Só que bem, mas bem maior. Mesmo com o boné feio eu sempre vou achá-lo bonito, porque pra mim ChanYeol não é só bonito de beleza superficial ele é uma pessoa bonita em todos os aspectos. Desde o jeito de falar até as piadas que as vezes mesmo sem graça eu rio, porque a risada dele é extremamente engraçada. A maneira monstruosa de andar ao meu lado, me fazendo parecer um anão perto dele. Quando ele me abraça forte e diz que me ama, todas estas coisas fazem o ChanYeol uma pessoa bonita.

   Eu estou cansado, não sei quanto tempos estou chorando. Nunca tinha sentido algo assim, talvez este seja o ponto. Minha falta de sensibilidade com o meu próprio relacionamento, como nunca me imaginei nessa situação. Isso mostra que eu nunca esperava uma atitude dessa vinda de ChanYeol. Muita autoconfiança, mas as pessoas cansam, ninguém é trouxa para sempre. Talvez seja isso então…

   Eu acordei com minha barriga roncando. Ainda estava com sono, mas estava mais com fome. Olhei no relógio eram quatro da tarde, fazia oito horas que eu não comia nada.


—ChanYeol, faz…


     Minha voz ecoou pelo apartamento. Eu tinha esqueci que ele não estava mais aqui.

   É diferente estar sozinho, tudo tão calmo é estranho desconfortável. Já que eu estou acostumado com aquela agitação contagiante de ChanYeol e de repente some. Isso está me deixando triste, me faz querer chorar de novo. Me pergunto se ChanYeol sente minha falta, porque ele não me ligou? Eu sei que pode ter acontecido milhões de coisas que impediram ele de falar comigo durante todos estes dias, mas também sei que existe a possibilidade dele não querer falar comigo. Meus pensamentos foram interrompidos, quando ouço o barulho da porta. Levanto desesperado e vou em direção a porta tendo a certeza que era ChanYeol, mas não era. Um dos amigos de ChanYeol entrava no apartamento. Eu não consegui me lembrar do nome dele, mas na minha cabeça aquilo pouco importava. O que eu queria saber era onde estava ChanYeol. Assim que me viu o rapaz me entregou uma carta, que estava assinada pelo ChanYeol. Eu em um ato desesperado abri e rapidamente comecei a ler.


   BaekHyun.
   Acho que seria melhor se descemos um tempo. Eu te amo. Pode estar certo disso, mas você não confia em mim. Quer que eu confie em você, mas quando tem a primeira oportunidade joga tudo na minha cara. Eu estou com saudade, no entanto, como podemos continuar nesse relacionamento? Eu não quero terminar, quero um tempo. Nesse tempo você pode pensar no que eu realmente represento para você e em como podemos melhor a nossa relação. Pedi para o SeHun ir buscar algumas coisas minhas, como peça de roupa e outras coisas. O básico para que possa passar mais uma semana a onde estou. Espero que pense bastante e em mim de preferência.
Com muito amor.
P.ChanYeol


   Ao acabar de ler, fiquei puto de raiva. Porque não via necessidade de ‘dar um tempo’, todo mundo sabe o que significa ‘dar um tempo. Término. Eu não queria terminar por causa de uma briga, gerada por ciúmes. Aquilo pra mim era jogar nossa relação pela janela por causa de algo tão fútil, um ciúme besta. O que há de errado com ChanYeol? Só podia ser brincadeira. Eu não entendo como ele podia ser tão idiota. As lágrimas começaram a escorrer no meu rosto, me virei não queria que SeHun as visse. Movido pela raiva, sequei minhas lágrimas e ajudei SeHun a pegar o que precisava. Mas quando ele cruzou a porta levando as coisas de ChanYeol, minha raiva foi com ele e retornei para minha vida triste e tediosa.

   O problema era que tudo estava ali no mesmo lugar, ele está tão longe e tão perto espalhado por toda casa. Suas coisas estavam ali não tinha nada diferente, a não ser a ausência de ChanYeol que tornava tudo diferente. Não havia mais barulho de videogame, ChanYeol e aqueles jogos estúpidos de Playstation. A gente costumava jogar, nós dois agarrados, ChanYeol sempre ganhava. Eu ficava bravo dizia que não queria mais brincar, então ele me chamava de mau perdedor. Eu ficava mais bravo. Depois ele me abraçava e dizia que era questão de prática, para então me chamava para jogar de novo. Não era um das coisas que eu mais gostava de fazer, mas ChanYeol gosta destas coisas de nerd. Ele tem bonequinho espalhado por toda a casa, junto com poste de vários filmes diferente de ficção científica.

   Nós já havíamos assistido Star Wars umas dez vezes. Mesmo assim ele ficava super bravo, quando eu dizia que a diferença dele para o Yoda. Era que o Yoda tinha 75 centímetros de altura e ele tinha quase dois metros. A minha reação sempre era a mesma, no entanto, teve uma vez que ele disse assim para mim: “É posso até parecer o Yoda, mas foi por causa destas orelhas que você se apaixonou” Ele tinha razão, mas não foi só pela orelha. ChanYeol tem várias qualidades, ele é muito engraçado, cozinha muito bem. Tem uma maneira só dele me fazer dar risada, quando estou triste. É superprotetor, e sempre está dizendo que me ama. Fica difícil não amar uma pessoa desta, que sempre está fazendo tudo para te fazer feliz. Mas mesmo assim, mesmo com um homem desse cheio de qualidade eu o deixei escapar.

   Durante o meu relacionamento de quatro anos com o ChanYeol, já tinham feito várias coisas que nos levaram a brigar. Mas nada me feriu tanto, quando eu vi o ChanYeol chorar pela primeira vez. Isso aconteceu no início do nosso relacionamento, nunca tinham tido um relacionamento e nada tinha sido tão duradouro quanto o que tive com ChanYeol. Mesmo assim eu tive a capacidade de traí-lo, eu não entendia o que era estar em um relacionamento. Era muito idiota e mais insensível do que sou hoje, mas quando ChanYeol chorou eu soube que não podia deixar aquilo acabar. Sua forma bruta e desajeitada deixa aquilo fofo e estranho, ele era tão sincero em todas as palavras. Que me fez pensar no que eu estava fazendo com a minha vida, sai por ai só para curtir e deixar que os destinos cuidasse do resto. Além de não ser justo nem comigo, não estava sendo injusto com ele. Eu queria terminar, porque senti que eu o estragava e que eu nunca seria capaz de fazê-lo feliz. Entretanto ele não deixou, falou que poderia construir ao melhor junto melhorar um ao outro. E ele sabia que eu não tinha feito o que fiz para machucá-lo, disse ainda que me amava e que seria triste não me mostrar isso. Claro que eu sei, que nada pode mudar o que eu fiz. Tanto sei que nosso relacionamento nunca mais foi o mesmo, ChanYeol não foi mais o mesmo. Ele se tornou uma pessoa mais ciumenta, mas não me sufocava posso dizer que isso ajudou nosso relacionamento a melhorar. Ainda que isso tenha nos ajudado, eu me arrependo porque a coisa mais triste o para mim é ver ChanYeol chorar.

   Uns tempos para cá, ele decidiu que queria mudar. Por causa desta mudança ele está chamando mais atenção. Ele trocou os óculos pela lente, mudou o penteado do cabelo e ficou mais sexy. Eu gostava do os óculos, deixaram ele misterioso. Agora ele só fica de óculos em casa e olhe lá. Acho que esta mudança me deixou inseguro, porque algo na minha cabeça me dizia: “Ele vai te trocar quando perceber que ele é lindo, sexy e cheio de qualidade.” Eu não me acho bom o suficiente para ele, entende. Eu sou todo errado, não sei nem fritar um ovo. Não faço nada certo então tipo me bateu esta insegurança que me deixou louco. Comecei a me preocupar mais, quando foi quando uma menina do trabalho dele o chamou para uma festa. Ele não foi porque disse que só iria se eu fosse, então os dois não foram.

Isso me faz lembra de quando ChanYeol se declarou para mim, eu não sabia como reagir. Foi uma coisa estranha e ao mesmo tempo fofa, eu admirava a coragem dele de ter vindo falar o que senti para mim mesmo sabendo que poderia levar um não. A maioria das pessoas teria saído correndo, quando ele começou a falar, mas eu fique parado que nem um idiota. Ele é um cara enorme e eu sou bons centímetros mais baixo que ele, então ele é uma pessoa que passa um medinho. Mas eu juro que aquela foi a cantada mais besta que já levei na vida, no entanto, se não fosse ela não teria passado estes quatro anos com ChanYeol. Foi tipo “BaekHyun, Quer ser o zero do meu quadrado do trinômio perfeito por que ele só será perfeito com você”. Até hoje eu não sei o que é quadrado do trinômio perfeito, mas isso me ajudou a me apaixonar por ele.


[…]

   

   Um mês.

   Faz um mês que ChanYeol saiu de casa. Não aguento quero que ele volte o mais rápido possível, no entanto, ele continua me ignorando. Durante este mês que passou, eu vi mais o SeHun do que o ChanYeol. Eu só o vi uma vez e ele estava acompanhado de uma garota estranha. Não que eu só tenha ciúmes de meninas, eu tenho ciúmes do todos. Pode ser amigo, parente ou uma pessoa que está passando. Qualquer pessoa pode causar ciúmes em mim, agora que ele está de casa. Eu sei que isso sou bem possessivo, mas já faz um mês… UM MÊS. Na minha cabeça, um dia ele vai chegar e vai falar “Baek. Desculpa, mas nesse tempo que a gente esteve separado eu arranjei outra pessoa, tchau!” Eu não quero isso! Sei que pode ser coisa da minha cabeça, mas a possibilidade disso acontecer é enorme. Ficar sozinho não me faz bem, fico desanimado e não faço nada. A casa fica uma zona por causa disso, a cozinha é a pior parte está destruída. Eu não tenho vontade de sair do sofá, e também não aguento ficar no quarto porque o cheiro dele está impregnado lá e isso me faz chorar. Entretanto nada me impedida de mexer nas coisas dele, eu já estava fazendo isso a bastante tempo. Ele tem umas coisas bem interessantes, como livros, jogos e uns filmes. Estava entediado e queria algo para me distrai, achei uma caixa minha curiosidade falou mais alto e eu a abri. Lá dentro tinha uns presentes que eu tinha dado para ele, uns cartões um jogo e um livro. Como não tinha nada para fazer comecei a ler um livro. Ele se chama ‘O jogador nº1’. Foi uma leitura muito produtiva. Para mim seria apenas mais um livro de ficção, enquanto lia eu soube que aquele livro era o favorito de ChanYeol. Por que metade das frases que ele já disse para mim estavam naquele livro. Bom nem todas, mas uma boa quantia. Porém a diferença é que ele fala com o seu toque, por exemplo esta frase que ele falou para mim no dia dos namorados “Por mais assustadora e dolorosa que a realidade possa ser, é também o único lugar onde eu posso encontrar a felicidade de verdade. E isso só é possível porque você é real BaekHyun.” Na verdade a frase é assim “Por mais assustadora e dolorosa que a realidade possa ser, é também o único lugar onde se pode encontrar a felicidade de verdade. Porque a realidade é real.” Isso realmente me faz querer chorar, como o ChanYeol conseguia tornar uma frase bosta como esta em algo tão perfeito? Ele sempre era uma pessoa doce, sempre sorria e falava coisas bonitas. Eu por outro lado nunca consegui falar a coisa como tanta sinceridade igual a ChanYeol, achava constrangedor.

   Assim comecei uma nova sessão de comer e chorar. Desde pequeno minha mãe me dizia que eu não podia chorar por ninguém, porque se eu fosse importante para aquela pessoa ela nunca me faria chorar. Me pergunto o que minha mãe me diria nesse caso, será que eu poderia chorar se talvez tivesse perdido o amor da minha vida. Ela com certeza não iria gostar, e definitivamente brigaria comigo porque ela adora o ChanYeol. Até meu pai que não gosta de nada apoia o nosso relacionamento, ele diz que eu não poderia encontrá pessoa melhor.

   Fico me perguntando o porquê de 100 coisas que vem na minha cabeça, 99 são relacionadas ou são sobre o ChanYeol. Talvez eu seja patético. Ao escutar o barulho da porta, começo a guardar algumas coisas. Por que deveria ser SeHun vindo buscar mais algumas coisas de ChanYeol. Durante este mês SeHun veio aqui uns quatro vezes, depois da segunda vez comecei a não me importar. Ele já sabia o que tinha que pegar e sabia onde encontrar, não precisava da minha ajuda. Deitado no sofá lia as páginas que faltavam para acabar o livro, quando ouvi a porta da cozinha bater com força. Me perguntava o que SeHun estava fazendo na minha cozinha, desta vez ele veio buscar as panelas? Limpei o rosto para estar mais apresentável e fui até a cozinha, estava pronto para brigar pelas panelas e se ele veio buscar alguma coisa de ChanYeol, elas estavam do outro lado da casa.

   Quando abri a porta da cozinha, vi duas malas perto da porta. Não tinha mais ninguém lá, naquele momento tudo estava bem claro para mim. Ele pegou mais coisa do que o de costume, muito mais do que só mais algumas peças de roupa. Eu estava preste a surtar, ele não teve coragem de terminar comigo e mandou mais um bilhete por SeHun para fazer isso. As lágrimas já estavam rolando e eu tentava parar, mas elas eram mais fortes do que eu. Ver aquilo doía, saber daquilo doía.


—Por que está chorando? —A voz grossa fazia muito tempo que eu não ouvia com tanta clareza, falava calma e paciente. Então ele veio pessoalmente, acho que seria menos doloroso pelo papel, Não teria que olhar para seu rosto, enquanto diz que não me ama mais.


—Por nada, o que está fazendo aqui? —Minha voz chorosa. Eu estava péssimo, meu cabelo estava um ninho de pássaro, meus olhos estavam inchados e com olheiras profundas de tanto remoer o acontecido.


—Você está horrível sabia? —Ele ignorou minha pergunta.


—Você acha que eu não sei. —Eu estou tremendo, segura o choro, não seja fraco. —Bom, faça o que veio fazer termine comigo! Vai, eu aguento.


—Por que você acha que eu vou terminar com você?

   

   Eu o olhei com raiva. Ele estava brincando com os meus sentimentos, tinha passado um mês remoendo o acontecido e enquanto ele passava o mês em algum lugar.


—Bom, é a coisa mais óbvio a se pensar não acha?


—Não.


   Isso está começando a me irritar, queria muito dar na cara dele e dizer que chorei tanto em vão.


—Está zombando de mim Park ChanYeol?


—Não, não estou zombando com você Byun BaekHyun. —Ele fez um pausa, respirou fundo e recomeçou. — Baek, eu sei que o que eu fiz foi uma besteira. Sair de casa e pedir um tempo. Acho que fiz isso como uma maneira infantil de chamar sua atenção. Se passaram um mês e a única coisa que eu penso é em você, durante esta última semana percebi que o que eu fiz foi um completa besteira…


   Eu interrompi sua fala, porque eu sabia onde ele queria chegar.


—ChanYeol. Durante este um mês eu reparei em várias coisas sobre nós. Eu fiz questão de relembrar cada momento, eu cheguei a uma conclusão que já deveria ter chegado a muito tempo. Eu te amo, acho que não demostro isso o suficiente para você. Enquanto você me dá toda a sua atenção e carinho, eu não retribuo na mesma intensidade e não é porque eu não te amo. É porque pensava que você já sabia, mas quando você foi embora. Não me deu mais sua atenção eu percebi, o que era ficar sem você. Eu me senti inseguro e de ver você tão longe, sem carinho e sem eu te amo. Você é um cara bonito e eu tenho medo de perder você...—ChanYeol me olhava surpreso. Talvez ele não esperasse isso de mim ou talvez ele não espera-se que eu percebesse isso. Só que pensei tanto sobre ChanYeol que aprendi algo novo sobre mim. Para concluir meu pensamento disse: —E que de todos as maneiras eu realmente não quero viver sem você. Sabe o quanto senti falta dos seus abraços, beijos, dos seus carinhos. Eu não quero que você vá para longe, quero você perto para me esquentar e para que eu possa te esquentar com este meu corpinho raquítico.


   Os braços de ChanYeol vieram ao meu encontro, me agarrando com o seu abraço de urso. Seu rosto estava molhado ele estava chorando isso me fez querer chorar também, mas eu estava tão feliz que só conseguia sorrir. Estava tão feliz por poder abraçar ele novo, senti tanta saudade do seu calor. Trinta dias era muito tempo…


—Eu te amo Baek! — Ele sussurrou no meio ouvido.


—Eu também te amo, ChanYeol!

9 de Junio de 2018 a las 11:06 0 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~