Castelo de Gelo Seguir historia

azusakim Jess Sibia

Costumo dizer que o inverno é a minha estação, eu e ele somos um, com seu poder eu construí altos muros de proteção, uma muralha de gelo impenetrável ao redor do meu castelo branco, toda vez que eu tentava sair da fortaleza, algo bem lá no fundo da minha mente soava dizendo que era uma péssima ideia, porque no fim, eu voltaria machucado de mais uma guerra. Confesso que várias vezes não dei ouvidos a essa voz, e foi assim que eu conheci o Sr. Verão, o Sr. Outono e o Sr. Primavera.


Fanfiction Bandas/Cantantes No para niños menores de 13.

#drama #angst #JongdaeCentric #Baekchen #exo
Cuento corto
10
4922 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único - Primavera

Parado na rua observando a chuva cair eu consigo avistar você sorrindo, na calçada em frente a nossa cafeteria favorita, você não me vê, está distraído demais para notar meu ser acizentado que te observa recheado de ternura nos olhos

Eu continuo gelado e você, continua brilhante.

Existem amores quentes, amores mornos, amores que refrescam e outros que nos dão um banho gelado. Já tive tantos que meu caderno de anotações sobre todas as histórias que escrevi sobre meus ex amores já está lotado, não tive tempo para escrever sobre você.

Desde pequeno, minha mãe sempre me disse que eu era do tipo que vive dentro da concha, do tipo que não acha seguro colocar os pés pra fora de casa se não tem certeza da firmeza do terreno. Desde pequeno minha mãe sempre me disse que eu parecia um príncipe em um castelo de gelo e neve e devo confessar, que levei isso bem a sério.

Costumo dizer que o inverno é a minha estação, eu e ele somos um, com seu poder eu construí altos muros de proteção, uma muralha de gelo impenetrável ao redor do meu castelo branco, uma muralha que me deixava ver as campinas ao redor mas que me impedia de ir até elas.

Porque toda vez que eu tentava sair da fortaleza, algo bem lá no fundo da minha mente soava dizendo que era uma péssima ideia, porque no fim, eu voltaria machucado de mais uma guerra. Confesso que várias vezes não dei ouvidos a essa voz, e foi assim que eu conheci o Sr. Verão, o Sr. Outono e o Sr. Primavera.

Conheci o Sr. Verão ainda adolescente, com meus joviais quinze anos, nós éramos da mesma sala, frequentavamos o mesmo clube esportivo e íamos a mesma capela todos os domingos. Seu nome era Kim Junmyeon, e por muito tempo Kim Junmyeon foi o nome escrito nas últimas folhas do meu caderno escolar, foi o dono dos meus beijinhos secretos nos fundos da igreja ou na esquina de casa, por um tempo de quatro anos, Kim Junmyeon foi o meu cavalheiro do verão, que deu vida e calor para as campinas ao redor do meu castelo de gelo.

Foi a primeira vez que rompi minhas barreiras, quando meu muro quase descongelou por completo, ele me derreteu tão rápido, me cativou e me trouxe felicidade tão rápido que, quando foi embora em busca de novas aventuras eu fiquei tão tão tão tão desnorteado! Junmyeon terminou nosso relacionamento numa manhã de Abril, porque estava mais interessado em fazer sexo e rock’n roll com os garotos de sua banda falida, do que ir a cafeteria comigo nas tardes bobas ou jogar uma partida de RPG de mesa com meus amigos.

Junmyeon não conseguiu entender minha complexidade e eu não posso culpa-lo, não são todas as pessoas que entendem que por trás das minhas manias, das minhas maneiras sistemáticas e chatas de sempre pré programar a vida, existem flores para serem apreciadas, não são todos que são capazes de atravessar o gelo e os espinhos para conhecer o interior do castelo.

Depois de muito tempo sendo visitado por brisas rápidas de paixões que duravam meses, eu fui recebido pelo Sr. Outono, que transformou a paisagem ao redor do meu castelo em tons de cobre e laranja, seu nome era Kim Minseok, ele era divertido, era carinhoso, era amoroso e cuidadoso, ele adentrou até o salão principal do castelo e ajudou a limpar toda a bagunça ali acumulada que o verão havia deixado.

Minseok foi e ainda é o melhor companheiro que já tive, ele me amou tão profundamente e me fez conseguir confiar nele como eu não confiei em ninguém antes. Porque sabe, eu não confio nas pessoas, eu não consigo confiar em ninguém porque vez ou outra, elas nos traem pelos próprios interesses. Mas com Minseok foi diferente, ele ficou até ver o início das minhas flores, ele tocou meus lábios como se tocasse porcelana, ele acariciou meu corpo como se tocasse o mais fino veludo.

Ele me fez sentir extremamente amado e grato mas, ainda assim, ele se desprendeu de mim e me deixou preso dentro das paredes de gelo novamente.

E então, chegamos em você, meu brilhante Sr. Primavera, minha estação favorita, minha pessoa favorita, que me fazia dar grandes e altas gargalhadas em tardes de segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sábado, domingo, sete dias por semana, trinta dias por mês. Seu nome que ainda soa quente em meus lábios, Byun Baekhyun, como fazer para esquecer você?

Diferentemente do verão, que me derrubou depressa ou do outono que demorou a cativar, você chegou sorrateiramente, fazendo brotar suas raízes pelas vigas dos meus muros, cultivando suas flores ao redor deles durante meses até que eu finalmente achasse graça e lhe desse a mão e lhe deixasse conhecer os jardins internos, e você os encheu de cores e de aromas, você me fez rir, me fez entender que eu embora complicado não era alguém difícil de ser amado porque você tinha paciência, porque você me amava exatamente por ser quem eu era sem tirar nem por.

Você dividiu cafés comigo, dividiu a pipoca do cinema, dividiu o sofá da sala da casa da minha melhor amiga, dividiu as lágrimas quando o dia foi ruim, compartilhou seus objetivos pro futuro e me incluiu neles, mesmo que você não estivesse incluso nos meus. Sabe quando eu falei que era uma pessoa pré programada? Pois bem, quando eu completei 25, eu estava com todo um intercâmbio programado na cabeça e com dinheiro no banco para fazê-lo, dois anos na América pra aperfeiçoar meus conhecimentos e uma busca por um visto permanente, eu não retornaria para a Coreia, nunca mais.

Mas então, a primavera chegou e abalou todas as minhas estruturas, porque eu não sabia lidar com a explosão de alegria que invadia o meu peito cada vez que Baekhyun me abraçava ou sussurrava que me amava e eu não conseguia dizer de volta. Porque eu tinha uma vida planejada e a possibilidade de nada correr como deveria me dava pânico, me fazia entrar em pane.

Mas, puta que o pariu eu o amava! Amava demais, amava até os defeitos dele, suas piadas ruins, seu carro com motor barulhento e mania irritante de sempre reclamar da música quando eu estava empolgado ouvindo a minha preferida.

No entanto, meu amor não foi o suficiente para me manter de pé ao seu lado e, em um fevereiro qualquer nós terminamos aquilo que nem ao menos tinha nome, mas que já era valioso demais pra ser perdido. Nós terminamos e você sumiu, como se não soubesse mais onde eu morava ou o meu nome, nós terminamos e eu fui para a América e te esqueci, até voltar para a Coreia e ver você rindo como sempre ria quando estávamos juntos encostado em seu velho carro, de frente para a nossa cafeteria.

E você brilhava tanto, que nem a chuva fina que caía era capaz de ofuscar a felicidade que emanava de você, e eu me lembrei do meu castelo interno que desde que você se foi não teve forças pra se reerguer e permanecia quebrado, entre neve, gelo e flores, talvez esperando pelo seu retorno.

Suspirei fundo abrindo meu guarda-chuva preto e sem graça como todos os outros ao redor, eu tive a oportunidade de amar e ficar mas preferi ir, eu tive a chance de ter você para sempre comigo, mas deixei ir. Eu cogitei em voltar a cafeteria e dizer que morria de saudades, mas enquanto caminhava eu vi que aquele seu amigo próximo te abraçava como eu costumava abraçar antes e então eu percebi que não havia mais espaço para mim e para o meu eterno inverno, porque a minha primavera havia encontrado alguém que aprendeu a apreciar do modo merecido, todas as suas flores.

6 de Junio de 2018 a las 02:40 1 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Jess Sibia Perdida no meu labirinto de ideias

Comenta algo

Publica!
Alice Alamo Alice Alamo
Olá, Jess, venho aqui hoje pelo Sistema de Verificação do Inkspired. Sua história foi colocada em "Em revisão" pelos seguintes apontamentos: 1) Falta de acentuação como em "Culpa-lo"; 2) Problemas de pontuação. O seu texto possui algumas vírgulas obrigatórias faltando e períodos em que deveria ser ponto final, mas está vírgula, o que deixou os períodos grandes. Caso desejo o status de "verificado", é preciso que esses apontamentos sejam revistos, uma simples revisão da autora deve bastar para ajudar a história. Quando o fizer, basta responder esse comentário para uma segunda verificação. Atenciosamente, Alice, Sistema de Verificação do Inkspired
12 de Septiembre de 2018 a las 15:44
~