Jeito Malicioso Seguir historia

ariane-munhoz Ariane Munhoz

Quando a conheceu naquela boate, Suigetsu jamais pensou que seria envolvido por seus beijos de sereia ou pelos olhos de cigana. Mas ali estava ele, completamente tomado pelo jeito malicioso de Karin. E não a deixaria ir embora. Não importava o que isso lhe custasse. - Para Karvie.


Fanfiction Anime/Manga No para niños menores de 13.

#JeitoMalicioso #karin #suigetsu #SuiKa #VemproBaileFNS #FNSdoCatucadao #fns #naruto
Cuento corto
12
4.9mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Tá afim?


Olho para o descontrole e ele ri de mim com letras maiúsculas.

Fanfic feita para a linda da Karvie, porque ela é a mama SuiKa e merece muito amor!

Já ouviram que dessa água não bebereis, mas se afogareis sim? Sou eu com o desafio do funk.

Link da página: https://www.facebook.com/FanficsNS/

Link do grupo: https://www.facebook.com/groups/122359598449326/

O desafio leva as seguintes tags: #FNSdoCatucadao #VemproBaileFNS #FNS

Link da música, sugiro muito ouvir enquanto lê: https://www.youtube.com/watch?v=hKHQn-dEPwU


Olha, não me leve a mal

A gente ficou, foi legal

Karin acendeu o cigarro, tragando-o lentamente e sentindo o sabor mentolado em sua boca. Não fumava frequentemente, exceto depois do sexo. Exceto quando estava com ele.

− Onde você vai? – Suigetsu perguntou, vendo-a se levantar e caçar as roupas pelo chão, vestindo-se.

− Onde mais? – Devolveu a pergunta, o sorriso afetado nos lábios carmesim. – Já terminamos, baby.

− Pode dormir aqui se quiser. – sugeriu, o sorriso cheio de dentes afiados.

Karin apenas inclinou-se para frente, segurando-o pelo queixo e lhe dando um beijinho leve nos lábios.

− Não me leve a mal, peixinho, mas não fico em aquários.

Piscou, enquanto deixava o quarto dele. Suigetsu apenas ouviu a porta da frente bater quando ela saiu.

Ele suspirou.

− Essa mulher ainda me deixa doido.

Mas não conseguia deixá-la ir por completo. Como poderia?

Mas não sou de me apegar

É, o meu papo é só ficar

Ela suspirou pesadamente, sentando-se na moto e apoiando a testa sobre o painel. O sorriso de Suigetsu ainda lhe envolvia, mas não podia se permitir apaixonar novamente. Não quando, tantas vezes, haviam quebrado seu coração. Apegar-se apenas servia para que se machucasse, e de dores e cicatrizes, Karin já estava cheia.

Agora, ela só queria curtir.

Então, para com essa

De mensagem toda hora, assim

Novamente, uma mensagem dele.

Quando você vem?

Karin apenas suspirou, no intervalo do trabalho, expirando a fumaça para cima. Quando havia começado a fumar com tanta frequência?

− Ele de novo? – Sakura perguntou, observando a amiga.

− Parece chiclete. – Karin reclamou.

− Mas parece que alguém tá se apegando!

− Tô fora, Sakura, de chiclete basta você e o Sasuke! – Deu uma risada seca, ao que Sakura encolheu os ombros.

− Você não pode ficar fugindo pra sempre dos amores, Karin.

Estou esperando essa noite. A porta vai ficar destrancada.

Mas Karin podia. Por isso respondeu.

Não cola em mim, Susui, ou vou sumir da sua vida.

Ele não respondeu à mensagem. Mas Karin sabia que ele havia entendido o recado.

Eu curti nosso beijo, mas

Calma, não é bem assim

Haviam se conhecido em uma festa badalada da cidade, pois Suigetsu era organizador delas, um playboyzinho que amava se divertir e fechar boates para os amigos.

E, em meio à tantas pessoas, foram os olhos rubros de Karin e seus cabelos cor de sangue que o captaram.

E, antes que ela pudesse se perder na multidão, aproximou-se com uma bebida colorida.

− Que tal uma dança? – perguntou ele, o sorriso pontiagudo pintando os lábios.

− Por que não? – questionou, sem de fato conhecê-lo, pois apenas viera acompanhando Sakura, que estava doida por Uchiha Sasuke, outro playboy que estaria ali.

Os dois dançaram a noite toda, até que os lábios dele capturaram os seus. E Suigetsu sentiu-se completamente envolvido por aquela mulher com lábios de sereia e olhos de cigana.

Pois havia sido tragado para aquele inferno carmesim e não havia volta. Mas mal sabia ele que Karin não queria nada daquilo, apenas se divertir.

Não tô sendo piranha

É que o meu papo é na cara

E de ilusão, eu tô fora

Mulher que é mulher não dá ideia torta

− Precisa parar com isso. – disse ela, quando terminaram naquela noite. Estava sentada na varanda, usando apenas uma camisa de botões de Suigetsu enquanto desfrutava de mais um cigarro. O terceiro naquela noite.

− Com quê? – perguntou ele, como se já não soubesse.

− Não quero que pense que existe um relacionamento entre a gente. – Expirou a fumaça para cima, ajeitando os óculos sobre a ponte do nariz para encará-lo. – A foda é boa, você é divertido, mas é isso. Não quero seu dinheiro ou nada do tipo. Só estou curtindo, Suigetsu.

− Me use o quanto quiser. – respondeu com um sorriso divertido, enlaçando o pescoço de Karin e a beijando depois que ela tragou o cigarro, expirando ele próprio a fumaça para cima. – Eu vou aproveitar enquanto isso. E, se um dia você for embora, penso nas consequências depois.

Mas, embora Karin insistisse na ideia de que não o queria, começava a duvidar de si mesma. Acendeu mais um cigarro.

Só jogo o meu jogo

E se você quer de novo

É só dizer que tá afim

Se der sorte, essa noite eu passo aí

O telefone tocou enquanto estava na moto. Karin atendeu através do fone, sem ver quem era.

Pode passar aqui hoje?

Karin reconheceria aquela voz rouca e irritante mesmo que não quisesse.

− O que falei sobre você me enchendo?

Falou sobre mensagens, nada sobre ligar. – O riso dele reverberou através da linha. Karin apenas suspirou pesadamente.

− Se eu tiver afim, passo aí.

Desligou.

Mas no fundo, sabia onde sua mente estava. Então desmarcou o compromisso com Sakura e Ino. Pois queria estar com Suigetsu. E isso a incomodava.

Meu jeito é malicioso, faço gostoso

Mas, se me grudar demais, eu caio fora

Mal chegou e já tomou seus lábios, sem nem sequer bater à porta. Suigetsu, recém-saído do banho, apenas bateu a porta enquanto ela o guiava até o sofá, fazendo com que caísse sentado enquanto se jogava em seu colo, envolvendo as pernas nas laterais de suas coxas, sem afastar a boca da dele.

Suigetsu suspirou, as mãos subindo pela lateral do corpete vermelho que ela usava. Vermelho como o sentimento que queimava entre eles. Como algo que nenhum dos dois sabia explicar, mas seguiam mesmo assim.

E aquilo borbulhava no epicentro de seu peito.

Pois o que estavam fazendo?

Algo conflitava dentro de si. Pois ao mesmo tempo que a queria, Suigetsu desejava algo mais.

Então, quando Karin afastou-se para beijar seu pescoço, Suigetsu afastou um pouco o tronco para encará-la.

− O que foi? – perguntou, afoita.

− O que nós somos, Karin?

E foi naquele momento que ela enxergou, em seus olhos violáceos, o fim daquela diversão.

E se quer prioridade

Olha, na verdade, cê tá no lugar errado

− Onde você vai? – Suigetsu perguntou ao vê-la se levantando e pegando o casaco que havia largado no chão.

− Havia uma condição entre a gente. – Karin disse, incisiva, enquanto abotoava o casaco. – E você claramente não pode segui-la.

− Mas eu só perguntei...! – Karin pousou o indicador sobre os lábios de Suigetsu.

− Não tem priori aqui, Susui. Foi bom enquanto durou. – Karin virou-se para sair. Deixando cair o maço de cigarros Black no chão junto da habilitação. Mas sequer reparou nisso. Só queria sumir dali antes que os olhos pidões de Suigetsu a convencessem de ficar.

Quer ficar do meu lado, sai

Eu sou desapegada

Ela suspirou, sem olhar para trás. Sem querer saber de nada daquilo. Apenas pilotando a toda para a casa das amigas, ligando para Sakura.

Mudou de ideia? Ainda estamos começando! – disse ela.

− Acabou, Sakura. – Limitou-se a dizer. Sakura ficou em silêncio. – Você está aí?

Sim. – respondeu. – Qual foi o motivo?

− Ele quer algo sério. Algo que não posso dar.

Quando você vai perceber, Karin?

− Perceber o quê?

Abra os olhos. Antes que seja tarde demais. Nem todos são como ele.

Karin desligou. Pois viver era fácil de olhos fechados. E ela seguiria assim.

Sem papo de namorado

É melhor você tomar cuidado

Xingou baixinho ao ouvir o som da sirene e parou.

− Eu estava na velocidade permitida, seu guarda. – Karin ensaiou seu melhor sorriso. Mas o guarda apenas a encarou, ajeitando o quepe.

− Lanterna quebrada. – Apontou a parte de trás da moto. Karin praguejou. – Habilitação, dondoca.

Karin vasculhou os bolsos. Não sentido os cigarros. Nem a habilitação que estava junto deles.

− E-eu...

− Você...? – Kisame arqueou as sobrancelhas, encarando-a. O parceiro que continuava no carro, encarou-a com seus olhos escuros, tão familiares para ela.

O farol de um carro piscou duas vezes, parando atrás da viatura. Um carro esportivo que Karin conhecia muito bem.

− Ela está comigo, Kisame.

O guarda se virou na direção de Suigetsu, que o encarava com um sorrisinho.

− Fala, priminho! – Fez um toque de mãos com Kisame. Karin não podia acreditar. – Está mesmo com ele?

Karin acenou positivamente com a cabeça.

− Muito bem. Não vou liberar sua moto agora, mas deixarei na casa de Suigetsu depois. Chaves.

Karin praguejou novamente, entregando as chaves.

− Entre. – Suigetsu limitou-se a dizer.

− Não pense que isso muda nada entre nós. – Karin cruzou os braços após afivelar o cinto.

− Jamais pensei isso. – Ele riu, dirigindo para a casa dela. Karin nem perguntou nada, até começar a ver o bairro familiar.

− Como você... – Então ele estendeu sua habilitação. Quando Karin tentou pegar, ele a recolheu.

− Deixemos as coisas como antes. Então eu te entrego.

Karin não disse nada. Apenas agarrou a habilitação e bateu a porta do carro. Mas parou.

− Me ligue amanhã.

Suigetsu sorriu diante daquela pequena vitória.

Meu jeito é malicioso, faço gostoso

Mas, se me grudar demais, eu caio fora

E se quer prioridade

Olha, na verdade, cê tá no lugar errado, baby

Ele ligou como ela havia pedido e marcaram o encontro na casa dele como sempre. Mas quando entrou, Karin não o atacou como sempre fazia. Apenas o encarou com cautela enquanto Suigetsu lhe oferecia um cigarro de sua própria cartela. Ela aceitou, tragando-o lentamente.

− Não vamos namorar. – pontuou.

− Certo.

− E você não vai me mandar mensagens o tempo todo como um crush grudento.

− Entendido.

− O que temos é puramente carnal. Não pense que haverá mais que isso.

− Roger!

Karin o encarou novamente. Suigetsu ainda sorria como um tubarão.

− Idiota. – murmurou ela.

− O que você quiser, baby.

Karin subiu em seu colo, calando-o com um beijo.

A situação não era nem de longe a ideal, mas Suigetsu se conformaria com o que tinha. Pois era melhor ter a metade de Karin do que nada. E um dia, ah, um dia a conquistaria por inteiro!

Até lá, bem, que ela se aproveitasse dele com aquele jeito malicioso!

Notas:

Bem, é isto. Eu não sei se está à altura da Mama SuiKa, mas eu gostaria muito de dizer que fiz com muito amor, Karvie! Espero muito que você goste! E, pro pessoal que chegou até aqui, espero para saber o que acharam! Nos vemos nas próximas!

2 de Junio de 2018 a las 23:35 11 Reporte Insertar 3
Fin

Conoce al autor

Ariane Munhoz Dona de mim, escritora, louca dos pássaros, veterinária e mãe dos Inuzuka. Já ouviram a palavra Shiba hoje?

Comenta algo

Publica!
karvie spero karvie spero
meu deusKKKKKKKK que bug foi esse aaaaa desculpa ari
18 de Septiembre de 2018 a las 18:55
karvie spero karvie spero
MINHA FIC AQUI E EU NÃO TINHA VINDO DAR UM BERRO AINDA! hino de oneshot, amo demaissss e quase choro lembrando que fez pra mim ❤️
18 de Septiembre de 2018 a las 18:54

  • Ariane Munhoz Ariane Munhoz
    EU TO BERRANDO COM ESSE MONTE DE COMENTÁRIOS IGUAIS, ADOREI AAAA! 18 de Septiembre de 2018 a las 19:09
karvie spero karvie spero
MINHA FIC AQUI E EU NÃO TINHA VINDO DAR UM BERRO AINDA! hino de oneshot, amo demaissss e quase choro lembrando que fez pra mim ❤️
18 de Septiembre de 2018 a las 18:54
karvie spero karvie spero
MINHA FIC AQUI E EU NÃO TINHA VINDO DAR UM BERRO AINDA! hino de oneshot, amo demaissss e quase choro lembrando que fez pra mim ❤️
18 de Septiembre de 2018 a las 18:54
karvie spero karvie spero
MINHA FIC AQUI E EU NÃO TINHA VINDO DAR UM BERRO AINDA! hino de oneshot, amo demaissss e quase choro lembrando que fez pra mim ❤️
18 de Septiembre de 2018 a las 18:52
karvie spero karvie spero
MINHA FIC AQUI E EU NÃO TINHA VINDO DAR UM BERRO AINDA! hino de oneshot, amo demaissss e quase choro lembrando que fez pra mim ❤️
18 de Septiembre de 2018 a las 18:52
Grid Pudim Grid Pudim
AAAA EU AMEIIII! eu adoro esse casal e a musica encaixou muito com eles parabens, sua fic tá incrível <3
13 de Junio de 2018 a las 09:15
Hasashi Rafaela Hasashi Rafaela
EU TO CHOCADA EM COMO ESSA FANFIC TÁ INCRÍVEL! Miga, tá maravilhoso! Sério! A história, a letra, a música...TUDO! Mds, tá incrível mesmo! Te amo, e parabéns nenê <3
5 de Junio de 2018 a las 15:30

  • Ariane Munhoz Ariane Munhoz
    EU TO CHOCADA EM COMO ESSA MÚSICA VICIA! CARALHO! 7 de Junio de 2018 a las 16:15
  • Ariane Munhoz Ariane Munhoz
    Até apertei o enter de emoção. Eu fico feliz que você tenha gostado, nenê! Espero que quando eu escrever a KonoHana fique tão legal assim! Você é um amor! Obrigada por vir aqui dar uma força! <3 7 de Junio de 2018 a las 16:15
~